Capítulo 4. Armazenamento

LVM Cache

As of Red Hat Enterprise Linux 7.1, LVM cache is fully supported. This feature allows users to create logical volumes with a small fast device performing as a cache to larger slower devices. Please refer to the lvm(7) manual page for information on creating cache logical volumes.
Note as seguintes restrições no uso dos volumes lógicos de cache (LV):
  • O LV do cache deve ser um dispositivo de alto nível. Não pode ser usado como um LV thin-pool, uma imagem de um RAID LV, ou qualquer outro tipo de sub-LV.
  • The cache LV sub-LVs (the origin LV, metadata LV, and data LV) can only be of linear, stripe, or RAID type.
  • As propriedades do LV do cache não podem ser modificadas após a criação. Para mudar as propriedades do cache, remova o cache e recrie-o com as propriedades desejadas.

Storage Array Management com libStorageMgmt API

Com o Red Hat Enterprise Linux 7.1 o gerenciamento de matriz de armazenamento com libStorageMgmt, uma matriz de armazenamento independente da Interface de Programação de Aplicativo (API), é totalmente suportado. A API fornecida é consistente e estável, e permite que desenvolvedores gerenciem programaticamente matrizes de armazenamentos diferentes e aproveitem os recursos de hardware acelerado fornecidos. Os administradores de sistema também podem usar o libStorageMgmt como uma ferramenta para gerenciar o armazenamento manualmente e automatizar tarefa de gerenciamento de armazenamento com a Interface de Linha de Comando incluída. Por favor, note que o plugin Targetd não é totalmente suportado e permanece como Amostra de Tecnologia.
  • NetApp Filer (ontap 7-Mode)
  • Nexenta (somente nstor 3.1.x)
  • SMI-S, para os seguintes fabricantes:
    • HP 3PAR
      • lançamento de SO 3.2.1 ou posterior
    • EMC VMAX e VNX
      • Solutions Enabler V7.6.2.48 ou posterior
      • SMI-S Provider V4.6.2.18 hotfix kit ou posterior
    • Provedor não embutido HDS VSP Array
      • Hitachi Command Suite v8.0 ou posterior
Para mais informações sobre o libStorageMgmt, consulte o capítulo relevante do no Guia de Adminsitração de Armazenamento.

Suporte para LSI Syncro

Red Hat Enterprise Linux 7.1 Inclui código no driver megaraid_sas para permitir adaptadores LSI Syncro CS de alta disponibilidade de armazenamento direct-atteched (HA-DAS). Embora o driver megaraid_sas é totalmente suportado por adaptadores previamente habilitados, o uso deste driver para Syncro CS está disponível como uma Amostra de Tecnologia. Suporte para este adaptador será fornecido diretamente pelo LSI, o integrador de sistemas ou fornecedor do sistema. Usuários que implementam o Syncro CS em Red Hat Enterprise Linux 7.1 são encorajados a fornecer feedback para Red Hat e LSI. Para obter mais informações sobre as soluções LSI Syncro CS, por favor visitehttp://www.lsi.com/products/shared-das/pages/default.aspx.

Interface de Programação de Aplicativo LVM

Red Hat Enterprise Linux 7.1 apresenta a nova interface de programação de aplicativo LVM (API) como uma Amostra de Tecnologia. Esta API é usada para consultar e controlar certos aspectos do LVM.
Consulte o arquivo de cabeçalho lvm2app.h para obter mais informações.

Suporte DIF/DIX

DIF / DIX é uma nova adição ao padrão SCSI e uma Amostra de Tecnologia em Red Hat Enterprise Linux 7.1. DIF/DIX aumenta o tamanho do bloco de disco geralmente usado de 512 bytes de 512 para 520 bytes, adicionando a Integridade de campo de dados (DIF). A DIF armazena um valor de checksum para o bloco de dados que é calculado pela Host Bus Adapter (HBA) quando ocorre uma gravação. O dispositivo de armazenamento, então confirma a soma de verificação recebe e armazena tanto os dados como a soma de verificação. Por outro lado, quando ocorre uma leitura, a soma de verificação pode ser verificada pelo dispositivo de armazenamento, e pelo HBA receptor.
For more information, refer to the section Block Devices with DIF/DIX Enabled in the Storage Administration Guide.

Aprimorado o device-mapper-multipath Syntax Error Checking e Output

A ferramenta device-mapper-multipath foi aprimorada para verificar o arquivo multipath.conf mais confiável. Consequentemente, se o multipath.conf contém alguma linha que não pode ser analisada, o device-mapper-multipath reporta um erro e ignora estas linhas para evitar análise errada.
Além disso, as expressões de wildcard a seguir foram adicionadas ao comando multipathd show paths format:
  • %N e %n para o host e alvo de Nomes do Fibre Channel World Wide Node, respectivamente.
  • %R e %r para o host e alvo dos Nomes de Fibre Channel World Wide Port, respectivamente.
Agora é mais fácil associar os multipaths com hosts de Fibre Channel específicos, alvos e suas portas, que permitem que usuários gerenciem suas configurações de armazenamento de forma mais eficiente.