Capítulo 42. Atomic Host e Contêineres

A instalação do Atomic Host oferece cryptsetup, embora não esteja disponível

Durante a instalação do Red Hat Enterprise Linux 7 Atomic Host, o instalador oferece a opção de criptografar partições usando cryptsetup na tela de Particionamento Manual, da mesma forma que oferece durante a instalação do Red Hat Enterprise Linux 7.2.
No entanto, as partições criptografadas não possuem suporte no Atomic Host. Se você criptografar qualquer partição durante a instalação, não conseguirá desbloqueá-la depois.
Para contornar este probema, não criptografe partições ou volumes lógicos durante a instalação do Red Hat Enterprise Linux Atomic Host, mesmo que o instalador apresente esta opção.

O instalador pode adicionar o armazenamento avançado apenas na primeira vez que o usuário entrar na tela de configuração do armazenamento

Durante uma instalação interativa que utiliza a interface gráfica do Anaconda, a adição do armazenamento avançado (iSCSI, zFCP, FCoE) à sua seleção de disco não funcionará se você já tiver entrado e saído da tela de configuração do armazenamento. Para contornar este problema, certifique-se, se necessário, de que a rede esteja ativa e, depois, entre na tela de configuração do armazenamento e adicione todos os dispositivos de armazenamento avançado.

A instalação do Atomic Host oferece BTRFS, mas não possui suporte

O instalador do Red Hat Enterprise Linux Atomic Host oferece BTRFS como uma opção de partição, mas a árvore não inclui btrfs-progs. Como consequência, um sistema Atomic Host com particionamento BTRFS não funcionará, mesmo que a opção esteja presente no instalador. Não selecione esta opção no instalador. O BTRFS não possui suporte para o Atomic Host.

ostreesetup nos arquivos Kickstart fornece suporte apenas a HTTP e HTTPS

O comando ostreesetup no Kickstart do Atomic Host fornece suporte apenas a Identificadores de Recursos Uniformes (URIs) HTTP e HTTPS. O fornecimento de uma opção diferente, como, por exemplo, ftp://, pode gerar falhas no instalador. Use somente HTTP e HTTPS.

O Red Hat Enterprise Linux Atomic Hostfornece suporte somente à localidade en_US.UTF-8

Durante a instalação, se você selecionar um idioma diferente do Inglês Americano, como o tipo de teclado padrão, esta escolha não refletirá no sistema instalado depois. A localidade ainda estará definida como en_US e as mensagens de erro sobre as localidades ausentes serão exibidas. Isto pode ser problemático para programas que requerem outras localidades ou, por exemplo, quando se tem uma senha em outro idioma e o sistema não a reconhece.

Quando a partição root está sem espaço livre

O Red Hat Enterprise Linux Atomic Host aloca 3GB de armazenamento para a partição root, incluindo os volumes do docker (unidades de armazenamento que um contêiner em execução pode solicitar do sistema host). Isto acaba gerando a falta de espaço de armazenamento na partição root. Para obter suporte para mais espaço de volume, mais armazenamento físico deve ser adicionado ao sistema ou o Volume Lógico root deve ser estendido.
Por padrão, 40% do outro volume fica reservado para o armazenamento de imagens de contêiner. Os outros 60% podem ser usados para estender a partição root. Para instruções mais detalhadas, consulte https://access.redhat.com/documentation/en/red-hat-enterprise-linux-atomic-host/version-7/getting-started-with-containers/#changing_the_size_of_the_root_partition_after_installation.

O modo de resgate não funciona no Red Hat Enterprise Linux Atomic Host

O instalador do Anaconda não é capaz de localizar um sistema Atomic Host instalado previamente quando em modo de resgate. Portanto, o modo de resgate não funciona e não deve ser usado.

O daemon docker é incapaz de criar um despejo de memória

No Red Hat Enterprise Linux Atomic Host, o padrão principal é definido como core. Isto impede a gravação de despejos de memória para daemons como o docker, cujo diretório é root (/), já que é somente para leitura. Para contornar o problema, especifique um padrão de nome de arquivo principal que aponte para uma localização gravável:
echo /var/lib/core > /proc/sys/kernel/core_pattern
Com esta solução alternativa, os despejos de memória serão salvos sob /var/lib.

O serviço brandbot.path pode fazer com que o subscription-manager altere o arquivo /etc/os-release nas instalações 7.1

O arquivo /etc/os-release ainda pode especificar a versão 7.1, mesmo depois que o Atomic Host tenha recebido upgrade para 7.2, usando o comando atomic host upgrade. Isto acontece porque a ferramenta ostree subjacente preserva os arquivos modificados em /etc. Como uma solução alternativa, depois do upgrade para a versão 7.2, execute o seguinte comando: cp /usr/etc/os-release /etc. Desta maneira, o arquivo /etc/os-release retornará em um estado não modificado e, já que brandbot.path é mascarado em 7.2.0, ele não será modificado no futuro pelo subscription-manager e os upgrades futuros exibirão a versão correta.