Red Hat Training

A Red Hat training course is available for Red Hat Enterprise Linux

4.3. Administração de Grupo de Volume

Esta seção descreve os comandos que criam os diversos detalhes da administração do grupo de volume.

4.3.1. Criando Grupos de Volume

Para criar um grupo de volume de um ou mais volumes físicos, use o comando vgcreate O comando vgcreate cria um novo grupo de volume pelo nome e adiciona pelo menos um volume físico ao mesmo.
O comando a seguir cria um grupo de volume chamado vg1 que contém volumes físicos /dev/sdd1 e /dev/sde1.
vgcreate vg1 /dev/sdd1 /dev/sde1
Quando volumes físicos são usados para criar um grupo de volume, sua extenção em disco é divida em tamanhos de 4MB por padrão. Esta extenção é a quantidade mínima pela qual o volume lógico pode ser aumentado ou diminuido. Números de grande extenção não terão impacto no desempenho do volume lógico.
Você pode especificar o tamanho da extensão com a opção -s no comando vgcreate se a extensão padrão não for adequada. Você pode colocar limites nos números de volumes físicos ou lógicos que o grupo de volume pode ter usando argumentos -p e -l do comando vgcreate.
Por padrão, um grupo de volume aloca extensões físicas de acordo com regras de senso comum tais como não colocar distribuições paralelas no mesmo volume físico. Esta é a política de alocação normal. Você pode usar o argumento --alloc do comando vgcreate para especificar a política de contiguous, anywhere ou cling.
A política contiguous requer que novas extensões sejam subjacentes às extensões existentes. Se existem extensões livres suficientes para satisfazer um pedido de alocação mas uma política de alocação normal não os usar, a política de alocação anywhere o fará, mesmo que reduza o desempenho por colocar duas distribuições no mesmo volume físico. A política cling coloca novas extenções no mesmo volume físico assim como extenções existentes na mesma distribuição do volume lógico. Estas políticas podem ser alteradas usando o comando vgchange.
Para informações sobre o uso da política cling em conjunto com os rótulos LVM para especificar quais volumes físicos adicionais usar quando extender um volume LVM, veja a Seção 4.4.12.2, “Extendendo um Volume Lógico com a Política de Alocação cling.”.
No geral, as políticas de alocação que não sejam normal são necessárias somente em casos especiais, onde você precisará especificar alocação de extensão incomum ou não padrão.
Grupos de volume LVM e volumes lógicos subjacentes estão incluídos na árvore de diretório de arquivo especial no diretório /dev com o seguinte plano:
/dev/vg/lv/
Por exemplo, se você criar dois grupos de volume myvg1 e myvg2, cada um com três volumes lógicos chamados lvo1, lvo2 e lvo3, isto irá criar seis arquivos especiais de dispositivo:
/dev/myvg1/lv01
/dev/myvg1/lv02
/dev/myvg1/lv03
/dev/myvg2/lv01
/dev/myvg2/lv02
/dev/myvg2/lv03
O tamanho máximo de dispositivo com LVM é 8 Exabytes no 64-bit CPUs.