Red Hat Training

A Red Hat training course is available for Red Hat Enterprise Linux

Guia de instalação

Red Hat Enterprise Linux 6

Instalando o Red Hat Enterprise Linux 6 para todas as arquiteturas

Edição 1.0

Red Hat Engineering Content Services

Red Hat Engineering Content Services

Rüdiger Landmann

Red Hat Serviços de Conteúdo de Engenharia

Jack Reed

Red Hat Serviços de Conteúdo de Engenharia

David Cantrell

Instalação do VNC 

Hans De Goede

iSCSI 

Jon Masters

Atualizações do Driver 

Editado por

Rüdiger Landmann

Editado por

Jack Reed

Resumo

Este manual explica como inicializar o programa de instalação do Red Hat Enterprise Linux 6 ( anaconda) e para instalar o Red Hat Enterprise Linux 6 on 32-bit and 64-bit x86 systems, 64-bit POWER systems, and IBM System z. Ele também explica sobre os métodos avançados de instalação tais como as instalações do kickstart, as instalações do PXE e as instalações sob o VNC. Ele descreve as tarefas de pós instalações comuns e explica como solucionar problemas de instalação.

Prefácio

1. Conhecimentos

Algumas partes deste texto apareceram primeiro no Guia de Instalação do Fedora, copyright © 2009 Red Hat, Inc. entre outros, publicado pelo Projeto Fedora em http://docs.fedoraproject.org/install-guide/.

Introdução

Bem vindo ao Guia de Instalação do Red Hat Enterprise Linux.
As versões HTML e PDF e EPUB estão disponíveis online em https://access.redhat.com/knowledge/docs/Red_Hat_Enterprise_Linux/.

Nota

Embora este manual reflita a maioria das informações atuais possíveis, leia as Red Hat Enterprise Linux 6 Release Notes para obter informações que podem não ter sido disponibilizadas antes da documentação ser finalizada. Você pode encontrar as Notas de Lançamento no DVD do Red Hat Enterprise Linux, online em https://access.redhat.com/knowledge/docs/Red_Hat_Enterprise_Linux/, or in the /usr/share/doc/redhat-release-notes-6variant/ directory after installation, where variant is Client, ComputeNode, Server, or Workstation.

1. O que há de Novo nesta Edição?

Tenha a certeza de revisar a Apêndice I, HIstórico de Revisão para recursos e reparos de erros neste manual.

2. Informações específicas da arquitetura

Este manual é dividido nas seguintes seções:
Parte I, “x86, AMD64, e Intel 64 — Instalação e Inicialização”, Parte II, “Arquitetura IBM POWER - Instalação e Inicialização”, e Parte III, “IBM System z Architecture - Instalação e Inicialização” são específicas para uma arquitetura, e dão instruções sobre como instalar o Red Hat Enterprise Linux 6 com referências específicas para sistemas Intel e AMD de 32 e 64 bits, sistemas baseados no IBM POWER  e sistemas de arquiteturas IBM System z, respectivamente.
Parte IV, “Opções avançadas de instalação” cobre mais métodos avançados de instalação do Red Hat Enterprise Linux, incluindo opções de inicialização, instalação sem mediam, instalação através do VNC, e instalações com o kickstart para automatizar o processo de instalação.
Parte V, “Depois da instalação” lida com diversas tarefas comuns, cobre a finalização da instalação e também algumas tarefas relacionadas à instalação que talvez você realize no futuro. Estes incluem o uso o disco de instalação do Red Hat Enterprise Linux para recuperar um sistema danificado, atualização para uma nova versão do Red Hat Enterprise Linux, e remoção do mesmo de seu computador.
Parte VI, “Apêndices técnicas” não contém procedimentos mas provê histórico técnico, o qual pode vir a ser útil entender as opções que o Red Hat Enterprise Linux oferece à você em diversos momentos no processo de instalação.

3. Instalação nos Ambientes Virtualizados

A Virtualização é um termo da computação um tanto amplo para softwares em execução, geralmente sistemas operacionais, simultâneos e isolados de outros programas em um só sistema. A Virtualização usa o hypervisor, uma camada de software que controla o hardware e fornece sistemas operacionais convidados com acesso ao hardware adjacente. O hypervisor permite que sistemas operacionais múltiplos sejam executados no mesmo sistema físico fornecendo um hardware virtualizado ao sistema operacional convidado.
Você pode instalar o Red Hat Enterprise Linux 6 como um convidado totalmente virtualizado em um sistema host de 64 bits x86 ou em um logical partition (LPAR) em um sistema POWER or IBM System z.
Para mais informações sobre instalação do Red Hat Enterprise Linux 6 em um ambiente virtualizado em um sistema host x86 com 64-bit, consulte o "Instalação Parte II" no Red Hat Enterprise Linux 6 Virtualization Guide, disponível em http://docs.redhat.com/. Para mais informações sobre como instalar o Red Hat Enterprise Linux 6 em um ambiente virtualizado sob o PowerVM no IBM System p, consulte o PowerVM Virtualization no IBM System p: Introdução e Configuração , disponível em http://publib-b.boulder.ibm.com/abstracts/sg247940.html. Para mais informações sobre a instalação do Red Hat Enterprise Linux 6 em um ambiente virtualizado sob o z/VM no System z, consulte o Parte III, “IBM System z Architecture - Instalação e Inicialização” neste manual.

4. Atualização Contínua

O Guia de Instalação do Red Hat Enterprise Linux é parte do comprometimento contínuo da Red Hat em fornecer suporte útil em tempo hábil e informações para os usuários do Red Hat Enterprise Linux.

5. Onde Encontrar Outros Manuais

Os manuais do Red Hat Enterprise Linux estão disponíveis online em https://access.redhat.com/knowledge/docs/Red_Hat_Enterprise_Linux/.
Além deste manual, o qual cobre a instalação, o Red Hat Enterprise Linux Deployment Guide contém informações sobre a administração e a segurança de sistemas.

Capítulo 1. Adquirindo o Red Hat Enterprise Linux

Se você tiver uma subscrição da Red Hat, você pode baixar o ISO image files do DVD de instalação do Red Hat Enterprise Linux 6 a partir do Software & Download Center, que é parte do portal do consumidor da Red Hat. Se você não possuir uma subscrição ainda, compre uma ou obtenha uma avaliação grátis de subscrição do Software & Download Center em https://access.redhat.com/downloads.
Se você tiver uma subscrição ou uma subscrição de avaliação, siga estes passos para obter os arquivos de imagem do ISO do Red Hat Enterprise Linux 6
  1. Visite o porta do consumidor em https://access.redhat.com/login e ensira seu Login e Senha.
  2. Clique Downloads para visitar o Software & Download Center.
  3. Na área do Red Hat Enterprise Linux, clique em Download seu Software para obter uma lista de todos os produtos atualmente suportados do Red Hat Enterprise Linux
  4. Selecione uma versão do Red Hat Enterprise Linux e clique no link da versão. Note que você precisará somente selecionar a versão mais atual do produto, cada lançamento é uma versão funcional completa do sistema operacional e não necessita de lançamentos anteriores. Certifique-se que você selecionou um lançamento de server caso planeje implementar um Red Hat Enterprise Linux em um servidor, ou um lançamento de desktop, caso planeje implementar em uma máquina de cliente. Escolha entre versões com 32 e 64 bits.
  5. Cada versão do Red Hat Enterprise Linux está disponível como um arquivo de imagem ISO para um DVD único, de tamanho 3 GB – 4 GB aproximadamente.
    Selecionando arquivos de imagem ISO

    Figura 1.1. Selecionando arquivos de imagem ISO

    Esta mesma página contém links para os arquivos de imagem do ISO para o código de fonte para o Red Hat Enterprise Linux. Você não precisa baixar o código fonte para instalar o Red Hat Enterprise Linux.
    A página também contém links para boot.iso. Clique neste link para fazer o download da imagem ISO chamada rhel-variant-version-architecture-boot.iso a qual tem o tamanho aproximado de200 MB. Você pode usar este arquivo de imagem para produzir minimal boot media — bootable CDs, DVDs, ou dispositivos USB com os quais você pode inicializar um sistema quando você planejar completar a instalação a partir de uma fonte de instalação disponível em um disco rígido ou sob conexão de rede. Consulte oSeção 2.2, “Criando uma Mídia Mínima de Inicialização” for information on how to use the rhel-variant-version-architecture-boot.iso.
    Observe que o link para todos os arquivos de imagem são acompanhados pelo MD5 e SHA-256 checksums. Após a conclusão do seus downloads, use a ferramenta checksum, tais como md5sum ou sha256sum para gerar um checksum em sua cópia local do arquivo. Se o valor que você gera localmente coincide com o valor publicado no website, você sabe que o arquivo de imagem é genuíno e não foi corrompido.
Após baixar os arquivos de imagem ISO do DVD de instalação do Red Hat Network, você pode:

Capítulo 2. Criando Mídia

Use qualquer um dos métodos descritos nesta seção para criar os seguintes tipos de instalação e mídia inicializável:
  • um DVD de Instalação
  • um CD ou DVD de inicialização mínima que possa inicializar o instalador
  • um USB para inicializar o instalador
A tabela a seguir indica os tipos de inicialização e mídia de instalação disponíveis para arquiteturas diferentes e anota o arquivo de imagem onde você precisa produzir a mídia.

Tabela 2.1. Inicializar e mídia de instalação

Arquitetura DVD de instalação CD de inicialização ou DVD USB flash drive de inicialização
Onde variant é a variante do Red Hat Enterprise Linux (por exemplo, server ou workstation) e version é o número de versão mais recente (por exemplo, 6.3).
BIOS-based 32-bit x86 Arquivo de imagem de DVD ISO x86 rhel-variant-version-i386-boot.iso rhel-variant-version-i386-boot.iso
UEFI-based 32-bit x86 Não está disponível  
BIOS-based AMD64 e Intel 64 o arquivo de imagem x86_64 DVD ISO (para instalar um sistema operacional 64-bit) ou o arquivo de imagem x86 DVD ISO (para instalar o sistema operacional 32-bit) rhel-variant-version-x86_64boot.iso ourhel-variant-version-i386-boot.iso rhel-variant-version-x86_64boot.iso ou rhel-variant-version-i386-boot.iso
UEFI-based AMD64 e Intel 64 Arquivo de imagem x86_64 DVD ISO rhel-variant-version-x86_64boot.iso efidisk.img (do arquivo de imagem x86_64 DVD ISO)
POWER (64-bit somente) arquivo de imagem ppc DVD ISO rhel-server-version-ppc64-boot.iso Não está disponível
System z s390 DVD ISO image file Não está disponível Não está disponível

2.1. Criando um DVD de Instalação

Você pode fazer um DVD de instalação usando um software de gravação de CD ou DVD em seu computador.
A série de passos exata que produz um DVD a partir de um arquivo de imagens ISO, varia muito de um computador para o outro, dependendo do sistema operacional e do software de gravação de disco. Use deste procedimento como guia geral. Você pode omitir certos passos em seu compatdor ou pode ter que realizar alguns passos em ordem diferente da ordem descrita aqui.
Certifique-se que seu software de gravação de disco é capaz de gravar discos de arquivos de imagem. Embora isto seja verdadeiro para a maioria dos softwares de gravação de disco, existem exceções .
Especialmente, note que o recurso de gravação embutido no Windows XP e Windows Vista não gravam DVDs e que o sistema operacional do Windows anteriores não possuiam uma capacidade de gravação instalada por padrão. Portanto, se o seu computador possuir um sistema operacional Win dows antes do Windows 7 instalado nele, você precisara separa uma parte do software para esta tarefa. Exemplos de software de gravação populares para o Windows que você pode já ter em seu computador incluem Nero Burning ROM e Roxio Creator.
O software de gravação de disco mais usado para o Linux, tal como o Brasero and K3b possui uma habilidade de gravar discos a partir de arquivos de imagem.
  1. Baixe um arquivo de imagem do DVD de instalação do Red Hat Enterprise Linux 6 como descrito em Capítulo 1, Adquirindo o Red Hat Enterprise Linux.
    Consulte o Tabela 2.1, “Inicializar e mídia de instalação” para escolher um arquivo de imagem ISO apropriado para seu sistema. Os arquivos de imagem ISO separados estão disponíveis para:
    • 32-bit x86 (BIOS only)
    • 64-bit x86 (BIOS and UEFI)
    • 64-bit POWER
    • IBM System z
  2. Insira um DVD vazio e gravável em seu gravador DVD do seu computador. Em agluns computadores, abre-se uma janela e exibe-se diversas opções ao inserir o disco. Se você encontrar uma janela como esta, procure por uma opção para lançar seu programa de gravação de disco. Se não encontrar uma opção como esta, feche a janela e lance o programa manualmente.
  3. Lance seu programa de gravação de disco. Em alguns computadoers, você consegue fazer isto clicando com o botão da direita (ou clicando com o controle) no arquivo de imagem e selecionando a opção de menu com um rótulo como Copy image to DVD, ou Copiar imagem de CD ou DVD. Outros computadores podem fornecer uma opção de menu para lançar seu programa de gravação de disco escolhido, sendo diretamente ou com uma opção como Abrir com. Se nenhuma destas opções estiver disponível em seu computador, lance o programa a partir do icone em seu desktop, em um menu de aplicações, tal como o menu Iniciar no sistema operacional Windows.
  4. Em seu programa de gravação de disco, selecione a opção para gravar um disco de um arquivo de imagem. Por exemplo, em Brasero,esta opção é chamada de Burn image.
    Observe que você pode pular este passo usando certos software de copia de disco.
  5. Navegue para o arquivo de imagem ISO que você baixou anteriormente e selecione-o para gravar.
  6. Clique no botão que inicia o processo de gravação.
Em alguns computadores, a opção de gravar um disco de um arquivo ISO é integrada com um context menu no navegador do arquivo. Por exemplo, quando você clica com o botão da direita do mouse em um arquivo ISO em um computador com um sistema operacional Linux ou UNIX que rode o desktop GNOME, o navegador de arquivo Nautilus apresenta-lhe a opção Gravar em disco.

2.2. Criando uma Mídia Mínima de Inicialização

Uma parte do minimal boot media, é um CD, DVD ou dispositivo USB que contém o software para inicializar o sistema e lançar o programa de instalação, mas não o software que será transferido ao sistema para criar uma instalação do Red Hat Enterprise Linux.
Use uma Mídia Mínima de Inicialização:
  • para inicializar o sistema para instalar o Red Hat Enterprise Linux em uma rede
  • para inicializar o sistema para instalar o Red Hat Enterprise Linux de um hard drive
  • Para usar o arquivo kickstart durante a instalação (consulte Seção 32.8.1, “Criando Mídia de Inicialização de Kickstart”)
  • para começar uma instalação de rede ou hard drive ou usar uma atualização anaconda ou um arquivo kickstart com uma instalação de DVD.
Você pode usar o minimal boot media para iniciar o processo de instalação nos sistemas de 32 bits x86, AMD64 ou sistemas Intel 64 e POWER. Os processos pelos quais você cria o minimal boot media para sistemas destes diversos tipos são idênticos exceto no caso dos sistemas AMD64 e Intel 64 com UEFI interfaces firmware — consulte o Seção 2.2.2, “Mídia de inicialização do USB mínima para os sistemas baseados em UEFI”.
Para criar um minimal boot media para sistemas 32-bit x86, BIOS-based AMD64 ou sistemas Intel 64 e POWER systems:
  1. Baixe o arquivo de imagem ISO chamado rhel-variant-version-architecture-boot.iso, que esteja disponível no mesmo local que as imagens do DVD de instalação do Red Hat Enterprise Linux 6 - consulte o Capítulo 1, Adquirindo o Red Hat Enterprise Linux.
  2. Copie o arquivo .iso para um CD ou DVD vazio usando o mesmo procedimento detalhado em Seção 2.1, “Criando um DVD de Instalação” para o disco de instalação.
Como forma alternativa, transfira a imagem contida no .iso para um dispositivo USB com o comando dd. Como o arquivo .iso possui aproximadamente 200 MB de tamanho, você não precisa de um USB flash drive.

2.2.1. Mídia de inicialização do USB mínima para os sistemas baseados em BIOS.

Importante

Em alguns casos com a mídia de USB particionada ou formatada de maneira estranha, a edição da imagem pode falhar.

Atenção

Se você realizar este procedimento com o disco ou dispositivo de armazenamento USB que já contenha dados, estes dados serão destruídos sem aviso. Tenha a certeza de que você especifica o disco correto ou dispositivo de armazenamento USB, e tenha certeza que este disco ou dispositivo de armazenamento não contém qualquer dados que você deseje manter.
  1. Conecte sua mídia de USB.
  2. Torne-se root:
    su -
  3. Seu flash drive deve conter uma partição única com um sistema de arquivo vfat. Para determinar como ele é formatado, encontre o nome desta partição e do dispositivo executando dmesg logo após conectar o drive. O nome do dispositivo, (semelhante ao /dev/sdc) e o nome da partição (semelhante ao /dev/sdc1) aparecerá em diversas linhas até o final do output.
  4. Use o nome da partição para certificar-se de que o tipo de sistema de arquivo do USB flash drive é vfat.
    # blkid partition
    Você deveria ver agora uma mensagem como esta:
    LABEL="LIVE" UUID="6676-27D3" TYPE="vfat"
    Se o TYPE é diferente de vfat (por exemplo, TYPE="iso9660"), limpe os primeiros blocos do flash drive USB:
    # dd if=/dev/zero of=partition bs=1M count=100
  5. Use o comando dd para transferir a imagem ISO para o dispositivo USB:
    # dd if=path/image_name.iso of=device
    onde path/image_name é o arquivo de imagem ISO que você baixou do Red Hat Customer Portal e device é o nome do dispositivo para o USB flash drive. Certifique-se que você especificou o nome do dispositivo, não o nome da partição. Por exemplo:
    # dd if=/home/user/Downloads/RHEL6-Server-i386-boot.iso of=/dev/sdc

2.2.2. Mídia de inicialização do USB mínima para os sistemas baseados em UEFI

A Red Hat não fornece uma imagem para produzir CDs ou DVDs de inicialização mínima para os sistemas com UEFI. Use um USB pen drive (como descrito nesta seção) para inicializar o instalador do Red Hat Enterprise Linux 6, ou use o DVD de instalação com a opção linux askmethod para inicializar o instalador a partir do DVD e continue a instalação de uma fonte diferente. Consulte o Seção 3.5, “Selecionando um Método de Instalação”.
Use o arquivo efidisk.img no diretório images/ no DVD de instalação do Red Hat Enterprise Linux 6 para produzir um USB pen drive inicializável para os sistemas UEFI.
  1. Baixe um arquivo de imagem do DVD de instalação do Red Hat Enterprise Linux 6 como descrito em Capítulo 1, Adquirindo o Red Hat Enterprise Linux.
  2. Torne-se root:
    su -
  3. Crie um ponto de montagem para o arquivo de imagem ISO:
    # mkdir /mnt/dvdiso
  4. Monte o arquivo de imagem:
    # mount DVD.iso /mnt/dvdiso -o loop
    Onde DVD.iso é o nome do arquivo de imagem ISO, por exemplo RHEL6-Server-x86_64-DVD.iso.
  5. Transferir efidisk.img do arquivo de imagem ISO para seu USB flash drive:
    # dd if=/mnt/dvdiso/images/efidisk.img of=/dev/device_name
    Por exemplo:
    # dd if=/mnt/dvdiso/images/efidisk.img of=/dev/sdc
  6. Desmonte o arquivo de imagem ISO:
    # umount /mnt/dvdiso

Parte I. x86, AMD64, e Intel 64 — Instalação e Inicialização

O Guia de Instalação do Red Hat Enterprise LInux para o Intel e AMD de 32 bits e 64 bits discute a instalação do Red Hat Enterprise Linux e algumas resoluções de problemas de pós instalação básicas. Para opções avançadas de instalação consulte o Parte IV, “Opções avançadas de instalação”.

Capítulo 3. Planejamento para instalação em Arquitetura x86

3.1. Atualizar ou Instalar?

Para informações sobre como determinar se você precisa executar uma atualização ou uma instalação, consulte o Capítulo 37, Atualizando o seu Sistema Atual.

3.2. Seu Hardware é Compatível?

A compatibilidade do hardware é particularmente importante se você tiver um sistema antigo ou um sistema que você montou. O Red Hat Enterprise Linux 6 deve ser compatível com a maioria dos componentes de hardware de sistemas montados por fábricas nos últimos dois anos.
No entanto, as especificações do hardware mudam quase todos os dias, portanto é difícil garantir que seu hardware é 100% compatível.
Um requerimento consistente é seu processador. O Red Hat Enterprise Linux 6 suporta, no mínimo, todas as implementações de 32 bits e 64 bits da microarquitetura da Intel a partir de P6 e a microarquitetura do AMD a partir do Athlon.
A lista mais recente de componentes de hardware suportados pode ser encontrada em:
http://hardware.redhat.com/hcl/

3.3. RAID e outros dispositivos de disco

Importante

O Red Hat Enterprise Linux   usa mdraid instead of dmraid para instalação nos conjuntos BIOS RAID. Estes conjuntos são detectados automaticamente, e os dispositivos com os metadados do Intel ISW são reconhecidos como mdraid ao invés de dmraid. Observe que os nomes de nós de dispositivo de qualquer dispositivo sob o mdraid são diferentes de seus nomes de nó de dispositivo sob o dmraid. Sendo assim, as precauções especiais são necessárias quando você migrar sistemas com os conjuntos da Intel BIOS RAID.
Modificações locais no /etc/fstab, /etc/crypttab ou outros arquivos de configuração, os quais referem à dispositivos pelos nomes de nós de dispositivo, não funcionarão no Red Hat Enterprise Linux 6. Antes de migrar estes arquivos, edite-os para substituir os caminhos de nós de dispositivo pelo dispositivo UUIDs ao invés disso. Você poderá encontrar os UUIDs de dispositivos com o comando blkid.

3.3.1. RAID por software

O RAID, ou Redundant Array of Independent Disks (Matriz Redundante de Discos Independentes), permite que um grupo de drives aja como um dispositivo único. Configure qualquer função de RAID fornecida pela placa principal do seu computador, ou anexado às placas de controller, antes de iniciar o processo de instalação. Cada matriz de RAID ativa aparece como um drive dentro do Red Hat Enterprise Linux.
Em sistemas com mais de um hard drive, você pode configurar o Red Hat Enterprise Linux para operar diversos drives como uma matriz de RAID do Linux sem precisar qualquer hardware adicional.

3.3.2. RAID por software

Você pode usar o programa de instalação do Red Hat Enterprise Linux para criar as matrizes do RAID por software do Linux, onde as funções do RAID são controladas pelo sistema operacional ao invés do hardware dedicado. Estas funções são explicadas em detalhes em Seção 9.15, “Criando um Layout Padronizado ou Modificando o Layout Padrão”.

3.3.3. Discos FireWire e USB

Alguns discos rígidos de USB e FireWire podem não ser reconhecidos pelo sistema de instalação do Red Hat Enterprise Linux. Se a configuração destes discos no momento da instalação não for vital, disconecte-os para evitar qualquer confusão.

Nota

Você pode conectar e configuar discos rigidos USB e FireWire após a instalação. A maioria destes dispositivos são reconhecidos pelo kernel e disponível para uso naquele momento.

3.4. Você Tem Espaço Suficiente em Disco?

Quase todos sistemas operacionais (OSs) modernos usam partições de disco, e o Red Hat Enterprise Linux não é uma exceção. Ao instalar o Red Hat Enterprise Linux, talvez você precise lidar com partições de disco. Se você não teve a oportunidade de lidar com partições de disco anteriormente (ou precisa de uma rápida revisão dos conceitos básicos), consulte Apêndice A, Introdução às Partições de Disco antes de continuar.
O espaço em disco usado pelo Red Hat Enteprise Linux deve ser separado do espaço em disco usado por quaisquer outros sistemas operacionais que você possa ter instalado no seu sistema, como Windows, OS/2, ou até mesmo uma outra versão do Linux. Para sistemas x86, AMD64, e Intel 64, pelo menos duas partições (/, e swap) devem ser dedicadas ao Red Hat Enteprise Linux.
Antes de começar o processo de instalação, você deve
  • possua suficiente não particionado[1] espaço de disco para a isntalação do Red Hat Enterprise Linux, ou
  • ter uma ou mais partições que possam ser removidas, livrando assim espaço suficiente para a instalação do Red Hat Enterprise Linux.
Para poder dimensionar melhor quanto espaço de disco você realmente precisa, consulte os tamanhos de partições recomendados discutidos na Seção 9.15.5, “Esquema de Particionamento Recomendado”.
Se você não estiver certeza se satisfaz estas condições, ou se você gostaria de saber como criar espaço em disco para a sua instalação do Red Hat Enteprise Linux, consulte o Apêndice A, Introdução às Partições de Disco.

3.5. Selecionando um Método de Instalação

Qual o método de instalação que você deseja utilizar? Os seguintes métodos de instalação estão disponíveis:
DVD
Esse método pode ser usado se você tiver um drive de DVD do Red Hat Enterprise Linux Consulte a Seção 8.3.1, “Instalando a partir do DVD”, para instruções de instalação através de DVD.
Se você incializou a instalação a partir de uma mídia ao invés de um DVD, você pode especificar o DVD como uma fonte de instalação com a opção de inicialização linux askmethod ou linux repo=cdrom:device:/device ou selecionando Local CD/DVD no menu de Método de Instalação (consulte o Seção 8.3, “Método de Instalação”).
Disco Rígido
Se você copiou as imagens ISO do Red Hat Enterprise Linux para um disco rígido local, você poderá utilizar este método. Um CD-ROM de inicialização é necessário (use a opção de inicialização linux askmethod or linux repo=hd:device:/path), ou selecionando Hard drive no menu Installation Method (consulte o Seção 8.3, “Método de Instalação”). Consulte o Seção 8.3.2, “Instalando a partir de um Disco Rígido”, para informações de instalação através do disco rígido.
NFS
Este método pode ser usado se você estiver instalando a partir de um servidor NFS usando imagens ISO ou uma imagem espelho do Red Hat Enterprise Linux. Um CD-ROM de inicialização é necessário, use a opção de inicialização linux askmethod ou a opção de inicialização linux repo=nfs:server :options:/path ou a opção NFS directory no menu Installation Method descrito em Seção 8.3, “Método de Instalação”). . Consulte a Seção 8.3.4, “Instalando através do NFS” para instruções de instalação através da rede. Note que instalações NFS também podem ser executadas em modo de instalação gráfico.
URL
Use este método se você estiver instalando diretamente de um servidor HTTP (Web) ou FTP, use este método. Um CD-ROM de inicialização é necessário (use a opção de inicialização linux askmethod,linux repo=ftp://user:password@host/path, ou linux repo=http://host/path, ou a opção URL no menu Installation Method descrito em Seção 8.3, “Método de Instalação”). Consulte o Seção 8.3.5, “Instalando através de FTP, HTTP ou HTTPS” para FTP, HTTP e instruções de instalação por HTTPS.
Se você inicializou o DVD de distribuição e não usou a opção de fonte de instalação alternada, askmethod, o próximo estágio carrega automaticamente de um DVD. Proceda com Seção 8.2, “Seleção do Idioma”.

Nota

Se você inicializou a partir de um DVD de instalação do Red Hat Enterprise Linux, o programa de instalação carrega seu próximo estágio daquele disco. Isto acontece qualquer que seja o método de instalação que você escolher, a não ser que você ejete o disco antes de proceder. O programa de instalação ainda baixa os dados do pacote da fonte que você escolher.

3.6. Escolher Método de Inicialização

Você pode usar diversos métodos para instalar o Red Hat Enterprise Linux
A instalação a partir de um DVD requer que você tenha comprado um produto Red Hat Enterprise Linux, que você tenha um DVD do Red Hat Enterprise Linux 6, e que você tenha um drive de DVD em um sistema que suporte a inicialização a partir dele. Consulte o Capítulo 2, Criando Mídia para instruções de como fazer uma instalação de DVD.
Você pode ter que alterar o BIOS do sistema para permitir a inicialização a partir do drive de DVD/CD-ROM. Para mais informações sobre como alterar o seu BIOS, consulte a Seção 7.1.1, “Iniciando o Programa de Instalação em Sistemas x86, AMD64 e Intel 64.”.
Além de inicializar a partir de um DVD de instalação, você também pode inicializar o programa de instalação do Red Hat Enterprise Linux a partir de minimal boot media na forma de um CD ou USB flash drive inicializável. Depois que você inicializar o sistema com uma parte da mídia de inicialização mínima, você completa a instalação a partir de uma fonte de instalação diferente, tal como um hard drive ou um local em uma rede. Consulte Seção 2.2, “Criando uma Mídia Mínima de Inicialização” para obter instruções sobre como fazer CDs e USB flash drives de inicialização.
Finalmente, você pode inicializar o instalador sob a rede de um servidor preboot execution environment (PXE). Consulte o Capítulo 30, Configurando um Servidor de Instalação. Novamente, após inicializar o sistema, você completa a instalação de uma fonte de instalação diferente, tal como um hard drive local ou um local de uma rede.


[1] Espaço de disco Não Particionado significa que espaço disponível no disco em que você está instalando não foi dividido em seção para dados. Quando você particiona um disco, cada partição se comporta como um disco separado.

Capítulo 4. Preparando para a Instalação

4.1. Preparando para uma instalação de Rede.

Nota

Certifique-se de que o DVD de instalação (ou qualquer outro tipo de DVD ou CD) não esteja no drive de CD/DVD do seu sistema se você estiver executando uma instalação por rede. Um DVD ou CD no drive pode causar erros inesperados.
Certifique-se de que você possui a mídia de inicialização disponível no CD, DVD, ou um dispositivo de armazenamento de USB tal como um disquete.
A mídia de instalação do Red Hat Enterprise Linux deve estar disponível para uma instalação de rede (via NFS, FTP, HTTPS ou HTTP) ou para uma instalação via armazenamento local. Use os passos seguintes se for executar uma instalação através do NFS, FTP,HTTP ou HTTPS.
O servidor NFS, FTP, HTTPS ou HTTP a ser usado para a instalação através da rede deve ser uma máquina separada capaz de oferecer todos os arquivos de todos os CD-ROMs de instalação ou do DVD-ROM de instalação.

Nota

Oanaconda tem a habilidade de testar a integridade da mídia de instalação. Funciona para os métodos de instalação através de DVD, ISO de disco rígido e ISO de NFS. A Red Hat recomenda que você teste todas as mídias de instalação antes de começar o processo de instalação e antes de relatar quaisquer erros relacionados à instalação (muitos dos erros relatados ocorrem devido a CDs mal gravados). Para usar esse teste, digite o seguinte comando no prompt boot::
linux mediacheck

Nota

O diretório público usado para acessar os arquivos de instalação sob o FTP, HTTPSNFS ou HTTP é mapeado para um armazenamento local no servidor de rede. Por exemplo, o diretório local, /var/www/inst/rhel6 no servidor de rede pode ser acessado como http://network.server.com/inst/rhel6.
Nos exemplos a seguir, o diretório no servidor atuando como base da instalação que irá conter os arquivos de instalação serão especificados como /location/of/disk/space. O diretório que estará disponível publicamente através do FTP, NFS, HTTPS ou HTTP será chamado de /publicly_available_directory. Por exemplo, /location/of/disk/space pode ser um diretório chamado /var/isos. E o /publicly_available_directory pode ser o /var/www/html/rhel6, para uma instalação HTTP.
No seguinte, você precisará de um ISO image. Uma imagem ISO é um arquivo que contém uma cópia exata do conteúdo de um DVD. Para criar uma imagem ISO do DVD use o seguinte comando:
dd if=/dev/dvd of=/path_to_image/name_of_image.iso
onde dvd é o seu dispositivo de drive DVD, name_of_image é o nome que você dá ao arquivo de imagem ISO resultante, epath_to_image é o caminho do local de seu sistema onde a imagem ISO resultante foi armazenada.
Para copiar os arquivos do DVD de instalação em uma máquina Linux, que atua como um servidor da plataforma de instalação, continue com Seção 4.1.1, “Preparando para uma instalação de FTP, HTTP e HTTPS.” ou Seção 4.1.2, “Preparando para uma instalação de NFS”.

4.1.1. Preparando para uma instalação de FTP, HTTP e HTTPS.

Extraia os arquivos de imagem ISO do DVD de instalação e coloque-os em um diretório que seja compartilhado em FTP, HTTPS e HTTP.
Depois, certifique-se que o diretório é compartilhado via FTP, HTTPS ou HTTP, e verifique o acesso ao cliente. Teste para ver se o diretório está acessível a partir do servidor, e depois de outra máquina na mesma subrede na qual você estará instalando.

4.1.2. Preparando para uma instalação de NFS

Para a instalação dem NFS não é necessário extrair todos os arquivos da imagem ISO. É suficiente disponibilizar uma imagem ISO, o arquivo install.img e opcionalmente o arquivo product.img no servidor de red evia NFS.
  1. Transfira a imagem ISO para o diretório exportado da NFS. Em um sistema Linux, execute:
    mv /path_to_image/name_of_image.iso /publicly_available_directory/
    onde path_to_image é o caminho para o arquivo de imagem ISO, o name_of_image é o nome do arquivo de imagem ISO, e o publicly_available_directory é o diretório que está disponível sob o NFS ou que você pretenda disponibilizar sob a NFS.
  2. Use um programa checksum SHA256 para verificar se a imagem ISO que você copiou está intacta. Muitos programas checksum SHA256 estão disponíveis para diversos sistemas operacionais. Em um sistema Linux, execute:
    $ sha256sum name_of_image.iso
    onde name_of_image é o nome do arquivo de imagem ISO. O programa SHA256 checksum exibe uma faixa de 64 caracteres chamada hash. Compare este hash com o hash exibido para esta imagem específica na página Download Softwareno Red Hat Network (consulte o Capítulo 1, Adquirindo o Red Hat Enterprise Linux). Os dois devem ser idênticos.
  3. Copie o diretório images/ dentro de dentro da imagem ISO para o mesmo diretório no qual você armazenou o arquivo de imagem. Insira os seguintes comandos:
    mount -t iso9660 /path_to_image/name_of_image.iso /mount_point -o loop,ro
    cp -pr /mount_point/images /publicly_available_directory/
    umount /mount_point
    onde path_to_image é o caminho para o arquivo de imagem ISO, name_of_image é o nome do arquivo de imagem ISO e mount_point é um ponto de montagem para montar a imagem enquanto os arquivos de são copiados para a imagem. Por exemplo:
    mount -t iso9660 /var/isos/RHEL6.iso /mnt/tmp -o loop,ro
    cp -pr /mnt/tmp/images /var/isos/
    umount /mnt/tmp
    O arquivo de imagem ISO, e um diretório images/ estão lado a lado no mesmo diretório.
  4. Verifique se o diretório de images/ contém ao menos o arquivo install.img, sem o qual não será possível proceder sem a instalação. Opcionalmente, o diretório images/ deve conter o arquivo product.img, sem o qual somente os pacotes para uma instalação Minimal será disponibilizada durante o estágio de seleção do grupo de pacote (consulte o Seção 9.18, “Seleção do Grupo de Pacotes”).

    Importante

    install.img e product.img devem ser somente arquivos no diretório images/.
  5. Certifique-se de que existe uma entrada para o diretório disponível publicamente no arquivo /etc/exports no servidor de rede para que o diretório esteja disponível via NFS.
    Para exportar um diretório de somente leitura para um sistema específico, use:
    /publicly_available_directory client.ip.address (ro)
    Para exportar um diretório de somente leitura para todos os sistemas, use:
    /publicly_available_directory * (ro)
  6. No servidor de rede, inicie um daemon NFS (em um sistema Red Hat Enteprise Linux, use o /sbin/service nfs start). Se o NFS já estiver sendo executado, recarregue o arquivo de configuração (em um sistema Red Hat Enterprise Linux use o /sbin/service nfs reload).
  7. Tenha a certeza de testar a opção NFS seguindo as direções no Red Hat Enterprise Linux Deployment Guide. Consulte sua documentação NFS para detalhes sobre como iniciar e parar um servidor NFS.

Nota

Oanaconda tem a habilidade de testar a integridade da mídia de instalação. Funciona para os métodos de instalação através de DVD, ISO de disco rígido e ISO de NFS. A Red Hat recomenda que você teste todas as mídias de instalação antes de começar o processo de instalação e antes de relatar quaisquer erros relacionados à instalação (muitos dos erros relatados ocorrem devido a CDs mal gravados). Para usar esse teste, digite o seguinte comando no prompt boot::
linux mediacheck

4.2. Preparando para uma instalação de Hard Drive

Nota

Instalações no disco rígido funcionam somente em sistemas de arquivo ext2, ext3, ext4 ou FAT. Você não opode usar hard drives formatados para qualquer sistema de arquivo como uma fonte de instalação do Red Hat Enterprise Linux.
Para verificar o sistema de arquivo de uma partição de hard drive em um sistema operacional Windows, use a ferramenta Disk Management. Para verificar o sistema de arquivo de uma partição de hard drive em um sistema operacional Linux, use a ferramenta fdisk.

Importante

Você não pode usar os arquivos ISO controlados pelo LVM ((Logical Volume Management).
Use esta opção para instalar o Red Hat Enterprise Linux nos sistemas sem um drive de DVD ou uma conexão de rede.
As instalações de hard drive usam os seguintes arquivos:
  • uma ISO image de um DVD de instalação. Uma ISO image é um arquivo que contém uma cópia exata do conteúdo de um DVD.
  • um arquivo install.img extraído de um ISO image.
  • opcionalmente, um arquivo product.img extraído de um ISO image.
Com estes arquivos presentes em um hard drive, você pode escolher o Hard drive como uma fonte de instalação ao inicializar o programa de instalação (consulte o Seção 8.3, “Método de Instalação”).
Certifique-se de que você possui a mídia de inicialização disponível no CD, DVD, ou um dispositivo de armazenamento de USB tal como um disquete.
Para preparar o hard drive como uma fonte de instalação, siga estes passos:
  1. Obtenha uma imagem ISO do DVD de instalação do Red Hat Enterprise Linux (consulte o Capítulo 1, Adquirindo o Red Hat Enterprise Linux). Como forma alternativa, se você tiver o DVD na mídia física, você poderá criar uma imagem dela com o seguinte comando em um sistema Linux.
    dd if=/dev/dvd of=/path_to_image/name_of_image.iso
    onde dvd é o seu dispositivo de drive DVD, name_of_image é o nome que você dá ao arquivo de imagem ISO resultante, epath_to_image é o caminho do local de seu sistema onde a imagem ISO resultante foi armazenada.
  2. Transfira a imagem ISO para o hard drive.
    A imagem ISO deve ser localizada em um hard drive que seja interno no computador, no qual você irá instalar o Red Hat Enterprise Linux, ou um hard drive que seja anexado ao computador por um USB.
  3. Use um programa checksum SHA256 para verificar se a imagem ISO que você copiou está intacta. Muitos programas checksum SHA256 estão disponíveis para diversos sistemas operacionais. Em um sistema Linux, execute:
    $ sha256sum name_of_image.iso
    onde name_of_image é o nome do arquivo de imagem ISO. O programa SHA256 checksum exibe uma faixa de 64 caracteres chamada hash. Compare este hash com o hash exibido para esta imagem específica na página Download Softwareno Red Hat Network (consulte o Capítulo 1, Adquirindo o Red Hat Enterprise Linux). Os dois devem ser idênticos.
  4. Copie o diretório images/ dentro de dentro da imagem ISO para o mesmo diretório no qual você armazenou o arquivo de imagem. Insira os seguintes comandos:
    mount -t iso9660 /path_to_image/name_of_image.iso /mount_point -o loop,ro
    cp -pr /mount_point/images /publicly_available_directory/
    umount /mount_point
    onde path_to_image é o caminho para o arquivo de imagem ISO, name_of_image é o nome do arquivo de imagem ISO e mount_point é um ponto de montagem para montar a imagem enquanto os arquivos de são copiados para a imagem. Por exemplo:
    mount -t iso9660 /var/isos/RHEL6.iso /mnt/tmp -o loop,ro
    cp -pr /mnt/tmp/images /var/isos/
    umount /mnt/tmp
    O arquivo de imagem ISO, e um diretório images/ estão lado a lado no mesmo diretório.
  5. Verifique se o diretório de images/ contém ao menos o arquivo install.img, sem o qual não será possível proceder sem a instalação. Opcionalmente, o diretório images/ deve conter o arquivo product.img, sem o qual somente os pacotes para uma instalação Minimal será disponibilizada durante o estágio de seleção do grupo de pacote (consulte o Seção 9.18, “Seleção do Grupo de Pacotes”).

    Importante

    install.img e product.img devem ser somente arquivos no diretório images/.

Nota

Oanaconda tem a habilidade de testar a integridade da mídia de instalação. Funciona para os métodos de instalação através de DVD, ISO de disco rígido e ISO de NFS. A Red Hat recomenda que você teste todas as mídias de instalação antes de começar o processo de instalação e antes de relatar quaisquer erros relacionados à instalação (muitos dos erros relatados ocorrem devido a CDs mal gravados). Para usar esse teste, digite o seguinte comando no prompt boot::
linux mediacheck

Capítulo 5. Listas de Especificações do Sistema

A lista mais recente de hardware suportado pode ser encontrada em http://hardware.redhat.com/hcl/.
O programa de instalação detecta automaticamente e instala seu hardware de computador. Embora você deva se certificar que seu hardware atende às necessidades mínimas para instalar o Red Hat Enterprise Linux (consulte Seção 3.2, “Seu Hardware é Compatível?”), geralmente você não precisa fornecer o programa de instalação com qualquer detalhe específico sobre seu sistema.
No entanto, ao realizar certos tipos de instalação, alguns detalhes específicos podem ser úteis ou até mesmo essenciais.
  • Se você planeja usar um layout de partição padronizada, grave:
    • O número de modelo, tamanhos, tipos e interfaces dos discos rígidos anexados ao sistema. Por exemplo, Seagate ST3320613AS 320 GB em SATA0, Western Digital WD7500AAKS 750 GB em SATA1. Isto permitirá que você identifique discos rígidos específicos durante o processo de particionamento.
  • Se você estiver instalando um Red Hat Enterprise Linux como um sistema operacional adicional em um sistema existente, grave:
    • Os pontos de montagens de partições existentes no sistema, por exemplo:/boot on sda1, / on sda2, e /home emsdb1. Isto permitirá que você identifique partições específicas durante o processo de particionamento.
  • Se você pretende instalar a partir de uma imagem em um disco rígido:
    • O disco rígido e diretório que possuem a imagem.
  • Se você pretende instalar a partir de uma localização de rede, ou instalar em um alvo iSCSI:
    • Os númerso de marca e modelo dos adaptadores de rede em seu sistema. Por exemplo Netgear GA311. Isto permitirá que você identifique os adaptadores ao configurar manualmente a rede.
    • endereços IP, DHCP, e BOOTP
    • Netmask
    • Endereço de IP do Gateway
    • Um ou mais endereçso IP do servidor de nome (DNS)
    Se algum destes termos ou requisitos de rede não lhe são familiares, contate seu administrador de sistema para obter auxílio.
  • Se você pretende instalar a partir de uma localização de rede:
  • Se você planeja instalar em um iSCSI:
  • Se seu computador é parte de um domínio:
    • Você deve verificar se o nome do domínio será fornecido pelo servidor DHCP. Caso contrário, você precisará enserir o nome do domínio manualmente durante a instalação.

Capítulo 6. Atualizando drivers durante a instalação em sistemas Intel e AMD.

Na maioria dos casos, o Red Hat Enterprise Linux já inclui os drivers para os dispositivos que constituem seu sistema. No entanto, se seu sistema contiver hardware que já tenha sido lançado muito recentemente, os drivers para este hardware podem ainda não estar inclusos. As vezes, uma atualização de driver que fornece suporte para um novo dispositivo pode estar disponível na Red Hat ou em seu fabricante de hardware como ISO image file or a rpm package. Geralmente, o disco de driver está disponível para download como um ISO image file.
Geralmente, você não precisa de novo hardware durante o processo de instalação. Por exemplo, se você usar um DVD para instalar em um disco rígido local, a instalação será bem sucedida, mesmo se os drivers para sua placa de rede não estiverem disponíveis. Em situações como esta, conclua a instalação e adicione o suporte para a parte do hardware depois — consulte o Seção 35.1.1, “Pacotes de rpm de atualizações do driver” para detalhes sobre como adicionar este suporte.
Em outras situações, você pode querer adicionar drivers para um dispositivo durante o processo de instalação para suportar uma configuração em particular. Por exemplo, você pode querer instalar drivers para um dispositivo de rede ou uma placa de adaptador de armazenamento para dar acessso ao instalador para os dispositivos de armazenamento que seu sistema utiliza. Você pode usar um arquivo de imagem de atualização de driver para adicionar este suporte durante a instalação em uma das seguintes três formas:
  1. coloque o arquivo de imagem ISO do disco de driver em um local acessível para o instalador:
    1. em um hard drive local
    2. um flash drive USB
  2. crie um disco de driver extraindo o arquivo de imagem em:
    1. um CD
    2. um DVD
    Consulte as instruções para fazer discos de instalação em Seção 2.1, “Criando um DVD de Instalação” para mais informações sobre como gravar arquivos de imagem ISO em um CD ou DVD.
  3. crie uma atualização inicial de ramdisk a partir do arquivo de imagem, e armazene-o em um servidor PXE. ocê deve seguir este procedimento avançado somente se não for possível atualizar o driver com qualquer outro método.
Se a Red Hat, seu fabricante de hardware, ou um terceiro de confiança lhe falar que você precisa de uma atualização de driver durante o processo de instalação, escolha o método para fornecer a atualização a partir dos métodos descritos neste capítulo e teste-o antes de inciar a instalação. Não realize uma atualização de driver durante a instalação a menos que você esteja certo de que seu sistema requer uma. Embora instalar uma atualização de driver desnecessária, não cause nenhum dano, a presença de um driver em um sistema para o qual não tenha sido necessário, pode complicar o suporte.

