1.2. Básicos do Gerenciamento de Energia

O gerenciamento de energia efetivo é construído sob os seguintes princípios:
Uma CPU ociosa deve somente ser ativada quando necessário

O kernel Red Hat Enterprise Linux 5 usado em um timer periódico para cada CPU. Este timer evita que a CPU se torne realmente ociosa, pois ele requer que a CPU processe cada evento de timer (o qual aconteceria a cada milisegundos, dependendo da configuração), não importando se o processo estava rodando ou não. Uma grande parte do gerenciamento de energia efetivo envolve a redução da frequência na qual as ativações de CPU são realizadas.

Por causa disso, o kernel do Linux no Red Hat Enterprise Linux 6 elimina o timer de periódico: como um resultado, o estado ocioso de uma CPU agora é tickless. Isto evita que a CPU consuma energia desnecessária quado estiver ociosa. No entanto, os benefícios deste recurso podem estar em offset se seu sistema possuir aplicativos que criam eventos de timer desnecessários. Os eventos de poll (como os de verificações para as mudanças de volume, movimento de mouse, entre outros) são exemplos de tais eventos.
Red Hat Enterprise Linux 6 inclui ferramentas com o qual você pode identificar aplicativos de auditoria com base no uso de suas CPUs. Consulte o Capítulo 2, Ferramentas de Gerenciamento de Energia e análise para maiores detalhes.
Hardware e dispositivos que não estiverem sendo usados devem ser desativados completamente.

Este é especialmente verdadeiro para dispositivos que possuem partes que movem ( por exemplo, discos rígidos). Além disso, alguns aplicativos podem deixar um dispositivo sem uso mas ativado "aberto" quando isto acontecer, o kernel assume que o dispositivo está em uso, o qual pode evitar que o dispositivo vá para estado de economia de energia.

Atividade baixa deve traduzir para baixa voltagem

Na maioria dos casos, no entanto, isto depende do hardware moderno e configuração do BIOS correta. Componentes de sistema mais antigos, geralmente não possuem suporte para alguns dos novos recursos que podemos agora suportar no Red Hat Enterprise Linux 6.Certifique-se de que está usando o firmware oficial mais recente para seus sistemas e que nas seções de gerenciamento de energia ou configuração de dispositivo do BIOS, os recursos de gerenciamento de energia estejam habilitados. Alguns recursos a checar incluem:

  • SpeedStep
  • PowerNow!
  • Cool'n'Quiet
  • ACPI (C state)
  • Smart
Se seu hardware possui suporte para estes recursos e eles estão habilitados no BIOS, o Red Hat Enterprise Linux 6 irá usá-los por padrão.
Formatos diferentes de estados de CPU e seus efeitos.

CPUs modernas juntas com Advanced Configuration and Power Interface (ACPI) fornecem estados de energia diferentes. Os três estados diferentes são:

  • Espera (C-states)
  • Frequência (P-states)
  • Resultado de aquecimento (T-states or "thermal states")
Uma CPU rodando no estado de espera mais baixo consome o mínimo de quantidade de watts, mas ele também leva muito mais tempo para ativar do estado quando necessário. Em casos raros, isto também pode levar à CPU ter que ser ativada imediatamente, todas as vezes que acaba de entrar no estado de espera. Esta situação resulta em uma CPU efetivamente permanentemente ocupada e perde um pouco da economia de energia em potencial se outro estado houver sido usado.
Uma máquina desligada usa o mínimo de quantidade de energia.

O mais óbvio que isto possa parecer, uma das melhores maneiras de economizar energia é desligando os sistemas. Por exemplo, sua empresa pode desenvolver uma cultura corporativa focada em consciência "green IT" (TI verde) com regras de desligar máquinas durante o intervalo do almoço ou quando você for pra casa. Você também poderá consolidar diversos servidores físicos em um servidor maior e virtualizá-los usando a tecnologia de virtualização que enviamos junto com o Red Hat Enterprise Linux 6.