3.4. Kernel sem Tick

Anteriormente, o kernel do Linux interrompia periodicamente cada CPU em um sistema em uma frequência pré-determinada, 100 Hz, 250 Hz ou 1000 Hz, dependendo da plataforma. O kernel pesquisava a CPU sobre os processos que estava executando, e usava os resultados para a contabilidade do processo e carregamento de balanceamento. Conhecido como o timer tick, o kernel realizava esta interrupção não importando o estado de energia da CPU. Portanto, até uma CPU ociosa estava respondendo a até 1000 destas requisições a cada segundo. Em sistemas que a economia de energia implementada mede o estado ocioso das CPUs, o timer tick evitou que a CPU ficasse ociosa por muito tempo para que o sistema se beneficiasse desta economia de energia.
O kernel em Red Hat Enterprise Linux 6 executa o tickless: ou seja, ele substitui as interrupções de timer antigo periódico pelas interrupções sob demanda. Assim, as CPUs ociosas podem ficar em seu estado até a próxima tarefa entrar em fila para processamento, e as CPUs que inserirem estados de energia podem ficar nestes estados mais tempo.