6.1. Limitações de atualização de driver durante a Instalação

Infelizmente, algumas situações persistem de modo que não se pode usar uma atualização de um driver para fornecer drivers durante a instalação:
Dispositivos já em uso
Você não pode usar uma atualizaçãpo de driver para substituir aquela que o programa de instalação já carregou. Ao invés disso, conclua a instalação com os drivers que o programa de instalação carregou e atualize para os novos drivers após a instalação, ou, se você precisar de novos drivers para o processo de instalação, considere realizar uma atualização de driver de disco RAM inicial — consulte a Seção 6.2.3, “Preparando uma atualização de disco RAM inicial”.
Dispositivos com um dispositivo equivalente disponível
Como todos os dispositivos do mesmo tipo são inicializados juntos, você não pode atualizar os drivers para um dispositivo se o programa de instalação carregou drivers para um dispositivo semelhante. Por exemplo, considere um sistema que possui dois adaptadores de rede diferentes, um do qual possui uma atualização de driver disponível. O programa de instalação irá inicializar ambos adaptadores ao mesmo tempo e portanto, você não conseguirá usar esta atualização de driver. Novamente, conclua a instalação com os drivers carregados pelo programa de instalação e atualize para os novos drivers após a instalação ou use uma atualização de driver de disco de RAM.

6.2. Preparando para uma atualização de driver durante a Instalação

Se uma atualização de driver for necessária e disponível em seu hardware, a Red Hat ou um terceiro tal como o fabricante de hardware, irá fornecê-lo em forma de um arquivo de imagem em formato ISO. Alguns métodos de realizar um atualização de driver requrem que você torne o arquivo de imagem disponível para o programa de instalação, outros requerem que você use o arquivo de imagem para tornar um disco de atualização de driver e outros requerem que você prepare uma atualização de disco de RAM inicial:
Métodos que usam o próprio arquivo de imagem
  • em um hard drive local
  • USB flash drive
Métodos que usam um disco de atualização de driver, produzido a partir de um arquivo de imagem
  • CD
  • DVD
Métodos que usam uma atualização de disco de RAM inicial
  • PXE
Escolha um método para realizar a atualização de driver e consulte a Seção 6.2.1, “Preparando para usar um arquivo de imagem de atualização de driver.”, Seção 6.2.2, “Preparando um disco de driver.” or Seção 6.2.3, “Preparando uma atualização de disco RAM inicial”. Note que você pode usar um dispositivo de armazenamento USB para criar um arquivo de imagem ou como um disco de atualização de driver.

6.2.1. Preparando para usar um arquivo de imagem de atualização de driver.

6.2.1.1. Preparando par ausar um arquivo de imagem em armazenamento local.

Para tornar um arquivo de imagem ISO disponível no armazenamento local, como o flash drive de USB, o disco rígido de USB ou o disco rígido do IDE local, simplesmente copie o arquivo para o dispositivo de armazenamento. Você pode renomear o arquivo se desejar, mas não é necessário mudar a extensão do nome de arquivo, o qual pode ficar como .iso. No exemplo a seguir, o arquivo é chamado de dd.iso:
Conteúdo de um flash drive de USB que retém um arquivo de imagem de atualização de driver.

Figura 6.1. Conteúdo de um flash drive de USB que retém um arquivo de imagem de atualização de driver.

Observe que se você utilizar este método, o dispositivo de armazenamento irá conter somente um único arquivo. Isto difere de discos de atualização de driver em formatos como o CD e DVD os quais contém diversos arquivos. O arquivo de imagem ISO contém todos os arquivos que teria geralmente em um disco de atualização.
Se você mudar o rótulo de sistema do dispositivo para OEMDRV, o programa de instalação irá examiná-lo automaticamente para atualizações do driver e carregar qualquer um que ele detectar. Este comportamento é controlado pela opção de inicialização do dlabel=on, o qual é habilitado por padrão. Consulte o Seção 6.3.1, “Deixe que o instalador encontre automaticamente um disco de atualização de driver. ”.

6.2.2. Preparando um disco de driver.

Você pode criar um disco de atualização de driver no CD ou DVD.

6.2.2.1. Criando um disco de atualização de driver no CD ou DVD.

Importante

CD/DVD Creator é parte do desktop GNOME. Se você usar um desktop Linux diferente, ou um sistema operacional diferente, você precisará usar outra parte do software para criar o CD ou DVD. Estes passos serão no geral semelhantes.
Assegure-se que o software de sua escolha pode criar CDs e DVDs de arquivos de imagem. Embora a maioria dos softwares de gravação criem CD e DVDs, existem exceções. Procure por um botão ou entrada de menu rotulada como grave a partir da imagem ou algo semelhante. Se seu software não possuir este recurso, ou se você não selecioná-lo, o disco irá reter somente o arquivo de imagem, ao invés de conteúdo do arquivo de imagem.
  1. Use o gerenciador de arquivo do desktop para localizar o arquivo de imagem ISO de atualização do driver fornecido pela Red Hat ou pelo seu fabricante de hardware.
    Um arquivo .iso típico em uma janela de gerenciador de arquivo

    Figura 6.2. Um arquivo .iso típico em uma janela de gerenciador de arquivo

  2. Clique com o botão da direita neste arquivo e escolha Grave no disco. Você verá uma janela semelhante à esta:
    Caixa de Diálogo do Disco de Gravação do Criador do CD/DVD

    Figura 6.3. Caixa de Diálogo do Disco de Gravação do Criador do CD/DVD

  3. Clique em Gravar. Se um disco em branco não estiver no drive, CD/DVD Creator irá pedir que você ensira um.
Depois que você gravar um disco de CD ou DVD de atualização de driver, verifique se o disco foi criado com sucesso ao inserí-lo em seu sistema e navegar nele usando o gerente de arquivo. Deverá aparecer uma lista de arquivos com o nome de rhdd3 e um diretório rpms:
Conteúdo de um disco de atualização de driver típico em CD ou DVD.

Figura 6.4. Conteúdo de um disco de atualização de driver típico em CD ou DVD.

Se você ver somente um arquivo único finalizado em .iso, então você não criou o disco corretametne e deve tentar novamente. Certifique-se que escolheu uma opção semelhante à copiar a partir da imagem se você usar um desktop Linux ao invés de um GNOME ou se você usar um sistema operacional diferente.

6.2.3. Preparando uma atualização de disco RAM inicial

Importante

Este é um procedimento avançado que você deve considerar somente se não conseguir realizar uma atualização de driver com qualquer outro método.
O programa de instalação do Red Hat Enterprise LInux pode carregar atualizações para si só no início do processo de instalação a partri do disco RAM — uma área da memória de seu computador que se comporta temporariamente como se fosse um disco. Você pode usar esta mesma capacidade para carregar atualizações de driver. Para realizar uma atualização de driver durante a instalação, seu computador precisa conseguir inicializar a partir do servidor ambiente de execução pré-inicialização (PXE). e você precisa ter um servidor PXE disponível em sua rede. Consulte a Capítulo 30, Configurando um Servidor de Instalação para obter instruções sobre como usar o PXE durante a instalação.
Para tornar a atualização de driver disponível em seu servidor PXE:
  1. Coloque o arquivo de imagem atualizada em seu servidor PXE. Geralmente, você faria isto ao baixá-lo no servidor do PXE de um local na internet especificado pela Red Hat ou pelo seu fabricante. Nomes de arquivos de imagem de atualização de driver terminam em .iso.
  2. Copie o arquivo de imagem de atualização de driver para o diretório /tmp/initrd_update directory.
  3. Renomeie o arquivo de imagem de atualização de driver para dd.img.
  4. Na linha de comando, mude para o diretório /tmp/initrd_update, digite o seguinte comando, e pressione Enter:
    find . | cpio --quiet -o -H newc | gzip -9 >/tmp/initrd_update.img
    
  5. Copie o arquivo /tmp/initrd_update.img para o diretório que contém o alvo que você deseja usar para a instalação. Este diretório é colocado sob o diretório /tftpboot/pxelinux/. Por exemplo, /tftpboot/pxelinux/r6c/ deve conter o alvo PXE para o Servidor Red Hat Enterprise Linux 6 Cliente.
  6. Edite o arquivo /tftpboot/pxelinux/pxelinux.cfg/default para incluir uma entrada que inclui a atualização de disco RAM inicial que você acabou de criar, no seguinte formato:
    label target-dd
    kernel target/vmlinuz
    append initrd=target/initrd.img,target/dd.img
    
    Onde alvo é o alvo que você deseja usar para a instalação.
Consulte o Seção 6.3.4, “Selecione o alvo PXE que inclua uma atualização de driver.” para aprender como usar uma atualização de disco RAM inicial durante a instalação.

Exemplo 6.1. Preparando uma atualização de disco RAM inicial de um arquivo de imagem de atualização de driver.

Neste exemplo, o driver_update.iso é um arquivo de imagem de atualização de driver que você baixou da internet para um diretório em seu servidor PXE. O alvo de onde você quer inicializar um PXE está localizado no /tftpboot/pxelinux/r6c.
Em uma linha de comando, mude para o diretório que possui o arquivo e ensira os seguintes comandos:
$ cp driver_update.iso /tmp/initrd_update/dd.img
$ cd /tmp/initrd_update
$ find . | cpio --quiet -c -o -H newc | gzip -9 >/tmp/initrd_update.img
$ cp /tmp/initrd_update.img /tftpboot/pxelinux/r6c/dd.img
Edite o arquivo /tftpboot/pxelinux/pxelinux.cfg/default e inclua a seguinte entrada:
label r6c-dd
kernel r6c/vmlinuz
append initrd=r6c/initrd.img,r6c/dd.img

6.3. Realizando uma atualização de driver durante a instalação

Você pode realizar uma atualização de driver durante a instalação das seguintes maneiras:
  • deixe que o instalador encontre automaticamente um disco de atualização de driver.
  • deixe que o instalador lhe peça por uma atualização de driver.
  • use uma opção de inicialização para especificar um disco de atualização de driver.
  • selecione o alvo PXE que inclua uma atualização de driver.

6.3.1. Deixe que o instalador encontre automaticamente um disco de atualização de driver.

Anexe um dispositivo de bloco com o rótulo do sistema de arquivos OEMDRV antes de iniciar o processo de instalação. O instalador irá examinar automaticamente o dispositivo para carregar qualquer atualização de driver que ele detecte e não lhe chamará mais durante o processo. Consulte o Seção 6.2.1.1, “Preparando par ausar um arquivo de imagem em armazenamento local.” para preparar um dispositivo de armazenamento para que o instalador encontre.

6.3.2. Deixe que o instalador lhe peça por uma atualização de driver.

  1. Comece a instalação normalmente para qualquer método que tenha escolhido. Se o instalador não consegue carregar drivers em um pedaço do hardware que seja essencial para o processo de instalação (por exemplo, se ele não conseguir detectar qualquer rede ou controladores de armazenamento), ele pedirá que você insira um disco de atualização de driver:
    Caixa de diálogo 'Não foi encontrado nenhum driver'

    Figura 6.5. Caixa de diálogo 'Não foi encontrado nenhum driver'

6.3.3. Use uma opção de inicialização para especificar um disco de atualização de driver.

Importante

Este método funciona somente para introduzir drivers completamente novos, não para atualizar drivers existentes.
  1. Digite linux dd no terminal de inicialização no início do processo de instalação e clique em Enter. O instalador pede que você confirme que você possui um disco de unidade:
    A solicitação do disco de driver

    Figura 6.6. A solicitação do disco de driver

  2. Ensira o disco de atualização do driver que você criou em um CD, DVD ou um flash drive USB e selecione Yes. O instalador examina os dispositivos de armazenamento que ele conseguiu detectar. Se existir somente um local possível que pudesse conter um disco de driver (por exemplo, o instalador detecta a presença de um disquete mas não outros dispositivos de armazenamento) ele carregará automaticamente qualquer atualização de driver que ele encontrar neste local.
    Se o instalador encontrar mais do que um local onde possua uma atualização de driver, ele pedirá que você especifique o local da atualização. Consulte o Seção 6.4, “Especificando o local de um arquivo de imagem de atualização de driver ou um disco de atualização de driver.” .

6.3.4. Selecione o alvo PXE que inclua uma atualização de driver.

  1. Selecione network boot em seu BIOS do computador ou menu de inicialização. O procedimento para especificar esta opção varia muito entre computadores diferentes. Consulte sua documentação de hardware ou o fabricante de hardware para aspectos específicos sobre seu computador.
  2. No ambiente de inicialização de pré-execução (PXE), escolha o alvo de inicialização que você preparou em seu servidor PXE. Por exemplo, se você rotulou este ambiente r6c-dd no arquivo /tftpboot/pxelinux/pxelinux.cfg/default em seru servidor PXE, digite r6c-dd na janela e clique em Enter.
Consulte o Seção 6.2.3, “Preparando uma atualização de disco RAM inicial” e Capítulo 30, Configurando um Servidor de Instalação para instruções sobre como usar o PXE para realizar uma atualização durante a instalação. Note que este é um procedimento avançado — não tente realizá-lo a menos que a atualização do driver falhe.

6.4. Especificando o local de um arquivo de imagem de atualização de driver ou um disco de atualização de driver.

Se o instalador detectar mais do que um dispositivo possível que possa conter uma atualização de driver, ele lhe pedirá que selecione o dispositivo correto. Se você não tiver certeza qual opção representa o dispositivo no qual a atualização do driver está armazenada, tente diversas opções para que encontre a correta.
Selecionando uma fonte de driver de disco.

Figura 6.7. Selecionando uma fonte de driver de disco.

Se o dispositivo que você escolher não possuir nenhuma mídia de atualização adequada, o instalador lhe pedirá que faça outra escolha.
Se você mudou um disco de atualização de driver para um disquete, CD, DVD ou dispositivo de armazenamento de USB, o instalador agora carrega a atualização de driver. No entanto, se o dispositivo que você selecionou é um tipo de dispositivo que pode conter mais do que uma partição (sendo o dispositivo atual com mais de uma partição ou não), o instalador pode lhe pedir para selecionar a partição que tiver a atualização do driver.
Selecionando uma partiçãpo de driver de disco

Figura 6.8. Selecionando uma partiçãpo de driver de disco

O instalador pede que você especifique qual arquivo possui a atualização de driver.
Selecionando uma imagem ISO

Figura 6.9. Selecionando uma imagem ISO

Você verá estas telas se você armazenou a atualização do driver em um disco rígido interno ou em um dispositivo de armazenamento USB. Você não deve vê-los se a atualização estiver em um disquete, CD ou DVD.
Mesmo que você esteja fornecendo uma atualização de driver em forma de um arquivo de imagem ou com um disco de atualização, o instalador agora copiará os arquivos de atualização apropriados em uma área temporaria de armazenamento (localizada na RAM do sistema ou em um disco). O instalador pode perguntar se você gostaria de usar atualizações adicionais de driver. Se você selecionar Yes, você pode carregar as atualizações adicionais uma a uma. Quando você não tiver mais atualizações para carregar selecione No, se você armazenou as atualizações em uma mídia removível você poderá ejetar com segurança ou disconectar o disco ou dispositivo. O instalador não precisará da atualização do driver e você poderá reusar a mídia para outros propósitos.

Capítulo 7. Iniciando o Instalador

Importante

Red Hat Enterprise Linux 6 não suporta os sistemas UEFI for 32-bit x86.

Importante

Note que as configurações de inicialização do UEFI e BIOS diferem de maneira significante uma da outra. Portanto, o sistema instalado deve inicializar usando o mesmo firmware que era usado durante a instalação. Você não pode instalar o sistema operacional em um sistema que usa o BIOS e depois inicializar esta instalação em um sistema que usa o UEFI.
O Red Hat Enterprise Linux 6 suporta a versão 2.2 das especificações do UEFI. O Hardware que suporta a versão 2.3 das especificações do UEFI ou mais recentes, devem inicializar e operar com o Red Hat Enterprise Linux 6, mas a funcionalidade adicional definida por estas especificações mais recentes não estarão disponíveis. As especificações do UEFI estão disponíveis em http://www.uefi.org/specs/agreement/
Para iniciar o programa de instalação a partir de um DVD do Red Hat Enterprise Linux ou do disco de inicialização mínimo, siga este procedimento:
  1. Desconecte qualquer FireWire externo ou discos USB que você não precisa para instalação. Consulte a Seção 3.3.3, “Discos FireWire e USB” para mais informações.
  2. Ligue seu sistema de computador.
  3. Ensira a mída em seu computador.
  4. Desligue seu computador com a mída de inicialização ainda dentro dele.
  5. Ligue seu sistema de computador.
Você pode precisar pressionar uma tecla específica ou combinação delas para inicializar a partir da mídia. Na maioria dos computadores, uma mensagem aparecerá rapidamente na tela assim que você ligar o computador. Geralmente, aparecerá algo como Pressione F10 para selecionar o dispositivo de inicialização, no entanto a palavra específica e a tecla que você deve pressionar varia muito de um computador para outro. Consulte a documentação de seu computador ou placa mãe, ou procure por suporte de um fabricante de hardware ou comerciante.
Se seu computador não permitir que você selecione um dispositivo de inicialização quando iniciar, você pode precisar configurar sei Basic Input/Output System (BIOS) do seu sistema para inicializar a partir da mídia.
Para reconfigurar o seu BIOS em um sistema x86, AMD64, ou Intel 64, observe as informações exibidas na sua tela durante a inicialização do seu computador. Uma linha de texto aparece dizendo qual tecla deve ser pressionada para entrar na configuração do BIOS.
Uma vez no programa de configuração do BIOS, encontre a seção onde você pode alterar a sequência de inicialização. A default geralmente é C, A ou A, C (depende se você iniciar pelo disco rígido [C] ou pelo drive de disquete [A]). Altere esta sequência para que o DVD seja o primeiro na sua ordem de inicialização e C ou A (o que for o seu drive de início default) seja o segundo. Isto instrui o computador a procurar pela mídia boot primeiro no drive de DVD; se não a encontrar no drive de DVD, então checará seu disco rígido ou drive de disquete.
Salve suas alterações antes de sair do BIOS. Para mais informações, consulte a documentação que acompanha seu sistema.

Nota

Para abortar a instalação, pressione Ctrl +Alt+Del ou desligue seu computador com o interruptor de energia. Você pode abortar o processo de instalação sem consequências a qualquer momento antes de selecionar Grave as mudanças no disco na tela Grave o particionamento no disco. O Red Hat Enterprise Linux não faz mudanças permanentes em seu computador até este ponto. Esteja ciente de que se você parar a instalação após o particionamento ter iniciado, poderá inutilizar seu computador.

7.1. Iniciando o programa de instalação

Importante

Red Hat Enterprise Linux 6 não suporta os sistemas UEFI for 32-bit x86.

Importante

Note que as configurações de inicialização do UEFI e BIOS diferem de maneira significante uma da outra. Portanto, o sistema instalado deve inicializar usando o mesmo firmware que era usado durante a instalação. Você não pode instalar o sistema operacional em um sistema que usa o BIOS e depois inicializar esta instalação em um sistema que usa o UEFI.
O Red Hat Enterprise Linux 6 suporta a versão 2.2 das especificações do UEFI. O Hardware que suporta a versão 2.3 das especificações do UEFI ou mais recentes, devem inicializar e operar com o Red Hat Enterprise Linux 6, mas a funcionalidade adicional definida por estas especificações mais recentes não estarão disponíveis. As especificações do UEFI estão disponíveis em http://www.uefi.org/specs/agreement/
Para começar, primeiro certifique-se de que você tem todos os recursos necessários para a instalação. Se você já leu o Capítulo 3, Planejamento para instalação em Arquitetura x86, e seguiu as instruções lá contidas, você deve estar pronto para iniciar o processo de instalação. Quando você estiver pronto para começar, inicialize o programa de instalação usando o DVD Red Hat Enterprise Linux ou qualquer outra mídia que você tenha criado.

Nota

Ocasionalmente, alguns componentes de hardware precisam de um disquete de drivers durante a instalação. Um disquete de drivers adiciona suporte para o hardware que não é suportado pelo programa de instalação. Consulte o Capítulo 6, Atualizando drivers durante a instalação em sistemas Intel e AMD. para maiores informações.

7.1.1. Iniciando o Programa de Instalação em Sistemas x86, AMD64 e Intel 64.

Você pode iniciar o programa de instalação usando qualquer uma das mídias a seguir (dependendo do que seu sistema pode suportar):
  • DVD do Red Hat Enterprise Linux — Sua máquina suporta um drive de DVD inicializável e você possui o conjunto de DVD do Red Hat Enterprise Linux.
  • CD-ROM boot — Sua máquina suporta um drive de CD-ROM iniciável e você deseja executar uma instalação no disco rígido ou de rede.
  • USB pen drive — Sua máquina suporta inicializar a partir de um dispositivo USB.
  • Inicialização PXE através da rede — Sua máquina suporta a inicialização através de rede. Esta é uma opção de instalação avançada. Consulte o Capítulo 30, Configurando um Servidor de Instalação para obter informações adicionais sobre este método.
Para criar um CD-ROM de inicialização ou preparar o seu pen drive USB para a instalação, consulte a Seção 2.2, “Criando uma Mídia Mínima de Inicialização”.
Ensira a mídia de inicialização e reinicialie o sistema.
Você pode precisar pressionar uma tecla específica ou combinação delas para inicializar a partir da mídia. Na maioria dos computadores, uma mensagem aparecerá rapidamente na tela assim que você ligar o computador. Geralmente, aparecerá algo como Pressione F10 para selecionar o dispositivo de inicialização, no entanto a palavra específica e a tecla que você deve pressionar varia muito de um computador para outro. Consulte a documentação de seu computador ou placa mãe, ou procure por suporte de um fabricante de hardware ou comerciante.
Se seu computador não permitir que você selecione um dispositivo de inicialização quando iniciar, você pode precisar configurar sei Basic Input/Output System (BIOS) do seu sistema para inicializar a partir da mídia.
Para reconfigurar o seu BIOS em um sistema x86, AMD64, ou Intel 64, observe as informações exibidas na sua tela durante a inicialização do seu computador. Uma linha de texto aparece dizendo qual tecla deve ser pressionada para entrar na configuração do BIOS.
Uma vez no programa de configuração do BIOS, encontre a seção onde você pode alterar a sequência de inicialização. A default geralmente é C, A ou A, C (depende se você iniciar pelo disco rígido [C] ou pelo drive de disquete [A]). Altere esta sequência para que o DVD seja o primeiro na sua ordem de inicialização e C ou A (o que for o seu drive de início default) seja o segundo. Isto instrui o computador a procurar pela mídia boot primeiro no drive de DVD; se não a encontrar no drive de DVD, então checará seu disco rígido ou drive de disquete.
Salve suas alterações antes de sair do BIOS. Para mais informações, consulte a documentação que acompanha seu sistema.
Após um pequeno atraso, a tela de inicialização gráfica aparece, a qual contém informações sobre uma variedade de opções de inicialização. O programa de instalação automaticamente inicia se você não tomar nenhuma providência dentro do primeiro minuto. Para uma descrição de opções disponíveis nesta tela, consulte o Seção 7.1.2, “O menu de Inicialização”.
Como forma alternativa a tecla Esc para acessar a solicitação boot: na qual você pode inserir opções de inicialização adicionais como descritas em Seção 7.1.3, “Opções adicionais de inicialização”.

7.1.2. O menu de Inicialização

A mídia de inicialização mostra um menu gráfico de inicialização com diversas opções. Se não for pressionada nenhuma tecla em 60 segundos, a opção padrão inicializa. Para escolher a opção padrão, espere o tempo passar ou pressione a tecla Enter. Para selecionar uma opção diferente da padrão, use as teclas de cursores no seu teclado e pressione Enter quando estiver selecionada a opção correta. Se quiser personalizar as opções de inicialização, pressione Tab. Para acessar a solicitação do boot: no qual você pode especificar as opções de inicialização do boot padronizado, pressione Esc e consulte o Seção 7.1.3, “Opções adicionais de inicialização”.
A tela de inicialização

Figura 7.1. A tela de inicialização

Para uma listagem e explicação das opções comuns de inicialização, visite Capítulo 28, Opções de Inicialização.
As opções de boot são:
Instalar ou atualizando um sistema existente
Esta é a opção padrão. Escolha esta opção para instalar o Red Hat Enterprise Linux no seu computador, usando o programa de instalação gráfico.
Instalar o sistema com o driver básico de vídeo
Esta opção permite que você instale o Red Hat Enterprise Linux em modo gráfico, até mesmo se o programa de instalação estiver desativado para carregar o driver correto para sua placa de vídeo. Se sua tela aparecer distorcida ou ficar em branco ao usar a opção Instalar ou atualizar um sistema existente reinicie seu computador e tente esta opção.
Recuperar o sistema instalado
Escolha esta opção para reparar um problema com o seu sistema Red Hat Enterprise Linux instalado que o impeça de inicializar normalmente. Ainda que o Red Hat Enterprise Linux seja uma plataforma computacional excepcionalmente estável, é possível ocorrerem alguns problemas ocasionais que o impeçam de inicializar. O ambiente de recuperação contém programas utilitários que lhe permitem resolver uma grande variedade destes problemas.
Inicializar a partir de um disco local
Esta opção inicializa o sistema a partir do primeiro disco instalado. Se você iniciou este disco acidentalmente, use esta opção para inicializar do disco rígido imediatamente sem iniciar o instalador.

7.1.3. Opções adicionais de inicialização

Apesar de ser mais fácil inciar pelo DVD e executar uma instalação gráfica, às vezes há cenários de instalação nos quais é necessário inciar de uma maneira diferente. Esta seção aborda opções adicionais de inicialização disponíveis no Red Hat Enterprise Linux.
Para passar opções ao carregador de inicialização em um sistema x86, AMD64, ou Intel 64, pressione a tecla Esc durante a inicialização. A solicitação do boot: aparecerá, na qual você poderá usar as opções de carregador de inicialização descritas abaixo.

Nota

Consulte o Capítulo 28, Opções de Inicialização para opções de inicialização opcionais não abordadas nesta seção.
  • . Para realizar uma instalação de modo texto, no prompt de inicialização de instalação, digite:
    linux text
  • . Para especificar a fonte de instalação, use a opção linux repo=. Por exemplo:
    linux repo=cdrom:device
    linux repo=ftp://username:password@URL
    linux repo=http://URL
    linux repo=hd:device
    linux repo=nfs:options:server:/path
    linux repo=nfsiso:options:server:/path
    Nestes exemplos, cdromse refere ao CD ou DVD drive, ftp se refere à um local acessível pelo FTP, http se refere à um local acessível pelo HTTP, hd se refere à um arquivo de imagem ISO acessível em um hard drivepartition, nfs se refere à uma árvore expandida de arquivos de instalação acessíveis pelo NFS, e nfsiso e refere à um arquivo de imagem ISO acessíveis pelo NFS.
  • imagens ISO possuem um checksum SHA256 embutido neles. Para testar a integridade do checksum de uma imagem do ISO, durante o prompt da inicialização da instalação, digite:
    linux mediacheck
    O programa de instalação pede que você insira um CD ou selecione uma imagem ISO para testar, e pressione OK a fim de executar a verificação de consistência ('checksum'). Esta operação de verificação pode ser feita em qualquer DVD do Red Hat Enterprise Linux e não precisa ser executada numa ordem específica (por exemplo: o CD 1 não precisa ser o primeiro a ser verificado). É altamente recomendado executar esta operação em todos os DVDs do Red Hat Enterprise Linux que foram criados a partir do download de imagens ISO. Este procedimento funciona para os métodos de instalação em DVD, ISO de disco rígido e ISO de NFS.
  • caso precise realizar a instalação em serial mode, digite o seguinte comando:
    linux console=<device>
    Para instalação em modo texto, use:
    linux text console=<device>
    No comando acima, <device> deve ser o dispositivo usado (tal como ttyS0 ou ttyS1). Por exemplo: linux text console=ttyS0.
    Instalações em modo texto usando um terminal serial funcionam melhor quando o terminal suporta UTF-8. No UNIX e no Linux, o Kermit suporta UTF-8. No Windows, o Kermit '95 funciona bem. Terminais sem capacidade UTF-8 funcionam desde que seja usado somente o idioma Inglês na instalação. Um display serial melhorado pode ser usado, passando o comando utf8 como uma opção do momento da inicialização (boot-time option) para o programa de instalação. Por exemplo:
    linux console=ttyS0 utf8

7.1.3.1. Opções do Kernel

Opções também podem ser passadas ao kernel. Por exemplo, para aplicar atualizações ao programa de instalação anaconda a partir de um dispositivo de armazenamento USB, ensira:
linux updates
Para instalação em modo texto, use:
linux text updates
Esse comando solicita que você insira um disquete que contenha atualizações para o anaconda. Não é necessário se você estiver executando uma instalação de rede e já tiver inserido o conteúdo das imagens de atualização em rhupdates/ no servidor.
Após indicar as opções, pressione Enter para inicializar usando estas opções.
Se você precisar especificar opções de inicialização para identificar o seu hardware, por favor anote-as. As opções de inicialização são necessárias durante a parte da configuração do gestor de inicialização na instalação (consulte a Seção 9.17, “Configuração do Carregador de Inicialização do x86, AMD64, e Intel 64 ”).
Para maiores informações sobre opções do kernel, consulte o Capítulo 28, Opções de Inicialização.

7.2. Instalando a Partir de uma Fonte Diferente

Você poderá instalar o Red Hat Enterprise Linux a partir das imagens ISO guardadas no disco rígido ou a partir da rede, usando os métodos NFS, FTP, HTTPS ou HTTP. Os usuários mais experientes usam normalmente um destes métodos por ser mais rápido de ler os dados por meio de um disco rígido ou de um servidor de rede do que a partir um DVD.
A seguinte tabela resume os diferentes métodos de inicialização e os métodos de instalação recomendados para usar com cada um:

Tabela 7.1. Métodos de inicialização e fontes de instalação

Método de Inicialização Fonte de instalação
DVD de instalação DVD, network, ou disco rígido
Instalação USB flash drive Instalação de DVD, network, ou disco rígido
CD ou USB de Inicialização mínima, CD de recuperação. Network ou disco rígido
Consulte o Seção 3.5, “Selecionando um Método de Instalação” para informações sobre instalação de locais, a não ser mída, com a qual você inicializou o sistema.

7.3. Inicializando a Partir da Rede Usando o PXE

Para inicializar com o PXE , você precisa de um servidor configurado adequadamente, e uma interface de rede em seu computador que suporte o PXE. Para informações sobre como configurar um servidor PXE, consulte o Capítulo 30, Configurando um Servidor de Instalação.
Configure o computador para inicializar de uma interface de rede. Esta opção está em BIOS e pode ser rotulada como Network Boot or Boot Services. Depois que você configurar a inicialização do PXE adequadamente, o computador poderá inicializar o sistema de instalação do Red Hat Enterprise Linux sem qualquer outra mídia.
Para inicializar um computador a partir de um servidor de PXE:
  1. Certifique-se de que o cabo de rede esteja conectado. A luz indicadora de ligação no soquete de rede deve estar acesa, mesmo que o computador não esteja ligado.
  2. Ligue o computador.
  3. Uma tela de menu aparecerá. Clique no número que corresponda à opção desejada.
Se seu PC não inicializar do servidor de netboot, certifique-se que o BIOS está configurado para iniciar primeiro a partir da interface de rede correta. Alguns sistemas BIOS especificam a interface de rede como um dispositivo de inicialização possível, mas não suportam o PXE padrão. Consulte sua documentação do hardware para mais informações.

Nota

Alguns servidores com interfaces de rede múltiplas podem não atribuir um eth0 à primeira interface de rede como a interface firmware o conhece, o qual pode fazer com que o instalador tente usar uma interface de rede diferente de uma usada pelo PXE. Para mudar este comportamento, use o seguinte nos arquivos de config. pxelinux.cfg/*:
IPAPPEND 2
APPEND ksdevice=bootif
Estas opções de configuração acima podem fazer com que o instalador use a mesma interface de rede que a interface do firmware e PXE usam. Você também pode usar a seguinte opção:
ksdevice=link
Esta opção faz com que o instalador use o primeiro dispositivo de rede que ele encontrar que seja ligado à um interruptor de rede.

Capítulo 8. O idioma de configuração e fonte de instalação

Antes do programa de instalação gráfica iniciar, você precisa configurar o idioma e fonte de instalação.

8.1. A Interface de Usuário de Programa de Instalação em Modo Texto

Importante

Recomendamos que você instale o Red Hat Enterprise Linux utilizando uma interface gráfica. Se você estiver instalando um Red Hat Enterprise Linux em um sistema que não possui uma exibição gráfica, considere realizar a instalação em uma conexão VNC – veja Capítulo 31, Instalação através de VNC.. Se o anaconda detectar que você está instalando em modo texto em um sistema onde seja possível obter uma instalação via uma conexão VNC, o anaconda perguntará se deseja realmente instalar em modo texto mesmo se suas opções durante a instalação forem limitadas.
Se seu sistema possuir uma exibição gráfica, mas a instalação gráfica falhar, tente inicializar com a opção xdriver=vesa– consulte o Capítulo 28, Opções de Inicialização
O programa de instalação em modo texto do Red Hat Enteprise Linux usa uma interface baseada em telas que inclui a maioria dos widgets de tela normalmente encontrados em interfaces gráficas de usuário. A Figura 8.1, “Os Widgets de Programa de Instalação como vistos em URL Setup, e a Figura 8.2, “Aplicativos de Programa de Instalação como visto em Escolher um Idioma, ilustram as telas que aparecem durante o processo de instalação.

Nota

Nem todos os idiomas suportados no modo de instalação gráfico são também suportados no modo texto. Principalmente, os idiomas gravados com um conjunto de caracteres que não seja os alfabetos Latin ou Cirilico não estão disponíveis em modo texto. Se você escolher um idioma gravado com um conjunto de caractere que não seja suportado no modo texto, o programa de instalação lhe será apresentado com versões em Inglês de telas.
Os Widgets de Programa de Instalação como vistos em URL Setup

Figura 8.1. Os Widgets de Programa de Instalação como vistos em URL Setup

Aplicativos de Programa de Instalação como visto em Escolher um Idioma

Figura 8.2. Aplicativos de Programa de Instalação como visto em Escolher um Idioma

Os widgets incluem:
  • Janela — Janelas (geralmente chamadas de diálogos neste manual) aparecerão em sua tela ao longo do processo de instalação. Às vezes, uma janela pode se sobrepor à outra; nestes casos você só pode interagir com a janela que estiver em cima. Quando terminar o(s) diálogo(s) nesta janela, ela desaparecerá, permitindo que você continue trabalhando na janela que estava por baixo.
  • Caixa de verificação — Caixas de verificação permitem que você selecione ou desselecione a funcionalidade correspondente. A caixa exibe um asterisco (selecionada) ou um espaço (desselecionada). Quando o cursor estiver em uma caixa de verificação, pressione Espaço para selecionar ou desselecionar uma funcionalidade.
  • Entrada de Texto — Linhas de Entrada de Texto são regiões nas quais você pode inserir informação requisitada pelo programa de instalação. Quando o cursor estiver parado em uma linha de entrada de texto, você pode inserir e/ou editar a informação nesta linha.
  • Janela de Texto — Janelas de Texto são regiões da tela para a disposição de texto. Às vezes, janelas de texto podem também conter botões, como caixas de verificação. Se uma janela de texto contém mais informação do que o espaço reservado para ela, aparecerá uma barra de rolagem. Se você posicionar o cursor dentro da janela de texto, poderá usar as teclas de seta para cima e para baixo para rolar através de toda informação disponível. Sua posição atual é mostrada na barra de rolagem por um caractere #, que se move para cima e para baixo da barra de rolagem enquanto você movimenta a janela.
  • Barra de Rolagem — Barras de Rolagem aparecem na lateral ou na parte inferior de uma janela para controlar qual parte de uma lista ou documento é exibida na moldura de uma janela. A barra de rolagem facilita a movimentação para qualquer parte de um arquivo.
  • Botão — Botões são o método primário de interação com o programa de instalação. Você progride através das janelas do programa de instalação navegando por estes botões, usando as teclas Tab e Enter. Os botões podem ser selecionados quando estiverem destacados.
  • Cursor — Apesar de não ser um widget, o cursor é usado para selecionar (e interagir com) um widget específico. À medida que o cursor é movido de um cursor para outro, pode fazer com que o widget mude de cor, ou com que o cursor em si apareça apenas posicionado sobre ou ao lado do widget. Na Figura 8.1, “Os Widgets de Programa de Instalação como vistos em URL Setup, o cursor está posicionado no botão OK. A Figura 8.2, “Aplicativos de Programa de Instalação como visto em Escolher um Idioma, mostra o cursor no botão Editar.

8.1.1. Usando o Teclado para Navegar

A navegação pelos diálogos de instalação é executada através do uso de um simples conjunto de teclas. Para mover o cursor, use as teclas de seta Esquerda, Direita, Para cima e Para baixo. Use Tab e Shift-Tab para movimentar o cursor para frente e para trás através de cada elemento da tela. A maioria das telas apresenta, em sua parte inferior, uma breve explicação sobre as teclas disponíveis para posicionamento do cursor.
Para "pressionar" um botão, posicione o cursor sobre o botão (usando Tab, por exemplo) e pressione Espaço ou Enter. Para selecionar um item de uma lista, mova o cursor para o item desejado e pressione Enter. Para selecionar um item com caixa de verificação, mova o cursor para a respectiva caixa e pressione Espaço. Para desselecioná-lo, pressione Espaço pela segunda vez.
Pressionando F12 faz com que os valores atuais sejam aceitos e prossegue para o próximo diálogo. Isto equivale a pressionar o botão OK.

Atenção

A menos que uma caixa de diálogo esteja aguardando sua ação, não pressione nenhuma tecla durante o processo de instalação (isto pode resultar em um comportamento inesperado do programa).

8.2. Seleção do Idioma

Use as teclas de setas de seu teclado para selecionar um idioma para usar durante o processo de instalação (consulte o Figura 8.3, “Seleção do Idioma”). Com seu idioma selecionado, pressione a tecla Tab para mover para o botão OK e pressione a tecla Enter para confirmar sua escolha.
O idioma que você selecionar aqui será o idioma padrão do sistema uma vez que estiver instalado. Selecionar o idioma apropriado também ajudará na configuração de seu fuso horário numa etapa posterior da instalação. O programa de instalação tenta definir o fuso horário correto baseado no que você especificar nesta tela.
Para adicionar suporte para idiomas adicionais, padronize a instalação no estágio de seleção do pacote. Para mais informações, consulte o Seção 9.18.2, “Padronizando a Seleção do Software”.
Seleção do Idioma

Figura 8.3. Seleção do Idioma

Após selecionar o idioma apropriado, clique em Próximo para continuar.

8.3. Método de Instalação

Se você inicializou a instalação utilizando uma mídia de inicialização mínima ou com a opção de inicialização askmethod, use as teclas de seta de seu teclado para selecionar um método de instalação (consulte o Figura 8.4, “Método de Instalação”). Com seu método selecionado, pressione a tecla Tab para mover para o botão OK e pressione a tecla Enter para confirmar sua escolha.
Método de Instalação

Figura 8.4. Método de Instalação

8.3.1. Instalando a partir do DVD

Para instalar o Red Hat Enterprise Linux a partir de um DVD coloque o DVD ou no seu drive de DVD e inicialize o seu sistema a partir do DVD. Se você inicializou a partir da mídia alternativa, você ainda pode instalar o Red Hat Enterprise Linux a partir do DVD.
O programa de instalação então sonda o seu sistema e tenta identificar o seu drive de DVD. Ele começa procurando por um drive IDE (também chamado de ATAPI) de DVD.

Nota

Para abortar o processo de instalação a esta altura, reinicialize a sua máquina e então ejete a mídia de inicialização. Você pode cancelar a instalação com segurança a qualquer momento antes da tela Write changes to disk. Consulte a Seção 9.16, “Gravar mudanças no disco” para maiores informações.
Se o seu drive de DVD não é detectado e é um DVD SCSI, o programa de instalação pedirá que você escolha um driver SCSI. Escolha o driver que mais se assemelha ao seu adaptador. Você pode especificar opções para o driver se for necessário; entretanto, a maioria dos drivers detectam seu adaptador SCSI automaticamente.
Se o drive de DVD é encontrado e o driver carregado, o instalador oferecerá a opção de executar uma verificação de mídia no DVD. Isto levará algum tempo, e você pode optar por pular este passo. Entretanto, se mais tarde você encontrar problemas com o instalador, você deve reinicializar e executar a verificação de mídia antes de entrar em contato com o suporte. A partir do diálogo de verificação de mídia, continue para o próximo estágio do processo de instalação (consulte a Seção 9.3, “Bem vindo ao Red Hat Enterprise Linux”).

8.3.2. Instalando a partir de um Disco Rígido

A tela Selecionar Partição se aplica somente se você estiver instalando por uma partição de disco (ou seja, se você selecionou Disco Rígido na caixa de diálogos do Método de Instalação). Este diálogo permite que você nomeie a partição de disco e o diretório a partir dos quais você está instalando o Red Hat Enterprise Linux. Se você usou a opção de inicialização repo=hd, você já especificou uma partição.
Selecionando Diálogo de Partição para Instalação pelo Disco Rígido

Figura 8.5. Selecionando Diálogo de Partição para Instalação pelo Disco Rígido

Selecione a partição contendo os arquivos ISO a partir da lista de partições disponíveis. Nomes dos dispositivos de drive internos IDE, SATA, SCSI, e USB começaram com /dev/sd. Cada drive individual possui sua própria letra, por exemplo /dev/sda. Cada partição em um drive é numerada, por exemplo /dev/sda1.
Especifique também os Diretórios contendo imagens. Ensira o caminho do diretório todo a partir do drive que contém os arquivos de imagem ISO. A seguinte tabela mostra alguns exemplos de como enserir esta informação:

Tabela 8.1. Localização de imagens ISO para diferentes tipos de partições

Tipo de partição Volume Caminho original para arquivos Diretório a usar
VFAT D:\ D:\Downloads\RHEL6 D:\Downloads\RHEL6
ext2, ext3, ext4 /home /home/user1/RHEL6 /user1/RHEL6
Se as imagens ISO estão no diretório root (nível mais alto) de uma partição, indique /. Se as imagens ISO estão localizadas num sub-diretório de uma partição montada, indique o nome do diretório contendo as imagens ISO nessa partição. Por exemplo: se a partição na qual as imagens ISO estão for normalmente montada como /home/, e as imagens estão em /home/new/, você deve indicar new/.

Importante

Uma entrada sem uma barra pode fazer com que a instalação falhe.
Selecione OK para continuar. Proceda com Capítulo 16, Instalação usando anaconda.

8.3.3. Executando uma Instalação em Rede

Quando você inicializa o instalador com as opções askmethod ou repo= você pode instalar o Red Hat Enterprise Linux a partir de um servidor de rede usando os protocolos FTP, HTTP, HTTPS ou NFS. O Anaconda usa a mesma conexão de rede para consultar repositórios de software adicionais durante o processo.
Se seu sistema possui mais do que um dispositivo de rede, o anaconda lhe apresentará uma lista de todos os dispositivos disponíveis e solicitará que você selecione um para usar durante a instalação. Se seu sistema possui somente um dispositivo de rede, o anaconda selecionará automaticamente e não apresentará este diálogo.
Dispositivo de Rede

Figura 8.6. Dispositivo de Rede

Caso não esteja certo de qual dispositivo na lista corresponde ao socket físico no sistema, selecione um dispositivo na lista e depois pressione o botão Identify. O diálogo Identify NIC aparecerá.
Identifique NIC

Figura 8.7. Identifique NIC

Os sockets da maioria dos dispositivos de rede apresentam um activity light (também chamado de link light) — um LED que pisca para indicar que os dados estão fluindo através do socket. O Anaconda pode piscar a luz de atividade do dispositivo de rede que você selecionou no diálogo Networking Device para até 30 segundos. Ensira o número de segundos que você precisa, e depois pressione OK. Quando o anacondaparar de piscar a luz, ele o retornará para o diálogo Networking Device.
Quando você selecionar um dispositivo, o anaconda irá solicitar que você escolha como configurar o TCP/IP:

Opções de IPv4

Configuraç]ao de IP dinâmica (DHCP)
O Anaconda usa o DHCP em execução na rede para fornecer configuração de rede automaticamente.
Configuração manual
O Anaconda solicita que você ensira a configuração de rede manualmente, incluindo o endereço de IP para este sistema, o netmask, o endereço do gateway e o endereço do DNS.

