1.4. O Gerenciador de Volume Lógico em Cluster (CLVM)

O Clustered Logical Volume Manager (CLVM) é um conjunto de extensões de cluster para o LVM. Estas extensões permitem que um cluster de computadores gerencie o armazenamento compartilhado (por exemplo, em um SAN) usando o LVM. O CLVM é parte do Resilient Storage Add-On.
O uso do CLVM depende dos requerimentos do seu sistema:
  • Se somente um nó de seu sistema requer acesso ao armazenamento que você estará configurando como volumes lógicos, você pode então utilizar o LVM sem as extensões do CLVM e os volumes lógicos criados com este nó serão todos locais ao nó.
  • Se você estiver usando um sistema em cluster para failover, onde somente um único nó acessa o armazenamento e está ativo a qualquer momento, você deve usar os agentes do Gerenciamento de Volume Lógico de Disponibilidade (HA-LVM). Para informações sobre o HA-LVM, veja Configurando e Gerenciando um Red Hat Cluster.
  • Se mais de um nó de seu cluster requer acesso ao seu armazenamento, o qual é compartilhado entre os nós ativos, você precisará usar o CLVM. O CLVM permite que um usuário configure os volumes lógicos em armazenamento compartilhado, bloqueando acesso ao armazenamento físico enquanto um volume lógico está sendo configurado, e usa os serviços de bloqueio em cluster para gerenciar o armazenamento compartilhado.
Para usar o CLVM, o software High Availability Add-On e Resilient Storage Add-On, incluindo o daemon do clvmd, devem estar em execução. O daemon clvmd é a extensão de cluster chave para o LVM. O daemon clvmd roda em cada computador de cluster e distribui as atualizações dos metadados do LVM em um cluster, apresentando cada computador de cluster com a mesma visão dos volumes lógicos. Para informações sobre como instalar e administrar o High Availability Add-On veja Configurando e Gerenciando um Red Hat Cluster.
Para se certificar que o clvmd foi iniciado durante a inicialização, você pode executar o comando chkconfig ... on no serviço clvmd, como em seguida:
# chkconfig clvmd on
Se o daemon clvmd não foi iniciado, você poderá executar um comando service ... start no serviço clvmd, como em seguida:
# service clvmd start
A criação de volumes lógicos LVM em um ambiente de cluster é idêntica à criação de volumes lógicos LVM em um nó único. Não há diferença nos comandos LVM ou na interface de usuário gráfica do LVM, como descrita no Capítulo 4, Administração do LVM com os comandos de CLI e no Capítulo 7, Administração com o LVM GUI. Para habilitar os volumes LVM que você está criando em um cluster, a infraestrutura precisa estar em execução e o cluster deve estar em quorum.
Por padrão, os volumes lógicos criados com o CLVM em armazenamento compartilhado são visíveis em todos os sistemas que possuem acesso ao armazenamento compartilhado. É possível criar grupos de volume no qual todos os dispositivos de armazenamento são visíveis à somente um nó no cluster. Também é possível modificar o status de um grupo de volume, de um grupo de volume local para um grupo de volume em cluster. Para mais informações, veja a Seção 4.3.2, “Criando Grupos de Volume em um Cluster” e a Seção 4.3.7, “Modificando os Parâmetros de um Grupo de Volume”.

Atenção

Quando você criar os grupos de volume com o CLVM em armazenamento compartilhado, você precisa se certificar que todos os nós no cluster possuem acesso aos volumes físicos que constituem o grupo de volume. As configurações de cluster assimétricas nas quais alguns nós possuem acesso ao armazenamento e outros não, não são suportados.
A Figura 1.2, “Visão Geral do CLVM” exibe uma visão geral do CLVM em um cluster.
Visão Geral do CLVM

Figura 1.2. Visão Geral do CLVM

Nota

O CLVM requer mudanças no arquivo lvm.conf para o bloqueio de todo o cluster. Informações sobre a configuração do arquivo lvm.conf para suportar um bloqueio de cluster, são fornecidas dentro do próprio arquivo lvm.conf. Para informações sobre o arquivo lvm.conf, veja o Apêndice B, Os arquivos de Configuração do LVM.