Opções IPv6

A descoberta do vizinho automático
O Anaconda usa o router advertisement (RA) para criar uma configuração automática e sem estado. (Equivalente à opção Automática em NetworkManager)
A configuração IP dinâmica (DHCPv6)
O Anaconda não usa o RA, mas requer informações de DHCPv6 diretamente para criar uma configuração com estado. (Equivalente à opção Automática, somente DHCP em NetworkManager)
Configuração manual
O Anaconda solicita que você ensira a configuração de rede manualmente, incluindo o endereço de IP para este sistema, o netmask, o endereço do gateway e o endereço do DNS.
Anaconda suporta os protocolos IPv4 e IPv6. No entanto, se você configurar uma interface para usar ambos IPv4 e IPv6, a conexão IPv4 deve ser bem sucedida ou a interface não funcionará, até mesmo se a conexão IPv6 for bem sucedida.
Configurar TCP/IP

Figura 8.8. Configurar TCP/IP

Por padrão, o anaconda usa o DHCP para fornecer a configuração de rede automaticamente para o IPv4 e descoberta de vizinho automático para fornecer configurações de rede para IPv6. Se você escolher configurar o TCP/IP manualmente, o anaconda solicitará que você forneça os detalhes no diálogo Manual TCP/IP Configuration:\n\t\n
TCP Manual/Configuração IP

Figura 8.9. TCP Manual/Configuração IP

O diálogo fornece campos para os endereços IPv4 e IPv6 e prefixos, dependendo dos protocolos que você escolher para configurar manualmente, junto com estes campos para a rede gateway e name server. Ensira os detalhes de sua rede, depois pressione OK.
Quando o processo de instalação terminar, irá transferir estas definições para o sistema.

8.3.4. Instalando através do NFS

O diálogo NFS se aplica somente se você inicializou com a opção askmethod selecionou Imagem NFS no diálogo Método de Instalação. Se você usou a opção repo=nfs, você já especificou um servidor e caminho.
Diálogo de Configuração do NFS

Figura 8.10. Diálogo de Configuração do NFS

  1. Indique o nome de domínio ou endereço IP do seu servidor NFS no campo NFS server name. Por exemplo, se você estiver instalando a partir de um host chamada eastcoast no domínio exemplo.com, insira eastcoast.exemplo.com
  2. Ensira o nome do diretório exportado no campo Red Hat Enterprise Linux 6 directory:
    • Se o servidor NFS estiver exportando um espelho da árvore de instalação do Red Hat Enterprise Linux, forneça o diretório contendo a raiz da árvore de instalação. Se tudo foi especificado corretamente, aparece uma mensagem indicando que o programa de instalação do Red Hat Enterprise Linux está rodando.
    • Se o servidor NFS estiver exportando as imagens ISO dos CD-ROMs do Red Hat Enterprise Linux, indique o diretório que contém as imagens ISO.
    Se você seguiu a configuração descrita na Seção 4.1.2, “Preparando para uma instalação de NFS”, o diretório exportado é aquele que você especificou como diretório_disponível_publicamente.
  3. Especifique qualquer opção de montagem do NFS que você precise no campo NFS mount options. Consulte as páginas man para o mount e nfs para uma lista compreensiva de opções. Se você precisar qualquer opção de montagem, deixe o campo vazio.

8.3.5. Instalando através de FTP, HTTP ou HTTPS

Importante

Quando você fornecer uma URL à uma fonte de instalação, você precisa especificar explicitamente o http:// ou https:// ou ftp:// como protocolo.
O diálogo da URL se aplica somente se você estiver instalando a partir de um servidor HTTP, HTTPS ou FTP (se você selecionou URL no diálogo Método de Instalação). O diálogo pedirá informações sobre o servidor FTP, HTTPS ou HTTP a partir do qual você está instalando o Red Hat Enterprise Linux. Se você usou as opções repo=ftp ou repo=http, você já especificou um servidor e caminho.
Insira o nome ou endereço IP do local FTP, HTTPS ou HTTP que você estiver instalando, e o nome do diretório que contiver o diretório /images para sua arquitetura. Por exemplo:
/mirrors/redhat/rhel-6/Server/i386/
Para instalar via conexão de HTTPS segura, especifique o https:// como um protocolo.
Especifique o endereço de um servidor proxy e se necessário, forneça um número de porta, username, e senha. Se tudo foi especificado adequadamente, uma caixa de mensagens aparecerá indicando que arquivos estão sendo recuperados do servidor.
Se seu servidor FTP, HTTPS ou HTTP precisar de autenticação de usuário, especifique o usuário e senha com oparte da URL como se segue:
{ftp|http|https}://<user>:<password>@<hostname>[:<port>]/<directory>/
Por exemplo:
http://install:rhel6pw@name.example.com/mirrors/redhat/rhel-6/Server/i386/
Diálogo de configuração de URL

Figura 8.11. Diálogo de configuração de URL

8.4. Verificando Mídia

O DVD oferece uma opção para verificar a integridade da mídia. A gravação de erros as vezes ocorre ao produzir um DVD. Um erro de dados para o pacote escolhido no programa de instalação pode fazer com que a instalação aborte. Para minimizar as chances de erros de dados que afetam a instalação, verifique a mídia antes de instalá-la.
Se a verificação for bem sucedida, o processo de instalação procede normalmente. Se o processo falhar, crie um novo DVD usando a imagem de ISO que você baixou anteriormente.

Capítulo 9. Instalação usando anaconda

Este capítulo descreve uma instalação usando uma interface de usuário gráfica do anaconda.

9.1. A Interface de Usuário de Programa de Instalação em Modo Texto

Importante

A instalação em modo texto não proibe que você utilize uma interface gráfica em seu sistema depois de instalado.
Além do instalador gráfico, o anaconda também inclui um instalador baseado em texto.
Se uma das seguintes situações ocorrer, o programa de instalação usa o modo texto:
  • O sistema de instalação falha ao identificar o hardware de exibição em seu computador.
  • Você escolhe a instalação de modo texto a partir do menu de inicialização
Enquanto as instalações de modo texto não são documentadas explicitamente, aquelas que utilizam o programa de instalação em modo texto podem seguir facilmente as instruções de instalação do GUI. No entanto, como o modo texto apresenta um processo de instalação mais simples e básico, certas opções que estão disponíveis no modo gráfico não estão disponíveis no modo texto. Estas diferenças são anotadas na descrição do processo de instalação deste guia, e incluem:
  • configurando métodos de armazenamento avançados tais como LVM, RAID, FCoE, zFCP, e iSCSI.
  • padronizando o layout da partição
  • padronizando o layout do carregador de inicialização
  • selecionando os pacotes durante a instalação
  • configurando o sistema instalado com o Firstboot
Se você escolher instalar o Red Hat Enterprise Linux em modo texto, você pode ainda configurar seu sistema para usar uma interface gráfica após instalação. Consulte o Seção 35.3, “Mudando para um Login Gráfico” para instruções.
Para configurar opções não disponíveis no modo texto, considere o uso de uma opção de inicialização. Por exemplo, a opção linux ip pode ser usada para configurar a rede. Consulte o Seção 28.1, “Configurando o Sistema de Instalação no Menu de Inicialização” para obter instruções.

9.2. A Interface Gráfica de Usuário do Programa de Instalação

Se você já usou uma interface gráfica de usuário (GUI) antes, está familiarizado com este processo. Use seu mouse para navegar pelas telas, clicar em botões ou inserir texto nos campos apresentados.
Você também pode navegar pela instalação usando o teclado. A tecla Tab permite navegar pela tela, as setas para cima e para baixo rolam as listas, as teclas + e - expandem e contraem as listas, enquanto Espaço e Enter selecionam ou removem a seleção de um item em destaque. Você também pode usar a combinação de teclas Alt+X como uma outra maneira de clicar em botões ou efetuar outras seleções na tela, onde X é substituído por qualquer letra sublinhada que apareça na tela.

Nota

Se você estiver usando um sistema x86, AMD64 ou Intel 64 e você não deseja usar um programa de instalação GUI, o programa de instalação em modo texto também está disponível. Para iniciar o programa de instalação em modo texto, use o seguinte comando na janela do boot::
linux text
Consulte a Seção 7.1.2, “O menu de Inicialização” para uma descrição do menu de inicialização do Red Hat Enterprise Linux paraSeção 8.1, “A Interface de Usuário de Programa de Instalação em Modo Texto” para uma visão geral breve das instruções de instalação do modo texto.
É altamente recomendado que as instalações sejam executadas usando o programa de instalação GUI. Este oferece a funcionalidade completa do programa de instalação do Red Hat Enterprise Linux, incluindo a configuração do LVM, que não é disponibilizada durante o modo texto de instalação.
Usuários que precisem usar o programa de instalação no modo texto podem seguir as instruções da instalação em modo gráfico para obter todas as informações necessárias.

9.2.1. Screenshots durante a instalação

Anaconda permite que você tire screenshots durante o processo de instalação. A qualquer momento durante a instalação, pressione Shift+Print Screen e anaconda irá salvar um screenshot /root/anaconda-screenshots.
Se você estiver realizando uma instalação do Kickstart, use a opção autostep --autoscreenshot para gerar um screenshot de cada passo da instalação automaticamente. Consulte a Seção 32.3, “Criando o Arquivo de Kickstart” para mais detalhes sobre como configurar um arquivo Kickstart.

9.2.2. Uma Nota sobre Consoles Virtuais

O programa de instalação do Red Hat Enterprise Linux oferece mais do que apenas caixas de diálogo no processo de instalação. Há diversas mensagens de diagnóstico disponíveis, além de oferecer um meio de inserir comandos em uma janela do prompt. O programa de instalação exibe estas mensagens em cinco consoles virtuais, dentre os quais você pode alternar usando uma simples combinação de teclas.
Um console virtual é uma janela de comandos em um ambiente não-gráfico, acessado fisicamente pela máquina e não remotamente. Diversos consoles virtuais podem ser acessados simultaneamente.
Estes consoles virtuais podem ser úteis caso você encontre um problema durante a instalação do Red Hat Enterprise Linux. As mensagens exibidas nos consoles de instalação ou do sistema podem ajudar a descobrir um problema. Consulte a Tabela 9.1, “Console, Teclas e Conteúdos” para uma listagem dos consoles virtuais, seqüências de teclas usadas pra alternar entre eles, assim como o seu conteúdo.
Geralmente, não há razão para sair do console padrão (console virtual #6) em instalações gráficas a não ser que você esteja tentando diagnosticar problemas na instalação.

Tabela 9.1. Console, Teclas e Conteúdos

console teclas Conteúdos
1 ctrl+alt+f1 Display gráfico
2 ctrl+alt+f2 shell prompt
3 ctrl+alt+f3 log de instalação (mensagens de instalação de programas)
4 ctrl+alt+f4 mensagens relacionadas ao sistema
5 ctrl+alt+f5 outras mensagens

9.3. Bem vindo ao Red Hat Enterprise Linux

A tela Bem-vindo não solicita que você ensira nenhuma entrada.
Clique no botão Próximo para continuar.

9.4. Seleção do Idioma

Usando seu mouse, selecione o tipo de teclado (por exemplo, Inglês Americano) que você gostaria de usar para a instalação e como o padrão do sistema (veja a Figura abaixo).
Após selecioná-lo, clique em Próximo para continuar.
Configuração do Idioma

Figura 9.1. Configuração do Idioma

9.5. Configuração do Teclado

Usando seu mouse, selecione o tipo de teclado (por exemplo, Inglês Americano) que você gostaria de usar para a instalação e como o padrão do sistema (veja a Figura abaixo).
Após selecioná-lo, clique em Próximo para continuar.
Configuração do Teclado

Figura 9.2. Configuração do Teclado

O Red Hat Enterprise Linux inclui o suporte para mais de um layout de teclado para diversos idiomas. Principlamente, a maioria dos idiomas europeus incluem a opção latin1, a qual usa teclas obsoletas para acessar certos caracteres, tais como aqueles com marcas diacríticas. Quando você pressiona uma tecla obsoleta, nada aparecerá em sua tela até que você pressione outra tecla para "completar" o caractere. Por exemplo, para digitar é em um layout de teclado latin1, você deve pressionar (e soltar) a tecla ' e depois pressionar a tecla E. Você acessa este caractere em alguns outros teclados pressionando e segurando uma tecla (tal como o Alt-Gr) enquanto vc pressiona a tecla E. Outros teclados possuem uma tecla dedicada especialmente à este caractere.

Nota

Para alterar o layout do seu teclado após o término da instalação, use a Ferramenta de Configuração do Teclado.
Digite o comando system-config-keyboard numa janela de comandos para executar a Ferramenta de Configuração do Teclado. Se você não está como root, a ferramenta solicitará a senha do root para continuar.

9.6. Dispositivos de Armazenamento

Você pode instalar o Red Hat Enterprise Linux em diversos dispositivos de armazenamento. Esta tela permite que você selecione os dispositivos básico ou especializado.
Dispositivos de Armazenamento

Figura 9.3. Dispositivos de Armazenamento

Dispositivos de Armazenamento Básico
Selecione Basic Storage Devices para instalar o Red Hat Enterprise Linux nos seguintes dispositivos de armazenamento:
  • hard drives ou drives de estado sólido conectado diretamente ao sistema local.
Dispositivos de Armazenamento Especializado
Selecione Specialized Storage Devices para instalar Red Hat Enterprise Linux nos seguintes dispositivos de armazenamento:
  • Storage area networks (SANs)
  • Direct access storage devices (DASDs)
  • Dispositivos Firmware RAID
  • Dispositivos Multipath
Use a opção Specialized Storage Devices para configurar Internet Small Computer System Interface (iSCSI) e conexões FCoE (Fiber Channel over Ethernet).
Se você selecionar o Basic Storage Devices o anaconda detecta automaticamente o anexo de armazenamento local no sistema e não precisa de nenhuma outra entrada. Proceda com Seção 16.9, “Configurando o Hostname”.

9.6.1. A Tela de Seleção dos Dispositivos de Armazenamento

A tela de dispositivos de armazenamento exibe todos os dispositivos de armazenamento com o qual o anaconda tem acesso.
Selecionar Dispositivos de Armazenamento - Dispositivos Básicos

Figura 9.4. Selecionar Dispositivos de Armazenamento - Dispositivos Básicos

Selecionar dispositivos de armazenamento - Dispositivos de Multipath

Figura 9.5. Selecionar dispositivos de armazenamento - Dispositivos de Multipath

Selecionar os dispositivos de armazenamento - Outros Dispositivos SAN

Figura 9.6. Selecionar os dispositivos de armazenamento - Outros Dispositivos SAN

Dispositivos são agrupados sob as seguintes abas:
Dispositivos básicos
Dispositivos de armazenamento básico diretamente conectado ao sistema local, tal como drives de discos rígidos e drives de estado sólido.
Firmware RAID
Dispositivo de armazenamento anexado ao controller do firmware RAID
Dispositivos Multipath
Dispositivos de armazenamento acessíveis por mais de um caminho, tal como pelos controllers SCSI múltiplos ou portas de Canal de Fibra no mesmo sistema.

Importante

O instalador detecta somente os dispositivos de armazenamento multipath com os números em série que são de 16 ou 32 caracteres.
Outros Dispositivos SAN
Qualquer outro dispositivo disponível em uma rede de área de armazenamento (SAN).
Se você precisar configurar o iSCSI ou FCoE, clique em Adicionar Alvo Avançado e proceda para Seção 9.6.1.1, “Opções Avançadas de Armazenamento”.
A tela de seleção de dispositivos de armazenamento também contém uma aba Search que permite que você filtre os dispositivos de armazenamento pelo seu World Wide Identifier (WWID) ou pela porta, alvo, ou logical unit number (LUN) no qual eles serão acessados.
Aba de Pesquisa de Dispositivo de Armazenamento

Figura 9.7. Aba de Pesquisa de Dispositivo de Armazenamento

A aba contém um menu suspenso para selecionar a procura por porta, alvo, WWID, ou LUN (com caixas de texto correspondentes para estes valores). A busca por WWID ou LUN requer valores adicionais na caixa de texto correspondente.
Cada aba apresenta uma lista de dispositivos detectados pelo anaconda,com informações sobre o dispositivo para ajudá-lo a identificá-lo. Um menu suspenso pequeno marcado com um ícone, está localizado à direita dos cabeçalhos da coluna. Este menu permite que você selecione os tipos de dados apresentados em cada dispositivo. Por exemplo, o menu na aba Multipath Devices permite que você especifique qualquer um WWID, Capacity, Vendor, Interconnect, e Paths para incluir entre os detalhes apresentados para cada dispositivo. Reduzir ou expandindo a quantia de informações apresentadas pode ajudá-lo a identificar dispositivos específicos.
Selecionando Colunas

Figura 9.8. Selecionando Colunas

Cada dispositivo é apresentado em uma linha separada, com a caixa de seleção à sua esquerda. Clique na caixa de seleção para tornar um dispositivo disponível durante o processo de instalação, ou clique no botão de seleção à esquerda dos cabeçalhos de coluna para selecionar ou desselecionar todos os dispositivos listados em uma tela específica. Mais tarde, no processo de instalação, você pode escolher instalar o Red Hat Enterprise Linux em qualquer dispositivo selecionado aqui, e pode escolher montar automaticamente qualquer um dos outros dispositivos selecionados aqui como parte do sistema instalado.
Observe que os dispositivos que você seleciona aqui não são removidos automaticamente pelo processo de instalação. Selecionar um dispositivo nesta tela não coloca dados armazenados em um dispositivos sob risco. Observe também que qualquer dispositivo que você não selecione aqui para formar parte com o sistema instalado, pode ser adicionado ao sistema após instalação, modificando o arquivo /etc/fstab.

Importante

Qualquer dispositivo de armazenamento que você não selecione nesta tela, será totalmente escondido no anaconda. Para Carregar a corrente o carregador de inicialização do Red Hat Enterprise Linux utilizando um carregador diferente, selecione todos os dispositivos apresentados nesta tela.
Depois que você selecionou os dispositivos de armazenamento para estarem disponíveis durante a instalação, clique em Next e proceda para Seção 9.11, “Instalando um Disco Rígido”.

9.6.1.1. Opções Avançadas de Armazenamento

A partir desta tela você pode configurar um alvo iSCSI (SCSI over TCP/IP) ou FCoE (Fibre channel over ethernet) SAN (rede de área de armazenamento). Consulte a Apêndice B, Discos ISCSI para uma apresentação ao iSCSI
Opções Avançadas de Armazenamento

Figura 9.9. Opções Avançadas de Armazenamento

9.6.1.1.1. Selecione e configure uma interface de rede.
Se uma interface de rede não está ativa ainda no sistema, o anaconda precisa ativar uma através o qual se conectará com os dispositivos de armazenamento. Se seu sistema possui somente uma interface de rede, o anaconda irá ativá-lo automaticamente. No entanto, se seu sistema possui mais do que uma interface de rede disponível, o anaconda solicitará o diálogo Selecione a interface de rede para escolher um para usar durante a instalação.
Selecionar interface de Rede

Figura 9.10. Selecionar interface de Rede

  1. Selecione uma interface no menu suspenso.
  2. Clique em OK.
O Anaconda ativa a interface que você selecionou e depois inicia o NetworkManager para permitir que você configure a interface.
Conexões de Rede

Figura 9.11. Conexões de Rede

Para mais detalhes sobre como utilizar o NetworkManager, consulte o Seção 9.7, “Configurando o Hostname”
9.6.1.1.2. Configurar Parâmetros iSCSI
Para usar os dispositivos de armazenamento do iSCSI para a instalação, o anaconda deve estar disponível para descoberta como os alvos em iSCSI e ser capaz de criar uma sessão iSCSI para acessá-los. Cada um destes passos pode precisar de um username e senha para a autenticação do CHAP (Challenge Handshake Authentication Protocol). Além disso, você também pode configurar um alvo iSCSI para autenticar o iniciador do iSCSI no sistema para o qual o alvo é anexado (reverse CHAP), ambos para a descoberta e para a sessão. Juntos, o CHAP e o reverse CHAP são chamados de CHAP mútuo ou CHAP de duas vias. O CHAP mútuo fornece o maior nível de segurança para as conexões do iSCSI, especialmente se o username e senha são diferentes para a autenticação do CHAP e autenticação do reverse CHAP.
Repita a descoberta do iSCSI e os passos de login do iSCSI quantas vezes for necessário para adicionar todo o armazenamento do iSCSI requerido. No entanto, você não pode mudar o nome do iniciador do iSCSI após tentar descobrir pela primeira vez. Para mudar o nome do iniciador do iSCSI, você precisa reiniciar a instalação.

Procedimento 9.1. iSCSI discovery

Use o diálogo iSCSI Discovery Details para fornecer informações ao anaconda que ele precisa para descobrir o alvo iSCSI.
O diálogo de Detalhes sobre o iSCS Discovery

Figura 9.12. O diálogo de Detalhes sobre o iSCS Discovery

  1. Insira o endereço IP do alvo iSCSI no campo Target IP Address.
  2. Forneça um nome no campo iSCSI Initiator Name para o iniciador iSCSI no formato nome qualificado do iSCSI (IQN)
    Um IQN válido contém:
    • a faixa iqn. (note o período)
    • um código de dados que especifica o ano e mês no qual o domínio da Internet ou nome do subdomínio de sua empresa foi registrado, representado em quatro dígitos para o ano, um traço, e dois dígitos para o mês, seguido de um período. Por exemplo, representa Setembro, 2010 como 2010-09..
    • o domínio ou nome do subdomínio da Internet de sua empresa, apresentado em ordem contrária com o domínio de cima primeiro. Por exemplo, representa o subdomínio storage.example.com como com.example.storage
    • dois pontos seguidos por uma faixa que identifica de forma única este iniciador do iSCSI específico dentro do seu domínio ou subdomínio. Por exemplo, :diskarrays-sn-a8675309.
    Um IQN completo portanto se parece com: iqn.2010-09.storage.example.com:diskarrays-sn-a8675309,e o anaconda pre-popula o campo iSCSI Initiator Name com um nome neste formato para ajudá-lo com a estrutura.
    Para mais informações sobre os IQNs, consulte o 3.2.6. iSCSI Names no RFC 3720 - Internet Small Computer Systems Interface (iSCSI) disponível em http://tools.ietf.org/html/rfc3720#section-3.2.6 e 1. iSCSI Names and Addresses em RFC 3721 - Internet Small Computer Systems Interface (iSCSI) Naming and Discovery disponível em http://tools.ietf.org/html/rfc3721#section-1.
  3. Use o menu suspenso para especificar o tipo de autenticação a usar para o iSCSI discovery:
    autenticação do discovery iSCSI

    Figura 9.13. autenticação do discovery iSCSI

    • no credentials
    • CHAP pair
    • CHAP pair e um reverse pair
    • Se você selecionou o CHAP pair como o tipo de autenticação, forneça o username e senha para o alvo iSCSI nos campos CHAP Username e CHAP Password
      CHAP pair

      Figura 9.14. CHAP pair

    • Se você selecionou CHAP pair e um reverse pair como o tipo de autenticação, forneça o username e senha para o alvo iSCSI nos campos CHAP Username e CHAP Password e o username e senha para o iniciador do iSCSI nos campos Reverse CHAP Username e Reverse CHAP Password.
      CHAP pair e um reverse pair

      Figura 9.15. CHAP pair e um reverse pair

  4. Clique em Start Discovery. O Anaconda tenta descobrir um alvo iSCSI baseado nas informações que você forneceu. Se o discovery for bem sucedido, o diálogo iSCSI Discovered Nodes apresentará uma lista de todos os nós iSCSI descobertos no alvo.
  5. Cada nó é apresentado com uma caixa de seleção ao lado. Clique nesta caixa para selecionar os nós a usar para a instalação.
    O diálogo de Login dos Nós iSCSI

    Figura 9.16. O diálogo de Login dos Nós iSCSI

  6. Clique em Login para iniciar uma sessão do iSCSI.

Procedimento 9.2. Iniciando uma sessão iSCSI

Use o diálogo iSCSI Nodes Login para fornecer o anaconda com informações que ele precisa para se autenticar nos nós nos alvos iSCSI e iniciar uma sessão iSCSI.
O diálogo de Login dos Nós iSCSI

Figura 9.17. O diálogo de Login dos Nós iSCSI

  1. Utilize o menu suspenso para especificar o tipo de autenticação que se deve usar para a sessão iSCSI:
    autenticação da sessão iSCSI

    Figura 9.18. autenticação da sessão iSCSI

    • no credentials
    • CHAP pair
    • CHAP pair e um reverse pair
    • Use as credenciais do passo discovery
    Se seu ambiente usa o mesmo tipo de autenticação e o mesma username e senha para o iSCSI discovery e para a sessão iSCSI, selecione o Use as credenciais do passo discovery para reutilizar estas credenciais.
    • Se você selecionou o CHAP pair como o tipo de autenticação, forneça o username e senha para o alvo iSCSI nos campos CHAP Username e CHAP Password
      CHAP pair

      Figura 9.19. CHAP pair

    • Se você selecionou CHAP pair e um reverse pair como o tipo de autenticação, forneça o username e senha para o alvo iSCSI nos campos CHAP Username e CHAP Password e o username e senha para o iniciador do iSCSI nos campos Reverse CHAP Username e Reverse CHAP Password.
      CHAP pair e um reverse pair

      Figura 9.20. CHAP pair e um reverse pair

  2. Clique em Login. O Anaconda tentará se autenticar nos nós no alvo iSCSI baseado nas informações que você forneceu. O diálogo iSCSI Login Results lhe apresentará os resultados.
    O diálogo de Resultados do Login do iSCSI - iSCSI Login Results.

    Figura 9.21. O diálogo de Resultados do Login do iSCSI - iSCSI Login Results.

  3. Clique em OK para continuar.
9.6.1.1.3. Configure os Parâmetros FCoE
Para configurar um FCoE SAN, selecione Add FCoE SAN e clique em Add Drive.
No menu que aparece na próxima caixa de diálogos, selecione a interface de rede que está conectada ao seu plug FCoE e clique em Adicionar Discos do FCoE.
Configure os Parâmetros FCoE

Figura 9.22. Configure os Parâmetros FCoE

Data Center Bridging (DCB) é um conjunto de melhorias aos protocolos de Ethernet criados para aumentar a eficiência de conexões de Ethernet na rede de armazenamento e clusters. Habilita ou desabilita a conciência do instalador quanto ao DCB com a caixa de seleção neste diálogo.

9.7. Configurando o Hostname

A instalação solicitará que você forneça um nome de máquina para este computador como fully-qualified domain name (FQDN), no formato hostname.domainname ou como short host name no formato de hostname.. Muitas redes possuem o DHCP Dynamic Host Configuration Protocol que automaticamente fornece sistemas conectados com um nome de domínio. Para permitir que o DHCP atribua um nome de domínio à esta máquina, especifique o short host name,

Nota

Você pode nomear o seu sistema como quiser, desde que o nome de host completo seja único. O nome de host pode incluir letras, números e hífens.
Configurando o hostname

Figura 9.23. Configurando o hostname

Se o seu sistema Red Hat Enterprise Linux estiver ligado diretamente à Internet, você deverá ter atenção às considerações adicionais para evitar as interrupções de serviço ou as ações e risco do seu provedor de acesso à Internet. A discussão completa sobre este assunto esta fora do escopo deste documento.

Nota

O programa de instalação não configura modens. Configure estes dispositivos após a instalação com o utilitário Network. As configurações para seu modem são específicas para seu Provedor de Serviço de Internet (ISP) pessoal.

9.7.1. Editar as Conexões de Rede

Importante

Quando uma instalação do Red Hat Enterprise Linux 6 inicializa pela primeira vez, ele ativa qualquer interface de rede que você configurou durante o processo de instalação. No entanto, o instalador não lhe solicita que configure as interfaces de rede em alguns caminhos de instalação comuns, por exemplo, quando você instalar o Red Hat Enterprise Linux a partir de um DVD para um disco rígido local.
Quando você instalar o Red Hat Enterprise Linux de uma fonte de instalação local para um dispositivo de armazenamento local, certifique-se que há ao menos uma interface de rede manual se você precisar acessar a rede quando o sistema inicializar pela primeira vez.

Nota

Para mudar sua configuração de rede após ter concluído a instalação, use o Network Administration Tool.
Digite o comando system-config-network em uma solicitação de terminal para lançar o Network Administration Tool. Se você não for root, será solicitada uma senha root para continuar.
O Network Administration Tool agora está obsoleto e será substituído pelo NetworkManager durante o tempo de vida do Red Hat Enterprise Linux 6.
Para configurar uma conexão de rede manualmente, clique no botão Configurar Rede. O diálogo Conexões de Rede aparecerá e permitirá que você configure conexões a cabo, sem fio, banda larga móvel, VPN e DSL para o sistema usando a ferramenta Gerenciador de Rede. Infelizmente a descrição completa de todas as configurações possíveis com o Gerenciador de Rede está fora do escopo deste manual. Esta seção detalha somente o cenário mais comum de como configurar conexões a cabo durante a instalação. A configuração de outros tipos de rede é geralmente semelhante, no entanto os parâmetros específicos que você deve configurar diferem.
Conexões de Rede

Figura 9.24. Conexões de Rede

Para adicionar uma nova conexão ou para modificar ou remover uma conexão configurada anteriormente no processo de instalação, clique na aba que corresponde ao tipo de conexão. Para adicionar uma nova conexão deste tipo, clique em Adicionar. Para modificar uma conexão existente selecione-o na lista e clique em Editar. Em ambos os casos, uma caixa de diálogo aparecerá com um conjunto de abas que é adequado para o tipo de conexão específica, como descrito abaixo. Para remover uma conexão, selecione-a na lista e clique em Delete.
Depois que você terminar de editar as configurações de rede, clique em Apply para salvar a nova configuração. Se você reconfigurar um dispositivo que já foi ativado antes durante a instalação, você precisa reiniciar para usar a nova configuração. Consulte o Seção 9.7.1.6, “Reiniciar o dispositivo de rede”.

9.7.1.1. Opções comuns à todos os tipos de conexões

Certas opções de configurações são comuns para todos os tipos de conexões.
Especifique um nome para a conexão no campo do nome Nome da Conexão
Selecione Iniciar automaticamente para iniciar uma conexão automaticamente quando o sistema inicializar.
Quando o NetworkManager executar em um sistema instalado, a opção Disponível à todos os usuário controla se uma configuração de rede está disponível em todo o sistema ou não. Durante a instalação, certifique-se de que o Disponível à todos os usuários está ainda selecionado para todas as interfaces de rede que você configurou.

9.7.1.2. A aba de Cabo

Use a aba A Cabo para especificar ou mudar o endereço (MAC) media access control para o adaptador de rede, e se o conjunto de maximum transmission unit (MTU, em bytes) pode passar pela interface.
A aba de Cabo

Figura 9.25. A aba de Cabo

9.7.1.3. A aba de Segurança do 802.1x

Use a aba 802.1x Security para configurar o 802.1X port-based network access control (PNAC). Selecione o Use 802.1X security for this connection para controle de acesso e depois especifique detalhes de sua rede. As opções de configuração incluem:
Autenticação
Escolha um dos seguintes métodos de autenticação:
  • TLS para Transport Layer Security
  • Tunneled TLS para Tunneled Transport Layer Security,conhecido também como TTLS, ou EAP-TTLS
  • Protected EAP (PEAP) para Protected Extensible Authentication Protocol
Identidade
Fornece indentidade a este servidor.
Certificado de Usuário
Navegue pelo arquivo de Certificado X.509 codificado com Distinguished Encoding Rules (DER) ou Privacy Enhanced Mail (PEM).
Certificado CA
Vá ao arquivo do certificado X.509 autoridade de certificado codificado com Distinguished Encoding Rules (DER) ou Privacy Enhanced Mail (PEM).
Chave privada
Vá ao arquivo chave privada codificado com o Distinguished Encoding Rules (DER), Privacy Enhanced Mail (PEM), ou Personal Information Exchange Syntax Standard (PKCS#12).
Senha da Chave Privada
A senha para a chave privada especificada no campo Chave Privada. Selecione a Mostrar Senha para tornar a senha visível a medida que a digita.
A aba de Segurança do 802.1x

Figura 9.26. A aba de Segurança do 802.1x

9.7.1.4. A Aba de Configurações do IPv4

Use a aba aba de configurações do IPv4 para configurar os parâmetros do IPv4 para a conexão de rede selecionada anteriormente.
Use o menu suspenso do Método para especificar quais as configurações o sistema deve tentar obter de um serviço (DHCP) Dynamic Host Configuration Protocol rodando na rede. Escolha a partir das seguintes opções:
Automatic (DHCP)
Parâmetros de IPv4 são configurados pelo serviço DHCP na rede.
Automatic (DHCP) somente endereços
O endereço IPv4, netmask e gateway são configurados pelo serviço DHCP na rede, mas os servidores de DNS e domínios de pesquisa devem ser configurados manualmente.
Manual
Os parâmetros de IPv4 são configurados manualmente para uma configuração estática.
pmente Link Local
Atribui-se à interfase um endereço de link local na classe 169.254/16.
Compartilhado com outros computadores
O sistema é configurado para fornecer acesso à rede à outros computadores. A interface recebe um endereço na classe 10.42.x.1/24, e inicia-se um servidor de DHCP e um servidor de DNS, e a interface é conectada à conexãod e rede default no sistema com o network address translation (NAT).
Disabilitado
O IPv4 é desabilitado para esta conexão.
Se você selecionou um método que requer que você forneça parâmetros manuais, insira detalhes do endereço IP para esta interface, a netmask e o gateway no campo Addresses. Use os botões Add e Delete para adicionar ou remover endereços. Insira uma lista separada por vírgulas dos servidores no campo DNS servers, uma lista separada por vírgulas dos domínios no campo Search domains para qualquer domínio que você inclua nas buscas de servidor do nome.
Como forma opcional, insira um nome para esta conexão de rede no campo DHCP client ID. Este nome deve ser único na subrede. Quando você atribuir um ID de cliente DHCP significativo, é fácil de identificar esta conexão quando resolver problemas de rede.
Desselecione a caixa Endereço de IPv4 é necessário para a conclusão desta conexão para permitir que o sistema faça esta conexão em uma rede de IPv6 habilitada se a configuração do IPv4 falhar mas a configuração do IPv6 for bem sucedida.
A Aba de Configurações do IPv4

Figura 9.27. A Aba de Configurações do IPv4

9.7.1.4.1. Editando rotas de IPv4
Red Hat Enterprise Linux configura diversas rotas automaticamente, baseado no endereço IP de um dispositivo. Para editar rotas adicionais, clique em Routes . O diálogo Editing IPv4 routes aparecerá.
O diálogo de Edição da Rota do IPv4

Figura 9.28. O diálogo de Edição da Rota do IPv4

Clique em Adicionar para adicionar o endereço IP, netmask, gateway e medidas para uma rota de estatística nova.
Selecione o Ignore rotas obtidas automaticamente para fazer com que a interface use somente as rotas especificadas para a mesma.
Selecione Use esta conexão somente para recursos em sua rede para restringir as conexões somente para rede local.

9.7.1.5. A aba de configurações IPv6

Use a aba Aba de Configurações do IPv6 para configurar os parâmetros do IPv6 para a conexão de rede selecionada anteriormente.
Use o menu suspenso do Método para especificar quais as configurações o sistema deve tentar obter de um serviço (DHCP) Dynamic Host Configuration Protocol rodando na rede. Escolha a partir das seguintes opções:
Ignore
IPv6 é ignorado nesta conexão
Automático
NetworkManager usa router advertisement (RA) para criar uma configuração sem estado, automática.
Endereço Automático, somente
O NetworkManager usa o RA para criar uma configuração sem estado automática, mas os servidores do DNS e domínios de busca são ignorados e devem ser configurados manualmente.
Endereço Automático, somente DHCP
O NetworkManager não usa o RA, mas requer informações do DHCPv6 diretamente para criar uma configuração com estado.
Manual
Os parâmetros do IPv6 são configurados para uma configuração estática.
pmente Link Local
Um endereço link-local com o prefixo fe80::/10 é atribuído à interface.
Se você selecionou um método que requer que você forneça parâmetros manuais, insira detalhes do endereço IP para esta interface, a netmask e o gateway no campo Addresses. Use os botões Add e Delete para adicionar ou remover endereços. Insira uma lista separada por vírgulas dos servidores no campo DNS servers, uma lista separada por vírgulas dos domínios no campo Search domains para qualquer domínio que você inclua nas buscas de servidor do nome.
Como forma opcional, insira um nome para esta conexão de rede no campo DHCP client ID. Este nome deve ser único na subrede. Quando você atribuir um ID de cliente DHCP significativo, é fácil de identificar esta conexão quando resolver problemas de rede.
Desselecione a caixa de diálogo Requer o endereçamento do IPv6 para esta conexão ser concluído para permitir que o sistema faça esta conexão em uma rede habilitada de IPv4 falhar mas a configuração do IPv4 é bem sucedida.
A aba de configurações IPv6

Figura 9.29. A aba de configurações IPv6

9.7.1.5.1. Editando as rotas do IPv6
O Red Hat Enterprise Linux configura um número de rotas baseadas automaticamente nos endereços de IP de um dispositivo. Para editar rotas adicionais, clique em Rotas. A caixa de diálogo Editando as rotas IPv6 aparecerá.
A caixa de diálogo Editando Rotas do IPv6

Figura 9.30. A caixa de diálogo Editando Rotas do IPv6

Clique em Adicionar para adicionar o endereço IP, netmask, gateway e medidas para uma rota de estatística nova.
Selecione Use esta conexão somente para recursos em sua rede para restringir as conexões somente para rede local.

9.7.1.6. Reiniciar o dispositivo de rede

Se você reconfigurar uma rede que já foi usada durante a instalação, você precisa desconectar e reconectar o dispositivo no anaconda para as mudanças tomarem efeito. O Anaconda usa os arquivos de configuração de interface (ifcfg) para comunicar com o NetworkManager. Um dispositivo se torna disconectado quando seu arquivo ifcfg é removido, e é reconectado quando seu arquivo ifcfg é recuperado, desde que ONBOOT=yes seja definido. Consulte o Red Hat Enterprise Linux 6 Deployment Guide disponível em https://access.redhat.com/knowledge/docs/ para mais informações sobre os arquivos de configuração da interface.
  1. Pressione Ctrl+Alt+F2 para mudar para terminal virtual tty2.
  2. Mova o arquivo de configuração de interface para um local temporário:
    mv /etc/sysconfig/network-scripts/ifcfg-device_name /tmp
    where device_name é o dispositivo que você acabou de reconfigurar. Por exemplo, ifcfg-eth0 é o arquivo ifcfg para eth0.
    O dispositivo está agora desconectado em anaconda.
  3. Abra o arquivo de configuração da interface no editor vi:
    vi /tmp/ifcfg-device_name
  4. Verifique se o arquivo de configuração da interface contém a linha ONBOOT=yes. Se o arquivo não possuir esta linha, adicione-a agora e salva o arquivo.
  5. Saia do editor de texto vi.
  6. Mova o arquivo de configuração de interface de volta ao diretório /etc/sysconfig/network-scripts/:
    mv /tmp/ifcfg-device_name /etc/sysconfig/network-scripts/
    O dispositivo está agora reconectado em anaconda.
  7. Pressione o Ctrl+Alt+F6 para retornar ao anaconda.

9.8. Configuração do Fuso Horário

Determine seu fuso horário selecionando a cidade mais próxima da localidade física do seu computador. Clique no mapa para ampliar uma região geográfica específica.
Especifique a zona de horário até mesmo se você planeja usar o NTP (Network Time Protocol) para manter a consistência do relógio do sistema.
Aqui, você pode selecionar o seu fuso horário de duas maneiras:
  • Usando seu mouse no mapa interativo, você pode selecionar uma cidade específica (representada por um ponto amarelo). Um X vermelho aparece indicando sua seleção.
  • Você também pode rolar a lista na parte inferior da tela para selecionar seu fuso horário. Usando seu mouse, clique numa localidade para destacar sua seleção.
Configuração do Fuso Horário

Figura 9.31. Configuração do Fuso Horário

Se o Red Hat Enteprise LInux é o único sistema operacional em seu computador, selecione System clock uses UTC. O relógio do sistema é uma parte do hardware em seu sistema de computador. O Red Hate Enterprise Linux usa a configuração do timezone para determinar a diferença entre o horário local e o UTC no relógio do sistema. Este comportamento é padrão para sistemas que usam o UNIX, Linux e sistemas operacionais semelhantes.
Clique no botão Próximo para continuar.

Atenção

Não habilite a opção Relógio de sistema usa o UTC se sua máquina também executar o Microsoft Windows. O sistema operacional Microsoft muda o relógio BIOS para coincidir o horário local ao invés do UTC. Isto pode causar comportamento inesperado no Red Hat Enterprise Linux.

Nota

Para alterar a sua configuração de fuso horário após você ter completado a instalação, use a Ferramenta das Propriedades de Data e Hora.
Digite o comando system-config-date numa janela de comandos para executar a Ferramenta das Propriedades de Data e Hora. Se você não está como root, a ferramenta solicitará a senha do root para continuar.
Para rodar a Ferramenta das Propriedades de Data e Hora como um aplicativo baseado texto, use o comando timeconfig.

9.9. Configure a Senha Root

Definir uma conta e senha root é um dos passos mais importantes durante a sua instalação. A conta root é usada para instalar pacotes, atualizar RPMs e executar a maior parte da manutenção do sistema. Ao se autenticar como root, você terá total controle sobre seu sistema.

Nota

O usuário root (também conhecido como o superusuário) tem acesso completo ao sistema todo. Por esta razão, é melhor se autenticar como root somente para executar a manutenção ou a administração do sistema.
Senha Root

Figura 9.32. Senha Root

Use a conta root somente para administração do sistema. Crie uma conta além da root para seu uso geral e invoque o comando su para trocar para usuário root somente quando precisar realizar tarefas que requerem autorizaçãoo do superusuário. Estas regras básicas minimizam as chances de erros de digitação ou de comandos incorretos afetarem seu sistema.

Nota

Para se tornar root, digite su - no prompt de uma janela do terminal e então pressione Enter. Em seguida, insira a senha root e pressione Enter.
O programa de instalação pede que você defina uma senha root [2] para seu sistema. Você não pode seguir para o próximo estágio do processo de instalação sem inserir uma senha root.
A senha root deve ter no mínimo seis caracteres; a senha digitada não é exibida na tela. Você deverá digitar a senha duas vezes; se as duas senhas não coincidirem, o programa de instalação pedirá que você as digite novamente.
A senha root deve ser algo que você possa se lembrar, mas ao mesmo tempo algo que não seja fácil para alguém adivinhar. Seu nome, seu número de telefone, as primeiras letras do teclado, senha, root, 123456, e gato são exemplos de senhas ruins. Senhas boas misturam números com letras em caixa alta e baixa e não contém palavras de dicionário: Aard387vark ou 420BMttNT, por exemplo. Lembre-se que a senha é sensível à caixa alta ou baixa. Se você escrever a sua senha, guarde-a em um lugar seguro. No entanto, é recomendável não escrever esta ou qualquer outra senha que você criar.

Atenção

Não use nenhuma das senhas exemplificadas neste manual. Usar uma destas senhas é considerado um risco de segurança.
Para mudar sua senha root depois de concluir a instalação, use a Ferramenta de Senha Root.
Digite o comando system-config-users em uma janela de terminal para lançar o User Manager, um gerenciamento de usuário potente e ferramenta de configuração. Se você não for root, ele lhe solicitará a senha root para continuar.
Insira a senha de root no campo Senha de Root. Por motivos de segurança o Red Hat Enterprise Linux mostra os caracteres como asteriscos. Insira a mesma senha no campo Confirmação para garantir que está definida corretamente. Depois de definir a senha de root, selecione Seguinte para prosseguir.

9.10. Atribuir Dispositivos de Armazenamento

Se você selecionar mais de um dispositivo de armazenamento no sistema da tela de seleção dos dispositivos de armazenamento ( consulte Seção 9.6, “Dispositivos de Armazenamento”), o anaconda lhe pedirá que selecione qual destes dispositivos deve ficar disponível para a instalação do sistema operacional, e qual deve ser anexado somente ao sistema de arquivo para armazenamento de dados. Se vc selecionou somente os dispositivos de armazenamento, o anaconda não irá apresentar esta tela.
Durante a instalação, os dispositivos que você identifica aqui como sendo para dados de armazenamento somente, são montados como parte do sistema de arquivo, mas não são particionados ou formatados.
Atribuir dispositivos de armazenamento

Figura 9.33. Atribuir dispositivos de armazenamento

A tela é dividida em dois paineis. O painel da esquerda contém uma lista de dispositivos a serem usados somente para armazenamento de dados. O painel da direita contém uma lista de dispositivos que estarão disponíveis para instalação do sistema operacional.
Cada lista contém informações sobre os dispositivos para ajudá-lo a identificá-los. Um menu suspenso pequeno marcado com um ícone, está localizado à direita dos cabeçalhos de coluna. Este menu permite que você selecione os tipos de dados apresentados em cada dispositivo. Ao reduzir ou expandir a quantia de informações apresentadas, pode ajudá-lo ao identificar dispositivos particulares.
Mova um dispositivo de uma lista para a outra, clicando no dispositivo, depois clicando tanto no botão rotulado com a seta que aponta para a esquerda para movê-lo para a lista de dispositivos de armazenamento ou o botão rotulado com uma seta que aponta da direita para movê-lo para a lista de dispositivos disponíveis para a instalação do sistema operacional.
A lista de dispositivos disponível como alvos de instalação, também incluem o botão de seleção ao lado de cada dispositivo. Use este botão para especificar o dispositivo que você deseja usar como o dispositivo de inicialização para o sistema.

Importante

Se algum dispositivo de armazenamento contiver um carregador de inicialização que carregará a corrente do carregador de inicialização do Red Hat Enterprise Linux, inclua este dispositivo de armazenamento no Instalar Dispositivos Alvo. Os dispositivos de armazenamento que você identifica como Instalar Dispositivos Alvo continuam visíveis para o anaconda durante a configuração de carregador de inicialização.
Os dispositivos de armazenamento que você identifica como Instalar Dispositivos de Alvo nesta tela não são apagados automaticamente pelo processo de instalação a menos que você tenha selecionado a opção Usar Todo Espaço na tela de particionamento (consulte o Seção 9.13, “Configuração do Particionamento de Disco”).
Quando você tiver terminado de identificar os dispositivos a serem usados para a instalação, clique em Próximo para continuar.

9.11. Instalando um Disco Rígido

Se nenhuma tabela de partição legível for encontrada em discos rígidos, o programa de instalação pede para inicializar o disco rígido. Esta operação torna qualquer dados existentes em ilegíveis de disco rígido. Se seu sistema possuir um disco rígido novo sem um sistema operacional instalado ou se você removeu todas as partições no disco rígido clique em Re-initialize drive.
O programa de instalação lhe apresenta com um diálogo separado para cada disco, no qual não poderá ler uma tabela de partição válida. Clique em Ignorar todos ou Re-inicializar todos para aplicar a mesma resposta de todos os dispositivos.
Tela de aviso – inicializando disco rígido

Figura 9.34. Tela de aviso – inicializando disco rígido

Alguns sistemas RAID ou outras configurações não padrão podem ser ilegíveis para o programa de instalação e a solicitação para inicializar o disco rígido pode aparecer. O programa de instalação responde ao disco físico, estrutura-o e o detecta.
Para permitir inicialização automática de discos rígidos para o qual ele for necessário, use o comando do kickstart clearpart --initlabel (consulte o Capítulo 32, Instalações pelo Kickstart)

Atenção

Se você tiver um disco não padronizado que possa ser anexado durante a instalação e detectado e configurado posteriormente, desligue o sistema, desanexe-o e reinicie a instalação.

9.12. Fazendo o upgrade de um Sistema Existente

Importante

A Red Hat não suporta este no momento, e sendo mais preciso, a Red Hat não suporta atualizações in-loco entre qualquer versão principal do Red Hat Enteprise Linux. Uma versão principal é denotada por uma mudança de versão de número inteiro. Por exemplo, o Red Hat Enteprise Linux  5 e Red Hat Enterprise Linux 6 são versões principais do Red Hat Enteprise Linux.
Atualizações in-loco nas versões principais não preservam todas as configurações do sistema, serviços ou configurações padronizadas. Consequentemente, a Red Hat recomenda realizar novas instalações ao atualizar de uma versão principal para outra.
O sistema de instalação detecta automaticamente qualquer instalação existente do Red Hat Enterprise Linux. O proceso de upgrade atualiza o software do sistema existente com as novas versões, mas não remove qualquer dado de diretórios home de usuários. A estrutura de partição existente em seus discos rígidos, não mudam. Sua configuração de sistema muda somente se um upgrade de pacote demanda isto. A maioria dos upgrades de pacote não mudam a configuração do sistema, mas instalam um arquivo de configuração adicional para que você examine mais tarde.
Observe que o meio de instalação que você está utilizando pode não conter todos os pacotes de software que você precisa para fazer um upgrade de seu computador.

9.12.1. O Diálogo Upgrade

Se seu sistema contém uma instalação Red Hat Enterprise Linux, um diálogo aparece perguntando se você deseja fazer um upgrade desta instalação. Para realizar um upgrade de um sistema existente, escolha a instalação adequada a partir da lista suspensa e selecione o botão Next.
O Diálogo Upgrade

Figura 9.35. O Diálogo Upgrade

Nota

O Software que você instalou manualmente em seu sistema do Red Hat Enterprise Linux pode se comportar de maneira diferente após um upgrade. Você pode precisar reinstalar manualmente ou recompilar este software após um upgrade para assegurar que ele funciona bem em sistemas atualizados.

9.12.2. Fazendo o upgrade usando o instalador.

Nota

Em geral, a Red Hat recomenda que você mantenha dados de usuário em uma partição separada /home e realiza uma nova instalação. Para mais informações sobre partições e como configurá-las, consulte a Seção 9.13, “Configuração do Particionamento de Disco”.
Se você escolher fazer um upgrade de seu sistema usando o programa de instalação, qualquer software que não seja fornecido pelo Red Hat Enterprise Linux que entra em conflito com o software do Red Hat Enterprise Linux, é sobrescrito. Antes que você começe um upgrade desta forma, faça uma lista de seus pacotes atuais de sistema para uma verificação mais tarde:
rpm -qa --qf '%{NAME} %{VERSION}-%{RELEASE} %{ARCH} ' > ~/old-pkglist.txt
Após a instalação, consulte esta lista para descobrir quais pacotes você pode precisar para reconstruir ou recuperar das fontes sem ser da Red Hat.
Depois, faça um backup de qualquer dado de configuração de sistema:
su -c 'tar czf /tmp/etc-`date +%F`.tar.gz /etc' 
su -c 'mv /tmp/etc-*.tar.gz /home'
Faça um backup completo dos dados importantes antes de realizar um upgrade. Os dados importantes podem incluir o conteúdo de todo seu diretório /home assim como o conteúdo de serviços como o Apache, FTP, ou servidor SQL ou um sistema de gerenciamento de código fonte. Embora os upgrades não sejam destrutivos, se você realizar um inadequadamente existe uma pequena possibilidade de perda de dados.

Atenção

Observe que os exemplos acima armazenam materiais de backup em um diretório /home. Se seu diretório /home não é uma partição separada, você não deve seguir estes exemplos verbatim! Armazene seus backups em outro dispositivo tal como discos de CD ou DVD ou um disco rígido externo.
Para mais informações sobre como completar o processo de upgrade mais tarde, consulte o Seção 35.2, “Concluindo uma Atualização”.

9.12.3. Fazendo o upgrade da Configuração do Carregador de Inicialização

Sua instalação completa do Red Hat Enterprise Linux deve ser registrada no boot loader para inicializar adequadamente. Um carregador de inicialização é o software em sua máquina onde está localizado e inicia o sistema operacional. Consulte o Apêndice E, O Carregador de Inicialização GRUB par mais informações sobre os carregadores de inicialização.
O Diálogo 'Carregador de Inicialização do Upgrade

Figura 9.36. O Diálogo 'Carregador de Inicialização do Upgrade

Se o carregador de inicialização existente foi instalado por uma distribuição Linux, o sistema de instalação pode modificá-lo para carregar o novo sistema Red Hat Enterprise Linux. Para atualizar o carregador de inicialização do Linux existente, selecione Update boot loader configuration. Isto é um comportamento padrão quando você atualiza uma instalação existente do Red Hat Enterprise Linux.
O GRUB é o sistema de inicialização padrão do Red Hat Enterprise Linux nas arquiteturas de 32 bits e 64 bits. Se sua máquina usa outro software de inicialização, como o BootMagic, System Commander, ou um inicializador instalado pelo Microsoft Windows, então a instalação do Red Hat Enterprise Linux Core não pode atualizá-lo. Nesse caso, selecione Pular atualização do gerenciador de inicialização. Quando o processo terminar, procure por ajuda na documentação de seu produto.
Instale um novo gerenciador de inicialização como parte de um processo de atualização somente se você tiver certeza que quer substituir o sistema existente. Se você instalar um novo gerenciador de inicialização, você pode não ser capaz de inicializar outros sistemas operacionais na mesma máquina até que configure o novo sistema. Selecione Criar nova configuração do gerenciador de inicialização para remover o gerenciador de inicialização existente e instalar o GRUB.
Depois de fazer sua seleção, clique em Próximo para continuar. Se você selecionou a opção Criar nova configuração de carregador de inicialização, consulte o Seção 9.17, “Configuração do Carregador de Inicialização do x86, AMD64, e Intel 64 ”. Se você escolheu atualizar ou pular a configuração de carregador de inicialização, a instalação continuará sem lhe pedir outra entrada.

9.13. Configuração do Particionamento de Disco

Atenção

É sempre bom fazer o backup de todos os dados contidos nos seus sistemas. Por exemplo, se você estiver atualizando ou criando um sistema de inicialização dupla, deverá fazer back up de todos os dados que queira guardar em seu(s) disco(s) rígido(s). Erros acontecem, e podem resultar na perda de todos os seus dados.

Importante

Se você instalar o Red Hat Enterprise Linux em modo texto, você poderá usar somente os esquemas de particionamento padrão descritos nesta seção. Você não poderá adicionar ou remover partições ou sistemas de arquivo além daqueles que o instalador adiciona ou remove automaticamente. Caso precise de um layout padronizado durante a instalação, realize uma instalação gráfica em uma conexão do VNC ou uma instalação do kickstart.
Além disso, opções avançadas como o LVM, sistemas de arquivo criptografados, e redefinição do tamanho dos sistemas de arquivos, estão disponíveis somente em modo gráfico e kickstart.

Importante

Se você tem uma placa RAID, esteja ciente de que alguns BIOSes não suportam a inicialização a partir da placa RAID. Em casos como este, a partição /boot/ deve ser criada em uma partição fora do conjunto RAID, como em um dispositivo separado. É necessário o uso de um disco rígido interno para a criação de partições com placas RAID problemáticas.
Uma partição /boot/ também é necessária para configurações com RAID por software.
Se você escolheu particionar seu sistema automaticamente, deve selecionar Rever e editar manualmente a sua partição /boot.
O particionamento permite que você divida o seu disco rígido em seções isoladas, onde cada seção funciona como se fosse um disco rígido. O particionamento é especialmente útil caso você rode vários sistemas operacionais. Se você não souber ao certo como gostaria de particionar o seu sistema, leia o Apêndice A, Introdução às Partições de Disco para maiores informações.
Configuração do Particionamento de Disco

Figura 9.37. Configuração do Particionamento de Disco

Nesta tela você pode escolher criar o layout do particionamento padrão de uma ou quatro formas diferentes ou escolher particionar dispositivos de armazenamento manualmente para criar um layout padronizado.
As primeiras três opções permitem que você execute uma instalação automática sem precisar particionar seu(s) disco(s) rígido(s) manualmente. Se você não estiver familiarizado com o particionamento de seu sistema, escolha uma destas opções e deixe que o programa de instalação particione os dispositivos de armazenamento para você. Dependendo da opção que você escolher, você pode ainda controlar os dados (se houver algum) que serão removidos do sistema.
Suas opções são:
Use Todo o Espaço
Selecione esta opção para remover todas as partições em seus discos rígidos (isto inclui partições criadas por outros sistemas operacionais tais como Windows, VFAT ou NTFS)

Atenção

Se você selecionar esta opção, todos os dados nos discos rígidos selecionados serão removidos pelo programa de instalação. Não selecione esta opção se você tiver informações que deseje manter no hard drive onde você estiver instalando o Red Hat Enterprise Linux.
Principalmente, não selecione esta opção quando você configurar um sistema para carregar em massa o carregador de inicialização do Red Hat Enterprise Linux a partir do carregador de Inicialização.
Substituir Sistema(s) Linux Existente(s)
Selecione esta opção para remover somente as partições criadas por instalações Linux anteriores. Isto não remove outras partições que você pode possuir em seus hard drives (tal como partições VFAT ou FAT32).
Diminuir o Sistema Atual
Selecione esta opção para redefinir o tamanho de seus dados e partições atuais manualmente e instalar um layout do Red Hat Enterprise Linux padrão no espaço livre.

Atenção

Se você diminuir partições nos quais outros sistemas operacionais estão instalados, você pode não conseguir usar estes sistemas operacionais. No entanto, esta opção de particionamento não destrói dados, sistemas operacionais geralmente precisam de um pouco de espaço livre nestas partições. Antes de redefinir o tamanho de uma partição que retém um sistema operacional que você possa precisar usar novamente, encontre a quantidade de espaço que você necessita para deixar livre.
Usar Espaço Livre
Selecionar esta opção para reter seus dados e partições atuais e instalar o Red Hat Enterprise Linux no espaço disponível não utilizado nos drives de armazenamento. Certifique-se se há espaço disponível suficiente nos drives de armazenamento antes de selecionar esta opção - consulte Seção 3.4, “Você Tem Espaço Suficiente em Disco?”.

Atenção

Se seu sistema x86 64-bit usa o UEFI ao invés do BIOS, você precisará criar manualmente uma partição /boot. Esta partição deve ter um sistema de arquivo ext3. Se você escolher partir automaticamente, seu sistema não inicializará.
Criar Layout Padronizado
Selecionar esta opção para particionar dispositivos de armazenamento e criar layouts padronizados. Consulte o Seção 9.15, “Criando um Layout Padronizado ou Modificando o Layout Padrão”
Escolha seu método de particionamento preferido clicando no botão de seleção à esquerda de sua descrição na caixa de diálogo.
Selecione a opção Sistema criptografado para criptografar todas as partições, exceto a partição /boot. Consulte Apêndice C, Critografia de disco para mais informações sobre criptografia.
Para rever e efetuar as alterações necessárias nas partições criadas pelo particionamento automático, selecione a opção Rever. Após selecionar Rever e clicar em Próximo para seguir adiante, você verá as partições criadas para você com o anaconda. Você pode efetuar modificações nestas partições caso elas não supram as suas necessidades.

Importante

Para configurar o carregardor de inicialização do Red Hat Enterprise Linux para carregar a corrente de um carregador diferente, você precisa especificar o drive de inicialização manualmente. Se você escolher qualquer opção de particionamento automática, você precisa selecionar agora a opção Rever e modificar o layout do particionamento antes de clicar em Próximo ou vocẽ não poderá especificar o drive de inicialização correto.

Importante

Quando você instalar o Red Hat Enterprise Linux 6 em um sistema com dispositivos de armazenamento multipath e não-multipath, o layout do particionamento automático no instalador deve criar grupos de volume que contenham uma mistura dos dos dispositivos. Isto reassegura o propósito do armazenamento multipath.
Recomendamos que você selecione somente o multipath ou somente o não multipath como dispositivo na tela de seleção do disco que aparecerá após selecionar o particionamento automático. Como forma alternativa, selecione o particionamento padronizado.
Após ter feito suas seleções, clique em Próximo para prosseguir.

9.14. Criptografar Partições

Se você selecionou a opção Criptografar Sistema, o instalador lhe pede por uma frase-senha com a qual irá criptografar partições no sistema.
As partições são criptografadas usando o Linux Unified Key Setup — consulte o Apêndice C, Critografia de disco para mais informações.
Inserir frase-senhas para partição criptografada

Figura 9.38. Inserir frase-senhas para partição criptografada

Escolha uma frase-senha e digite-a em cada um dos campos na caixa de diálogo. Você precisa fornecer esta frase-senha todas as vezes que o sistema inicializar.

Atenção

Se você perder esta senha, qualquer partição criptografada e dados neles serão totalmente bloqueados. Não existe uma forma de recuperar uma senha perdida.
Observe que se você realizar uma instalação do kickstart do Red Hat Enterprise Linux, você pode salvar senhas criptografadas e criar senhas criptografadas de backup durante a instalação. Consulte o Seção C.3.2, “Salvando frase-senha” e Seção C.3.3, “Criando e Salvando um backup das frase-senhas.”.

9.15. Criando um Layout Padronizado ou Modificando o Layout Padrão

Se você optou por uma das quatro opções de particionamento automático e não selecionou Rever, vá para a Seção 9.18, “Seleção do Grupo de Pacotes”.
Se você optou por uma das opções de particionamento automático e selecionou Rever, você pode ou aceitar a configuração atual das partições (clicando em Próximo), ou modificar a configuração manualmente na tela de particionamento.
Se você optou por um layout personalizado, você deve indicar ao programa de instalação onde instalar o Red Hat Enterprise Linux. Isto é feito através da definição de pontos de montagem para uma ou mais partições de disco nas quais o Red Hat Enterprise Linux deve ser instalado. Talvez você também precise criar e/ou remover partições à esta altura.

Atenção

Se seu sistema x86 64-bit usa o UEFI ao invés do BIOS, você precisará criar manualmente uma partição /boot. Esta partição deve ter um sistema de arquivo ext3. Se você escolher partir automaticamente, seu sistema não inicializará.
Se você ainda não planejou como configurar as suas partições, consulte o Apêndice A, Introdução às Partições de Disco e a Seção 9.15.5, “Esquema de Particionamento Recomendado”. Você precisa de pelo menos uma partição root de tamanho adequado e uma partição swap com um tamanho duas vezes maior do que a quantidade de RAM disponível no seu sistema.
Com exceção de algumas raras situações, o Anaconda pode atender aos requisitos de particionamento de uma instalação típica.
Particionando em x86, AMD64 e Sistemas Intel 64

Figura 9.39. Particionando em x86, AMD64 e Sistemas Intel 64

A tela contém dois paineis. O painel de cima contém uma representação gráfica do hard drive, volume lógico ou dispositivo RAID selecionado no painel baixo.
Acima da representação gráfica do dispositivo, você poderá rever o nome do drive (como o /dev/sda or LogVol00), seu tamanho (em MB) e seu modelo como detectado pelo programa de instalação.
Usando seu mouse, clique uma vez para destacar um campo específico na tela. Clique duas vezes para editar uma partição existente ou para criar uma partição a partir de espaço livre existente.
O painel mais baixo contém uma lista de todos os drives, volumes lógicos e dispositivos RAID a serem usados durante a instalação, como especificado anteriormente no processo de instalação, consulte o Seção 9.10, “Atribuir Dispositivos de Armazenamento”
Dispositivos são agrupados por tipo. Clique nos triângulos pequenos à esquerda de cada tipo de dispositivo para visualizar ou esconder dispositivos deste tipo.
Anaconda exibe diversos detalhes para cada dispositivo listado:
Dispositivo
o nome do dispositivo, volume lógico, ou partição
Tamanho (MB)
o tamanho do dispositivo, volume lógico, ou partição (em MB)
Ponto de montagem/RAID/Volume
o ponto de montagem (local dentro do sistema de arquivo) no qual a partição deve ser montada, ou o nome do RAID ou o grupo de volume lógico do qual é uma parte.
Tipo
o tipo da partição. Se a partição é padrão, este campo exibe o tipo de sistema de arquivo na partição (por exemplo, ext4). Caso contrário, ele indica que a partição é um volume físico (LVM), ou parte de um RAID por software
Formato
Uma marca nesta coluna indica que a partição será formatada durante a instalação.
Abaixo do painel baixo existem quatro botões: Create, Edit, Delete, e Reset.
Selecione um dispositivo ou partição, clicando nele tanto na representação gráfica no painel superior da lista no painel baixo, depois clique em um dos quatro botões para continuar as seguintes ações:
Criar
crie uma nova partição, volume lógico, ou RAID por software.
Editar
mude uma partição existente, volume lógico, ou RAID por software. Observe que você só poderá diminuir as partições como o botão Resize, e não aumentá-las.
Remover
remove uma partição, volume lógico ou RAID por software.
Redefinir
desfaz todas as mudanças feitas neste tela

9.15.1. Criar Armazenamento

O diálogo Criar Armazenamento permite que você crie novas partições de armazenamento, volumes lógicos e RAIDs por software. O Anaconda apresenta opções como disponíveis ou indisponíveis dependendo do armazenamento já presente no sistema ou configurado para transferir para o sistema.
Criar Armazenamento

Figura 9.40. Criar Armazenamento

Opções são agrupadas sob Criar Partição, Criar RAID por Software e Criar LVM

Criar Partição

Consulte Seção 9.15.2, “Adicionando Partições” para obter detalhes sobre o diálogo Adicionar Partição.

Criar RAID por Software

Consulte o Seção 9.15.3, “Criar RAID por Software” para mais detalhes.
  • Partição RAID - cria uma partição em espaço não alocado, para formar uma parte de um dispositivo de RAID por software. Para formar um dispositivo de RAID por software, duas ou mais partições de RAID devem estar disponíveis no sistema.
  • Dispositivo de RAID - combina duas ou mais partições de RAID em um dispositivo de RAID por software. Quando você escolhe esta opção, você pode especificar o tipo de dispositivo de RAID para criar (o nível do RAID. Esta opção está disponível somente quando duas ou mais partições de RAID estão disponíveis no sistema.)

Criar Volume Lógico LVM

  • Volume Físico LVM — cria um volume físico em espaço não alocado.
  • Grupo de Volume LVM — criar um grupo de volume a partir de um ou mais volumes físicos. Esta opção está disponível somente quando ao menos um volume físico está disponível no sistema.
  • Volume Lógico LVM - cria um volume lógico em um grupo de volume. Esta opção está disponível somente quando ao menos um grupo de volume está disponível no sistema.

9.15.2. Adicionando Partições

Para adicionar uma nova partição, selecione o botão Criar. Uma caixa de diálogo aparece (consulte a Figura 9.41, “Criando uma Nova Partição”).

Nota

Você deve dedicar pelo menos uma partição para esta instalação, e, opcionalmente, mais de uma. Para mais informações, consulte o Apêndice A, Introdução às Partições de Disco.
Criando uma Nova Partição

Figura 9.41. Criando uma Nova Partição

  • Ponto de Montagem: Indique o ponto de montagem da partição. Por exemplo, se for uma partição raiz, indique /; indique /boot para a partição /boot e assim por diante. Você também pode usar o menu suspenso para escolher o ponto de montagem correto da sua partição. Para uma partição de troca, o ponto de montagem não deve ser selecionado - basta configurar o tipo do sistema de arquivos para swap.
  • Tipo de Sistema de Arquivo: Usando o menu suspenso, selecione o sistema de arquivos apropriado para esta partição. Para mais informações sobre tipos de sistemas de arquivos, consulte a Seção 9.15.2.1, “Tipos de Sistema de Arquivos”.
  • Drives Permitidos: Este campo contém uma lista de discos rígidos instalados em seu sistema. Se a caixa de um disco rígido estiver assinalada, então a partição desejada pode ser criada neste disco. Se a caixa não estiver assinalada, então a partição nunca será criada neste disco rígido. Ao utilizar configurações diferentes nas caixas de verificação, você pode usar o anaconda para alocar as partições onde precisar ou deixar que o anaconda decida onde alocá-las.
  • Tamanho (MB): Indique o tamanho da partição (em megabytes). Note que este campo começa com 200 MB; portanto se não for alterado, será criada uma partição de apenas 200 MB.
  • Opções Adicionais de Tamanho: Escolha se você deseja manter esta partição com tamanho fixo, permitir que ela "cresça" (preenchendo o espaço disponível do disco rígido) até um certo ponto, ou permitir que ela "cresça" preenchendo todo espaço disponível no disco rígido.
    Se escolher Preencher todo espaço até (MB), você deve indicar as restrições de tamanho no campo à direita desta opção. Isto permite a você deixar uma certa quantidade de espaço livre em seu disco rígido para usar futuramente.
  • Forçar partição primária: Selecione se você quiser que a partição que você estiver criando seja uma das primeiras quatro partições no disco rígido. Se não for selecionado, a partição é criada como uma partição lógica. Consulte a Seção A.1.3, “Partições dentro de Partições — Uma Visão Geral de Partições Estendidas”, para mais informações.
  • Encrypt: Escolha se deseja criptografar a partição, assim os dados armazenados nele não podem ser acessados sem uma frase senha, até mesmo se o dispositivo de armazenamento for conectado à outro sistema. Consulte o Apêndice C, Critografia de disco para mais informações sobre criptografia de dispositivos de armazenamento. Se você selecionar esta opção, o instalador solicitará que você forneça uma frase senha antes dele gravar a partição em um disco.
  • OK: Selecione OK quando você estiver satisfeito com as configurações e quiser criar a partição.
  • Cancelar: Selecione Cancelar se você não quiser criar a partição.

9.15.2.1. Tipos de Sistema de Arquivos

O Red Hat Enterprise Linux permite que você crie tipos diferentes de partições baseadas no sistema de arquivos que elas utilizarão. A seguir, veja uma breve descrição dos tipos diferentes de sistemas de arquivos disponíveis e como eles podem ser utilizados.

Tipo de partição

  • standard partition — Uma partição padrão pode conter um sistema de arquivo ou espaço swap, ou ele pode fornecer um container para RAID por software ou um volume físico LVM.
  • swap — Partições de troca (swap) são usadas para suportar a memória virtual. Em outras palavras, dados são gravados em uma partição de troca quando não há RAM suficiente para armazenar os dados sendo processados pelo seu sistema. Consulte o Red Hat Enterprise Linux Deployment Guide para maiores informações.
  • RAID por software — A criação de duas ou mais partições de RAID por software permite que você crie um dispositivo RAID. Para maiores informações sobre RAID, consulte o capítulo RAID (Redundant Array of Independent Disks) no Red Hat Enterprise Linux Deployment Guide.
  • volume físico (LVM) — A criação de um ou mais partições de volumes físicos (LVM) permite que você crie um volume lógico LVM. O LVM podem melhorar o desempenho de discos físicos. Para maiores informações sobre o LVM, consulte o Red Hat Enterprise Linux Deployment Guide.

Sistemas de Arquivo

  • ext4 — O sistema de arquivos ext4 é baseado no sistema de arquivos ext3 e tem inúmeras melhorias. Entre elas se encontra o suporte para sistema de arquivos maiores e alocação de espaço de disco de arquivos maiores, mais rápido e mais eficiente, sem limite no número de subdiretórios dentro de um diretório, verificação de sistema de arquivos mais rápida e um agendamento mais robusto. O sistema de arquivo ext4 é selecionado por padrão e é altamente recomendado.
  • ext3 — O sistema de arquivos ext3 é baseado no sistema de arquivos ext2 e tem uma vantagem principal — o journaling. O uso de um sistema de arquivos com journaling reduz o tempo gasto com sua recuperação após ele travar, já que não é necessário usar o fsck [3] no sistema de arquivo.
  • ext2 — Um sistema de arquivos ext2 suporta arquivos do tipo Unix (arquivos normais, diretórios, links simbólicos, etc). Possibilita a atribuição de nomes longos para arquivos, de até 255 caracteres.
  • xfs — XFS é altamente escalável, sistema de arquivo de alto desempenho que suporta os sistemas de arquivo em até 16 exabytes (aproximadamente 16 milhões terabytes), arquivos com até 8 exabytes (aproximadamente 8 milhões terabytes) e estruturas de diretórios contendo dezenas de milhões de entradas. O XFS suporta o agendamento de metadados, o qual facilita a recuperação de travamentos mais rápido. O sistema de arquivo XFS também pode ser defragmentado e ter seu tamanho redefinido enquanto é montado e ativado.
  • vfat — O sistema de arquivos VFAT é um sistema de arquivos do Linux compatível com os nomes de arquivos longos do Microsoft Windows no sistema de arquivos FAT.
  • Btrfs — Btrfs está sob desenvolvimento, pois um sistema de arquivo deve ser capaz de endereçar e gerenciar mais arquivos, arquivos maiores, e volumes maiores do que os sistemas de arquivo ext2, ext3 e ext4. Btrfs foi criado para tornar o sistema de arquivos mais tolerante quanto à erros e facilitar a detecção e reparo de erros quando eles ocorrerem. Ele usa o checksums para assegurar a validade dos dados e metadados, e manter os snapshots do sistema de arquivo, que podem ser usados para backup ou reparos.
    Como o Btrfs ainda está sob teste e em desenvolvimento, o programa de instalação não oferece-o por padrão. Se você quiser criar uma partição Btrfs em um drive, você precisa iniciar o processo de instalação com a opção de inicialização btrfs. Para obter instruções a respeito deste, consulte Capítulo 28, Opções de Inicialização

    Atenção

    O Red Hat Enterprise Linux 6 inclui o Btrfs como uma amostra de tecnologia para permitir que você teste este sistema de arquivos. Você não deve escolher o Btrfs para partições que irão conter dados valiosos ou que são essenciais para a operação de sistemas importantes.

9.15.3. Criar RAID por Software

Matrizes redundantes de discos independentes (RAIDs) são construídos de dispositivos de armazenamento múltiplo, arranjados para prover alto desempenho e, em algumas circunstâncias, maior tolerância à falhas. Consulte o Guia de Implementação do Red Hat Enterprise Linux para uma descrição de tipos diferentes de RAIDs.
Para criar um dispositivo RAID, você deve primeiro criar as partições de RAID por software. Após criar uma ou mais partições de RAID por software, selecione RAID para juntar as partições de RAID por software a um dispositivo RAID.
Partição RAID
Escolha esta opção para configurar uma partição para RAID por software. Esta opção é a única escolha disponível se seu disco não possuir nenhuma partição de RAID por software. Este é o mesmo diálogo que aparece quando você adiciona uma partição padrão, consulte o Seção 9.15.2, “Adicionando Partições” para obter uma descrição das opções disponíveis. Observe, no entanto, que o Tipo de Sistema de Arquivo deve ser configurado para software RAID.
Criar uma partição RAID por software

Figura 9.42. Criar uma partição RAID por software

RAID Device
Escolha esta opção para construir um dispositivo de RAID de dois ou mais partições de RAID por software existentes. Esta opção está disponível se duas ou mais partições de RAID por software foram configuradas.
Criar um dispositivo RAID

Figura 9.43. Criar um dispositivo RAID

Selecione o tipo de sistema de arquivo para uma partição padrão.
Anaconda sugere automaticamente um nome para o dispositivo de RAID, mas você poderá selecionar manualmente os nomes desde md0 até md15.
Clique nas caixas de seleção ao lado dos dispositivos de armazenamentos individuais para incluir ou removê-los deste RAID.
O RAID Level corresponde ao tipo particular de RAID. Escolha a partir das seguintes opções:
  • RAID 0 — distribui dados para os dispositivos de armazenamento múltiplos. O RAID Nível 0 oferece alto desempenho sob as partiçẽos padrão, e pode ser usado apra pool de armazenamento de dispositivos múltiplos em um dispositivo grande virtual. Observe que o RAID nível 0 não oferece redundância e a falha de um dispositivo na diretriz destrói toda a diretriz. O RAID 0 requer ao menos duas partições RAID.
  • O RAID 1 — espelha os dados em um dispositivo de armazenamento em um ou mais dispositivos de armazenamento. Dispositivos adicionais na diretriz fornece níveis avançados de redundância. O RAID 1 requer ao menos duas partições RAID.
  • O RAID 4 — distribui dados nos dispositivos de armazenamento múltiplos, mas usa um dispositivo na matriz para armazenar informações de paridade que asseguram a matriz no caso de qualquer dispositivo dentro da matriz falhar. Como todas as informações de paridade são armazenadas em um dispositivo, acesso à este dispositivo cria um limite no desempenho da matriz. O RAID 4 requer ao menos três partições de RAID.
  • RAID 5 — distribui dados e informações de paridade entre os dispositivos de armazenamento múltiplo. O RAID nível 5 oferece portanto as vantagens de desempenho de distribuição de dados para os dispositivos, mas não compartilha o desempenho bottleneck do nível 4 pois as informações de paridade são também distribuídas pela matriz. O RAID 5 requer ao menos três partições de RAID.
  • RAID 6 — RAIDs de nível 6 são semelhantes ao de nível 5, mas ao invés de armazenar somente um conjunto de dados de paridade, eles armazenam dois conjuntos. O RAID 6 requer ao menos quatro partições de RAID.
  • O RAID 10 — Os RAIDs de nível 10 são RAIDs aninhados ou RAIDs híbridos. Os RAIDs de nível 10 são construídos com a distribuição de dados sob os conjuntos espelhados de dispositivos de armazenamento. Por exemplo, o RAID de nível 10 construído de quatro partições de RAID, consistem em dois pares de partições no qual uma partição espelha a outra. Os dados são então distribuídos entre ambos os pares de dispositivo de armazenamento, como no nível RAID 0. O RAID 10 requer ao menos quatro partições de RAID.

9.15.4. Criar Volume Lógico LVM

Importante

A configuração inicial do LVM não está disponível na instalação no modo texto. Se você precisar criar uma configuração de LVM desde o início, pressione Alt+F2 para usar o terminal e execute o comando lvm. Para retornar à instalação de modo texto, pressione Alt+F1.
Gerenciamento de Volume Lógico (LVM), apresenta uma visualização lógica simples de espaço de armazenamento físico adjacente, tal como discos rígidos ou LUNs. As partições em armazenamento físico são representadas como volume físico as quais podem ser agrupadas em grupo de volume. Cada grupo de volume pode ser dividido em volumes lógicos múltiplos, cada qual análogo à uma partição de disco padrão. Por isso, a função dos volumes lógicos LVM é de partição que pode gerar discos físicos múltiplos.
Para ler mais a respeito do LVM, consulte o Red Hat Enterprise Linux Deployment Guide. Note que o LVM está disponível somente no programa de instalação gráfica.
Volume Físico LVM
Escolha esta opção para configurar uma partição ou dispositivo como um volume físico LVM. Esta opção é a única escolha disponível se seu armazenamento não possuir ainda Grupos de Volumes LVM. Este é o mesmo diálogo que aparece quando você adiciona uma partição padrão - Consulte o Seção 9.15.2, “Adicionando Partições” para uma descrição de opções disponíveis. Observe, no entanto, que Tipo de Sistema de Arquivo deve ser definido para volume físico (LVM)
Criar um Volume Físico LVM

Figura 9.44. Criar um Volume Físico LVM

Criar um Grupo de Volume LVM
Escolha esta opção para criar grupos de volume LVM a partir dos volumes físicos do LVM, ou para adicionar volumes lógicos existentes à um grupo de volume.
Criar Grupo de Volume LVM

Figura 9.45. Criar Grupo de Volume LVM

Para atribuir um ou mais volumes físicos à um grupo de volume, primeiro nomeie o grupo de volume. Depois selecione os volumes físicos a serem usados no grupo de volume. Depois, configure os volumes lógicos em qualquer grupo de volume usando as opções Adicionar, Editar e Remover.
Você não deve remover um volume físico de um grupo de volumes se isto deixar espaço insuficiente para aqueles volumes lógicos de grupos. Tome por exemplo um grupo de volume com até duas partições de volume físico com 5 GB, a qual contenha um volume lógico de 8 GB. O instalador não permitiria que você removesse os volumes físicos do componente, pois isto deixaria somente 5 GB no grupo para um volume lógico de 8 GB. Se você reduzir o tamanho total de qualquer volume lógico adequadamente, você pode então remover um volume físico do grupo de volume. No exemplo, a redução do tamanho do volume lógico para 4 GB permite que você remova um dos volumes físicos de 5 GB.
Criar Volume Lógico
Escolha esta opção para criar um volume lógico de LVM. Selecione um ponto de montagem, tipo de sistema de arquivo, e tamanho (em MB) como se fosse uma partição de disco padrão. Você também pode escolher um nome para o volume lógico e especificar o grupo de volume ao qual ele irá pertencer.
Criar um Volume Lógico

Figura 9.46. Criar um Volume Lógico

9.15.5. Esquema de Particionamento Recomendado

9.15.5.1. Sistemas x86, AMD64, e Intel 64

A não ser que você tenha uma razão para fazer diferentemente, nós recomendamos que você crie as seguintes partições para sistemas x86, AMD64, e Intel 64:
  • Uma partição swap
  • Uma partição /boot
  • Uma / partição
  • Uma partição home
  • Uma partição swap (pelo menos 256 MB) — partições swap são usadas para suportar a memória virtual. Em outras palavras, os dados são gravados numa partição swap quando não há memória RAM suficiente para armazenar os dados que seu sistema está porocessando.
    Nos utlimos anos, a quantia de espaço de swap recomendada aumentou com a quantia de RAM no sistema. Mas como a quantia de memória nos sistemas do modem aumentou em centenas de gigabytes, é agora reconhecido que a quantia de espaço swap que um sistem aprecisa é uma função da carga de trabalho da memória executando naquele sistema.
    O espaço swap geralmente é designado durante a instalação, mas determinar a carga de trabalho desta memória de um sistema neste ponto pode ser difícil. Durante a instalação do kickstart, você pode requisitar que a quantia do espaço swap seja definida automaticamente (consulte o Seção 32.4, “Opções do Kickstart”.)
    No entanto, esta configuração não é precisamente calibrada para seu sistema, portanto use a seguinte tabela, caso você precise que a quantia de espaço swap seja definida mais precisamente.

    Tabela 9.2. Espaço de Swap do Sistema Recomendado.

    Quantia de RAM no Sistema Quantia Recomendada de Espaço de Swap
    4GB de RAM ou menos um mínimo de 2GB de espaço de swap
    4GB até 16GB de RAM um mínimo de 4GB de espaço de swap
    16GB até 64GB de RAM um mínimo de 8GB de espaço swap
    64GB até 256GB de RAM um mínimo de 16GB de espaço swap.
    256GB até 512GB de RAM um mínimo de 32GB de espaço swap
    Observe que você pode obter um desempenho melhor distribuindo o espaço de swap sob os dispositivos de armazenamento múltiplos, particularmente em sistemas com drives rápidos, controllers e interfaces.
  • Uma partição /boot/ (250 MB)

    A partição montada em /boot/ contém o kernel do sistema operacional (o que permite que o seu sistema inicialize o Red Hat Enterprise Linux), assim como os arquivos usados durante o processo de bootstrap. Para a maioria dos usuários, uma partição de inicialização de 250 MB é suficiente.

    Importante

    O carregador de inicialização GRUB no Red Hat Enterprise Linux 6 suportam somente os sistemas de arquivos ext2, ext3 e ext4 (recomendado). Você não pode usar qualquer outro sistema de arquivo para o /boot, como o Btrfs, XFS ou VFAT.

    Nota

    Se o seu disco rígido tem mais de 1024 cilindros (e seu sistema foi fabricado há mais de dois anos), você pode precisar criar uma partição /boot/ se deseja que a partição / (raiz) use todo o espaço restante do seu disco rígido.

    Nota

    Se você tem uma placa RAID, esteja ciente de que alguns BIOSes não suportam a inicialização a partir da placa RAID. Em casos como este, a partição /boot/ deve ser criada em uma partição fora do conjunto RAID, como em um dispositivo separado, por exemplo.
  • Uma partição root (3.0 GB - 5.0 GB)

    Aqui localiza-se "/" (o diretório root). Nesta configuração, todos os arquivos (exceto aqueles armazenados em /boot) estão na partição root.

    Uma partição de 3.0 GB permite que você faça uma instalação mínima, enquanto uma partição root de 5.0 GB permite uma instalação completa, selecionando todos os grupos de pacotes.

    Importante

    A partição / (ou root) é o topo da estrutura do diretório. O diretório /root o diretório /root (as vezes pronunciado como "barra-root") é o diretório home da conta de usuário para administração de sistemas.
  • Uma partição home (com um mínimo de 100 MB)

    Para armazenar dados de usuário separadamente dos dados de sistema, crie uma partição dedicada dentro do grupo de volume para o diretório /home. Isto possibilitará que você atualize ou reinstale o Red Hat Enterprise Linux sem apagar arquivos de dados de usuário.

Muitos sistemas possuem mais partições do que o mínimo listado acima. Escolha partições baseadas em suas necessidades particulares de sistema. Consulte o Seção 9.15.5.1.1, “Adicionando Partições ” para mais informações.
Se você criar muitas partições, ao invés de uma partição grande / atualizações se tornam mais fáceis. Consulte a descrição da opção Editar em Seção 9.15, “Criando um Layout Padronizado ou Modificando o Layout Padrão” para obter mais informações.
A tabela a seguir sumariza tamanhos de partição mínimos para partições que contenham os diretórios listados. Você não precisa fazer uma partição separada para cada um destes diretórios. Por exemplo, se a partição que contém /foo precisa ter ao menos 500 MB, e você não fizer uma partição /foo separada, então a partição (root) / precisa conter ao menos 500 MB.

Tabela 9.3. Tamanho mínimo de partição

Diretório Tamanho Mínimo
/ 250 MB
/usr 250 MB, mas evita colocar esta em uma partição separada
/tmp 50 MB
/var 384 MB
/home 100 MB
/boot 250 MB

Nota

Somente atribui capacidade de armazenamento à estas partições que você precisa imediatamente. Você pode alocar espaço livre a qualquer momento, para atender às necessidades a medida que ocorrem. Para aprender mais sobre método flexível para gerenciamento de armazenamento, consulte Apêndice D, Entender o LVM.
Se você não tiver certeza da melhor maneira de configurar partições para seu computador, aceite o layout de partição padrão.
9.15.5.1.1. Adicionando Partições
Configuração otimizada de partição depende do uso do sistema Linux em questão. As seguintes dicas podem ajudá-lo a decidir como alocar seu espaço de disco.
  • Considere a possibilidade de criptografar qualquer partição que possa conter dados sensitivos. As criptografias evitam pessoas desautorizadas a acessar os dados nas partições, até mesmo se eles acessam o dispositivo de armazenamento físico. Na maioria dos casos, você deve ao menos criptografar a partição /home.
  • Cada kernel instalado em seu sistema requer aproximadamente 10 MB na partição /boot. A não ser que você planeje instalar diversos kernels, o tamanho da partição padrão de 250 MB para/boot deve ser o suficiente.

    Importante

    O carregador de inicialização GRUB no Red Hat Enterprise Linux 6 suportam somente os sistemas de arquivos ext2, ext3 e ext4 (recomendado). Você não pode usar qualquer outro sistema de arquivo para o /boot, como o Btrfs, XFS ou VFAT.
  • O diretório /var possui o conteúdo para diversos aplicativos, incluindo o servidor da web Apache . Ele também é usado para armazenar pacotes de atualização baixados temporariamente. Assegure-se de que a partição que contém o diretório /var possui espaço suficiente para baixar atualizações pendentes e manter seu outro conteúdo.

    Atenção

    Downloads de software de atualizações do PackageKit atualizadas para o pacote /var/cache/yum/ por padrão. Se você particionar o sistema manualmente, e criar uma partição /var/ separada, tenha a certeza de criar uma partição grande o suficiente (3.0 GB ou mais) para baixar atualizações de pacotes.
  • O diretório /usr contém a maioria dos softwares em um sistema Red Hat Enterprise Linux. Para uma instalação do conjunto padrão do software, aloque ao menos 4 GB de espaço. Se você for um desenvolvedor de software ou planeja usar seu sistema Red Hat Enterprise Linux para aprender as habilidades de desenvolvimento do software, você pode querer ao menos duplicar esta alocação.

    Importante

    Se o /usr não estiver em um sistema de arquivo separado de /, o processo de inicialização se tornará mais complexo porque /usr contém componentes críticos ao boot. Em alguns sistemas (por exemplo, aqueles com armazenamento iSCSI) o processo de inicialização não acontecerá.
  • Considere a possibilidade de deixar uma porção de espaço em um grupo de volume do LVM desalocada, Este espaço lhe dará a flexibilidade se seus requerimentos de espaço mudarem mas você não desejar remover dados de outras partições para realocar armazenamento.
  • Se você separar subdiretórios em partições, você pode rter conteúdo naqueles subdiretórios se você decidir instalar uma nova versão do Red Hat Enterprise Linux sob seu sistema atual. Por exemplo, se você pretende rodar um banco de dados MySQL no /var/lib/mysql, crie partições separadas para aquele diretório no caso de você precisar reinstalar mais tarde.
A tabela a seguir é uma configuração de partição possível para um sistema com um único, novo 80 GB disco rígido e 1 GB de RAM. Observe que aproximadamente 10 GB de grupo de volume está desalocado para permitir crescimento futuro.

Nota

Esta configuração não é o ideal para todos os casos de uso.

Exemplo 9.1. Exemplo de configuração de partição

Tabela 9.4. Exemplo de configuração de partição

Partição Tamanho e TIpo
/boot partição 250 MB ext3
swap 2 GB swap
LVM physical volume Espaço restante, como um grupo de volumes LVM
O volume físico é atribuído ao grupo de volume padrão e dividido nos seguintes volumes lógicos:

Tabela 9.5. Exemplo de configuração de partição: volume físico de LVM

Partição Tamanho e TIpo
/ 13 GB ext4
/var 4 GB ext4
/home 50 GB ext4

9.16. Gravar mudanças no disco

O instalador lhe pede que confirme as opções de particionamento que você selecionou. Clique em Gravar mudanças no disco para permitir que o instalador particione seu drive rigido e instale o Red Hat Enterprise Linux.
Gravando configuração de armazenamento no disco

Figura 9.47. Gravando configuração de armazenamento no disco

Se você tiver certeza de que quer proceder, clique em Gravar mudanças no disco.

Atenção

Até este ponto do processo de instalação, o instalador não fez nenhuma mudança em seu computador. Quando você clicar em Gravar mudanças no disco, o instalador irá alocar espaço em seu drive rígido e iniciar a transferências do Red Hat Enterprise Linux para este espaço. Dependendo da opção de particionamento que você tenha escolhido, este processo pode incluir dados apagados que já existam em seu computador.
Para revisar qualquer uma das escolhas que você fez até este ponto, clique em Go back.. Para cancelar a instalação completamente, desligue seu computador. Para desligar a maioria dos computadores neste estágio, pressione o botão de energia e segure-o por alguns segundos.
Depois que você clicar em Gravar mudanças no disco, permita que o processo de instalação seja concluído. Se o processo for interrompido (por exemplo, porque você desligou ou redefiniu o computador, ou por causa de uma queda de energia) você provavelmente não conseguirá usar o seu computador até que você reinicie e conclua o processo de instalação do Red Hat Enterprise Linux, ou instale um sistema operacional diferente.

9.17. Configuração do Carregador de Inicialização do x86, AMD64, e Intel 64

Para inicializar o sistema sem mídia de inicialização, você normalmente precisa instalar um carregador (gerenciador) de inicialização. Um carregador de inicialização é o primeiro programa a rodar quando seu computador é inicializado. É responsável por carregar e transferir controle para o software do kernel do sistema operacional. Após isto, o kernel então inicializa o restante do sistema operacional.

Importante

Se você instalar o Red Hat Enterprise Linux em modo texto, o instalador configura o carregador de instalação automaticamente e você não poderá padronizar o carregador de instalação durante o processo de instalação.
O GRUB (GRand Unified Bootloader), o qual é instalado por padrão, é um carregador de inicialização muito potente. O GRUB pode carregar uma variedade de sistemas operacionais livres, assim como os sistemas operacionais proprietários com carregamento de corrente (o mecanismo para carregar sistemas operacionais proprietários, tal como Windows, carregando outro carregador de inicialização). Observe que a versão do GRUB no Red Hat Enterprise Linux 6 é uma versão antiga e estável agora conhecida como "GRUB Legacy" desde que o desenvolvimento da upstream mudou para GRUB 2.[4] a Red Hat se compromete a manter a versão do GRUB que nós enviamos com o Red Hat Enterprise Linux 6, assim como fazemos com todos os pacotes que distribuimos.

Nota

O padrão do menu do GRUB fica escondido, exceto em sistemas de dupla inicialização. Para exibir o menu do GRUB durante a inicialização do sistema, pressione e segure a tecla Shift anes do kernel ser carregado. (Qualquer outra tecla funciona também mas a tecla Shift é a mais segura a se usar),
Configuração do Gestor de Início

Figura 9.48. Configuração do Gestor de Início

Se não existir nenhum outro sistema operacional em seu computador ou se você está removendo completamente qualquer outro sistema operacional, o programa de instalação irá instalar o GRUB como seu carregador de inicialização sem qualquer intervenção. Neste caso, você deve continuar no Seção 9.18, “Seleção do Grupo de Pacotes”.
Pode ser que você já tenha um carregador de inicialização instalado no seu sistema. Um sistema operacional pode instalar o seu carregador de inicialização próprio ou você pode ter instalado um gerenciador de inicialização de terceiros. Se o seu gerenciador não reconhecer as partições de Linux, você pode não ser capaz de inicializar o Red Hat Enterprise Linux. Use o GRUB como o seu carregador de inicialização para inicializar o Linux e a maioria dos outros sistemas operacionais. Siga as instruções neste capítulo para instalar o GRUB.

Atenção

Se você instalar o GRUB, o mesmo pode vir a sobrescrever o seu gerenciador de inicialização existente.
Por padrão, o programa de instalação instala o GRUB no master boot record ou MBR, do dispositivo para o sistema de arquivo root. Para negar a instalação de um novo bootloader, desselecione o Install boot loader on /dev/sda.

Atenção

Se você optar por não instalar o GRUB por alguma razão, não será possível inicializar seu sistema diretamente e, portanto, você precisa de outro método de inicialização (tal como um carregador de inicialização comercial). Use esta opção somente se você tiver certeza que tem outra maneira de inicializar o sistema!
Se você tiver outro sistema operacional já instalado, O Red Hat Enterprise Linux tenta detectar automaticamente e configurar o GRUB para inicializá-lo. Você pode configurar manualmente qualquer outro sistema operacional se o GRUB não detectá-lo.
Para adicionar, remover ou mudar o sistema operacional detectado, use as opções fornecidas.
Adicionar
Selecione Add para incluir um sistema operacional adicional no GRUB.
Selecione a partição de disco que contém o sistema operacional iniciável a partir da lista suspensa e rotule a entrada. O GRUB exibe este rotulo em seu menu de inicialização.
Editar
Para remover uma entrada do menu de inicialização do GRUB, selecione a entrada e depois selecione Editar.
Remover
Para remover uma entrada do menu de inicialização do GRUB, selecione a entrada e depois selecione Remover.
Selecione Default ao lado de sua partição boot preferida para escolher seu sistema operacional iniciável por default. Você não poderá prosseguir na instalação antes de escolher uma imagem de início default.

Nota

A coluna Etiqueta lista o que você deve inserir no prompt de inicialização, em carregadores de inicialização não-gráficos, para inicializar o sistema operacional desejado.
Uma vez carregada a tela de inicialização do GRUB, use as teclas de seta para escolher uma etiqueta de inicialização ou digite e para editar. Você verá uma lista de itens no arquivo de configuração para a etiqueta de inicialização selecionada.
As senhas dos carregadores de inicialização oferecem um mecanismo de segurança em um ambiente no qual o acesso físico ao seu servidor está disponível.
Se você estiver instalando um carregador de inicialização, deve criar uma senha para proteger seu sistema. Sem uma senha do carregador de inicialização, os usuários com acesso ao seu sistema podem alterar opções do kernel, o que pode comprometer a segurança do seu sistema. Tendo uma senha do carregador de inicialização, será necessário inserí-la antes de selecionar qualquer opção de inicialização fora do padrão. No entanto, ainda será possível para alguém com acesso físico à máquina inicializá-la a partir de disquete, CD-ROM, DVD ou mídia USB se o BIOS suportá-la. Os planos de segurança que incluem senhas do carregador de inicialização também devem conter métodos de inicialização alternativos.

Nota

Você poderá não necessitar de uma senha do GRUB se o seu sistema só tiver operadores de confiança, ou se estiver fisicamente seguro, com acesso ao console controlado. Entretanto, se uma pessoa não-confiável puder ter acesso físico ao teclado e monitor do seu computador, esta pessoa poderá reiniciar o sistema e acessar o GRUB. Neste caso, é útil ter uma senha.
Se você optar por utilizar uma senha do carregador de inicialização para aumentar a segurança de seu sistema, certifique-se de selecionar a caixa de verificação nomeada Utilizar uma senha do gerenciador de inicialização.
Após selecioná-la, indique a senha e confirme-a.
O GRUB guarda a senha de forma criptografada, para que não possa ser lida ou recuperada. Se esquecer a senha de inicialização, inicialize o sistema normalmente e então modifique o item da senha no arquivo /boot/grub/grub.conf. Se não conseguir inicializar, você poderá usar o modo de "rescue" (emergência) do primeiro disco de instalação do Red Hat Enterprise Linux para restaurar a senha do GRUB.
Se precisar, de fato, mudar a senha do GRUB, use o comando grub-md5-crypt. Para mais informações sobre como usar este utilitário, use o comando man grub-md5-crypt numa janela de comandos para ler as páginas de manual.

Importante

Ao selecionar uma senha GRUB, esteja atento que o GRUB reconhece somente o layout de teclado QWERTY, não importanto se o teclado está anexado ao sistema. Se você usar um teclado com layout muito diferente, pode valer a pena memorizar um modelo das teclas ao invés da palavra que o modelo produz.
Para configurar opções mais avançadas do carregador de inicialização, como mudar a ordem dos drives, ou passar opções ao kernel, certifique-se de que Configurar opções avançadas do carregador de inicialização esteja marcado antes de clicar em Próximo.

9.17.1. Configuração Avançada do Carregador de Inicialização

Agora que você selecionou qual carregador de inicialização instalar, pode também determinar onde deseja instalá-lo. Você pode instalar o carregador de inicialização em uma das duas localidades:
  • O master boot record (MBR) — Essa é a localidade recomendada para instalar o gestor de início, a não ser que o MBR já inicie outro gestor de sistema operacional, tal como o System Commander. O MBR é uma área especial do seu disco rígido automaticamente carregada pelo BIOS de seu computador, e é o primeiro ponto onde o gestor de início pode tomar o controle do processo de inicialização. Se você instalá-lo no MBR, o GRUB apresentará um prompt boot quando a máquina for inicializada. Então você poderá iniciar o Red Hat Enterprise Linuxou qualquer outro sistema operacional configurado para ser iniciado pelo gestor de início.
  • O primeiro setor de sua partição boot — Isto é recomendado se você já estiver usando um outro gestor de início em seu sistema. Neste caso, seu outro gestor de início tomará o controle primeiro. Você pode então configurar este gestor de início para iniciar o GRUB, que por sua vez iniciará o Red Hat Enterprise Linux.

    Nota

    Se você instalar o GRUB como carregador de inicialização secundário, você deverá configurar novamente o seu carregador de inicialização primário sempre que instalar e inicializar um kernel novo. O kernel de um sistema operacional como o Microsoft Windows não inicializa da mesma forma. Portanto, a maioria dos usuários usam o GRUB como gerenciador de inicialização primário em sistemas de inicialização dupla.
Instalação do Carregador de Inicialização

Figura 9.49. Instalação do Carregador de Inicialização

Nota

Se você tiver uma placa RAID, atente para o fato de que alguns BIOSes não suportam inicializar pela placa RAID. Em casos como este, o carregador de inicialização não deve ser instalado no MBR do conjunto RAID. Ao invés disso, o carregador de inicialização deve ser instalado no MBR do mesmo drive que a partição /boot foi criada.
Se o seu sistema usa apenas o Red Hat Enterprise Linux, você deve usa o MBR.
Clique no botão Alterar Ordem dos Discos se você pretende reorganizar a ordem dos drives ou se o seu BIOS não retorna a ordem correta dos drives. Mudar a ordem dos drives pode ser útil se você tiver diversos adaptadores SCSI, ou ambos adapatadores SCSI e IDE, e quiser iniciar a partir do dispositivo SCSI.

Nota

Enquanto particionar seu disco rígido, tenha em mente que o BIOS de sistemas mais antigos não podem acessar além dos primeiros 1024 cilindros de um disco rígido. Se este for o caso, deixe espaço suficiente para a partição /boot do Linux nos primeiros 1024 cilindros de seu disco rígido para poder inicializar o Linux. As outras partições do Linux podem estar após o cilindro 1024.
Em parted, 1024 cilindros equivalem a 528 MB. Para mais informações, consulte:
http://www.pcguide.com/ref/hdd/bios/sizeMB504-c.html

9.17.2. Modo de Recuperação

O modo de recuperação oferece a habilidade de inicializar um ambiente Red Hat Enterprise Linux, pequeno inteiramente por mídia boot ou algum outro método boot, ao invés do disco rígido do sistema. Às vezes, pode não ser possível rodar o Red Hat Enterprise Linux suficientemente para acessar os arquivos no disco rígido de seu sistema. Usando o modo de recuperação, você pode acessar os arquivos armazenados em seu disco rígido, mesmo se não puder rodar o Red Hat Enterprise Linux neste disco rígido. Se você precisar usar o modo de recuperação, tente o método seguinte:
  • Inicialize um sistema x86, AMD64, or Intel 64 de qualquer mídia de instalação, tal como CD, DVD, USB, ou PXE, e digite o linux rescue na janela de inicialização de instalação. Consulte o Capítulo 36, Recuperação Básica do Sistema para uma descrição completa do modo de recuperação.
Para informações adicionais, consulte o Guia de Implementação do Red Hat Enterprise Linux.

9.17.3. Carregadores de Incialização Alternativos

O GRUBé o bootloader padrão do Red Hat Enterprise Linux, mas não é a única opção. Estão disponíveis uma varidade de fonte aberta e alternativas de proprietário para o GRUB para carregar o Red Hat Enterprise Linux, incluindo o LILO, SYSLINUX, e Apple Boot Camp.

Importante

A Red Hat não fornece suporte ao consumidor para carregadores de inicialização de terceiros

9.18. Seleção do Grupo de Pacotes

Agora que você fez a maioria das escolhas para sua instalação, está pronto para confirmar a seleção de pacotes padrão ou personalizar os pacotes para seu sistema.
A tela Padrões de Instalação de Pacotes aparece, detalhando o conjunto de pacotes padrão para a sua instalação do Red Hat Enterprise Linux. Esta tela varia dependendo da versão do Red Hat Enterprise Linux que você estiver instalando.

Importante

Se você instalar o Red Hat Enterprise Linux em modo texto, você não conseguirá fazer seleções de pacotes. O instalador selecionará automaticamente os pacotes somente a partir da base e grupo central. Estes pacotes são suficientes para assegurar que o sistema é operacional ao final do processo de instalação, pronto para instalar atualizações e novos pacotes. Para mudar a seleção de pacote, conclua a instalação, e use o aplicativo Adicionar/Remover Software para realizar as mudanças desejadas.
Seleção do Grupo de Pacotes

Figura 9.50. Seleção do Grupo de Pacotes

Por padrão, o processo de instalação do Red Hat Enterprise Linux carrega uma seleção de software que é adequada para um sistema implementado como servidor básico. Observe que esta instalação não inclui um ambiente gráfico. Para incluir a seleção de software adequados para outras tarefas, clique no botão de seleção que corresponde àquele das seguintes opções:
Servidor Básico
Esta opção fornece instalação básica do Red Hat Enterprise Linux para usar em um servidor.
Servidor de Banco de Dados
Esta opção fornece os bancos de dados MySQL ePostgreSQL.
servidor da Web
Esta opção fornece o servidor da Web Apache .
Base de Servidor de Identidade de Empresa (Enterprise Identity Server Base)
Esta opção fornece os bancos de dados OpenLDAP e o System Security Services Daemon (SSSD) para criar uma identidade e um servidor de autenticação.
Host Virtual
Esta opção fornece as ferramentas KVM e Virtual Machine Manager para criar um host para as máquinas virtuais.
Desktop
Esta opção fornece o OpenOffice.org productivity suite, o aplicativo de gerenciamento do projeto Planner, ferramentas gráficas como o GIMP e aplicativos de multimídia.
Estação de Trabalho de Desenvolvimento de Software
Esta opção fornece as ferramentas necessárias para compilar o software em seu sistema Red Hat Enterprise Linux.
Mínimo
Esta opção fornece somente pacotes essenciais para rodar o Red Hat Enterprise Linux. Uma instalação mínima fornece a base para um servidor de único propósito ou equipamento de desktop e maximiza o desempenho e segurança em tal instalação.
Se você escolher aceitar a lista de pacotes atuais, avance para a Seção 9.19, “Instalando Pacotes”."/>.
Para selecionar um componente, clique na caixa de verificação ao lado do mesmo (consulte a Figura 9.50, “Seleção do Grupo de Pacotes”).
Para personalizar seu conjunto de pacotes ainda mais, selecione a opção Personalizar agora na tela. Clicar em Próximo leva você à tela Seleção de Grupos de Pacotes.

9.18.1. Instalando a partir de Repositórios Adicionais

Você pode definir os repositories adicionais para aumentar o software disponível em seu sistema durante a instalação. Uma repositório é um local de rede que armazena os pacotes de software junto com o metadata que os descreve. Muitos dos pacotes usados no Red Hat Enterprise Linux requerem outros softwares a serem instalados. O instalador usa o metadados para assegurar que estes requerimentos são atendidos em cada parte do software que você seleciona para a instalação.
As opções básicas são:
  • O repositório da HighAvailability inclui pacotes para o cluster de alta disponibilidade (também conhecido como failover clustering) usando o componente de Gerenciamento de Serviço com Alta disponibilidade da Red Hat.
  • O repositório Load Balancer inclui pacotes para o cluster de balanceamento de carga usando o Linux Virtual Server (LVS).
  • O repositório Red Hat Enterprise Linux é automaticamente selecionado para você. Ele contém a coleção completa de software que foi lançada como o Red Hat Enterprise Linux 6, com diversas partes do software em suas versões que eram atuais quando lançadas.
  • O repositório Resilient Storage inclui os pacotes para cluster de armazenamento usando a Red Hat global file system (GFS).
Para mais informações sobre o clustering com o Red Hat Enterprise Linux 6, consulte o Red Hat Enterprise Linux 6 Cluster Suite Overview, disponível de https://access.redhat.com/knowledge/docs/manuals/.
Adicionando um repositório do software

Figura 9.51. Adicionando um repositório do software

Para incluir o software de repositórios, selecione Adicionar repositórios de software e fornecer o local do repositório.
Para editar um local de repositório de software existente, selecione o repositório na lista e depois selecione Modificar repositório.
Se você mudar as informações de repositório durante uma instalação de não rede, tal como de um DVD do Red Hat Enterprise Linux, o instalador irá lhe solicitar informações de configuração de rede.
Selecionar interface de Rede

Figura 9.52. Selecionar interface de Rede

  1. Selecione uma interface no menu suspenso.
  2. Clique em OK.
O Anaconda ativa a interface que você selecionou e depois inicia o NetworkManager para permitir que você configure a interface.
Conexões de Rede

Figura 9.53. Conexões de Rede

Para mais detalhes sobre como utilizar o NetworkManager, consulte o Seção 9.7, “Configurando o Hostname”
Se você selecionar o Adicionar os repositórios de software, o diálogo Editar repositório aparecerá. Forneça um nome de repositório e o URL do repositório para seu local.
Depois que você localizar o espelho, para determinar qual URL utilizar, encontre o diretório no espelho que contenha um diretório chamado repodata.
Depois que você fornecer informações para um repositório adicional, o instalador lê o metadado do pacote sob a rede. O Software que é especialmente marcado é então incluído no sistema de seleção do grupo de pacote.

Atenção

Se você escolher o botão Voltar na tela de seleção do pacote, qualquer dado de repositório extra que você tenha inserido será perdido. Isto permite que você cancele repositório extras de forma efetiva. Atualmente não há nenhuma forma de cancelar somente um único repositório depois de inserido.

9.18.2. Padronizando a Seleção do Software

Nota

Seu sistema Red Hat Enterprise Linux suporta automaticamente o idioma que você selecionou durante o início do processo de instalação. Para incluir suporte para idiomas adicionais, selecione o grupo de pacote para estes idiomas a partir da categoria Languages.
Selecione Padronizar agora para especificar os pacotes do software para seu sistema final em mais detalhes. Esta opção faz o processo de instalação exibir uma tela de padronização adicional quando você seleciona Next.
Detalhes do Grupo de Pacotes

Figura 9.54. Detalhes do Grupo de Pacotes

Red Hat Enterprise Linux divide o software incluso no package groups. Para facilitar o uso, a tela de seleção do pacote exibe estes grupos como categorias.
Você pode selecionar grupos de pacotes, que agrupam componentes de acordo com sua função (por exemplo, Sistema X Window e Editores), pacotes individuais, ou uma combinação dos dois.
Para visualizar os grupos de pacote para uma categoria, selecione a categoraia da lista à esquerda. A lista na direita exibe os grupos de pacotes para a categoria selecionada atualmente.
Para especificar um grupo de pacote para a instalação, selecione a caixa de seleção próxima ao grupo. A caixa no final da tela exibe em detalhes do grupo de pacote que está enfatizado atualmente. Nenhum destes pacotes de um grupo serão instalados a não ser que a caixa de seleção para este grupo esteja selecionada.
Se você selecionar um grupo de pacote, a Red Hat Enterprise Linux instala automaticamente a base e pacotes obrigatórios para aquele grupo. Para mudar quais pacotes opcionais dentro de um grupo selecionado será instalado, selecione o botão Optional Packages sob a descrição do grupo. Depois use o nome da caixa de seleção próxima ao pacote individual para mudar sua seleção.
Na lista de seleção de pacote à sua direita, você pode usar o menu de contexto como um atalho para selecionar ou desselecionar pacotes obrigatórios e básicos ou todos os pacotes opcionais.
Menu de Contexto de Lista de Seleção de Pacote

Figura 9.55. Menu de Contexto de Lista de Seleção de Pacote

Depois que você escolher os pacotes desejados, selecione Next para proceder. O instalador verifica sua seleção, e automaticamente adiciona qualquer pacote extra requerido para usar o software que você selecionar. Quando houver terminado de selecionar pacotes, clique em Fechar para salvar suas seleções e retornar à tela de seleção de pacotes principal.
Os pacotes que você seleciona não são permanentes. Depois que você iniciar seu sistema, use a ferramenta Adicionar/Remover Programas para instalar novos programas ou remover pacotes instalados. Para executar esta ferramenta a partir do menu principal, seleicone SistemaAdministraçãoAdicionar/Remover Programas. O sistema de gerenciamento de programas do Red Hat Enterprise Linux baixa os últimos pacotes de servidores de rede, ao invés de usar aqueles no disco de instalação.

9.18.2.1. Serviços de Rede Central

Todas as instalações do Red Hat Enterprise Linux incluem os seguintes serviços de rede:
  • registro centralizado através do syslog
  • email através de SMTP (Simple Mail Transfer Protocol)
  • compartilhamento de arquivos em rede através de NFS (Network File System)
  • acesso remoto através de SSH (Secure Shell)
  • recursos através do mDNS (multicast DNS)
A instalação padrão também fornece:
  • transferencia de arquivos através de HTTP (HyperText Transfer Protocol)
  • imprimindo através de CUPS (Common UNIX Printing System)
  • acesso ao desktop remoto através do VNC (Virtual Network Computing)
Alguns processos automatizados em seu sistema Red Hat Enterprise Linux usam o serviço de email para enviar relatórios e mensagens ao administrador de sistemas. Por padrão, o email, loggin e serviços de impressão não aceitam conexões a partir de outros sistemas. O Red Hat Enterprise Linux instala o compartilhamento de NFS, HTTP e componentes do VNC sem habilitar estes serviços.
Você pode configurar seu Red Hat Enterprise Linux após instalar para oferecer email, compartilhamento de arquivos, loggin, impressão e serviços de acesso remoto de desktop. O serviço SSH é ativado por padrão. Você pode usar o NFS para acessar arquivos em outros sistemas sem ativar o serviço de compartilhamento do NFS.

9.19. Instalando Pacotes

Neste ponto, não há nada que você possa fazer até que todos os pacotes tenham sido instalados. A velocidade deste processo depende do número de pacotes que você selecionou e da velocidade do seu computador.
Dependendo dos recursos disponíveis, você deve ver a barra de progresso a seguir enquanto o instalador resume dependências dos pacotes que você selecionou para a instalação:
Iniciando a instalação

Figura 9.56. Iniciando a instalação

O Red Hat Enterprise Linux reporta o progresso de instalação na tela como ele grava os pacotes selecionados no seu sistema.
Pacotes concluídos

Figura 9.57. Pacotes concluídos

Para sua referência, um log completo da sua instalação poderá ser encontrado em /root/install.log depois que você reiniciar seu sistema.
Após a instalação ser concluída, selecione o Reboot para reiniciar seu computador. O Red Hat Enterprise Linux ejeta qualquer disco carregado antes do computador reinicializar.

9.20. Instalação Concluída

Parabéns! Sua instalação do Red Hat Enterprise Linux foi concluída!
O programa de instalação pede que você prepare o seu sistema para uma reinicialização. Lembre-se de remover qualquer mídia de instalação que não seja ejetada automaticamente durante a reinicialização.
Faça o que for apropriado para inicializar o Red Hat Enterprise Linux. Você deverá visualizar uma ou mais telas de mensagens rolando. Eventualmente, aparecerá um prompt de login: ou uma tela gráfica de autenticação (caso você tenha instalado o Sistema X Window e escolhido iniciar o Sistema Windows X e escolha iniciá-lo automaticamente).
A primeira vez que você iniciar o seu sistema Red Hat Enterprise Linux no nível de execução 5, você poderá usar a ferramenta FirstBoot que irá guiá-lo através da configuração do Red Hat Enterprise Linux. Ao usar esta ferramenta , você poderá ajustar o horário do seu sistema, instalar programas, e registrar a sua máquina junto ao Red Hat Network. O FirstBoot auxilia na configuração do seu ambiente para que você possa começar a usar o seu sistema Red Hat Enterprise Linux o mais rápido possível.
Capítulo 34, Firstboot irá guiá-lo no processo de configuração.


[2] Uma senha root é a senha administrativa para o seu sistema Red Hat Enterprise Linux. Você deve se autenticar como root apenas quando for necessário executar a manutenção do sistema. A conta root não opera sob as restrições impostas nas contas de usuários comuns, e portanto mudanças feitas como root podem repercutir no sistema todo.
[3] O aplicativo fsck é usado para verificar o sistema de arquivo para consistência de metadados e reparar opcionalmente um ou mais sistemas de arquivo do Linux,

Capítulo 10. Resolvendo Problemas de Instalação em um Sistema AMD ou Intel

Esse apêndice aborda alguns problemas comuns na instalação e suas soluções.
Para propósitos de depuração, o anaconda registra ações de instalação em arquivos no diretório /tmp. Entre eles se encontram:
/tmp/anaconda.log
mensagens gerais do anaconda
/tmp/program.log
todos os programas externos executados pelo anaconda
/tmp/storage.log
informações de módulo de armazenamento extensivo
/tmp/yum.log
mensagens de instalação do pacote yum
/tmp/syslog
mensagens de sistema relacionados ao hardware
Se a instalação falhar, as mensagens destes arquivos serão consolidadas no/tmp/anaconda-tb-identifier, onde identifier é uma faixa aleatória.
Todos os arquivos acima residem no ramdisk do instalador e são portanto voláteis. Para fazer uma cópia permanente, copie estes arquivo para outro sistema na rede usando o scp na imagem de instalação (não ao contrário)

10.1. Você Não Consegue Inicializar o Red Hat Enterprise Linux

10.1.1. Você não Consegue Inicializar com sua Placa RAID?

Se você executou a instalação e não consegue inicializar seu sistema corretamente, talvez precise reinstalar e criar suas partições de maneira diferente.
Alguns BIOSes não suportam a inicialização a partir de placas RAID. No final de uma instalação, talvez apareça uma tela baseada em texto exibindo somente o prompt do carregador de inicialização (por exemplo, GRUB:) e um cursor piscando. Se este for o caso, você terá que reparticionar seu sistema.
Independentemente da sua escolha - particionamento automático ou manual - você deve instalar sua partição /boot fora do conjunto RAID, como num disco rígido separado. É necessário um disco rígido interno para usar na criação de partições com placas RAID problemáticas.
Você também deve instalar seu carregador de inicialização preferido (GRUB ou LILO) no MBR de um drive fora do conjunto RAID. Este deve ser o mesmo drive que contém a partição /boot/.
Uma vez executadas estas alterações, você deve finalizar sua instalação e inicializar seu sistema corretamente.

10.1.2. Seu Sistema Está Exibindo Erros 'Signal 11'?

Um erro signal 11, normalmente chamado de falha de segmentação, significa que o programa acessou uma localidade da memória que não tenha sido atribuída. Um erro signal 11 pode ocorrer devido a um erro em um dos programas instalados, ou devido a hardware defeituoso.
Se você receber um erro fatal signal 11 durante a instalação, é provavelmente devido um erro de hardware no barramento de seu sistema. Como outros sistemas operacionais, o Red Hat Enterprise Linux impõe seus próprios requisitos ao hardware de seu sistema. Parte do hardware talvez não consiga atender a estes requisitos, mesmo que funcione corretamente sob outro SO.
Certifique-se que você tem as últimas atualizações e imagens de instalação da Red Hat. Revise as erratas online para verificar se há versões mais novas disponíveis. Se as imagens mais recentes ainda falharem, pode ser um problema com seu hardware. Geralmente, estes erros estão na sua memória ou no cache da CPU. Uma possível solução para este erro é desligar o cache da CPU no BIOS, se o seu sistema permitir isto. Você também pode tentar trocar sua memória nos slots da placa-mãe para verificar se o problema está relacionado ao slot ou à memória.
Uma outra opção é efetuar uma verificação de mídia em seu DVD de instalação. O Anaconda, o programa de instalação possui a habilidade de testar a integridade da mídia de instalação. Funciona para os métodos de instalação através de DVD, ISO de disco rígido e ISO de NFS. A Red Hat recomenda que você teste todas as mídias de instalação antes de começar o processo de instalação e antes de relatar quaisquer erros relacionados à instalação (muitos dos erros relatados ocorrem devido a DVDs mal gravados). Para usar esse teste, digite o seguinte comando no prompt boot: ou yaboot::
	linux mediacheck
Para mais informações sobre erros signal 11, consulte:
	http://www.bitwizard.nl/sig11/

10.2. Problemas no Início da Instalação

10.2.1. Problemas ao Inicializar a Instalação Gráfica

Há algumas placas de vídeo que apresentam problemas ao iniciar o programa de instalação gráfico. Se o programa de instalação não roda usando sua configuração padrão, tenta rodar num modo de resolução mais baixo. Se isso também falhar, o programa de instalação tenta rodar no modo texto.
Uma possível solução é tentar usar somente um driver de vídeo durante a instalação. Você pode fazer isto selecionando o Install system with basic video driver no menu de inicialização ou usando a opção de inicialização xdriver=vesa no terminal de inicialização. Como forma alternativa, você pode utilizar a opção de inicialização resolution=. Esta opção pode ser mais útil para usuários de laptops. Outra solução a ser tentada é o uso da opção driver= para especificar o driver que deve ser carregado para a sua placa de vídeo. Se isto funcionar, deve ser relatado como um erro, uma vez que o instalador falhou ao tentar detectar a su placa de vídeo. Consulte o  Capítulo 28, Opções de Inicialização para mais informações sobre opções de inicialização.

Nota

Para desabilitar o suporte ao frame buffer e permitir que o programa de instalação rode no modo texto, tente usar a opção boot nofb. Este comando pode ser necessário para a acessibilidade com certos dispositivos para a leitura de telas.

10.3. Problemas durante a Instalação

10.3.1. Mensagem de Erro Nenhum dispositivo encontrado para instalar o Red Hat Enterprise Linux

Se você receber uma mensagem de erro dizendo Nenhum dispositivo encontrado para instalar o Red Hat Enterprise Linux, provavelmente há um controlador SCSI que não está sendo reconhecido pelo programa de instalação.
Verifique no site do fabricante do seu hardware se há uma imagem do disquete de driver que conserte o problema. Para mais informações gerais sobre disquetes de driver, consulte o Capítulo 6, Atualizando drivers durante a instalação em sistemas Intel e AMD..
Você também pode consultar a Lista de Compatibilidade de Hardware da Red Hat, disponível online em:

10.3.2. Salvando mensagens traceback

Se o anaconda encontrar um erro durante o processo de instalação gráfico, ele apresentará uma caixa de diálogos reportando o travamento:
A Caixa de Diálogos de Relatório de Travamentos

Figura 10.1. A Caixa de Diálogos de Relatório de Travamentos

Detalhes
exibe os detalhes de erro:
Detalhes do travamento

Figura 10.2. Detalhes do travamento

Salvar
Salva detalhes de erro localmente ou remotamente
Sair
sair do processo de instalação
Se você selecionar o Save a partir do diálog principal, você pode escolher a partir das seguintes opções:
Selecionar relatório

Figura 10.3. Selecionar relatório

Autenticador
salva detalhes de erro como um arquivo de log no disco rígido local, em um diretório que você selecionar.
Red Hat Customer Support
submete o relatório de travamento para o Suporte ao Consumidor para assistência
Carregador de relatório
carrega uma versão comprimida de relatórios de travamento para o Bugzilla ou uma URL de sua escolha.
An tes de submeter o relatório clique em Preferences para especificar um destino ou prover detalhes de autenticação. Selecione o método de relatórios que você precisa para configurar e clique em Configure Event.
Configurar as preferências do relator

Figura 10.4. Configurar as preferências do relator

Autenticador
Especifique um caminho e um filename para o arquivo do log. Verifique o Append se você está adicionando em um arquivo de log já existente.
Especifique um caminho local para o arquivo do log.

Figura 10.5. Especifique um caminho local para o arquivo do log.

Red Hat Customer Support
Ensira seu username e senha do Red Hat Network para que seu relatório alcançe o Suporte ao Consumidor e seja conectado à sua conta. O URL é preenchido previamente e o Verify SSL é selecionado por padrão.
Ensira seus detalhes de autenticação do Red Hat Network.

Figura 10.6. Ensira seus detalhes de autenticação do Red Hat Network.

Carregador de Relatório
Especifique uma URL para carregar uma versão comprimida do relatório de travamento.
Ensira a URL para carregar o relatório de travamento.

Figura 10.7. Ensira a URL para carregar o relatório de travamento.

Bugzilla
Ensira seu username e senha do Bugzilla para submeter um erro com o sistema de rastreamento de erro da Red Hat usando o relatório de travamento. A URL é preenchida previamente e o Verify SSL é selecionado por padrão.
Ensira os detalhes de autenticação do Bugzilla

Figura 10.8. Ensira os detalhes de autenticação do Bugzilla

Depois de enserir suas preferências, clique em OK para retornar para o diáloto de seleção do relatório. Selecione como você gostaria de relatar o problema e depois clique em Forward
Confirmar dados de relatório

Figura 10.9. Confirmar dados de relatório

Você pode agora padronizar o relatório selecionando e cancelando a seleção de problemas que serão incluídos. Quando terminar, clique em Apply.
Relatório em progresso

Figura 10.10. Relatório em progresso

Esta tela exibe o resultado do relatório, incluindo qualquer erro em enviar ou salvar o log. Clique em Forward para proceder.
Relatório Concluído

Figura 10.11. Relatório Concluído

A reportagem está agora concluída. Clique em Forward para retornar ao diálogo de seleção do relatório. Você pode agora fazer outro relatório, ou clicar em Fechar para sair do utilitário de relatórios e depois clicar em Exit para fechar o processo de instalação.

10.3.3. Problemas com Tabelas de Partição

Se você receber um erro após a fase Configuração do Particionamento de Disco (Seção 9.13, “Configuração do Particionamento de Disco”) da instalação dizendo algo similar a
A tabela de partição no dispositivo hda está ilegível. Para criar novas partições, ele deve ser inicializado, causando perda de TODOS OS DADOS neste drive.
talvez você não tenha uma tabela de partição naquele drive ou a tabela de partição no drive talvez seja irreconhecível pelo software de particionamento usado no programa de instalação.
Usuários que utilizaram programas como o EZ-BIOS tiveram problemas similares, causando a perda de dados (supondo que não foi feito backup antes de começar a instalação) que não puderam ser recuperados.
Independentemente do tipo de instalação sendo executada, você deve sempre fazer back up dos dados existentes.

10.3.4. Usando Espaço Remanescente

Você tem partições swap e / (raiz) criadas, e você escolheu que a partição raiz ocupasse o espaço remanescente, mas ela ainda não preenche o disco rígido.
Se seu disco rígido tem mais de 1024 cilindros, você deve criar uma partição /boot se quiser que a partição / (raiz) utilize todo o espaço restante do seu disco rígido.

10.3.5. Outros Problemas com o Particionamento

Se você criar partiçõesm manualmente, mas não consegue prosseguir para a próxima tela, provavelmente não criou todas as partições necessárias para concluir a instalação.
Você deve ter, no mínimo, as seguintes partições:
  • Uma partição / (root)
  • Uma partição <swap> do tipo swap

Nota

Ao definir o tipo de uma partição como swap, não determine um ponto de montagem para ela. O Anaconda fará isso automaticamente para você.

10.4. Problemas após a Instalação

10.4.1. Problemas com a Tela Gráfica do GRUB em um Sistema Baseado no x86?

Se você está encontrando problemas no GRUB, talvez precise desativar a tela gráfica de início. Para fazer isso, autentique-se como root e edite o arquivo /boot/grub/grub.conf.
No arquivo grub.conf, comente a linha que começa com splashimage inserindo o caractere # no começo da linha.
Pressione Enter para sair do modo de edição.
Uma vez que a tela do carregador de inicialização retornar, digite b para inicializar o sistema.
Após reinicializar seu sistema, o arquivo grub.conf é re-lido e suas alterações têm efeito.
Você pode reativar a tela gráfica de início descomentando (ou adicionando) a linha acima de volta ao arquivo grub.conf.

10.4.2. Iniciando em Ambiente Gráfico

Se você instalou o Sistema X Window, mas não está visualizando uma área de trabalho gráfica ao autenticar no sistema Red Hat Enterprise Linux, é possível iniciar a interface gráfica do Sistema X Window usando o comando startx.
Após digitar este comando e pressionar Enter, um ambiente gráfico da área de trabalho será exibido.
Note, no entanto, que esta correção pode ser feita apenas uma vez, e não altera o processo para autenticações futuras.
Para configurar seu sistema a fim de poder autenticar na tela gráfica, você precisa editar um arquivo, o /etc/inittab, alterando somente um número na seção runlevel. Quando terminar, reinicialize seu computador. Da próxima vez que se autenticar, você terá uma janela gráfica de autenticação.
Abra uma janela de comandos. Se você estiver na sua conta de usuário, mude para root, digitando o comando su.
Agora digite o seguinte para editar o arquivo com gedit.
	gedit /etc/inittab
O arquivo /etc/inittab é aberto. Dentro da primeira tela, uma seção de arquivo que se parece com o seguinte:
# nível de execução (runlevel) padrão. Os níveis de execução usados são: 
#   0 - halt (interromper) (Não definir initdefault para este) 
#   1 - Modo de usuário Single (único) 
#   2 - Multiuser, sem NFS ( O mesmo que o 3, caso você não possua rede) 
#   3 - Modo completo de multiuser 
#   4 - sem uso 
#   5 - X11 
#   6 - reboot (reinicializar) (Não defina este initdefault para este) 
#
id:3:initdefault:
Para mudar de um console para uma autenticação gráfica, você deve alterar o número na linha id:3:initdefault: de 3 para 5.

Atenção

Altere somente o número padrão do nível de execução (runlevel) de 3 para 5.
Sua linha alterada deve se parecer com a seguinte:
	 id:5:initdefault: 
Quando você estiver satisfeito com a alteração, salve e saia do arquivo usando as teclas Ctrl+Q. Aparece uma janela perguntando se você deseja salvar as alterações. Clique em Salvar.
Na próxima vez que você se autenticar após reinicializar o sistema, terá uma tela gráfica de autenticação.

10.4.3. Problemas com o Sistema X Window (GUI)

Se você está encontrando problemas ao tentar iniciar o X (Sistema X Window), talvez você não o tenha instalado durante o processo de instalação.
Se você quiser o Sistema X Window, você pode instalar os pacotes a partir da mídia de instalação do Red Hat Enterprise Linux ou executar uma atualização.
Se você optar pela atualização, selecione os pacotes do Sistema X Window e escolha GNOME, KDE ou ambos, durante o processo de seleção de atualização dos pacotes.
Consulte a Seção 35.3, “Mudando para um Login Gráfico” para mais informações sobre como instalar um ambiente de desktop.

10.4.4. Problemas com Quedas do Servidor X e Usuários Não-Root

Se você tem problemas com quedas do servidor X quando qualquer um pode acessar, você pode estar com o sistema de arquivo cheio (ou falta de espaço no disco rígido).
Para confirmar se este é o problema ocorrendo, submeta o seguinte comando:
df -h
O comando df pode ajudar a diagnosticar qual partição está cheia. Para informações adicionais sobre o df e suas opções (como a opção -h usada neste exemplo), consulte a página man do df digitando man df numa janela de comandos.
Um indicador relevante é 100% cheio ou uma porcentagem acima de 90% ou 95% numa partição. As partições /home/ e /tmp/ podem, às vezes, encher rapidamente com arquivos de usuários. Você pode criar algum espaço nessa partição apagando arquivos antigos. Após esvaziar algum espaço, tente rodar o X como o usuário que anteriormente não funcionou.

10.4.5. Problemas ao Tentar Autenticar

Se você não criou uma conta de usuário na tela firstboot, mude para o console pressionando Ctrl+Alt+F2, registre-se como root e use a senha que você atribuiu para o root.
Se você não lembra da sua senha root, inicialize seu sistema como linux single.
Se você estiver usando um sistema baseado no processador x86 e o GRUB é o seu carregador de inicialização instalado, digite e para editar quando a tela de início do GRUB for carregada. Você verá uma lista de itens no arquivo de configuração para a etiqueta de inicialização que você selecionou.
Escolha a linha que começa com kernel e digite e para editar esta entrada de inicialização.
No fim da linha kernel, adicione:
	single
Pressione Enter para sair do modo de edição.
Uma vez que a tela do gestor de início retornar, digite b para inicializar o sistema.
Após iniciar no modo de usuário simples e ter acesso à linha de comandos #, você deve digitar passwd root, o que lhe permite definir uma nova senha para o root. Neste ponto você pode digitar shutdown -r now para reinicializar o sistema com a nova senha root.
Se você não lembra a senha da sua conta de usuário, deverá tornar-se root. Para tornar-se root, digite su - e insira sua senha root quando solicitado. Então, digite passwd <username>. Isto lhe permite inserir uma nova senha para a conta de usuário especificada.
Se você não vê a tela gráfica de autenticação, verifique seu harware para questões de compatibilidade. A Lista de Compatibilidade de Hardware pode ser encontrada em:
	http://hardware.redhat.com/hcl/

10.4.6. Sua Memória RAM não está Sendo Reconhecida?

Às vezes, o kernel não reconhece toda a sua memória (RAM). Você pode checar isto com o comando cat /proc/meminfo.
Verifique se a quantidade exibida é a mesma quantidade de memória RAM em seu sistema. Se elas não forem iguais, adicione a seguinte linha ao /boot/grub/grub.conf:
mem=xxM
Substitua xx pela quantidade de memória RAM que você tem, em megabytes.
Em /boot/grub/grub.conf, o exemplo acima se pareceria com o seguinte:
# NOTICE: You have a /boot partition. This means that 
#  all kernel paths are relative to /boot/ 
default=0 
timeout=30 
splashimage=(hd0,0)/grub/splash.xpm.gz 
 title Red Hat Enterprise Linux Client (2.6.32.130.el6.i686)
root (hd0,1)
kernel /vmlinuz-(2.6.32.130.el6.i686 ro root=UUID=04a07c13-e6bf-6d5a-b207-002689545705 mem=1024M
initrd /initrd-(2.6.32.130.el6.i686.img
Após você reinicializar, as alterações feitas em grub.conf refletirão em seu sistema.
Após carregar a tela de inicialização do GRUB, digite e para editar. Você verá uma lista dos itens no arquivo de configuração para a etiqueta de inicialização que selecionou.
Escolha a linha que começa com kernel e digite e para editar esta entrada de inicialização.
No fim da linha kernel, adicione
mem=xxM
onde xx é igual à quantidade de memória RAM em seu sistema.
Pressione Enter para sair do modo de edição.
Uma vez que a tela do gestor de início retornar, digite b para inicializar o sistema.
Lembre-se de substituir xx pela quantidade de memória RAM em seu sistema. Pressione Enter para iniciar.

10.4.7. Sua Impressora não Funciona

Se você não sabe ao certo como configurar sua impressora ou está tendo problemas em fazê-la funcionar corretamente, tente usar a Ferramenta de Configuração da Impressora.
Digite o comando system-config-printer numa janela de comandos para executar a Ferramenta de Configuração da Impressora. Se você não está como root, a ferramenta solicitará a senha do root para continuar.

10.4.8. O servidor Apache HTTP ou Sendmail pára de responder durante a inicialização.

Se o Apache HTTP Server (httpd) ou Sendmail pára de responder durante a inicialização, certifique-se de que a linha a seguir está no arquivo /etc/hosts:
127.0.0.1  localhost.localdomain  localhost

Parte II. Arquitetura IBM POWER - Instalação e Inicialização

O Guia de Instalação do Red Hat Enterprise Linux para sistemas IBM POWER discute sobre a instalação do Red Hat Enterprise Linux e algumas soluções de problemas pós instalação básicas. Para opções de instalação avançada, consulte o Parte IV, “Opções avançadas de instalação”.

Importante

Lançamentos anteriores do Red Hat Enterprise Linux suportavam as arquiteturas 32 bits e 64 bits POWER ( ppc e ppc64 respectivamente). O Red Hat Enterprise Linux 6 suporta somente em arquiteturas 64 bits POWER (ppc64).

Capítulo 11. Planejamento para instalação na arquitetura POWER

11.1. Atualizar ou Instalar?

Para informações sobre como determinar se você precisa executar uma atualização ou uma instalação, consulte o Capítulo 37, Atualizando o seu Sistema Atual.

11.2. Preparação para IBM eServer System p

Importante

Assegure-se que o parâmetro de inicialização de base real está definido para c00000, caso contrário você pode encontrar erros como:
DEFAULT CATCH!, exception-handler=fff00300
Os sistemas IBM eServer System p trazem diversas opções de particionamento, dispositivos virtuais ou nativos, e consoles. Ambas as versões do sistema usam o mesmo kernel e têm muitas das mesmas opções disponíveis, dependendo da configuração do sistema.
Se você está usando um sistema System p não-particionado, não precisa de nenhuma configuração pré-instalação. Para sistemas usando o console serial HVSI, conecte seu console à porta serial T2.
Se usar um sistema particionado, seja um IBM System p, os passos para criar a partição e iniciar a instalação são praticamente os mesmos. Você deve criar a partição no HMC e atribuir alguns recursos da CPU e memória, assim como recursos SCSI e Ethernet, que podem ser virtuais ou nativos. O HMC cria passos de assistência que te guiam através da criação.
Para maiores informações sobre a criação de partições, consulte o o artigo do Infocenter da IBM disponível online em Particionando para Linux com um HMC disponível online em: http://publib.boulder.ibm.com/infocenter/powersys/v3r1m5/topic/iphbi_p5/iphbibook.pdf
Se você está usando recursos SCSI virtuais, ao invés de SCSI nativos, deve configurar um 'link' para o SCSI virtual servindo a partição, e então configurar o próprio SCSI virtual. Você cria um 'link' entre o SCSI virtual cliente e os slots do servidor usando o HMC. Você pode configurar um servidor SCSI virtual no AIX ou i5/SO, dependendo do modelo e opções disponíveis.
Para mais informações sobre dispositivos virtuais, veja o IBM Redbook Virtualizing an Infrastructure with System p and Linux at: http://publib-b.boulder.ibm.com/abstracts/sg247499.html
Uma vez configurado o sistema, você precisa Ativar pelo HMC ou ligá-lo. Dependendo do tipo de instalação sendo efetuado, talvez seja necessário configurar o SMS para inicializar o sistema corretamente no programa de instalação.

11.3. RAID e outros dispositivos de disco

Importante

O Red Hat Enterprise Linux   usa mdraid instead of dmraid para instalação nos conjuntos BIOS RAID. Estes conjuntos são detectados automaticamente, e os dispositivos com os metadados do Intel ISW são reconhecidos como mdraid ao invés de dmraid. Observe que os nomes de nós de dispositivo de qualquer dispositivo sob o mdraid são diferentes de seus nomes de nó de dispositivo sob o dmraid. Sendo assim, as precauções especiais são necessárias quando você migrar sistemas com os conjuntos da Intel BIOS RAID.
Modificações locais no /etc/fstab, /etc/crypttab ou outros arquivos de configuração, os quais referem à dispositivos pelos nomes de nós de dispositivo, não funcionarão no Red Hat Enterprise Linux 6. Antes de migrar estes arquivos, edite-os para substituir os caminhos de nós de dispositivo pelo dispositivo UUIDs ao invés disso. Você poderá encontrar os UUIDs de dispositivos com o comando blkid.

11.3.1. RAID por software

O RAID, ou Redundant Array of Independent Disks (Matriz Redundante de Discos Independentes), permite que um grupo de drives aja como um dispositivo único. Configure qualquer função de RAID fornecida pela placa principal do seu computador, ou anexado às placas de controller, antes de iniciar o processo de instalação. Cada matriz de RAID ativa aparece como um drive dentro do Red Hat Enterprise Linux.
Em sistemas com mais de um hard drive, você pode configurar o Red Hat Enterprise Linux para operar diversos drives como uma matriz de RAID do Linux sem precisar qualquer hardware adicional.

11.3.2. RAID por software

Você pode usar o programa de instalação do Red Hat Enterprise Linux para criar as matrizes de RAID por Software do Linux, onde as funções do RAID são controladas pelo sistema operacional ao invés do hardware dedicado. Estas funções são explicadas em detalhes em Seção 16.17, “Criando um Layout Padronizado ou Modificando o Layout Padrão”.

11.3.3. Discos FireWire e USB

Alguns discos rígidos de USB e FireWire podem não ser reconhecidos pelo sistema de instalação do Red Hat Enterprise Linux. Se a configuração destes discos no momento da instalação não for vital, disconecte-os para evitar qualquer confusão.

Nota

Você pode conectar e configuar discos rigidos USB e FireWire após a instalação. A maioria destes dispositivos são reconhecidos pelo kernel e disponível para uso naquele momento.

11.4. Você Tem Espaço Suficiente em Disco?

Quase todos sistemas operacionais (OSs) modernos usam partições de disco, e o Red Hat Enterprise Linux não é uma exceção. Ao instalar o Red Hat Enterprise Linux, talvez você precise lidar com partições de disco. Se você não teve a oportunidade de lidar com partições de disco anteriormente (ou precisa de uma rápida revisão dos conceitos básicos), consulte Apêndice A, Introdução às Partições de Disco antes de continuar.
O espaço de disco utilizado pelo Red Hat Enterprise Linux deve ser diferente do espaço de disco utilizado por quaisquer outros SOs que estejam instalados em seu sistema.
Antes de começar o processo de instalação, você deve
  • possua suficiente não particionado[5] espaço de disco para a isntalação do Red Hat Enterprise Linux, ou
  • ter uma ou mais partições que possam ser removidas, livrando assim espaço suficiente para a instalação do Red Hat Enterprise Linux.
Para poder dimensionar melhor quanto espaço de disco você realmente precisa, consulte os tamanhos de partições recomendados discutidos na Seção 16.17.5, “Esquema de Particionamento Recomendado”. .

11.5. Escolher Método de Inicialização

A instalação a partir de um DVD requer que você tenha comprado um produto Red Hat Enterprise Linux, que você tenha um DVD do Red Hat Enterprise Linux 6, e que você tenha um drive de DVD em um sistema que suporte a inicialização a partir dele. Consulte o Capítulo 2, Criando Mídia para instruções de como fazer uma instalação de DVD.
Além de inicializar a partir de um DVD de instalação, você também pode inicializar o programa de instalação do Red Hat Enterprise Linux a partir da mídia de inicialização mínima na forma de um CD inicializável. Após inicializar o sistema com o CD, complete-a a partir de uma fonte diferente de instalação, tal como um hard drive local ou um local em rede. Consulte o Seção 2.2, “Criando uma Mídia Mínima de Inicialização” para obter instruções sobre como fazer CDs de inicialização.


[5] Espaço de disco Não Particionado significa que espaço disponível no disco em que você está instalando não foi dividido em seção para dados. Quando você particiona um disco, cada partição se comporta como um disco separado.

Capítulo 12. Preparando para a Instalação

12.1. Preparando para uma instalação de Rede.

Importante

O módulo eHEA falha ao inicializar se o 16 GB huge pages for atribuído à um sistema ou partição e a linha de comando do kernel não contiver os parâmetros do huge page. Por tanto, quando realizar uma instalação de rede através de um adaptador de ethernet eHEA da IBM, você não poderã atribuir o huge pages ao sistema ou partição durante a instalação. Páginas grandes devem funcionar.

Nota

Certifique-se de que o DVD de instalação (ou qualquer outro tipo de DVD ou CD) não esteja no drive de CD/DVD do seu sistema se você estiver executando uma instalação por rede. Um DVD ou CD no drive pode causar erros inesperados.
Certifique-se de que você possui a mídia de inicialização disponível no CD, DVD, ou um dispositivo de armazenamento de USB tal como um disquete.
A mídia de instalação do Red Hat Enterprise Linux deve estar disponível para uma instalação de rede (via NFS, FTP, HTTPS ou HTTP) ou para uma instalação via armazenamento local. Use os passos seguintes se for executar uma instalação através do NFS, FTP,HTTP ou HTTPS.
O servidor NFS, FTP, HTTPS ou HTTP a ser usado para a instalação através da rede deve ser uma máquina separada capaz de oferecer todos os arquivos de todos os CD-ROMs de instalação ou do DVD-ROM de instalação.

Nota

O anaconda tem a habilidade de testar a integridade da mídia de instalação. Funciona para os métodos de instalação através de CD, DVD, ISO de disco rígido e ISO de NFS. A Red Hat recomenda que você teste todas as mídias de instalação antes de começar o processo de instalação e antes de relatar quaisquer erros relacionados à instalação (muitos dos erros relatados ocorrem devido a DVDs mal gravados). Para usar esse teste, digite o seguinte comando no prompt yaboot::
	linux mediacheck

Nota

O diretório público usado para acessar os arquivos de instalação sob o FTP, HTTPSNFS ou HTTP é mapeado para um armazenamento local no servidor de rede. Por exemplo, o diretório local, /var/www/inst/rhel6 no servidor de rede pode ser acessado como http://network.server.com/inst/rhel6.
Nos exemplos a seguir, o diretório no servidor atuando como base da instalação que irá conter os arquivos de instalação serão especificados como /location/of/disk/space. O diretório que estará disponível publicamente através do FTP, NFS, HTTPS ou HTTP será chamado de /publicly_available_directory. Por exemplo, /location/of/disk/space pode ser um diretório chamado /var/isos. E o /publicly_available_directory pode ser o /var/www/html/rhel6, para uma instalação HTTP.
No seguinte, você precisará de um ISO image. Uma imagem ISO é um arquivo que contém uma cópia exata do conteúdo de um DVD. Para criar uma imagem ISO do DVD use o seguinte comando:
dd if=/dev/dvd of=/path_to_image/name_of_image.iso
onde dvd é o seu dispositivo de drive DVD, name_of_image é o nome que você dá ao arquivo de imagem ISO resultante, epath_to_image é o caminho do local de seu sistema onde a imagem ISO resultante foi armazenada.
Para copiar os arquivos do DVD de instalação para uma máquina Linux, que atua como um servidor da plataforma de instalação, siga Seção 12.1.1, “Preparando para uma instalação de FTP, HTTP e HTTPS.” or Seção 12.1.2, “Preparando para uma instalação de NFS”.

12.1.1. Preparando para uma instalação de FTP, HTTP e HTTPS.

Extraia os arquivos de imagem ISO do DVD de instalação e coloque-os em um diretório que seja compartilhado em FTP, HTTPS e HTTP.
Depois, certifique-se que o diretório é compartilhado via FTP, HTTPS ou HTTP, e verifique o acesso ao cliente. Teste para ver se o diretório está acessível a partir do servidor, e depois de outra máquina na mesma subrede na qual você estará instalando.

12.1.2. Preparando para uma instalação de NFS

Para a instalação dem NFS não é necessário extrair todos os arquivos da imagem ISO. É suficiente disponibilizar uma imagem ISO, o arquivo install.img e opcionalmente o arquivo product.img no servidor de red evia NFS.
  1. Transfira a imagem ISO para o diretório exportado da NFS. Em um sistema Linux, execute:
    mv /path_to_image/name_of_image.iso /publicly_available_directory/
    onde path_to_image é o caminho para o arquivo de imagem ISO, o name_of_image é o nome do arquivo de imagem ISO, e o publicly_available_directory é o diretório que está disponível sob o NFS ou que você pretenda disponibilizar sob a NFS.
  2. Use um programa checksum SHA256 para verificar se a imagem ISO que você copiou está intacta. Muitos programas checksum SHA256 estão disponíveis para diversos sistemas operacionais. Em um sistema Linux, execute:
    $ sha256sum name_of_image.iso
    onde name_of_image é o nome do arquivo de imagem ISO. O programa SHA256 checksum exibe uma faixa de 64 caracteres chamada hash. Compare este hash com o hash exibido para esta imagem específica na página Download Softwareno Red Hat Network (consulte o Capítulo 1, Adquirindo o Red Hat Enterprise Linux). Os dois devem ser idênticos.
  3. Copie o diretório images/ dentro de dentro da imagem ISO para o mesmo diretório no qual você armazenou o arquivo de imagem. Insira os seguintes comandos:
    mount -t iso9660 /path_to_image/name_of_image.iso /mount_point -o loop,ro
    cp -pr /mount_point/images /publicly_available_directory/
    umount /mount_point
    onde path_to_image é o caminho para o arquivo de imagem ISO, name_of_image é o nome do arquivo de imagem ISO e mount_point é um ponto de montagem para montar a imagem enquanto os arquivos de são copiados para a imagem. Por exemplo:
    mount -t iso9660 /var/isos/RHEL6.iso /mnt/tmp -o loop,ro
    cp -pr /mnt/tmp/images /var/isos/
    umount /mnt/tmp
    O arquivo de imagem ISO, e um diretório images/ estão lado a lado no mesmo diretório.
  4. Verifique se o diretório images/ contém ao menos o arquivo install.img, sem o qual a instalação não pode proceder. Como forma alternativa, o diretório images/ deve conter o arquivo product.img sem o qual somente os pacotes para uma instalação Minimal estará disponível durante o estágio da seleção de grupo de pacotes ( consulte o Seção 16.19, “Seleção do Grupo de Pacotes”).

    Importante

    install.img e product.img devem ser somente arquivos no diretório images/.
  5. Certifique-se de que existe uma entrada para o diretório disponível publicamente no arquivo /etc/exports no servidor de rede para que o diretório esteja disponível via NFS.
    Para exportar um diretório de somente leitura para um sistema específico, use:
    /publicly_available_directory client.ip.address (ro)
    Para exportar um diretório de somente leitura para todos os sistemas, use:
    /publicly_available_directory * (ro)
  6. No servidor de rede, inicie um daemon NFS (em um sistema Red Hat Enteprise Linux, use o /sbin/service nfs start). Se o NFS já estiver sendo executado, recarregue o arquivo de configuração (em um sistema Red Hat Enterprise Linux use o /sbin/service nfs reload).
  7. Tenha a certeza de testar a opção NFS seguindo as direções no Red Hat Enterprise Linux Deployment Guide. Consulte sua documentação NFS para detalhes sobre como iniciar e parar um servidor NFS.

Nota

Oanaconda tem a habilidade de testar a integridade da mídia de instalação. Funciona para os métodos de instalação através de DVD, ISO de disco rígido e ISO de NFS. A Red Hat recomenda que você teste todas as mídias de instalação antes de começar o processo de instalação e antes de relatar quaisquer erros relacionados à instalação (muitos dos erros relatados ocorrem devido a CDs mal gravados). Para usar esse teste, digite o seguinte comando no prompt boot::
linux mediacheck

12.2. Preparando para uma instalação de Hard Drive

Nota

Instalações no disco rígido funcionam somente em sistemas de arquivo ext2, ext3, ext4 ou FAT. Você não opode usar hard drives formatados para qualquer sistema de arquivo como uma fonte de instalação do Red Hat Enterprise Linux.
Para verificar o sistema de arquivo de uma partição de hard drive em um sistema operacional Windows, use a ferramenta Disk Management. Para verificar o sistema de arquivo de uma partição de hard drive em um sistema operacional Linux, use a ferramenta fdisk.

Importante

Você não pode usar os arquivos ISO controlados pelo LVM ((Logical Volume Management).
Use esta opção para instalar o Red Hat Enterprise Linux nos sistemas sem um drive de DVD ou uma conexão de rede.
As instalações de hard drive usam os seguintes arquivos:
  • uma ISO image de um DVD de instalação. Uma ISO image é um arquivo que contém uma cópia exata do conteúdo de um DVD.
  • um arquivo install.img extraído de um ISO image.
  • opcionalmente, um arquivo product.img extraído de um ISO image.
Com estes arquivos presentes em um hard drive, você pode escolher o Hard drive como uma fonte de instalação quando você inicializar o programa de instalação (consulte o Seção 15.3, “Método de Instalação”).
Certifique-se de que você possui a mídia de inicialização disponível no CD, DVD, ou um dispositivo de armazenamento de USB tal como um disquete.
Para preparar o hard drive como uma fonte de instalação, siga estes passos:
  1. Obtenha uma imagem ISO do DVD de instalação do Red Hat Enterprise Linux (consulte o Capítulo 1, Adquirindo o Red Hat Enterprise Linux). Como forma alternativa, se você tiver o DVD na mídia física, você poderá criar uma imagem dela com o seguinte comando em um sistema Linux.
    dd if=/dev/dvd of=/path_to_image/name_of_image.iso
    onde dvd é o seu dispositivo de drive DVD, name_of_image é o nome que você dá ao arquivo de imagem ISO resultante, epath_to_image é o caminho do local de seu sistema onde a imagem ISO resultante foi armazenada.
  2. Transfira a imagem ISO para o hard drive.
    A imagem ISO deve ser localizada em um hard drive que seja interno no computador, no qual você irá instalar o Red Hat Enterprise Linux, ou um hard drive que seja anexado ao computador por um USB.
  3. Use um programa checksum SHA256 para verificar se a imagem ISO que você copiou está intacta. Muitos programas checksum SHA256 estão disponíveis para diversos sistemas operacionais. Em um sistema Linux, execute:
    $ sha256sum name_of_image.iso
    onde name_of_image é o nome do arquivo de imagem ISO. O programa SHA256 checksum exibe uma faixa de 64 caracteres chamada hash. Compare este hash com o hash exibido para esta imagem específica na página Download Softwareno Red Hat Network (consulte o Capítulo 1, Adquirindo o Red Hat Enterprise Linux). Os dois devem ser idênticos.
  4. Copie o diretório images/ dentro de dentro da imagem ISO para o mesmo diretório no qual você armazenou o arquivo de imagem. Insira os seguintes comandos:
    mount -t iso9660 /path_to_image/name_of_image.iso /mount_point -o loop,ro
    cp -pr /mount_point/images /publicly_available_directory/
    umount /mount_point
    onde path_to_image é o caminho para o arquivo de imagem ISO, name_of_image é o nome do arquivo de imagem ISO e mount_point é um ponto de montagem para montar a imagem enquanto os arquivos de são copiados para a imagem. Por exemplo:
    mount -t iso9660 /var/isos/RHEL6.iso /mnt/tmp -o loop,ro
    cp -pr /mnt/tmp/images /var/isos/
    umount /mnt/tmp
    O arquivo de imagem ISO, e um diretório images/ estão lado a lado no mesmo diretório.
  5. Verifique se o diretório de images/ contém ao menos o arquivo install.img, sem o qual não será possível proceder sem a instalação. Opcionalmente, o diretório images/ deve conter o arquivo product.img, sem o qual somente os pacotes para uma instalação Minimal será disponibilizada durante o estágio de seleção do grupo de pacote (consulte o Seção 9.18, “Seleção do Grupo de Pacotes”).

    Importante

    install.img e product.img devem ser somente arquivos no diretório images/.

Nota

Oanaconda tem a habilidade de testar a integridade da mídia de instalação. Funciona para os métodos de instalação através de DVD, ISO de disco rígido e ISO de NFS. A Red Hat recomenda que você teste todas as mídias de instalação antes de começar o processo de instalação e antes de relatar quaisquer erros relacionados à instalação (muitos dos erros relatados ocorrem devido a CDs mal gravados). Para usar esse teste, digite o seguinte comando no prompt boot::
linux mediacheck

Capítulo 13. Atualizando drivers durante a instalação em sistemas IBM POWER

Na maioria dos casos, o Red Hat Enterprise Linux já inclui os drivers para os dispositivos que constituem seu sistema. No entanto, se seu sistema contiver hardware que já tenha sido lançado muito recentemente, os drivers para este hardware podem ainda não estar inclusos. As vezes, uma atualização de driver que fornece suporte para um novo dispositivo pode estar disponível na Red Hat ou em seu fabricante de hardware como ISO image file or a rpm package. Geralmente, o disco de driver está disponível para download como um ISO image file.
Geralmente, você não precisa de novo hardware durante o processo de instalação. Por exemplo, se você usar um DVD para instalar em um disco rígido local, a instalação será bem sucedida, mesmo se os drivers para sua placa de rede não estiverem disponíveis. Em situações como esta, conclua a instalação e adicione o suporte para a parte do hardware depois — consulte o Seção 35.1.1, “Pacotes de rpm de atualizações do driver” para detalhes sobre como adicionar este suporte.
Em outras situações, você pode querer adicionar drivers para um dispositivo durante o processo de instalação para suportar uma configuração em particular. Por exemplo, você pode querer instalar drivers para um dispositivo de rede ou uma placa de adaptador de armazenamento para dar acessso ao instalador para os dispositivos de armazenamento que seu sistema utiliza. Você pode usar um arquivo de imagem de atualização de driver para adicionar este suporte durante a instalação em uma das seguintes três formas:
  1. coloque o arquivo de imagem ISO do disco de driver em um local acessível para o instalador:
    1. em um hard drive local
    2. um flash drive USB
  2. crie um disco de driver extraindo o arquivo de imagem em:
    1. um CD
    2. um DVD
    Consulte as instruções para fazer discos de instalação em Seção 2.1, “Criando um DVD de Instalação” para mais informações sobre como gravar arquivos de imagem ISO em um CD ou DVD.
  3. crie uma atualização inicial de ramdisk a partir do arquivo de imagem, e armazene-o em um servidor PXE. ocê deve seguir este procedimento avançado somente se não for possível atualizar o driver com qualquer outro método.
Se a Red Hat, seu fabricante de hardware, ou um terceiro de confiança lhe falar que você precisa de uma atualização de driver durante o processo de instalação, escolha o método para fornecer a atualização a partir dos métodos descritos neste capítulo e teste-o antes de inciar a instalação. Não realize uma atualização de driver durante a instalação a menos que você esteja certo de que seu sistema requer uma. Embora instalar uma atualização de driver desnecessária, não cause nenhum dano, a presença de um driver em um sistema para o qual não tenha sido necessário, pode complicar o suporte.

13.1. Limitações de atualização de driver durante a Instalação

Infelizmente, algumas situações persistem de modo que não se pode usar uma atualização de um driver para fornecer drivers durante a instalação:
Dispositivos já em uso
Você não pode usar uma atualização de driver para substituir drivers que o programa de instalação já carregou. Ao invés disso, conclua a instalação como o driver que o programa de instalação carregou e atualize para novos drivers após a instalação, ou se precisar dos novos drivers para o processo de instalação, considere realizar um disco RAM inicial da atualização do driver de disco — consulte Seção 13.2.3, “Preparando uma atualização de disco RAM inicial”.
Dispositivos com um dispositivo equivalente disponível
Como todos os dispositivos do mesmo tipo são inicializados juntos, você não pode atualizar os drivers para um dispositivo se o programa de instalação carregou drivers para um dispositivo semelhante. Por exemplo, considere um sistema que possui dois adaptadores de rede diferentes, um do qual possui uma atualização de driver disponível. O programa de instalação irá inicializar ambos adaptadores ao mesmo tempo e portanto, você não conseguirá usar esta atualização de driver. Novamente, conclua a instalação com os drivers carregados pelo programa de instalação e atualize para os novos drivers após a instalação ou use uma atualização de driver de disco de RAM.

13.2. Preparando para uma atualização de driver durante a Instalação

Se uma atualização de driver for necessária e disponível em seu hardware, a Red Hat ou um terceiro tal como o fabricante de hardware, irá fornecê-lo em forma de um arquivo de imagem em formato ISO. Alguns métodos de realizar um atualização de driver requrem que você torne o arquivo de imagem disponível para o programa de instalação, outros requerem que você use o arquivo de imagem para tornar um disco de atualização de driver e outros requerem que você prepare uma atualização de disco de RAM inicial:
Métodos que usam o próprio arquivo de imagem
  • em um hard drive local
  • USB flash drive
Métodos que usam um disco de atualização de driver, produzido a partir de um arquivo de imagem
  • CD
  • DVD
Métodos que usam uma atualização de disco de RAM inicial
  • PXE
Escolha um método para realizar uma atualização de driver, e consulte o Seção 13.2.1, “Preparando para usar um arquivo de imagem de atualização de driver.”, Seção 13.2.2, “Preparando um disco de driver.” or Seção 13.2.3, “Preparando uma atualização de disco RAM inicial”. Note que você pode usasr um dispositivo de armazenamento USB para criar um arquivo de imagem, ou um disco de atualização de driver.

13.2.1. Preparando para usar um arquivo de imagem de atualização de driver.

13.2.1.1. Preparando par ausar um arquivo de imagem em armazenamento local.

Para tornar um arquivo de imagem ISO disponível no armazenamento local, como o flash drive de USB, o disco rígido de USB ou o disco rígido do IDE local, simplesmente copie o arquivo para o dispositivo de armazenamento. Você pode renomear o arquivo se desejar, mas não é necessário mudar a extensão do nome de arquivo, o qual pode ficar como .iso. No exemplo a seguir, o arquivo é chamado de dd.iso:
Conteúdo de um flash drive de USB que retém um arquivo de imagem de atualização de driver.

Figura 13.1. Conteúdo de um flash drive de USB que retém um arquivo de imagem de atualização de driver.

Observe que se você utilizar este método, o dispositivo de armazenamento irá conter somente um único arquivo. Isto difere de discos de atualização de driver em formatos como o CD e DVD os quais contém diversos arquivos. O arquivo de imagem ISO contém todos os arquivos que teria geralmente em um disco de atualização.
Se você mudar o rótulo de sistema de arquivo do dispositivo no OEMDRV, o programa de instalação irá examiná-lo automaticamente para atualizações do driver e carregar qualquer um que ele detectar. Este comportamento é controlado pela opção de inicialização dlabel=on, a qual é habilitada por padrão. Consulte a Seção 13.3.1, “Deixe que o instalador encontre automaticamente um disco de atualização de driver. ”.

13.2.2. Preparando um disco de driver.

Você pode criar um disco de atualização de driver no CD ou DVD.

13.2.2.1. Criando um disco de atualização de driver no CD ou DVD.

Importante

CD/DVD Creator é parte do desktop GNOME. Se você usar um desktop Linux diferente, ou um sistema operacional diferente, você precisará usar outra parte do software para criar o CD ou DVD. Estes passos serão no geral semelhantes.
Assegure-se que o software de sua escolha pode criar CDs e DVDs de arquivos de imagem. Embora a maioria dos softwares de gravação criem CD e DVDs, existem exceções. Procure por um botão ou entrada de menu rotulada como grave a partir da imagem ou algo semelhante. Se seu software não possuir este recurso, ou se você não selecioná-lo, o disco irá reter somente o arquivo de imagem, ao invés de conteúdo do arquivo de imagem.
  1. Use o gerenciador de arquivo do desktop para localizar o arquivo de imagem ISO de atualização do driver fornecido pela Red Hat ou pelo seu fabricante de hardware.
    Um arquivo .iso típico em uma janela de gerenciador de arquivo

    Figura 13.2. Um arquivo .iso típico em uma janela de gerenciador de arquivo

  2. Clique com o botão da direita neste arquivo e escolha Grave no disco. Você verá uma janela semelhante à esta:
    Caixa de Diálogo do Disco de Gravação do Criador do CD/DVD

    Figura 13.3. Caixa de Diálogo do Disco de Gravação do Criador do CD/DVD

  3. Clique em Gravar. Se um disco em branco não estiver no drive, CD/DVD Creator irá pedir que você ensira um.
Depois que você gravar um disco de CD ou DVD de atualização de driver, verifique se o disco foi criado com sucesso ao inserí-lo em seu sistema e navegar nele usando o gerente de arquivo. Deverá aparecer uma lista de arquivos com o nome de rhdd3 e um diretório rpms:
Conteúdo de um disco de atualização de driver típico em CD ou DVD.

Figura 13.4. Conteúdo de um disco de atualização de driver típico em CD ou DVD.

Se você ver somente um arquivo único finalizado em .iso, então você não criou o disco corretametne e deve tentar novamente. Certifique-se que escolheu uma opção semelhante à copiar a partir da imagem se você usar um desktop Linux ao invés de um GNOME ou se você usar um sistema operacional diferente.

13.2.3. Preparando uma atualização de disco RAM inicial

Importante

Este é um procedimento avançado que você deve considerar somente se não conseguir realizar uma atualização de driver com qualquer outro método.
O programa de instalação do Red Hat Enterprise LInux pode carregar atualizações para si só no início do processo de instalação a partri do disco RAM — uma área da memória de seu computador que se comporta temporariamente como se fosse um disco. Você pode usar esta mesma capacidade para carregar atualizações de driver. Para realizar uma atualização de driver durante a instalação, seu computador precisa conseguir inicializar a partir do servidor ambiente de execução pré-inicialização (PXE). e você precisa ter um servidor PXE disponível em sua rede. Consulte a Capítulo 30, Configurando um Servidor de Instalação para obter instruções sobre como usar o PXE durante a instalação.
Para tornar a atualização de driver disponível em seu servidor PXE:
  1. Coloque o arquivo de imagem atualizada em seu servidor PXE. Geralmente, você faria isto ao baixá-lo no servidor do PXE de um local na internet especificado pela Red Hat ou pelo seu fabricante. Nomes de arquivos de imagem de atualização de driver terminam em .iso.
  2. Copie o arquivo de imagem de atualização de driver para o diretório /tmp/initrd_update directory.
  3. Renomeie o arquivo de imagem de atualização de driver para dd.img.
  4. Na linha de comando, mude para o diretório /tmp/initrd_update, digite o seguinte comando, e pressione Enter:
    find . | cpio --quiet -o -H newc | gzip -9 >/tmp/initrd_update.img
    
  5. Copie o arquivo /tmp/initrd_update.img para o diretório que contém o alvo que você deseja usar para a instalação. Este diretório é colocado sob o diretório /tftpboot/pxelinux/. Por exemplo, /tftpboot/pxelinux/r6c/ deve conter o alvo PXE para o Servidor Red Hat Enterprise Linux 6 Cliente.
  6. Edite o arquivo /tftpboot/pxelinux/pxelinux.cfg/default para incluir uma entrada que inclui a atualização de disco RAM inicial que você acabou de criar, no seguinte formato:
    label target-dd
    kernel target/vmlinuz
    append initrd=target/initrd.img,target/dd.img
    
    Onde alvo é o alvo que você deseja usar para a instalação.
Consulte o Seção 13.3.4, “Selecione o alvo PXE que inclua uma atualização de driver.” para aprender como usar uma atualização de disco RAM inicial durante a instalação.

Exemplo 13.1. Preparando uma atualização de disco RAM inicial de um arquivo de imagem de atualização de driver.

Neste exemplo, o driver_update.iso é um arquivo de imagem de atualização de driver que você baixou da internet para um diretório em seu servidor PXE. O alvo de onde você quer inicializar um PXE está localizado no /tftpboot/pxelinux/r6c.
Em uma linha de comando, mude para o diretório que possui o arquivo e ensira os seguintes comandos:
$ cp driver_update.iso /tmp/initrd_update/dd.img
$ cd /tmp/initrd_update
$ find . | cpio --quiet -c -o -H newc | gzip -9 >/tmp/initrd_update.img
$ cp /tmp/initrd_update.img /tftpboot/pxelinux/r6c/dd.img
Edite o arquivo /tftpboot/pxelinux/pxelinux.cfg/default e inclua a seguinte entrada:
label r6c-dd
kernel r6c/vmlinuz
append initrd=r6c/initrd.img,r6c/dd.img

13.3. Realizando uma atualização de driver durante a instalação

Você pode realizar uma atualização de driver durante a instalação das seguintes maneiras:
  • deixe que o instalador encontre automaticamente um disco de atualização de driver.
  • deixe que o instalador lhe peça por uma atualização de driver.
  • use uma opção de inicialização para especificar um disco de atualização de driver.
  • selecione o alvo PXE que inclua uma atualização de driver.

13.3.1. Deixe que o instalador encontre automaticamente um disco de atualização de driver.

Anexe um dispositivo de bloco com o rótulo do sistema de arquivos OEMDRV antes de iniciar o processo de instalação. O instalador irá examinar automaticamente o dispositivo para carregar qualquer atualização de driver que ele detecte e não lhe chamará mais durante o processo. Consulte o Seção 13.2.1.1, “Preparando par ausar um arquivo de imagem em armazenamento local.” para preparar um dispositivo de armazenamento para que o instalador encontre.

13.3.2. Deixe que o instalador lhe peça por uma atualização de driver.

  1. Comece a instalação normalmente para qualquer método que tenha escolhido. Se o instalador não consegue carregar drivers em um pedaço do hardware que seja essencial para o processo de instalação (por exemplo, se ele não conseguir detectar qualquer rede ou controladores de armazenamento), ele pedirá que você insira um disco de atualização de driver:
    Caixa de diálogo 'Não foi encontrado nenhum driver'

    Figura 13.5. Caixa de diálogo 'Não foi encontrado nenhum driver'

13.3.3. Use uma opção de inicialização para especificar um disco de atualização de driver.

Importante

Este método funciona somente para introduzir drivers completamente novos, não para atualizar drivers existentes.
  1. Digite linux dd no terminal de inicialização no início do processo de instalação e clique em Enter. O instalador pede que você confirme que você possui um disco de unidade:
    A solicitação do disco de driver

    Figura 13.6. A solicitação do disco de driver

  2. Ensira o disco de atualização do driver que você criou em um CD, DVD ou um flash drive USB e selecione Yes. O instalador examina os dispositivos de armazenamento que ele conseguiu detectar. Se existir somente um local possível que pudesse conter um disco de driver (por exemplo, o instalador detecta a presença de um disquete mas não outros dispositivos de armazenamento) ele carregará automaticamente qualquer atualização de driver que ele encontrar neste local.
    Se o instalador encontrar mais do que um local que possua uma atualização de driver, ele pedirá que você especifique o local da atualização. Consulte o Seção 13.4, “Especificando o local de um arquivo de imagem de atualização de driver ou um disco de atualização de driver.” .

13.3.4. Selecione o alvo PXE que inclua uma atualização de driver.

  1. Selecione network boot em seu BIOS do computador ou menu de inicialização. O procedimento para especificar esta opção varia muito entre computadores diferentes. Consulte sua documentação de hardware ou o fabricante de hardware para aspectos específicos sobre seu computador.
  2. No ambiente de inicialização de pré-execução (PXE), escolha o alvo de inicialização que você preparou em seu servidor PXE. Por exemplo, se você rotulou este ambiente r6c-dd no arquivo /tftpboot/pxelinux/pxelinux.cfg/default em seru servidor PXE, digite r6c-dd na janela e clique em Enter.
Consulte o Seção 13.2.3, “Preparando uma atualização de disco RAM inicial” and Capítulo 30, Configurando um Servidor de Instalação para instruções sobre o uso do PXE para realizar uma atualização durante a instalação. Note que este é um procedimento avançado — não tente realizá-lo a menos que outros métodos falhem.

13.4. Especificando o local de um arquivo de imagem de atualização de driver ou um disco de atualização de driver.

Se o instalador detectar mais do que um dispositivo possível que possa conter uma atualização de driver, ele lhe pedirá que selecione o dispositivo correto. Se você não tiver certeza qual opção representa o dispositivo no qual a atualização do driver está armazenada, tente diversas opções para que encontre a correta.
Selecionando uma fonte de driver de disco.

Figura 13.7. Selecionando uma fonte de driver de disco.

Se o dispositivo que você escolher não possuir nenhuma mídia de atualização adequada, o instalador lhe pedirá que faça outra escolha.
Se você mudou um disco de atualização de driver para um disquete, CD, DVD ou dispositivo de armazenamento de USB, o instalador agora carrega a atualização de driver. No entanto, se o dispositivo que você selecionou é um tipo de dispositivo que pode conter mais do que uma partição (sendo o dispositivo atual com mais de uma partição ou não), o instalador pode lhe pedir para selecionar a partição que tiver a atualização do driver.
Selecionando uma partiçãpo de driver de disco

Figura 13.8. Selecionando uma partiçãpo de driver de disco

O instalador pede que você especifique qual arquivo possui a atualização de driver.
Selecionando uma imagem ISO

Figura 13.9. Selecionando uma imagem ISO

Você verá estas telas se você armazenou a atualização do driver em um disco rígido interno ou em um dispositivo de armazenamento USB. Você não deve vê-los se a atualização estiver em um disquete, CD ou DVD.
Mesmo que você esteja fornecendo uma atualização de driver em forma de um arquivo de imagem ou com um disco de atualização, o instalador agora copiará os arquivos de atualização apropriados em uma área temporaria de armazenamento (localizada na RAM do sistema ou em um disco). O instalador pode perguntar se você gostaria de usar atualizações adicionais de driver. Se você selecionar Yes, você pode carregar as atualizações adicionais uma a uma. Quando você não tiver mais atualizações para carregar selecione No, se você armazenou as atualizações em uma mídia removível você poderá ejetar com segurança ou disconectar o disco ou dispositivo. O instalador não precisará da atualização do driver e você poderá reusar a mídia para outros propósitos.

Capítulo 14. Iniciando o Instalador

Importante

Em algumas máquinas o yaboot pode não inicializar, retornando mensagem de erro:
Cannot load initrd.img: Claim failed for initrd memory at 02000000 rc=ffffffff
Para solucionar este problema, mude o real-base para c00000. Você pode obter o valor de real-base da seleção de OpenFirmware com o comando printenv e configurar o valor com o setenv
Para inicializar um sistema IBM System p a partir de um DVD, você deve especificar o dispositivo de inicialização da instalação no menu Serviços de Administração do Sistema (SMS).
Para entrar nos Serviços de Administração do Sistema GUI (gráficos), pressione a tecla 1 durante o processo de inicialização quando você ouvir o som (chime). Isto traz uma interface gráfica similar àquela descrita nesta seção.
Em um console de texto, pressione 1 quando o auto-teste exibir o banner juntamente aos componentes testados:
Console SMS

Figura 14.1. Console SMS

No menu SMS, selecione a opção Selecionar Opções Boot. Neste menu, escolha Selecionar Instalar ou Iniciar um Dispositivo Boot. Ali, escolha CD/DVD e então o tipo de canal (SCSI, na maioria dos casos). Se você não estiver certo, pode selecionar visualizar todos os dispositivos, incluindo adaptadores de rede e discos rígidos.
Finalmente, selecione o dispositivo contendo o DVD de instalação. O Yaboot é carregado a partir deste dispositivo e lhe é apresentado um prompt boot:. Pressione Enter ou espere até que o tempo limite expire para que a instalação comece.
Use yaboot com vmlinuz e ramdisk para inicializar seu sistema sob a rede. Você não pode usar o ppc64.img para inicializar sob a rede, este arquivo é muito grande para o TFTP.

14.1. O menu de Inicialização

O instalador exibe a solicitação boot:. Por exemplo:
IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM 
IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM 
IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM 
IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM 
IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM 
IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM 
IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM 
IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM 
IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM 
IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM IBM 
/
Elapsed time since release of system processors: 276 mins 49 secs

System has 128 Mbytes in RMA
Config file read, 227 bytes


Welcome to the 64-bit Red Hat Enterprise Linux 6.0 installer!
Hit <TAB> for boot options.


Welcome to yaboot version 1.3.14 (Red Hat 1.3.14-35.el6)
Enter "help" to get some basic usage information
boot:
Para continuar com a instalação, digite linux e pressione Enter.
Você também pode especificar opções de inicialização nesta solicitação, consulte o Capítulo 28, Opções de Inicialização para mais informações. Por exemplo, para usar o instalador para recuperar um sistema instalado anteriormente, digite linux rescue e pressione Enter.

14.2. Instalando a Partir de uma Fonte Diferente

Você poderá instalar o Red Hat Enterprise Linux a partir das imagens ISO guardadas no disco rígido ou a partir da rede, usando os métodos NFS, FTP, HTTPS ou HTTP. Os usuários mais experientes usam normalmente um destes métodos por ser mais rápido de ler os dados por meio de um disco rígido ou de um servidor de rede do que a partir um DVD.
A seguinte tabela resume os diferentes métodos de inicialização e os métodos de instalação recomendados para usar com cada um:

Tabela 14.1. Métodos de inicialização e fontes de instalação

Método de Inicialização Fonte de instalação
DVD de instalação DVD, network, ou disco rígido
Instalação USB flash drive Instalação de DVD, network, ou disco rígido
CD ou USB de Inicialização mínima, CD de recuperação. Network ou disco rígido
Consulte o Seção 3.5, “Selecionando um Método de Instalação” para informações sobre instalação de locais, a não ser mída, com a qual você inicializou o sistema.

14.3. Inicializando a Partir da Rede Usando o PXE

Para inicializar com o PXE , você precisa de um servidor configurado adequadamente, e uma interface de rede em seu computador que suporte o PXE. Para informações sobre como configurar um servidor PXE, consulte o Capítulo 30, Configurando um Servidor de Instalação.
Configure o computador para inicializar de uma interface de rede. Esta opção está em BIOS e pode ser rotulada como Network Boot or Boot Services. Depois que você configurar a inicialização do PXE adequadamente, o computador poderá inicializar o sistema de instalação do Red Hat Enterprise Linux sem qualquer outra mídia.
Para inicializar um computador a partir de um servidor de PXE:
  1. Certifique-se de que o cabo de rede esteja conectado. A luz indicadora de ligação no soquete de rede deve estar acesa, mesmo que o computador não esteja ligado.
  2. Ligue o computador.
  3. Uma tela de menu aparecerá. Clique no número que corresponda à opção desejada.
Se seu PC não inicializar do servidor de netboot, certifique-se que o BIOS está configurado para iniciar primeiro a partir da interface de rede correta. Alguns sistemas BIOS especificam a interface de rede como um dispositivo de inicialização possível, mas não suportam o PXE padrão. Consulte sua documentação do hardware para mais informações.

Nota

Alguns servidores com interfaces de rede múltiplas podem não atribuir um eth0 à primeira interface de rede como a interface firmware o conhece, o qual pode fazer com que o instalador tente usar uma interface de rede diferente de uma usada pelo PXE. Para mudar este comportamento, use o seguinte nos arquivos de config. pxelinux.cfg/*:
IPAPPEND 2
APPEND ksdevice=bootif
Estas opções de configuração acima podem fazer com que o instalador use a mesma interface de rede que a interface do firmware e PXE usam. Você também pode usar a seguinte opção:
ksdevice=link
Esta opção faz com que o instalador use o primeiro dispositivo de rede que ele encontrar que seja ligado à um interruptor de rede.

Capítulo 15. O idioma de configuração e fonte de instalação

Antes do programa de instalação gráfica iniciar, você precisa configurar o idioma e fonte de instalação.

15.1. A Interface de Usuário de Programa de Instalação em Modo Texto

Importante

Recomendamos que você instale o Red Hat Enterprise Linux utilizando uma interface gráfica. Se você estiver instalando um Red Hat Enterprise Linux em um sistema que não possui uma exibição gráfica, considere realizar a instalação em uma conexão VNC – veja Capítulo 31, Instalação através de VNC.. Se o anaconda detectar que você está instalando em modo texto em um sistema onde seja possível obter uma instalação via uma conexão VNC, o anaconda perguntará se deseja realmente instalar em modo texto mesmo se suas opções durante a instalação forem limitadas.
Se seu sistema possuir uma exibição gráfica, mas a instalação gráfica falhar, tente inicializar com a opção xdriver=vesa– consulte o Capítulo 28, Opções de Inicialização
Ambos carregador e anaconda mais recente usam uma interface baseada em telas que inclui a maioria dos widgets de tela normalmente encontrados em interfaces gráficas de usuário. A Figura 15.1, “Os Widgets de Programa de Instalação como vistos em URL Setup, e a Figura 15.2, “Aplicativos de Programa de Instalação como visto em Escolher um Idioma, ilustram as telas que aparecem durante o processo de instalação.
Os Widgets de Programa de Instalação como vistos em URL Setup

Figura 15.1. Os Widgets de Programa de Instalação como vistos em URL Setup

Aplicativos de Programa de Instalação como visto em Escolher um Idioma

Figura 15.2. Aplicativos de Programa de Instalação como visto em Escolher um Idioma

Os widgets incluem:
  • Janela — Janelas (geralmente chamadas de diálogos neste manual) aparecerão em sua tela ao longo do processo de instalação. Às vezes, uma janela pode se sobrepor à outra; nestes casos você só pode interagir com a janela que estiver em cima. Quando terminar o(s) diálogo(s) nesta janela, ela desaparecerá, permitindo que você continue trabalhando na janela que estava por baixo.
  • Caixa de verificação — Caixas de verificação permitem que você selecione ou desselecione a funcionalidade correspondente. A caixa exibe um asterisco (selecionada) ou um espaço (desselecionada). Quando o cursor estiver em uma caixa de verificação, pressione Espaço para selecionar ou desselecionar uma funcionalidade.
  • Entrada de Texto — Linhas de Entrada de Texto são regiões nas quais você pode inserir informação requisitada pelo programa de instalação. Quando o cursor estiver parado em uma linha de entrada de texto, você pode inserir e/ou editar a informação nesta linha.
  • Janela de Texto — Janelas de Texto são regiões da tela para a disposição de texto. Às vezes, janelas de texto podem também conter botões, como caixas de verificação. Se uma janela de texto contém mais informação do que o espaço reservado para ela, aparecerá uma barra de rolagem. Se você posicionar o cursor dentro da janela de texto, poderá usar as teclas de seta para cima e para baixo para rolar através de toda informação disponível. Sua posição atual é mostrada na barra de rolagem por um caractere #, que se move para cima e para baixo da barra de rolagem enquanto você movimenta a janela.
  • Barra de Rolagem — Barras de Rolagem aparecem na lateral ou na parte inferior de uma janela para controlar qual parte de uma lista ou documento é exibida na moldura de uma janela. A barra de rolagem facilita a movimentação para qualquer parte de um arquivo.
  • Botão — Botões são o método primário de interação com o programa de instalação. Você progride através das janelas do programa de instalação navegando por estes botões, usando as teclas Tab e Enter. Os botões podem ser selecionados quando estiverem destacados.
  • Cursor — Apesar de não ser um widget, o cursor é usado para selecionar (e interagir com) um widget específico. À medida que o cursor é movido de um cursor para outro, pode fazer com que o widget mude de cor, ou com que o cursor em si apareça apenas posicionado sobre ou ao lado do widget. Na Figura 15.1, “Os Widgets de Programa de Instalação como vistos em URL Setup, o cursor está posicionado no botão OK. A Figura 15.2, “Aplicativos de Programa de Instalação como visto em Escolher um Idioma, mostra o cursor no botão Editar.

15.1.1. Usando o Teclado para Navegar

A navegação pelos diálogos de instalação é executada através do uso de um simples conjunto de teclas. Para mover o cursor, use as teclas de seta Esquerda, Direita, Para cima e Para baixo. Use Tab e Shift-Tab para movimentar o cursor para frente e para trás através de cada elemento da tela. A maioria das telas apresenta, em sua parte inferior, uma breve explicação sobre as teclas disponíveis para posicionamento do cursor.
Para "pressionar" um botão, posicione o cursor sobre o botão (usando Tab, por exemplo) e pressione Espaço ou Enter. Para selecionar um item de uma lista, mova o cursor para o item desejado e pressione Enter. Para selecionar um item com caixa de verificação, mova o cursor para a respectiva caixa e pressione Espaço. Para desselecioná-lo, pressione Espaço pela segunda vez.
Pressionando F12 faz com que os valores atuais sejam aceitos e prossegue para o próximo diálogo. Isto equivale a pressionar o botão OK.

Atenção

A menos que uma caixa de diálogo esteja aguardando sua ação, não pressione nenhuma tecla durante o processo de instalação (isto pode resultar em um comportamento inesperado do programa).

15.2. Seleção do Idioma

Use as teclas de setas de seu teclado para selecionar um idioma para usar durante o processo de instalação (consulte o Figura 15.3, “Seleção do Idioma”). Com seu idioma selecionado, pressione a tecla Tab para mover para o botão OK e pressione a tecla Enter para confirmar sua escolha.
O idioma que você selecionar aqui será o idioma padrão do sistema uma vez que estiver instalado. Selecionar o idioma apropriado também ajudará na configuração de seu fuso horário numa etapa posterior da instalação. O programa de instalação tenta definir o fuso horário correto baseado no que você especificar nesta tela.
Para adicionar suporte para idiomas adicionais, padronize a instalação no estágio de seleção do pacote. Para mais informações, consulte o Seção 16.19.2, “Padronizando a Seleção do Software”.
Seleção do Idioma

Figura 15.3. Seleção do Idioma

Após selecionar o idioma apropriado, clique em Próximo para continuar.

15.3. Método de Instalação

Use as teclas de seta de seu teclado para selecionar um método de instalação (consulte o Figura 15.4, “Método de Instalação”). Com seu método selecionado, pressione a tecla Tab para mover para o botão OK e pressione a tecla Enter para confirmar sua escolha.
Método de Instalação

Figura 15.4. Método de Instalação

15.3.1. Iniciando a Instalação

15.3.1.1. Instalando a partir do DVD

Para instalar o Red Hat Enterprise Linux a partir de um DVD coloque o DVD ou no seu drive de DVD e inicialize o seu sistema a partir do DVD. Se você inicializou a partir da mídia alternativa, você ainda pode instalar o Red Hat Enterprise Linux a partir do DVD.
O programa de instalação então sonda o seu sistema e tenta identificar o seu drive de DVD. Ele começa procurando por um drive IDE (também chamado de ATAPI) de DVD.
Se o seu drive de DVD não é detectado e é um DVD SCSI, o programa de instalação pedirá que você escolha um driver SCSI. Escolha o driver que mais se assemelha ao seu adaptador. Você pode especificar opções para o driver se for necessário; entretanto, a maioria dos drivers detectam seu adaptador SCSI automaticamente.
Se o drive de DVD é encontrado e o driver carregado, o instalador oferecerá a opção de executar uma verificação de mídia no DVD. Isto levará algum tempo, e você pode optar por pular este passo. Entretanto, se mais tarde você encontrar problemas com o instalador, você deve reinicializar e executar a verificação de mídia antes de entrar em contato com o suporte. A partir do diálogo de verificação de mídia, continue para o próximo estágio do processo de instalação (consulte a Seção 16.5, “Bem vindo ao Red Hat Enterprise Linux”).

15.3.2. Instalando a partir de um Disco Rígido

A tela Selecionar Partição se aplica somente se você estiver instalando por uma partição de disco (ou seja, se você selecionou Disco Rígido na caixa de diálogos do Método de Instalação). Este diálogo permite que você nomeie a partição de disco e o diretório a partir dos quais você está instalando o Red Hat Enterprise Linux. Se você usou a opção de inicialização repo=hd, você já especificou uma partição.
Selecionando Diálogo de Partição para Instalação pelo Disco Rígido

Figura 15.5. Selecionando Diálogo de Partição para Instalação pelo Disco Rígido

Selecione a partição contendo os arquivos ISO a partir da lista de partições disponíveis. Nomes dos dispositivos de drive internos IDE, SATA, SCSI, e USB começaram com /dev/sd. Cada drive individual possui sua própria letra, por exemplo /dev/sda. Cada partição em um drive é numerada, por exemplo /dev/sda1.
Especifique também os Diretórios contendo imagens. Ensira o caminho do diretório todo a partir do drive que contém os arquivos de imagem ISO. A seguinte tabela mostra alguns exemplos de como enserir esta informação:

Tabela 15.1. Localização de imagens ISO para diferentes tipos de partições

Tipo de partição Volume Caminho original para arquivos Diretório a usar
VFAT D:\ D:\Downloads\RHEL6 D:\Downloads\RHEL6
ext2, ext3, ext4 /home /home/user1/RHEL6 /user1/RHEL6
Se as imagens ISO estão no diretório root (nível mais alto) de uma partição, indique /. Se as imagens ISO estão localizadas num sub-diretório de uma partição montada, indique o nome do diretório contendo as imagens ISO nessa partição. Por exemplo: se a partição na qual as imagens ISO estão for normalmente montada como /home/, e as imagens estão em /home/new/, você deve indicar new/.

Importante

Uma entrada sem uma barra pode fazer com que a instalação falhe.
Selecione OK para continuar. Proceda com Capítulo 16, Instalação usando anaconda.

15.3.3. Executando uma Instalação em Rede

Quando você inicializa o instalador com as opções askmethod ou repo= você pode instalar o Red Hat Enterprise Linux a partir de um servidor de rede usando os protocolos FTP, HTTP, HTTPS ou NFS. O Anaconda usa a mesma conexão de rede para consultar repositórios de software adicionais durante o processo.
Se seu sistema possui mais do que um dispositivo de rede, o anaconda lhe apresentará uma lista de todos os dispositivos disponíveis e solicitará que você selecione um para usar durante a instalação. Se seu sistema possui somente um dispositivo de rede, o anaconda selecionará automaticamente e não apresentará este diálogo.
Dispositivo de Rede

Figura 15.6. Dispositivo de Rede

Caso não esteja certo de qual dispositivo na lista corresponde ao socket físico no sistema, selecione um dispositivo na lista e depois pressione o botão Identify. O diálogo Identify NIC aparecerá.
Identifique NIC

Figura 15.7. Identifique NIC

Os sockets da maioria dos dispositivos de rede apresentam um activity light (também chamado de link light) — um LED que pisca para indicar que os dados estão fluindo através do socket. O Anaconda pode piscar a luz de atividade do dispositivo de rede que você selecionou no diálogo Networking Device para até 30 segundos. Ensira o número de segundos que você precisa, e depois pressione OK. Quando o anacondaparar de piscar a luz, ele o retornará para o diálogo Networking Device.
Quando você selecionar um dispositivo, o anaconda irá solicitar que você escolha como configurar o TCP/IP:

Opções de IPv4

Configuraç]ao de IP dinâmica (DHCP)
O Anaconda usa o DHCP em execução na rede para fornecer configuração de rede automaticamente.
Configuração manual
O Anaconda solicita que você ensira a configuração de rede manualmente, incluindo o endereço de IP para este sistema, o netmask, o endereço do gateway e o endereço do DNS.

Opções IPv6

A descoberta do vizinho automático
O Anaconda usa o router advertisement (RA) para criar uma configuração automática e sem estado. (Equivalente à opção Automática em NetworkManager)
A configuração IP dinâmica (DHCPv6)
O Anaconda não usa o RA, mas requer informações de DHCPv6 diretamente para criar uma configuração com estado. (Equivalente à opção Automática, somente DHCP em NetworkManager)
Configuração manual
O Anaconda solicita que você ensira a configuração de rede manualmente, incluindo o endereço de IP para este sistema, o netmask, o endereço do gateway e o endereço do DNS.
Anaconda suporta os protocolos IPv4 e IPv6. No entanto, se você configurar uma interface para usar ambos IPv4 e IPv6, a conexão IPv4 deve ser bem sucedida ou a interface não funcionará, até mesmo se a conexão IPv6 for bem sucedida.
Configurar TCP/IP

Figura 15.8. Configurar TCP/IP

Por padrão, o anaconda usa o DHCP para fornecer a configuração de rede automaticamente para o IPv4 e descoberta de vizinho automático para fornecer configurações de rede para IPv6. Se você escolher configurar o TCP/IP manualmente, o anaconda solicitará que você forneça os detalhes no diálogo Manual TCP/IP Configuration:\n\t\n
TCP Manual/Configuração IP

Figura 15.9. TCP Manual/Configuração IP

O diálogo fornece campos para os endereços IPv4 e IPv6 e prefixos, dependendo dos protocolos que você escolher para configurar manualmente, junto com estes campos para a rede gateway e name server. Ensira os detalhes de sua rede, depois pressione OK.
Quando o processo de instalação terminar, irá transferir estas definições para o sistema.

15.3.4. Instalando através do NFS

O diálogo NFS se aplica somente se você inicializou com a opção askmethod selecionou Imagem NFS no diálogo Método de Instalação. Se você usou a opção repo=nfs, você já especificou um servidor e caminho.
Diálogo de Configuração do NFS

Figura 15.10. Diálogo de Configuração do NFS

  1. Indique o nome de domínio ou endereço IP do seu servidor NFS no campo NFS server name. Por exemplo, se você estiver instalando a partir de um host chamada eastcoast no domínio exemplo.com, insira eastcoast.exemplo.com
  2. Ensira o nome do diretório exportado no campo Red Hat Enterprise Linux 6 directory:
    • Se o servidor NFS estiver exportando um espelho da árvore de instalação do Red Hat Enterprise Linux, forneça o diretório contendo a raiz da árvore de instalação. Se tudo foi especificado corretamente, aparece uma mensagem indicando que o programa de instalação do Red Hat Enterprise Linux está rodando.
    • Se o servidor NFS estiver exportando as imagens ISO dos CD-ROMs do Red Hat Enterprise Linux, indique o diretório que contém as imagens ISO.
    Se você seguiu a configuração descrita na Seção 12.1.2, “Preparando para uma instalação de NFS”, o diretório exportado é aquele que você especificou como diretório_disponível_publicamente.
  3. Especifique qualquer opção de montagem do NFS que você precise no campo NFS mount options. Consulte as páginas man para o mount e nfs para uma lista compreensiva de opções. Se você precisar qualquer opção de montagem, deixe o campo vazio.

15.3.5. Instalando através de FTP, HTTP ou HTTPS

Importante

Quando você fornecer uma URL à uma fonte de instalação, você precisa especificar explicitamente o http:// ou https:// ou ftp:// como protocolo.
O diálogo da URL se aplica somente se você estiver instalando a partir de um servidor HTTP, HTTPS ou FTP (se você selecionou URL no diálogo Método de Instalação). O diálogo pedirá informações sobre o servidor FTP, HTTPS ou HTTP a partir do qual você está instalando o Red Hat Enterprise Linux. Se você usou as opções repo=ftp ou repo=http, você já especificou um servidor e caminho.
Insira o nome ou endereço IP do local FTP, HTTPS ou HTTP que você estiver instalando, e o nome do diretório que contiver o diretório /images para sua arquitetura. Por exemplo:
/mirrors/redhat/rhel-6/Server/ppc64/
Para instalar via conexão de HTTPS segura, especifique o https:// como um protocolo.
Especifique o endereço de um servidor proxy e se necessário, forneça um número de porta, username, e senha. Se tudo foi especificado adequadamente, uma caixa de mensagens aparecerá indicando que arquivos estão sendo recuperados do servidor.
Se seu servidor FTP, HTTPS ou HTTP precisar de autenticação de usuário, especifique o usuário e senha com oparte da URL como se segue:
{ftp|http|https}://<user>:<password>@<hostname>[:<port>]/<directory>/
Por exemplo:
http://install:rhel6pw@name.example.com/mirrors/redhat/rhel-6/Server/ppc64/
Diálogo de configuração de URL

Figura 15.11. Diálogo de configuração de URL

15.4. Verificando Mídia

O DVD oferece uma opção para verificar a integridade da mídia. A gravação de erros as vezes ocorre ao produzir um DVD. Um erro de dados para o pacote escolhido no programa de instalação pode fazer com que a instalação aborte. Para minimizar as chances de erros de dados que afetam a instalação, verifique a mídia antes de instalá-la.
Se a verificação for bem sucedida, o processo de instalação procede normalmente. Se o processo falhar, crie um novo DVD usando a imagem de ISO que você baixou anteriormente.

Capítulo 16. Instalação usando anaconda

Este capítulo descreve uma instalação usando uma interface de usuário gráfica do anaconda.

16.1. A Interface de Usuário de Programa de Instalação em Modo Texto

Enquanto as instalações de modo texto não são documentadas explicitamente, aquelas que utilizam o programa de instalação em modo texto podem seguir facilmente as instruções de instalação do GUI. No entanto, como o modo texto apresenta um processo de instalação mais simples e básico, certas opções que estão disponíveis no modo gráfico não estão disponíveis no modo texto. Estas diferenças são anotadas na descrição do processo de instalação deste guia, e incluem:
  • configurando métodos de armazenamento avançados tais como LVM, RAID, FCoE, zFCP, e iSCSI.
  • padronizando o layout da partição
  • padronizando o layout do carregador de inicialização
  • selecionando os pacotes durante a instalação
  • configurando o sistema instalado com o Firstboot

16.2. A Interface Gráfica de Usuário do Programa de Instalação

Se você já usou uma interface gráfica de usuário (GUI) antes, está familiarizado com este processo. Use seu mouse para navegar pelas telas, clicar em botões ou inserir texto nos campos apresentados.
Você também pode navegar pela instalação usando o teclado. A tecla Tab permite navegar pela tela, as setas para cima e para baixo rolam as listas, as teclas + e - expandem e contraem as listas, enquanto Espaço e Enter selecionam ou removem a seleção de um item em destaque. Você também pode usar a combinação de teclas Alt+X como uma outra maneira de clicar em botões ou efetuar outras seleções na tela, onde X é substituído por qualquer letra sublinhada que apareça na tela.
Se você desejar usar uma instalação gráfica com um sistema que não possua esta capacidade, tal como um sistema particionado, você pode usar o VNC ou exibir avançar. Ambas as opções VNC ou exibir avançar requerem uma rede ativa durante a instalação e o uso de argumentos durante a instalação. Para mais informações sobre opções durante a inicialização, consulte o Capítulo 28, Opções de Inicialização

Nota

Se você não quiser usar o interface gráfica (GUI) do programa de instalação, o programa de instalação em modo texto também está disponível. Para iniciá-lo, use o seguinte comando no prompt yaboot::
linux text
Consulte a Seção 14.1, “O menu de Inicialização” para uma descrição do menu de inicialização do Red Hat Enterprise Linux e Seção 15.1, “A Interface de Usuário de Programa de Instalação em Modo Texto” para uma breve visão geral das instruções de instalação em modo texto.
É altamente recomendado que as instalações sejam executadas usando o programa de instalação GUI. Este oferece a funcionalidade completa do programa de instalação do Red Hat Enterprise Linux, incluindo a configuração do LVM, que não é disponibilizada durante o modo texto de instalação.
Usuários que precisem usar o programa de instalação no modo texto podem seguir as instruções da instalação em modo gráfico para obter todas as informações necessárias.

16.3. Uma Nota Sobre Consoles Virtuais do Linux

Estas informações aplicam-se apenas a usuários de sistemas System p usando uma placa de vídeo como console. Usuários de sistemas System p particionados devem pular para a Seção 16.4, “Usando o HMC vterm”.
O programa de instalação do Red Hat Enterprise Linux oferece mais do que apenas caixas de diálogo no processo de instalação. Há diversas mensagens de diagnóstico disponíveis, além de oferecer um meio de inserir comandos em uma janela do prompt. O programa de instalação exibe estas mensagens em cinco consoles virtuais, dentre os quais você pode alternar usando uma simples combinação de teclas.
Um console virtual é uma janela de comandos em um ambiente não-gráfico, acessado fisicamente pela máquina e não remotamente. Diversos consoles virtuais podem ser acessados simultaneamente.
Estes consoles virtuais podem ser úteis caso você encontre um problema durante a instalação do Red Hat Enterprise Linux. As mensagens exibidas nos consoles de instalação ou do sistema podem ajudar a descobrir um problema. Consulte a Tabela 16.1, “Console, Teclas e Conteúdos” para uma listagem dos consoles virtuais, seqüências de teclas usadas pra alternar entre eles, assim como o seu conteúdo.
Geralmente, não há razão para sair do console padrão (console virtual #6) em instalações gráficas a não ser que você esteja tentando diagnosticar problemas na instalação.

Tabela 16.1. Console, Teclas e Conteúdos

console teclas Conteúdos
1 ctrl+alt+f1 Diálodo de instalação
2 ctrl+alt+f2 shell prompt
3 ctrl+alt+f3 log de instalação (mensagens de instalação de programas)
4 ctrl+alt+f4 mensagens relacionadas ao sistema
5 ctrl+alt+f5 outras mensagens
6 ctrl+alt+f6 tela gráfica do X

16.4. Usando o HMC vterm

O HMC vterm é o console para quaisquer sistemas IBM System pparticionados. Pode ser aberto clicando com o botão direito do mouse na partição no HMC, e então selecionando Open Terminal Window (Abrir Janela do Terminal). Apenas um único vterm pode estar conectado ao console em um determinado momento e não há acesso por console para sistemas particionados além do vterm. Isto é freqüentemente chamado de 'console virtual', mas é diferente dos consoles virtuais da Seção 16.3, “Uma Nota Sobre Consoles Virtuais do Linux” .

16.5. Bem vindo ao Red Hat Enterprise Linux

A tela Bem-vindo não solicita que você ensira nenhuma entrada.
Clique no botão Próximo para continuar.

16.6. Seleção do Idioma

Usando seu mouse, selecione o tipo de teclado (por exemplo, Inglês Americano) que você gostaria de usar para a instalação e como o padrão do sistema (veja a Figura abaixo).
Após selecioná-lo, clique em Próximo para continuar.
Configuração do Idioma

Figura 16.1. Configuração do Idioma

16.7. Configuração do Teclado

Usando seu mouse, selecione o tipo de teclado (por exemplo, Inglês Americano) que você gostaria de usar para a instalação e como o padrão do sistema (veja a Figura 16.2, “Configuração do Teclado”).
Após selecioná-lo, clique em Próximo para continuar.
Configuração do Teclado

Figura 16.2. Configuração do Teclado

Nota

Para alterar o layout do seu teclado após o término da instalação, use a Ferramenta de Configuração do Teclado.
Digite o comando system-config-keyboard numa janela de comandos para executar a Ferramenta de Configuração do Teclado. Se você não está como root, a ferramenta solicitará a senha do root para continuar.

16.8. Dispositivos de Armazenamento

Você pode instalar o Red Hat Enterprise Linux em diversos dispositivos de armazenamento. Esta tela permite que você selecione os dispositivos básico ou especializado.
Dispositivos de Armazenamento

Figura 16.3. Dispositivos de Armazenamento

Dispositivos de Armazenamento Básico
Selecione Basic Storage Devices para instalar o Red Hat Enterprise Linux nos seguintes dispositivos de armazenamento:
  • hard drives ou drives de estado sólido conectado diretamente ao sistema local.
Dispositivos de Armazenamento Especializado
Selecione Specialized Storage Devices para instalar Red Hat Enterprise Linux nos seguintes dispositivos de armazenamento:
  • Storage area networks (SANs)
  • Direct access storage devices (DASDs)
  • Dispositivos Firmware RAID
  • Dispositivos Multipath
Use a opção Specialized Storage Devices para configurar Internet Small Computer System Interface (iSCSI) e conexões FCoE (Fiber Channel over Ethernet).
Se você selecionar o Basic Storage Devices o anaconda detecta automaticamente o anexo de armazenamento local no sistema e não precisa de nenhuma outra entrada. Proceda com Seção 16.9, “Configurando o Hostname”.

16.8.1. A Tela de Seleção dos Dispositivos de Armazenamento

A tela de dispositivos de armazenamento exibe todos os dispositivos de armazenamento com o qual o anaconda tem acesso.
Selecionar Dispositivos de Armazenamento - Dispositivos Básicos

Figura 16.4. Selecionar Dispositivos de Armazenamento - Dispositivos Básicos

Selecionar dispositivos de armazenamento - Dispositivos de Multipath

Figura 16.5. Selecionar dispositivos de armazenamento - Dispositivos de Multipath

Selecionar os dispositivos de armazenamento - Outros Dispositivos SAN

Figura 16.6. Selecionar os dispositivos de armazenamento - Outros Dispositivos SAN

Dispositivos são agrupados sob as seguintes abas:
Dispositivos básicos
Dispositivos de armazenamento básico diretamente conectado ao sistema local, tal como drives de discos rígidos e drives de estado sólido.
Firmware RAID
Dispositivo de armazenamento anexado ao controller do firmware RAID
Dispositivos Multipath
Dispositivos de armazenamento acessíveis por mais de um caminho, tal como pelos controllers SCSI múltiplos ou portas de Canal de Fibra no mesmo sistema.

Importante

O instalador detecta somente os dispositivos de armazenamento multipath com os números em série que são de 16 ou 32 caracteres.
Outros Dispositivos SAN
Qualquer outro dispositivo disponível em uma rede de área de armazenamento (SAN).
Depois que você selecionou os dispositivos de armazenamento para estarem disponíveis durante a instalação, clique em Next e proceda para Seção 16.8.1.1, “Opções Avançadas de Armazenamento”.
A tela de seleção de dispositivos de armazenamento também contém uma aba Search que permite que você filtre os dispositivos de armazenamento pelo seu World Wide Identifier (WWID) ou pela porta, alvo, ou logical unit number (LUN) no qual eles serão acessados.
Aba de Pesquisa de Dispositivo de Armazenamento

Figura 16.7. Aba de Pesquisa de Dispositivo de Armazenamento

A aba contém um menu suspenso para selecionar a procura por porta, alvo, WWID, ou LUN (com caixas de texto correspondentes para estes valores). A busca por WWID ou LUN requer valores adicionais na caixa de texto correspondente.
Cada aba apresenta uma lista de dispositivos detectados pelo anaconda,com informações sobre o dispositivo para ajudá-lo a identificá-lo. Um menu suspenso pequeno marcado com um ícone, está localizado à direita dos cabeçalhos da coluna. Este menu permite que você selecione os tipos de dados apresentados em cada dispositivo. Por exemplo, o menu na aba Multipath Devices permite que você especifique qualquer um WWID, Capacity, Vendor, Interconnect, e Paths para incluir entre os detalhes apresentados para cada dispositivo. Reduzir ou expandindo a quantia de informações apresentadas pode ajudá-lo a identificar dispositivos específicos.
Selecionando Colunas

Figura 16.8. Selecionando Colunas

Cada dispositivo é apresentado em uma linha separada, com a caixa de seleção à sua esquerda. Clique na caixa de seleção para tornar um dispositivo disponível durante o processo de instalação, ou clique no botão de seleção à esquerda dos cabeçalhos de coluna para selecionar ou desselecionar todos os dispositivos listados em uma tela específica. Mais tarde, no processo de instalação, você pode escolher instalar o Red Hat Enterprise Linux em qualquer dispositivo selecionado aqui, e pode escolher montar automaticamente qualquer um dos outros dispositivos selecionados aqui como parte do sistema instalado.
Observe que os dispositivos que você seleciona aqui não são removidos automaticamente pelo processo de instalação. Selecionar um dispositivo nesta tela não coloca dados armazenados em um dispositivos sob risco. Observe também que qualquer dispositivo que você não selecione aqui para formar parte com o sistema instalado, pode ser adicionado ao sistema após instalação, modificando o arquivo /etc/fstab.

Importante

Qualquer dispositivo de armazenamento que você não selecione nesta tela, será totalmente escondido no anaconda. Para Carregar a corrente o carregador de inicialização do Red Hat Enterprise Linux utilizando um carregador diferente, selecione todos os dispositivos apresentados nesta tela.
Depois que você selecionou os dispositivos de armazenamento para estarem disponíveis durante a instalação, clique em Next e proceda para Seção 16.13, “Instalando um Disco Rígido”

16.8.1.1. Opções Avançadas de Armazenamento

A partir desta tela você pode configurar um alvo iSCSI (SCSI over TCP/IP) ou FCoE (Fibre channel over ethernet) SAN (rede de área de armazenamento). Consulte a Apêndice B, Discos ISCSI para uma apresentação ao iSCSI
Opções Avançadas de Armazenamento

Figura 16.9. Opções Avançadas de Armazenamento

16.8.1.1.1. Selecione e configure uma interface de rede.
Se uma interface de rede não está ativa ainda no sistema, o anaconda precisa ativar uma através o qual se conectará com os dispositivos de armazenamento. Se seu sistema possui somente uma interface de rede, o anaconda irá ativá-lo automaticamente. No entanto, se seu sistema possui mais do que uma interface de rede disponível, o anaconda solicitará o diálogo Selecione a interface de rede para escolher um para usar durante a instalação.
Selecionar interface de Rede

Figura 16.10. Selecionar interface de Rede

  1. Selecione uma interface no menu suspenso.
  2. Clique em OK.
O Anaconda ativa a interface que você selecionou e depois inicia o NetworkManager para permitir que você configure a interface.
Conexões de Rede

Figura 16.11. Conexões de Rede

Para mais detalhes sobre como usar o NetworkManager, refer to Seção 16.9, “Configurando o Hostname”
16.8.1.1.2. Configurar Parâmetros iSCSI
Para usar os dispositivos de armazenamento do iSCSI para a instalação, o anaconda deve estar disponível para descoberta como os alvos em iSCSI e ser capaz de criar uma sessão iSCSI para acessá-los. Cada um destes passos pode precisar de um username e senha para a autenticação do CHAP (Challenge Handshake Authentication Protocol). Além disso, você também pode configurar um alvo iSCSI para autenticar o iniciador do iSCSI no sistema para o qual o alvo é anexado (reverse CHAP), ambos para a descoberta e para a sessão. Juntos, o CHAP e o reverse CHAP são chamados de CHAP mútuo ou CHAP de duas vias. O CHAP mútuo fornece o maior nível de segurança para as conexões do iSCSI, especialmente se o username e senha são diferentes para a autenticação do CHAP e autenticação do reverse CHAP.
Repita a descoberta do iSCSI e os passos de login do iSCSI quantas vezes for necessário para adicionar todo o armazenamento do iSCSI requerido. No entanto, você não pode mudar o nome do iniciador do iSCSI após tentar descobrir pela primeira vez. Para mudar o nome do iniciador do iSCSI, você precisa reiniciar a instalação.

Procedimento 16.1. iSCSI discovery

Use o diálogo iSCSI Discovery Details para fornecer informações ao anaconda que ele precisa para descobrir o alvo iSCSI.
O diálogo de Detalhes sobre o iSCS Discovery

Figura 16.12. O diálogo de Detalhes sobre o iSCS Discovery

  1. Insira o endereço IP do alvo iSCSI no campo Target IP Address.
  2. Forneça um nome no campo iSCSI Initiator Name para o iniciador iSCSI no formato nome qualificado do iSCSI (IQN)
    Um IQN válido contém:
    • a faixa iqn. (note o período)
    • um código de dados que especifica o ano e mês no qual o domínio da Internet ou nome do subdomínio de sua empresa foi registrado, representado em quatro dígitos para o ano, um traço, e dois dígitos para o mês, seguido de um período. Por exemplo, representa Setembro, 2010 como 2010-09..
    • o domínio ou nome do subdomínio da Internet de sua empresa, apresentado em ordem contrária com o domínio de cima primeiro. Por exemplo, representa o subdomínio storage.example.com como com.example.storage
    • dois pontos seguidos por uma faixa que identifica de forma única este iniciador do iSCSI específico dentro do seu domínio ou subdomínio. Por exemplo, :diskarrays-sn-a8675309.
    Um IQN completo portanto se parece com: iqn.2010-09.storage.example.com:diskarrays-sn-a8675309,e o anaconda pre-popula o campo iSCSI Initiator Name com um nome neste formato para ajudá-lo com a estrutura.
    Para mais informações sobre os IQNs, consulte o 3.2.6. iSCSI Names no RFC 3720 - Internet Small Computer Systems Interface (iSCSI) disponível em http://tools.ietf.org/html/rfc3720#section-3.2.6 e 1. iSCSI Names and Addresses em RFC 3721 - Internet Small Computer Systems Interface (iSCSI) Naming and Discovery disponível em http://tools.ietf.org/html/rfc3721#section-1.
  3. Use o menu suspenso para especificar o tipo de autenticação a usar para o iSCSI discovery:
    autenticação do discovery iSCSI

    Figura 16.13. autenticação do discovery iSCSI

    • no credentials
    • CHAP pair
    • CHAP pair e um reverse pair
    • Se você selecionou o CHAP pair como o tipo de autenticação, forneça o username e senha para o alvo iSCSI nos campos CHAP Username e CHAP Password
      CHAP pair

      Figura 16.14. CHAP pair

    • Se você selecionou CHAP pair e um reverse pair como o tipo de autenticação, forneça o username e senha para o alvo iSCSI nos campos CHAP Username e CHAP Password e o username e senha para o iniciador do iSCSI nos campos Reverse CHAP Username e Reverse CHAP Password.
      CHAP pair e um reverse pair

      Figura 16.15. CHAP pair e um reverse pair

  4. Clique em Start Discovery. O Anaconda tenta descobrir um alvo iSCSI baseado nas informações que você forneceu. Se o discovery for bem sucedido, o diálogo iSCSI Discovered Nodes apresentará uma lista de todos os nós iSCSI descobertos no alvo.
  5. Cada nó é apresentado com uma caixa de seleção ao lado. Clique nesta caixa para selecionar os nós a usar para a instalação.
    O diálogo de Login dos Nós iSCSI

    Figura 16.16. O diálogo de Login dos Nós iSCSI

  6. Clique em Login para iniciar uma sessão do iSCSI.

Procedimento 16.2. Iniciando uma sessão iSCSI

Use o diálogo iSCSI Nodes Login para fornecer o anaconda com informações que ele precisa para se autenticar nos nós nos alvos iSCSI e iniciar uma sessão iSCSI.
O diálogo de Login dos Nós iSCSI

Figura 16.17. O diálogo de Login dos Nós iSCSI

  1. Utilize o menu suspenso para especificar o tipo de autenticação que se deve usar para a sessão iSCSI:
    autenticação da sessão iSCSI

    Figura 16.18. autenticação da sessão iSCSI

    • no credentials
    • CHAP pair
    • CHAP pair e um reverse pair
    • Use as credenciais do passo discovery
    Se seu ambiente usa o mesmo tipo de autenticação e o mesma username e senha para o iSCSI discovery e para a sessão iSCSI, selecione o Use as credenciais do passo discovery para reutilizar estas credenciais.
    • Se você selecionou o CHAP pair como o tipo de autenticação, forneça o username e senha para o alvo iSCSI nos campos CHAP Username e CHAP Password
      CHAP pair

      Figura 16.19. CHAP pair

    • Se você selecionou CHAP pair e um reverse pair como o tipo de autenticação, forneça o username e senha para o alvo iSCSI nos campos CHAP Username e CHAP Password e o username e senha para o iniciador do iSCSI nos campos Reverse CHAP Username e Reverse CHAP Password.
      CHAP pair e um reverse pair

      Figura 16.20. CHAP pair e um reverse pair

  2. Clique em Login. O Anaconda tentará se autenticar nos nós no alvo iSCSI baseado nas informações que você forneceu. O diálogo iSCSI Login Results lhe apresentará os resultados.
    O diálogo de Resultados do Login do iSCSI - iSCSI Login Results.

    Figura 16.21. O diálogo de Resultados do Login do iSCSI - iSCSI Login Results.

  3. Clique em OK para continuar.
16.8.1.1.3. Configure os Parâmetros FCoE
Para configurar um FCoE SAN, selecione Add FCoE SAN e clique em Add Drive.
No menu que aparece na próxima caixa de diálogos, selecione a interface de rede que está conectada ao seu plug FCoE e clique em Adicionar Discos do FCoE.
Configure os Parâmetros FCoE

Figura 16.22. Configure os Parâmetros FCoE

Data Center Bridging (DCB) é um conjunto de melhorias aos protocolos de Ethernet criados para aumentar a eficiência de conexões de Ethernet na rede de armazenamento e clusters. Habilita ou desabilita a conciência do instalador quanto ao DCB com a caixa de seleção neste diálogo.

16.9. Configurando o Hostname

A instalação solicitará que você forneça um nome de máquina para este computador como fully-qualified domain name (FQDN), no formato hostname.domainname ou como short host name no formato de hostname.. Muitas redes possuem o DHCP Dynamic Host Configuration Protocol que automaticamente fornece sistemas conectados com um nome de domínio. Para permitir que o DHCP atribua um nome de domínio à esta máquina, especifique o short host name,

Nota

Você pode nomear o seu sistema como quiser, desde que o nome de host completo seja único. O nome de host pode incluir letras, números e hífens.
Configurando o hostname

Figura 16.23. Configurando o hostname

Se o seu sistema Red Hat Enterprise Linux estiver ligado diretamente à Internet, você deverá ter atenção às considerações adicionais para evitar as interrupções de serviço ou as ações e risco do seu provedor de acesso à Internet. A discussão completa sobre este assunto esta fora do escopo deste documento.

Nota

O programa de instalação não configura modens. Configure estes dispositivos após a instalação com o utilitário Network. As configurações para seu modem são específicas para seu Provedor de Serviço de Internet (ISP) pessoal.

16.9.1. Editar as Conexões de Rede

Importante

Quando uma instalação do Red Hat Enterprise Linux 6 inicializa pela primeira vez, ele ativa qualquer interface de rede que você configurou durante o processo de instalação. No entanto, o instalador não lhe solicita que configure as interfaces de rede em alguns caminhos de instalação comuns, por exemplo, quando você instalar o Red Hat Enterprise Linux a partir de um DVD para um disco rígido local.
Quando você instalar o Red Hat Enterprise Linux de uma fonte de instalação local para um dispositivo de armazenamento local, certifique-se que há ao menos uma interface de rede manual se você precisar acessar a rede quando o sistema inicializar pela primeira vez.

Nota

Para mudar sua configuração de rede após ter concluído a instalação, use o Network Administration Tool.
Digite o comando system-config-network em uma solicitação de terminal para lançar o Network Administration Tool. Se você não for root, será solicitada uma senha root para continuar.
O Network Administration Tool agora está obsoleto e será substituído pelo NetworkManager durante o tempo de vida do Red Hat Enterprise Linux 6.
Para configurar uma conexão de rede manualmente, clique no botão Configurar Rede. O diálogo Conexões de Rede aparecerá e permitirá que você configure conexões a cabo, sem fio, banda larga móvel, VPN e DSL para o sistema usando a ferramenta Gerenciador de Rede. Infelizmente a descrição completa de todas as configurações possíveis com o Gerenciador de Rede está fora do escopo deste manual. Esta seção detalha somente o cenário mais comum de como configurar conexões a cabo durante a instalação. A configuração de outros tipos de rede é geralmente semelhante, no entanto os parâmetros específicos que você deve configurar diferem.
Conexões de Rede

Figura 16.24. Conexões de Rede

Para adicionar uma nova conexão ou para modificar ou remover uma conexão configurada anteriormente no processo de instalação, clique na aba que corresponde ao tipo de conexão. Para adicionar uma nova conexão deste tipo, clique em Adicionar. Para modificar uma conexão existente selecione-o na lista e clique em Editar. Em ambos os casos, uma caixa de diálogo aparecerá com um conjunto de abas que é adequado para o tipo de conexão específica, como descrito abaixo. Para remover uma conexão, selecione-a na lista e clique em Delete.
Depois que você terminar de editar as configurações de rede, clique em Apply para salvar a nova configuração. Se você reconfigurar um dispositivo que já foi ativado antes durante a instalação, você precisa reiniciar para usar a nova configuração. Consulte o Seção 9.7.1.6, “Reiniciar o dispositivo de rede”.

16.9.1.1. Opções comuns à todos os tipos de conexões

Certas opções de configurações são comuns para todos os tipos de conexões.
Especifique um nome para a conexão no campo do nome Nome da Conexão
Selecione Iniciar automaticamente para iniciar uma conexão automaticamente quando o sistema inicializar.
Quando o NetworkManager executar em um sistema instalado, a opção Disponível à todos os usuário controla se uma configuração de rede está disponível em todo o sistema ou não. Durante a instalação, certifique-se de que o Disponível à todos os usuários está ainda selecionado para todas as interfaces de rede que você configurou.

16.9.1.2. A aba de Cabo

Use a aba A Cabo para especificar ou mudar o endereço (MAC) media access control para o adaptador de rede, e se o conjunto de maximum transmission unit (MTU, em bytes) pode passar pela interface.
A aba de Cabo

Figura 16.25. A aba de Cabo

16.9.1.3. A aba de Segurança do 802.1x

Use a aba 802.1x Security para configurar o 802.1X port-based network access control (PNAC). Selecione o Use 802.1X security for this connection para controle de acesso e depois especifique detalhes de sua rede. As opções de configuração incluem:
Autenticação
Escolha um dos seguintes métodos de autenticação:
  • TLS para Transport Layer Security
  • Tunneled TLS para Tunneled Transport Layer Security,conhecido também como TTLS, ou EAP-TTLS
  • Protected EAP (PEAP) para Protected Extensible Authentication Protocol
Identidade
Fornece indentidade a este servidor.
Certificado de Usuário
Navegue pelo arquivo de Certificado X.509 codificado com Distinguished Encoding Rules (DER) ou Privacy Enhanced Mail (PEM).
Certificado CA
Vá ao arquivo do certificado X.509 autoridade de certificado codificado com Distinguished Encoding Rules (DER) ou Privacy Enhanced Mail (PEM).
Chave privada
Vá ao arquivo chave privada codificado com o Distinguished Encoding Rules (DER), Privacy Enhanced Mail (PEM), ou Personal Information Exchange Syntax Standard (PKCS#12).
Senha da Chave Privada
A senha para a chave privada especificada no campo Chave Privada. Selecione a Mostrar Senha para tornar a senha visível a medida que a digita.
A aba de Segurança do 802.1x

Figura 16.26. A aba de Segurança do 802.1x

16.9.1.4. A Aba de Configurações do IPv4

Use a aba aba de configurações do IPv4 para configurar os parâmetros do IPv4 para a conexão de rede selecionada anteriormente.
Use o menu suspenso do Método para especificar quais as configurações o sistema deve tentar obter de um serviço (DHCP) Dynamic Host Configuration Protocol rodando na rede. Escolha a partir das seguintes opções:
Automatic (DHCP)
Parâmetros de IPv4 são configurados pelo serviço DHCP na rede.
Automatic (DHCP) somente endereços
O endereço IPv4, netmask e gateway são configurados pelo serviço DHCP na rede, mas os servidores de DNS e domínios de pesquisa devem ser configurados manualmente.
Manual
Os parâmetros de IPv4 são configurados manualmente para uma configuração estática.
pmente Link Local
Atribui-se à interfase um endereço de link local na classe 169.254/16.
Compartilhado com outros computadores
O sistema é configurado para fornecer acesso à rede à outros computadores. A interface recebe um endereço na classe 10.42.x.1/24, e inicia-se um servidor de DHCP e um servidor de DNS, e a interface é conectada à conexãod e rede default no sistema com o network address translation (NAT).
Disabilitado
O IPv4 é desabilitado para esta conexão.
Se você selecionou um método que requer que você forneça parâmetros manuais, insira detalhes do endereço IP para esta interface, a netmask e o gateway no campo Addresses. Use os botões Add e Delete para adicionar ou remover endereços. Insira uma lista separada por vírgulas dos servidores no campo DNS servers, uma lista separada por vírgulas dos domínios no campo Search domains para qualquer domínio que você inclua nas buscas de servidor do nome.
Como forma opcional, insira um nome para esta conexão de rede no campo DHCP client ID. Este nome deve ser único na subrede. Quando você atribuir um ID de cliente DHCP significativo, é fácil de identificar esta conexão quando resolver problemas de rede.
Desselecione a caixa Endereço de IPv4 é necessário para a conclusão desta conexão para permitir que o sistema faça esta conexão em uma rede de IPv6 habilitada se a configuração do IPv4 falhar mas a configuração do IPv6 for bem sucedida.
A Aba de Configurações do IPv4

Figura 16.27. A Aba de Configurações do IPv4

16.9.1.4.1. Editando rotas de IPv4
Red Hat Enterprise Linux configura diversas rotas automaticamente, baseado no endereço IP de um dispositivo. Para editar rotas adicionais, clique em Routes . O diálogo Editing IPv4 routes aparecerá.
O diálogo de Edição da Rota do IPv4

Figura 16.28. O diálogo de Edição da Rota do IPv4

Clique em Adicionar para adicionar o endereço IP, netmask, gateway e medidas para uma rota de estatística nova.
Selecione o Ignore rotas obtidas automaticamente para fazer com que a interface use somente as rotas especificadas para a mesma.
Selecione Use esta conexão somente para recursos em sua rede para restringir as conexões somente para rede local.

16.9.1.5. A aba de configurações IPv6

Use a aba Aba de Configurações do IPv6 para configurar os parâmetros do IPv6 para a conexão de rede selecionada anteriormente.
Use o menu suspenso do Método para especificar quais as configurações o sistema deve tentar obter de um serviço (DHCP) Dynamic Host Configuration Protocol rodando na rede. Escolha a partir das seguintes opções:
Ignore
IPv6 é ignorado nesta conexão
Automático
NetworkManager usa router advertisement (RA) para criar uma configuração sem estado, automática.
Endereço Automático, somente
O NetworkManager usa o RA para criar uma configuração sem estado automática, mas os servidores do DNS e domínios de busca são ignorados e devem ser configurados manualmente.
Endereço Automático, somente DHCP
O NetworkManager não usa o RA, mas requer informações do DHCPv6 diretamente para criar uma configuração com estado.
Manual
Os parâmetros do IPv6 são configurados para uma configuração estática.
pmente Link Local
Um endereço link-local com o prefixo fe80::/10 é atribuído à interface.
Se você selecionou um método que requer que você forneça parâmetros manuais, insira detalhes do endereço IP para esta interface, a netmask e o gateway no campo Addresses. Use os botões Add e Delete para adicionar ou remover endereços. Insira uma lista separada por vírgulas dos servidores no campo DNS servers, uma lista separada por vírgulas dos domínios no campo Search domains para qualquer domínio que você inclua nas buscas de servidor do nome.
Como forma opcional, insira um nome para esta conexão de rede no campo DHCP client ID. Este nome deve ser único na subrede. Quando você atribuir um ID de cliente DHCP significativo, é fácil de identificar esta conexão quando resolver problemas de rede.
Desselecione a caixa de diálogo Requer o endereçamento do IPv6 para esta conexão ser concluído para permitir que o sistema faça esta conexão em uma rede habilitada de IPv4 falhar mas a configuração do IPv4 é bem sucedida.
A aba de configurações IPv6

Figura 16.29. A aba de configurações IPv6

16.9.1.5.1. Editando as rotas do IPv6
O Red Hat Enterprise Linux configura um número de rotas baseadas automaticamente nos endereços de IP de um dispositivo. Para editar rotas adicionais, clique em Rotas. A caixa de diálogo Editando as rotas IPv6 aparecerá.
A caixa de diálogo Editando Rotas do IPv6

Figura 16.30. A caixa de diálogo Editando Rotas do IPv6

Clique em Adicionar para adicionar o endereço IP, netmask, gateway e medidas para uma rota de estatística nova.
Selecione Use esta conexão somente para recursos em sua rede para restringir as conexões somente para rede local.

16.9.1.6. Reiniciar o dispositivo de rede

Se você reconfigurar uma rede que já foi usada durante a instalação, você precisa desconectar e reconectar o dispositivo no anaconda para as mudanças tomarem efeito. O Anaconda usa os arquivos de configuração de interface (ifcfg) para comunicar com o NetworkManager. Um dispositivo se torna disconectado quando seu arquivo ifcfg é removido, e é reconectado quando seu arquivo ifcfg é recuperado, desde que ONBOOT=yes seja definido. Consulte o Red Hat Enterprise Linux 6 Deployment Guide disponível em https://access.redhat.com/knowledge/docs/ para mais informações sobre os arquivos de configuração da interface.
  1. Pressione Ctrl+Alt+F2 para mudar para terminal virtual tty2.
  2. Mova o arquivo de configuração de interface para um local temporário:
    mv /etc/sysconfig/network-scripts/ifcfg-device_name /tmp
    where device_name é o dispositivo que você acabou de reconfigurar. Por exemplo, ifcfg-eth0 é o arquivo ifcfg para eth0.
    O dispositivo está agora desconectado em anaconda.
  3. Abra o arquivo de configuração da interface no editor vi:
    vi /tmp/ifcfg-device_name
  4. Verifique se o arquivo de configuração da interface contém a linha ONBOOT=yes. Se o arquivo não possuir esta linha, adicione-a agora e salva o arquivo.
  5. Saia do editor de texto vi.
  6. Mova o arquivo de configuração de interface de volta ao diretório /etc/sysconfig/network-scripts/:
    mv /tmp/ifcfg-device_name /etc/sysconfig/network-scripts/
    O dispositivo está agora reconectado em anaconda.
  7. Pressione o Ctrl+Alt+F6 para retornar ao anaconda.

16.10. Configuração do Fuso Horário

Determine seu fuso horário selecionando a cidade mais próxima da localidade física do seu computador. Clique no mapa para ampliar uma região geográfica específica.
Aqui, você pode selecionar o seu fuso horário de duas maneiras:
  • Usando seu mouse no mapa interativo, você pode selecionar uma cidade específica (representada por um ponto amarelo). Um X vermelho aparece indicando sua seleção.
  • Você também pode rolar a lista na parte inferior da tela para selecionar seu fuso horário. Usando seu mouse, clique numa localidade para destacar sua seleção.
Configuração do Fuso Horário

Figura 16.31. Configuração do Fuso Horário

Se o Red Hat Enteprise LInux é o único sistema operacional em seu computador, selecione System clock uses UTC. O relógio do sistema é uma parte do hardware em seu sistema de computador. O Red Hate Enterprise Linux usa a configuração do timezone para determinar a diferença entre o horário local e o UTC no relógio do sistema. Este comportamento é padrão para sistemas que usam o UNIX, Linux e sistemas operacionais semelhantes.
Clique no botão Próximo para continuar.

Nota

Para alterar a sua configuração de fuso horário após você ter completado a instalação, use a Ferramenta das Propriedades de Data e Hora.
Digite o comando system-config-date numa janela de comandos para executar a Ferramenta das Propriedades de Data e Hora. Se você não está como root, a ferramenta solicitará a senha do root para continuar.
Para rodar a Ferramenta das Propriedades de Data e Hora como um aplicativo baseado texto, use o comando timeconfig.

16.11. Configure a Senha Root

Definir uma conta e senha root é um dos passos mais importantes durante a sua instalação. A conta root é usada para instalar pacotes, atualizar RPMs e executar a maior parte da manutenção do sistema. Ao se autenticar como root, você terá total controle sobre seu sistema.

Nota

O usuário root (também conhecido como o superusuário) tem acesso completo ao sistema todo. Por esta razão, é melhor se autenticar como root somente para executar a manutenção ou a administração do sistema.
Senha Root

Figura 16.32. Senha Root

Use a conta root somente para administração do sistema. Crie uma conta além da root para seu uso geral e invoque o comando su para trocar para usuário root somente quando precisar realizar tarefas que requerem autorizaçãoo do superusuário. Estas regras básicas minimizam as chances de erros de digitação ou de comandos incorretos afetarem seu sistema.

Nota

Para se tornar root, digite su - no prompt de uma janela do terminal e então pressione Enter. Em seguida, insira a senha root e pressione Enter.
O programa de instalação pede que você defina uma senha root [6] para seu sistema. Você não pode seguir para o próximo estágio do processo de instalação sem inserir uma senha root.
A senha root deve ter no mínimo seis caracteres; a senha digitada não é exibida na tela. Você deverá digitar a senha duas vezes; se as duas senhas não coincidirem, o programa de instalação pedirá que você as digite novamente.
A senha root deve ser algo que você possa se lembrar, mas ao mesmo tempo algo que não seja fácil para alguém adivinhar. Seu nome, seu número de telefone, as primeiras letras do teclado, senha, root, 123456, e gato são exemplos de senhas ruins. Senhas boas misturam números com letras em caixa alta e baixa e não contém palavras de dicionário: Aard387vark ou 420BMttNT, por exemplo. Lembre-se que a senha é sensível à caixa alta ou baixa. Se você escrever a sua senha, guarde-a em um lugar seguro. No entanto, é recomendável não escrever esta ou qualquer outra senha que você criar.

Atenção

Não use nenhuma das senhas exemplificadas neste manual. Usar uma destas senhas é considerado um risco de segurança.
Para mudar sua senha root depois de concluir a instalação, use a Ferramenta de Senha Root.
Digite o comando system-config-users em uma janela de terminal para lançar o User Manager, um gerenciamento de usuário potente e ferramenta de configuração. Se você não for root, ele lhe solicitará a senha root para continuar.
Insira a senha de root no campo Senha de Root. Por motivos de segurança o Red Hat Enterprise Linux mostra os caracteres como asteriscos. Insira a mesma senha no campo Confirmação para garantir que está definida corretamente. Depois de definir a senha de root, selecione Seguinte para prosseguir.

16.12. Atribuir Dispositivos de Armazenamento

Se você selecionou mais de um dispositivo de armazenamento na tela de seleção de dispositivos de armazenamento ( consulte Seção 16.8, “Dispositivos de Armazenamento”) do sistema, anaconda lhe pedirá que selecione qual destes dispositivos deve estar diponível para a instalação do sistema operacional, e qual deve ser anexado somente ao sistema de arquivo para armazenamento de dados. Se você selecionou somente um dispositivo de armazenamento, o anaconda não apresentará esta tela.
Durante a instalação, os dispositivos que você identifica aqui como sendo para dados de armazenamento somente, são montados como parte do sistema de arquivo, mas não são particionados ou formatados.
Atribuir dispositivos de armazenamento

Figura 16.33. Atribuir dispositivos de armazenamento

A tela é dividida em dois paineis. O painel da esquerda contém uma lista de dispositivos a serem usados somente para armazenamento de dados. O painel da direita contém uma lista de dispositivos que estarão disponíveis para instalação do sistema operacional.
Cada lista contém informações sobre os dispositivos para ajudá-lo a identificá-los. Um menu suspenso pequeno marcado com um ícone, está localizado à direita dos cabeçalhos de coluna. Este menu permite que você selecione os tipos de dados apresentados em cada dispositivo. Ao reduzir ou expandir a quantia de informações apresentadas, pode ajudá-lo ao identificar dispositivos particulares.
Mova um dispositivo de uma lista para a outra, clicando no dispositivo, depois clicando tanto no botão rotulado com a seta que aponta para a esquerda para movê-lo para a lista de dispositivos de armazenamento ou o botão rotulado com uma seta que aponta da direita para movê-lo para a lista de dispositivos disponíveis para a instalação do sistema operacional.
A lista de dispositivos disponível como alvos de instalação, também incluem o botão de seleção ao lado de cada dispositivo. Use este botão para especificar o dispositivo que você deseja usar como o dispositivo de inicialização para o sistema.

Importante

Se algum dispositivo de armazenamento contiver um carregador de inicialização que carregará a corrente do carregador de inicialização do Red Hat Enterprise Linux, inclua este dispositivo de armazenamento no Instalar Dispositivos Alvo. Os dispositivos de armazenamento que você identifica como Instalar Dispositivos Alvo continuam visíveis para o anaconda durante a configuração de carregador de inicialização.
Os dispositivos de armazenamento que você identifica como Instalar Dispositivos de Alvo nesta tela, não são apagados automaticamente através do processo de instalação a não ser que você tenha selecionado a opção oUtilizar todo o Espaço na tela de particionamento (consulte o Seção 16.15, “Configuração do Particionamento de Disco”).
Quando você tiver terminado de identificar os dispositivos a serem usados para a instalação, clique em Próximo para continuar.

16.13. Instalando um Disco Rígido

Se nenhuma tabela de partição legível for encontrada em discos rígidos, o programa de instalação pede para inicializar o disco rígido. Esta operação torna qualquer dados existentes em ilegíveis de disco rígido. Se seu sistema possuir um disco rígido novo sem um sistema operacional instalado ou se você removeu todas as partições no disco rígido clique em Re-initialize drive.
O programa de instalação lhe apresenta com um diálogo separado para cada disco, no qual não poderá ler uma tabela de partição válida. Clique em Ignorar todos ou Re-inicializar todos para aplicar a mesma resposta de todos os dispositivos.
Tela de aviso – inicializando disco rígido

Figura 16.34. Tela de aviso – inicializando disco rígido

Alguns sistemas RAID ou outras configurações não padrão podem ser ilegíveis para o programa de instalação e a solicitação para inicializar o disco rígido pode aparecer. O programa de instalação responde ao disco físico, estrutura-o e o detecta.
Para permitir inicialização automática de discos rígidos para o qual ele for necessário, use o comando do kickstart clearpart --initlabel (consulte o Capítulo 32, Instalações pelo Kickstart)

Atenção

Se você tiver um disco não padronizado que possa ser anexado durante a instalação e detectado e configurado posteriormente, desligue o sistema, desanexe-o e reinicie a instalação.

16.14. Fazendo o upgrade de um Sistema Existente

Importante

A Red Hat não suporta este no momento, e sendo mais preciso, a Red Hat não suporta atualizações in-loco entre qualquer versão principal do Red Hat Enteprise Linux. Uma versão principal é denotada por uma mudança de versão de número inteiro. Por exemplo, o Red Hat Enteprise Linux  5 e Red Hat Enterprise Linux 6 são versões principais do Red Hat Enteprise Linux.
Atualizações in-loco nas versões principais não preservam todas as configurações do sistema, serviços ou configurações padronizadas. Consequentemente, a Red Hat recomenda realizar novas instalações ao atualizar de uma versão principal para outra.
O sistema de instalação detecta automaticamente qualquer instalação existente do Red Hat Enterprise Linux. O proceso de upgrade atualiza o software do sistema existente com as novas versões, mas não remove qualquer dado de diretórios home de usuários. A estrutura de partição existente em seus discos rígidos, não mudam. Sua configuração de sistema muda somente se um upgrade de pacote demanda isto. A maioria dos upgrades de pacote não mudam a configuração do sistema, mas instalam um arquivo de configuração adicional para que você examine mais tarde.
Observe que o meio de instalação que você está utilizando pode não conter todos os pacotes de software que você precisa para fazer um upgrade de seu computador.

16.14.1. O Diálogo Upgrade

Se seu sistema contém uma instalação Red Hat Enterprise Linux, um diálogo aparece perguntando se você deseja fazer um upgrade desta instalação. Para realizar um upgrade de um sistema existente, escolha a instalação adequada a partir da lista suspensa e selecione o botão Next.
O Diálogo Upgrade

Figura 16.35. O Diálogo Upgrade

Nota

O Software que você instalou manualmente em seu sistema do Red Hat Enterprise Linux pode se comportar de maneira diferente após um upgrade. Você pode precisar reinstalar manualmente ou recompilar este software após um upgrade para assegurar que ele funciona bem em sistemas atualizados.

16.14.2. Fazendo o upgrade usando o instalador.

Nota

Em geral, a Red Hat recomenda que você mantenha dados de usuário em uma partição separada /home e realiza uma nova instalação. Para mais informações sobre partições e como configurá-las, consulte a Seção 9.13, “Configuração do Particionamento de Disco”.
Se você escolher fazer um upgrade de seu sistema usando o programa de instalação, qualquer software que não seja fornecido pelo Red Hat Enterprise Linux que entra em conflito com o software do Red Hat Enterprise Linux, é sobrescrito. Antes que você começe um upgrade desta forma, faça uma lista de seus pacotes atuais de sistema para uma verificação mais tarde:
rpm -qa --qf '%{NAME} %{VERSION}-%{RELEASE} %{ARCH} ' > ~/old-pkglist.txt
Após a instalação, consulte esta lista para descobrir quais pacotes você pode precisar para reconstruir ou recuperar das fontes sem ser da Red Hat.
Depois, faça um backup de qualquer dado de configuração de sistema:
su -c 'tar czf /tmp/etc-`date +%F`.tar.gz /etc' 
su -c 'mv /tmp/etc-*.tar.gz /home'
Faça um backup completo dos dados importantes antes de realizar um upgrade. Os dados importantes podem incluir o conteúdo de todo seu diretório /home assim como o conteúdo de serviços como o Apache, FTP, ou servidor SQL ou um sistema de gerenciamento de código fonte. Embora os upgrades não sejam destrutivos, se você realizar um inadequadamente existe uma pequena possibilidade de perda de dados.

Atenção

Observe que os exemplos acima armazenam materiais de backup em um diretório /home. Se seu diretório /home não é uma partição separada, você não deve seguir estes exemplos verbatim! Armazene seus backups em outro dispositivo tal como discos de CD ou DVD ou um disco rígido externo.
Para mais informações sobre como completar o processo de upgrade mais tarde, consulte o Seção 35.2, “Concluindo uma Atualização”.

16.15. Configuração do Particionamento de Disco

Atenção

É sempre bom fazer o backup de todos os dados contidos nos seus sistemas. Por exemplo, se você estiver atualizando ou criando um sistema de inicialização dupla, deverá fazer back up de todos os dados que queira guardar em seu(s) disco(s) rígido(s). Erros acontecem, e podem resultar na perda de todos os seus dados.

Importante

Se você instalar o Red Hat Enterprise Linux em modo texto, você poderá usar somente os esquemas de particionamento padrão descritos nesta seção. Você não poderá adicionar ou remover partições ou sistemas de arquivo além daqueles que o instalador adiciona ou remove automaticamente. Caso precise de um layout padronizado durante a instalação, realize uma instalação gráfica em uma conexão do VNC ou uma instalação do kickstart.
Além disso, opções avançadas como o LVM, sistemas de arquivo criptografados, e redefinição do tamanho dos sistemas de arquivos, estão disponíveis somente em modo gráfico e kickstart.

Importante

Se você tem uma placa RAID, esteja ciente de que alguns BIOSes não suportam a inicialização a partir da placa RAID. Em casos como este, a partição /boot/ deve ser criada em uma partição fora do conjunto RAID, como em um dispositivo separado. É necessário o uso de um disco rígido interno para a criação de partições com placas RAID problemáticas.
Uma partição /boot/ também é necessária para configurações com RAID por software.
Se você escolheu particionar seu sistema automaticamente, deve selecionar Rever e editar manualmente a sua partição /boot.
O particionamento permite que você divida o seu disco rígido em seções isoladas, onde cada seção funciona como se fosse um disco rígido. O particionamento é especialmente útil caso você rode vários sistemas operacionais. Se você não souber ao certo como gostaria de particionar o seu sistema, leia o Apêndice A, Introdução às Partições de Disco para maiores informações.
Configuração do Particionamento de Disco

Figura 16.36. Configuração do Particionamento de Disco

Nesta tela você pode escolher criar o layout do particionamento padrão de uma ou quatro formas diferentes ou escolher particionar dispositivos de armazenamento manualmente para criar um layout padronizado.
As primeiras três opções permitem que você execute uma instalação automática sem precisar particionar seu(s) disco(s) rígido(s) manualmente. Se você não estiver familiarizado com o particionamento de seu sistema, escolha uma destas opções e deixe que o programa de instalação particione os dispositivos de armazenamento para você. Dependendo da opção que você escolher, você pode ainda controlar os dados (se houver algum) que serão removidos do sistema.
Suas opções são:
Use Todo o Espaço
Selecione esta opção para remover todas as partições em seus discos rígidos (isto inclui partições criadas por outros sistemas operacionais tais como Windows, VFAT ou NTFS)

Atenção

Se você selecionar esta opção, todos os dados nos discos rígidos selecionados serão removidos pelo programa de instalação. Não selecione esta opção se você tiver informações que deseje manter no hard drive onde você estiver instalando o Red Hat Enterprise Linux.
Principalmente, não selecione esta opção quando você configurar um sistema para carregar em massa o carregador de inicialização do Red Hat Enterprise Linux a partir do carregador de Inicialização.
Substituir Sistema(s) Linux Existente(s)
Selecione esta opção para remover somente as partições criadas por instalações Linux anteriores. Isto não remove outras partições que você pode possuir em seus hard drives (tal como partições VFAT ou FAT32).
Diminuir o Sistema Atual
Selecione esta opção para redefinir o tamanho de seus dados e partições atuais manualmente e instalar um layout do Red Hat Enterprise Linux padrão no espaço livre.

Atenção

Se você diminuir partições nos quais outros sistemas operacionais estão instalados, você pode não conseguir usar estes sistemas operacionais. No entanto, esta opção de particionamento não destrói dados, sistemas operacionais geralmente precisam de um pouco de espaço livre nestas partições. Antes de redefinir o tamanho de uma partição que retém um sistema operacional que você possa precisar usar novamente, encontre a quantidade de espaço que você necessita para deixar livre.
Usar Espaço Livre
Selecione esta opção para reter seus dados e partições atuais e instalar o Red Hat Enterprise Linux no espaço disponível não utilizado nos drives de armazenamento. Certifique-se que há espaço suficiente disponível nos drives de armazenamento antes de selecionar esta opção - consulte o Seção 11.4, “Você Tem Espaço Suficiente em Disco?”.
Criar Layout Padronizado
Selecionar esta opção para particionar dispositivos de armazenamento manualmente e criar layouts padronizados. Consulte o Seção 16.17, “Criando um Layout Padronizado ou Modificando o Layout Padrão”
Escolha seu método de particionamento preferido clicando no botão de seleção à esquerda de sua descrição na caixa de diálogo.
Selecione a opção Sistema criptografado para criptografar todas as partições, exceto a partição /boot. Consulte Apêndice C, Critografia de disco para mais informações sobre criptografia.
Para rever e efetuar as alterações necessárias nas partições criadas pelo particionamento automático, selecione a opção Rever. Após selecionar Rever e clicar em Próximo para seguir adiante, você verá as partições criadas para você com o anaconda. Você pode efetuar modificações nestas partições caso elas não supram as suas necessidades.

Importante

Para configurar o carregardor de inicialização do Red Hat Enterprise Linux para carregar a corrente de um carregador diferente, você precisa especificar o drive de inicialização manualmente. Se você escolher qualquer opção de particionamento automática, você precisa selecionar agora a opção Rever e modificar o layout do particionamento antes de clicar em Próximo ou vocẽ não poderá especificar o drive de inicialização correto.

Importante

Quando você instalar o Red Hat Enterprise Linux 6 em um sistema com dispositivos de armazenamento multipath e não-multipath, o layout do particionamento automático no instalador deve criar grupos de volume que contenham uma mistura dos dos dispositivos. Isto reassegura o propósito do armazenamento multipath.
Recomendamos que você selecione somente o multipath ou somente o não multipath como dispositivo na tela de seleção do disco que aparecerá após selecionar o particionamento automático. Como forma alternativa, selecione o particionamento padronizado.
Após ter feito suas seleções, clique em Próximo para prosseguir.

16.16. Criptografar Partições

Se você selecionou a opção Criptografar Sistema, o instalador lhe pede por uma frase-senha com a qual irá criptografar partições no sistema.
As partições são criptografadas usando o Linux Unified Key Setup — consulte o Apêndice C, Critografia de disco para mais informações.
Inserir frase-senhas para partição criptografada

Figura 16.37. Inserir frase-senhas para partição criptografada

Escolha uma frase-senha e digite-a em cada um dos campos na caixa de diálogo. Você precisa fornecer esta frase-senha todas as vezes que o sistema inicializar.

Atenção

Se você perder esta senha, qualquer partição criptografada e dados neles serão totalmente bloqueados. Não existe uma forma de recuperar uma senha perdida.
Observe que se você realizar uma instalação do kickstart do Red Hat Enterprise Linux, você pode salvar senhas criptografadas e criar senhas criptografadas de backup durante a instalação. Consulte o Seção C.3.2, “Salvando frase-senha” e Seção C.3.3, “Criando e Salvando um backup das frase-senhas.”.

16.17. Criando um Layout Padronizado ou Modificando o Layout Padrão

Se você optou por uma das quatro opções de particionamento automático e não selecionou Revsão, vá para a Seção 16.18, “Gravar mudanças no disco”.
Se você optou por uma das opções de particionamento automático e selecionou Rever, você pode ou aceitar a configuração atual das partições (clicando em Próximo), ou modificar a configuração manualmente na tela de particionamento.
Se você optou por um layout personalizado, você deve indicar ao programa de instalação onde instalar o Red Hat Enterprise Linux. Isto é feito através da definição de pontos de montagem para uma ou mais partições de disco nas quais o Red Hat Enterprise Linux deve ser instalado.
Se você ainda não planejou como configurar as suas partições, consulte o Apêndice A, Introdução às Partições de Disco e a Seção 16.17.5, “Esquema de Particionamento Recomendado”. Você precisa de pelo menos uma partição root (/) de tamanho adequado, uma partição /boot/, uma partição de Inicialização PReP, e uma partição swap com um tamanho duas vezes maior do que a quantidade de RAM disponível no seu sistema.
Com exceção de algumas raras situações, o Anaconda pode atender aos requisitos de particionamento de uma instalação típica.
Particionando em IBM System p

Figura 16.38. Particionando em IBM System p

A tela contém dois paineis. O painel de cima contém uma representação gráfica do hard drive, volume lógico ou dispositivo RAID selecionado no painel baixo.
Acima da representação gráfica do dispositivo, você poderá rever o nome do drive (como o /dev/sda or LogVol00), seu tamanho (em MB) e seu modelo como detectado pelo programa de instalação.
Usando seu mouse, clique uma vez para destacar um campo específico na tela. Clique duas vezes para editar uma partição existente ou para criar uma partição a partir de espaço livre existente.
O painel mais baixo contém uma lista de todos os drives, volumes lógicos e dispositivos RAID a serem usados durante a instalação, como especificado anteriormente no processo de instalação, consulte o Seção 16.12, “Atribuir Dispositivos de Armazenamento”
Dispositivos são agrupados por tipo. Clique nos triângulos pequenos à esquerda de cada tipo de dispositivo para visualizar ou esconder dispositivos deste tipo.
Anaconda exibe diversos detalhes para cada dispositivo listado:
Dispositivo
o nome do dispositivo, volume lógico, ou partição
Tamanho (MB)
o tamanho do dispositivo, volume lógico, ou partição (em MB)
Ponto de montagem/RAID/Volume
o ponto de montagem (local dentro do sistema de arquivo) no qual a partição deve ser montada, ou o nome do RAID ou o grupo de volume lógico do qual é uma parte.
Tipo
o tipo da partição. Se a partição é padrão, este campo exibe o tipo de sistema de arquivo na partição (por exemplo, ext4). Caso contrário, ele indica que a partição é um volume físico (LVM), ou parte de um RAID por software
Formato
Uma marca nesta coluna indica que a partição será formatada durante a instalação.
Abaixo do painel baixo existem quatro botões: Create, Edit, Delete, e Reset.
Selecione um dispositivo ou partição, clicando nele tanto na representação gráfica no painel superior da lista no painel baixo, depois clique em um dos quatro botões para continuar as seguintes ações:
Criar
crie uma nova partição, volume lógico, ou RAID por software.
Editar
mude uma partição existente, volume lógico, ou RAID por software. Observe que você só poderá diminuir as partições como o botão Resize, e não aumentá-las.
Remover
remove uma partição, volume lógico ou RAID por software.
Redefinir
desfaz todas as mudanças feitas neste tela

16.17.1. Criar Armazenamento

O diálogo Criar Armazenamento permite que você crie novas partições de armazenamento, volumes lógicos e RAIDs por software. O Anaconda apresenta opções como disponíveis ou indisponíveis dependendo do armazenamento já presente no sistema ou configurado para transferir para o sistema.
Criar Armazenamento

Figura 16.39. Criar Armazenamento

Opções são agrupadas sob Criar Partição, Criar RAID por Software e Criar LVM

Criar Partição

Consulte Seção 9.15.2, “Adicionando Partições” para obter detalhes sobre o diálogo Adicionar Partição.

Criar RAID por Software

Consulte Seção 23.15.3, “Criar RAID por Software” para obter mais detalhes.
  • Partição RAID - cria uma partição em espaço não alocado, para formar uma parte de um dispositivo de RAID por software. Para formar um dispositivo de RAID por software, duas ou mais partições de RAID devem estar disponíveis no sistema.
  • Dispositivo de RAID - combina duas ou mais partições de RAID em um dispositivo de RAID por software. Quando você escolhe esta opção, você pode especificar o tipo de dispositivo de RAID para criar (o nível do RAID. Esta opção está disponível somente quando duas ou mais partições de RAID estão disponíveis no sistema.)

Criar Volume Lógico LVM

  • Volume Físico LVM — cria um volume físico em espaço não alocado.
  • Grupo de Volume LVM — criar um grupo de volume a partir de um ou mais volumes físicos. Esta opção está disponível somente quando ao menos um volume físico está disponível no sistema.
  • Volume Lógico LVM - cria um volume lógico em um grupo de volume. Esta opção está disponível somente quando ao menos um grupo de volume está disponível no sistema.

16.17.2. Adicionando Partições

Para adicionar uma nova partição, selecione o botão Criar. Uma caixa de diálogo aparece (consulte a Figura 16.40, “Criando uma Nova Partição”).

Nota

Você deve dedicar pelo menos uma partição para esta instalação, e, opcionalmente, mais de uma. Para mais informações, consulte o Apêndice A, Introdução às Partições de Disco.
Criando uma Nova Partição

Figura 16.40. Criando uma Nova Partição

  • Ponto de Montagem: Indique o ponto de montagem da partição. Por exemplo, se for uma partição raiz, indique /; indique /boot para a partição /boot e assim por diante. Você também pode usar o menu suspenso para escolher o ponto de montagem correto da sua partição. Para uma partição de troca, o ponto de montagem não deve ser selecionado - basta configurar o tipo do sistema de arquivos para swap.
  • Tipo de Sistema de Arquivo: Usando o menu suspenso, selecione o sistema de arquivos apropriado para esta partição. Para mais informações sobre tipos de sistemas de arquivos, consulte a Seção 16.17.2.1, “Tipos de Sistema de Arquivos”.
  • Drives Permitidos: Este campo contém uma lista de discos rígidos instalados em seu sistema. Se a caixa de um disco rígido estiver assinalada, então a partição desejada pode ser criada neste disco. Se a caixa não estiver assinalada, então a partição nunca será criada neste disco rígido. Ao utilizar configurações diferentes nas caixas de verificação, você pode usar o anaconda para alocar as partições onde precisar ou deixar que o anaconda decida onde alocá-las.
  • Tamanho (MB): Indique o tamanho da partição (em megabytes). Note que este campo começa com 200 MB; portanto se não for alterado, será criada uma partição de apenas 200 MB.
  • Opções Adicionais de Tamanho: Escolha se você deseja manter esta partição com tamanho fixo, permitir que ela "cresça" (preenchendo o espaço disponível do disco rígido) até um certo ponto, ou permitir que ela "cresça" preenchendo todo espaço disponível no disco rígido.
    Se escolher Preencher todo espaço até (MB), você deve indicar as restrições de tamanho no campo à direita desta opção. Isto permite a você deixar uma certa quantidade de espaço livre em seu disco rígido para usar futuramente.
  • Forçar partição primária: Selecione se você quiser que a partição que você estiver criando seja uma das primeiras quatro partições no disco rígido. Se não for selecionado, a partição é criada como uma partição lógica. Consulte a Seção A.1.3, “Partições dentro de Partições — Uma Visão Geral de Partições Estendidas”, para mais informações.
  • Encrypt: Escolha se deseja criptografar a partição, assim os dados armazenados nele não podem ser acessados sem uma frase senha, até mesmo se o dispositivo de armazenamento for conectado à outro sistema. Consulte o Apêndice C, Critografia de disco para mais informações sobre criptografia de dispositivos de armazenamento. Se você selecionar esta opção, o instalador solicitará que você forneça uma frase senha antes dele gravar a partição em um disco.
  • OK: Selecione OK quando você estiver satisfeito com as configurações e quiser criar a partição.
  • Cancelar: Selecione Cancelar se você não quiser criar a partição.

16.17.2.1. Tipos de Sistema de Arquivos

O Red Hat Enterprise Linux permite que você crie tipos diferentes de partições baseadas no sistema de arquivos que elas utilizarão. A seguir, veja uma breve descrição dos tipos diferentes de sistemas de arquivos disponíveis e como eles podem ser utilizados.

Tipo de partição

  • standard partition — Uma partição padrão pode conter um sistema de arquivo ou espaço swap, ou ele pode fornecer um container para RAID por software ou um volume físico LVM.
  • swap — Partições de troca (swap) são usadas para suportar a memória virtual. Em outras palavras, dados são gravados em uma partição de troca quando não há RAM suficiente para armazenar os dados sendo processados pelo seu sistema. Consulte o Red Hat Enterprise Linux Deployment Guide para maiores informações.
  • RAID por software — A criação de duas ou mais partições de RAID por software permite que você crie um dispositivo RAID. Para maiores informações sobre RAID, consulte o capítulo RAID (Redundant Array of Independent Disks) no Red Hat Enterprise Linux Deployment Guide.
  • volume físico (LVM) — A criação de um ou mais partições de volumes físicos (LVM) permite que você crie um volume lógico LVM. O LVM podem melhorar o desempenho de discos físicos. Para maiores informações sobre o LVM, consulte o Red Hat Enterprise Linux Deployment Guide.

Sistemas de Arquivo

  • ext4 — O sistema de arquivos ext4 é baseado no sistema de arquivos ext3 e tem inúmeras melhorias. Entre elas se encontra o suporte para sistema de arquivos maiores e alocação de espaço de disco de arquivos maiores, mais rápido e mais eficiente, sem limite no número de subdiretórios dentro de um diretório, verificação de sistema de arquivos mais rápida e um agendamento mais robusto. O sistema de arquivo ext4 é selecionado por padrão e é altamente recomendado.
  • ext3 — O sistema de arquivos ext3 é baseado no sistema de arquivos ext2 e tem uma vantagem principal — o journaling. O uso de um sistema de arquivos com journaling reduz o tempo gasto com sua recuperação após ele travar, já que não é necessário usar o fsck [7] no sistema de arquivo.
  • ext2 — Um sistema de arquivos ext2 suporta arquivos do tipo Unix (arquivos normais, diretórios, links simbólicos, etc). Possibilita a atribuição de nomes longos para arquivos, de até 255 caracteres.
  • xfs — XFS é altamente escalável, sistema de arquivo de alto desempenho que suporta os sistemas de arquivo em até 16 exabytes (aproximadamente 16 milhões terabytes), arquivos com até 8 exabytes (aproximadamente 8 milhões terabytes) e estruturas de diretórios contendo dezenas de milhões de entradas. O XFS suporta o agendamento de metadados, o qual facilita a recuperação de travamentos mais rápido. O sistema de arquivo XFS também pode ser defragmentado e ter seu tamanho redefinido enquanto é montado e ativado.
  • vfat — O sistema de arquivos VFAT é um sistema de arquivos do Linux compatível com os nomes de arquivos longos do Microsoft Windows no sistema de arquivos FAT.
  • Btrfs — Btrfs está sob desenvolvimento, pois um sistema de arquivo deve ser capaz de endereçar e gerenciar mais arquivos, arquivos maiores, e volumes maiores do que os sistemas de arquivo ext2, ext3 e ext4. Btrfs foi criado para tornar o sistema de arquivos mais tolerante quanto à erros e facilitar a detecção e reparo de erros quando eles ocorrerem. Ele usa o checksums para assegurar a validade dos dados e metadados, e manter os snapshots do sistema de arquivo, que podem ser usados para backup ou reparos.
    Como o Btrfs ainda está sob teste e em desenvolvimento, o programa de instalação não oferece-o por padrão. Se você quiser criar uma partição Btrfs em um drive, você precisa iniciar o processo de instalação com a opção de inicialização btrfs. Para obter instruções a respeito deste, consulte Capítulo 28, Opções de Inicialização

    Atenção

    O Red Hat Enterprise Linux 6 inclui o Btrfs como uma amostra de tecnologia para permitir que você teste este sistema de arquivos. Você não deve escolher o Btrfs para partições que irão conter dados valiosos ou que são essenciais para a operação de sistemas importantes.

16.17.3. Criar RAID por Software

Matrizes redundantes de discos independentes (RAIDs) são construídos de dispositivos de armazenamento múltiplo, arranjados para prover alto desempenho e, em algumas circunstâncias, maior tolerância à falhas. Consulte o Guia de Implementação do Red Hat Enterprise Linux para uma descrição de tipos diferentes de RAIDs.
Para criar um dispositivo RAID, você deve primeiro criar as partições de RAID por software. Após criar uma ou mais partições de RAID por software, selecione RAID para juntar as partições de RAID por software a um dispositivo RAID.
Partição RAID
Escolha esta opção para configurar uma partição para RAID por software. Esta opção é a única escolha disponível se seu disco não possuir nenhuma partição de RAID por software. Este é o mesmo diálogo que aparece quando você adiciona uma partição padrão, consulte o Seção 16.17.2, “Adicionando Partições” para obter uma descrição das opções disponíveis. Observe, no entanto, que o Tipo de Sistema de Arquivo deve ser configurado para software RAID.
Criar uma partição RAID por software

Figura 16.41. Criar uma partição RAID por software

RAID Device
Escolha esta opção para construir um dispositivo de RAID de dois ou mais partições de RAID por software existentes. Esta opção está disponível se duas ou mais partições de RAID por software foram configuradas.
Criar um dispositivo RAID

Figura 16.42. Criar um dispositivo RAID

Selecione o tipo de sistema de arquivo para uma partição padrão.
Anaconda sugere automaticamente um nome para o dispositivo de RAID, mas você poderá selecionar manualmente os nomes desde md0 até md15.
Clique nas caixas de seleção ao lado dos dispositivos de armazenamentos individuais para incluir ou removê-los deste RAID.
O RAID Level corresponde ao tipo particular de RAID. Escolha a partir das seguintes opções:
  • RAID 0 — distribui dados para os dispositivos de armazenamento múltiplos. O RAID Nível 0 oferece alto desempenho sob as partiçẽos padrão, e pode ser usado apra pool de armazenamento de dispositivos múltiplos em um dispositivo grande virtual. Observe que o RAID nível 0 não oferece redundância e a falha de um dispositivo na diretriz destrói toda a diretriz. O RAID 0 requer ao menos duas partições RAID.
  • O RAID 1 — espelha os dados em um dispositivo de armazenamento em um ou mais dispositivos de armazenamento. Dispositivos adicionais na diretriz fornece níveis avançados de redundância. O RAID 1 requer ao menos duas partições RAID.
  • O RAID 4 — distribui dados nos dispositivos de armazenamento múltiplos, mas usa um dispositivo na matriz para armazenar informações de paridade que asseguram a matriz no caso de qualquer dispositivo dentro da matriz falhar. Como todas as informações de paridade são armazenadas em um dispositivo, acesso à este dispositivo cria um limite no desempenho da matriz. O RAID 4 requer ao menos três partições de RAID.
  • RAID 5 — distribui dados e informações de paridade entre os dispositivos de armazenamento múltiplo. O RAID nível 5 oferece portanto as vantagens de desempenho de distribuição de dados para os dispositivos, mas não compartilha o desempenho bottleneck do nível 4 pois as informações de paridade são também distribuídas pela matriz. O RAID 5 requer ao menos três partições de RAID.
  • RAID 6 — RAIDs de nível 6 são semelhantes ao de nível 5, mas ao invés de armazenar somente um conjunto de dados de paridade, eles armazenam dois conjuntos. O RAID 6 requer ao menos quatro partições de RAID.
  • O RAID 10 — Os RAIDs de nível 10 são RAIDs aninhados ou RAIDs híbridos. Os RAIDs de nível 10 são construídos com a distribuição de dados sob os conjuntos espelhados de dispositivos de armazenamento. Por exemplo, o RAID de nível 10 construído de quatro partições de RAID, consistem em dois pares de partições no qual uma partição espelha a outra. Os dados são então distribuídos entre ambos os pares de dispositivo de armazenamento, como no nível RAID 0. O RAID 10 requer ao menos quatro partições de RAID.

16.17.4. Criar Volume Lógico LVM

Importante

A configuração inicial do LVM não está disponível na instalação no modo texto. Se você precisar criar uma configuração de LVM desde o início, pressione Alt+F2 para usar o terminal e execute o comando lvm. Para retornar à instalação de modo texto, pressione Alt+F1.
Gerenciamento de Volume Lógico (LVM), apresenta uma visualização lógica simples de espaço de armazenamento físico adjacente, tal como discos rígidos ou LUNs. As partições em armazenamento físico são representadas como volume físico as quais podem ser agrupadas em grupo de volume. Cada grupo de volume pode ser dividido em volumes lógicos múltiplos, cada qual análogo à uma partição de disco padrão. Por isso, a função dos volumes lógicos LVM é de partição que pode gerar discos físicos múltiplos.
Para ler mais a respeito do LVM, consulte o Red Hat Enterprise Linux Deployment Guide. Note que o LVM está disponível somente no programa de instalação gráfica.
Volume Físico LVM
Escolha esta opção para configurar uma partição ou dispositivo como um volume físico LVM. Esta opção é a única escolha disponível se seu armazenamento ainda não possuir Grupos de Volume de LVM. Este é o mesmo diálogo que aparece quando você adiciona uma partição padrão - consulte Seção 16.17.2, “Adicionando Partições” para uma descrição das opções disponíveis. Observe que, no entanto, o Tipo de Sistema de Arqruivo deve estar definido para volume físico (LVM)
Criar um Volume Físico LVM

Figura 16.43. Criar um Volume Físico LVM

Criar um Grupo de Volume LVM
Escolha esta opção para criar grupos de volume LVM a partir dos volumes físicos do LVM, ou para adicionar volumes lógicos existentes à um grupo de volume.
Criar Grupo de Volume LVM

Figura 16.44. Criar Grupo de Volume LVM

Para atribuir um ou mais volumes físicos à um grupo de volume, primeiro nomeie o grupo de volume. Depois selecione os volumes físicos a serem usados no grupo de volume. Depois, configure os volumes lógicos em qualquer grupo de volume usando as opções Adicionar, Editar e Remover.
Você não deve remover um volume físico de um grupo de volumes se isto deixar espaço insuficiente para aqueles volumes lógicos de grupos. Tome por exemplo um grupo de volume com até duas partições de volume físico com 5 GB, a qual contenha um volume lógico de 8 GB. O instalador não permitiria que você removesse os volumes físicos do componente, pois isto deixaria somente 5 GB no grupo para um volume lógico de 8 GB. Se você reduzir o tamanho total de qualquer volume lógico adequadamente, você pode então remover um volume físico do grupo de volume. No exemplo, a redução do tamanho do volume lógico para 4 GB permite que você remova um dos volumes físicos de 5 GB.
Criar Volume Lógico
Escolha esta opção para criar um volume lógico de LVM. Selecione um ponto de montagem, tipo de sistema de arquivo, e tamanho (em MB) como se fosse uma partição de disco padrão. Você também pode escolher um nome para o volume lógico e especificar o grupo de volume ao qual ele irá pertencer.
Criar um Volume Lógico

Figura 16.45. Criar um Volume Lógico

16.17.5. Esquema de Particionamento Recomendado

A não ser que você tenha alguma razão para fazer diferentemente, nós recomendamos que você crie as seguintes partições:
  • Uma partição swap (pelo menos 256 MB) — partições swap são usadas para suportar a memória virtual. Em outras palavras, os dados são gravados numa partição swap quando não há memória RAM suficiente para armazenar os dados que seu sistema está porocessando.
    Nos utlimos anos, a quantia de espaço de swap recomendada aumentou com a quantia de RAM no sistema. Mas como a quantia de memória nos sistemas do modem aumentou em centenas de gigabytes, é agora reconhecido que a quantia de espaço swap que um sistem aprecisa é uma função da carga de trabalho da memória executando naquele sistema.
    O espaço swap geralmente é designado durante a instalação, mas determinar a carga de trabalho desta memória de um sistema neste ponto pode ser difícil. Durante a instalação do kickstart, você pode requisitar que a quantia do espaço swap seja definida automaticamente (consulte o Seção 32.4, “Opções do Kickstart”.)
    No entanto, esta configuração não é precisamente calibrada para seu sistema, portanto use a seguinte tabela, caso você precise que a quantia de espaço swap seja definida mais precisamente.

    Tabela 16.2. Espaço de Swap do Sistema Recomendado.

    Quantia de RAM no Sistema Quantia Recomendada de Espaço de Swap
    4GB de RAM ou menos um mínimo de 2GB de espaço de swap
    4GB até 16GB de RAM um mínimo de 4GB de espaço de swap
    16GB até 64GB de RAM um mínimo de 8GB de espaço swap
    64GB até 256GB de RAM um mínimo de 16GB de espaço swap.
    256GB até 512GB de RAM um mínimo de 32GB de espaço swap
    Observe que você pode obter um desempenho melhor distribuindo o espaço de swap sob os dispositivos de armazenamento múltiplos, particularmente em sistemas com drives rápidos, controllers e interfaces.
  • Uma partição de inicialização PReP na primeira partição do disco rígido — a partição de inicialização PPC PReP contém o carregador de inicialização Yaboot (o qual permite que outros sistemas POWER inicializem o Red Hat Enterprise Linux). A não ser que você planeje inicializar a partir de um floppy ou através da rede, você deve ter uma partição de inicialização PReP para inicializar o Red Hat Enterprise Linux.
    Para usuários de sistemas IBM System p: A partição PReP boot deve ter entre 4 e 8 MB, e não deve exceder 10 MB.
  • Uma partição /boot/ (250 MB) — a partição montada em /boot/ contém o kernel do sistema operacional (o que permite que o seu sistema inicialize o Red Hat Enterprise Linux), assim como os arquivos usados durante a rotina de inicialização. Devido à limitações no firmware de vários PCs, é uma boa idéia criar uma pequena partição para armazenar estes arquivos. Para a maioria dos usuários, uma partição de inicialização de 250 MB é suficiente.

    Atenção

    Se você tem uma placa RAID, esteja ciente de que o Red Hat Enterprise Linux 6 não suporta a instalação do RAID de hardware em uma placa IPR. Você pode inicializar o CD de diagnóstico standalone antes da instalação para criar uma matriz RAID e depois instalar naquela matriz do RAID.
  • Uma partição root (3.0 GB - 5.0 GB)

    Aqui localiza-se "/" (o diretório root). Nesta configuração, todos os arquivos (exceto aqueles armazenados em /boot) estão na partição root.

    Uma partição de 3.0 GB permite que você faça uma instalação mínima, enquanto uma partição root de 5.0 GB permite uma instalação completa, selecionando todos os grupos de pacotes.

    Importante

    A partição / (ou root) é o topo da estrutura do diretório. O diretório /root o diretório /root (as vezes pronunciado como "barra-root") é o diretório home da conta de usuário para administração de sistemas.

Atenção

Downloads de software de atualizações do PackageKit atualizadas para o pacote /var/cache/yum/ por padrão. Se você particionar o sistema manualmente, e criar uma partição /var/ separada, tenha a certeza de criar uma partição grande o suficiente (3.0 GB ou mais) para baixar atualizações de pacotes.

16.18. Gravar mudanças no disco

O instalador lhe pede que confirme as opções de particionamento que você selecionou. Clique em Gravar mudanças no disco para permitir que o instalador particione seu drive rigido e instale o Red Hat Enterprise Linux.
Gravando configuração de armazenamento no disco

Figura 16.46. Gravando configuração de armazenamento no disco

Se você tiver certeza de que quer proceder, clique em Gravar mudanças no disco.

Atenção

Até este ponto do processo de instalação, o instalador não fez nenhuma mudança em seu computador. Quando você clicar em Gravar mudanças no disco, o instalador irá alocar espaço em seu drive rígido e iniciar a transferências do Red Hat Enterprise Linux para este espaço. Dependendo da opção de particionamento que você tenha escolhido, este processo pode incluir dados apagados que já existam em seu computador.
Para revisar qualquer uma das escolhas que você tenha feito até este ponto, clique em Go back. Para cancelar completamente a instalação, desligue seu computador.
Depois que você clicar em Gravar mudanças no disco, permita que o processo de instalação seja concluído. Se o processo for interrompido (por exemplo, porque você desligou ou redefiniu o computador, ou por causa de uma queda de energia) você provavelmente não conseguirá usar o seu computador até que você reinicie e conclua o processo de instalação do Red Hat Enterprise Linux, ou instale um sistema operacional diferente.

16.19. Seleção do Grupo de Pacotes

Agora que você fez a maioria das escolhas para sua instalação, está pronto para confirmar a seleção de pacotes padrão ou personalizar os pacotes para seu sistema.
A tela Padrões de Instalação de Pacotes aparece, detalhando o conjunto de pacotes padrão para a sua instalação do Red Hat Enterprise Linux. Esta tela varia dependendo da versão do Red Hat Enterprise Linux que você estiver instalando.

Importante

Se você instalar o Red Hat Enterprise Linux em modo texto, você não conseguirá fazer seleções de pacotes. O instalador selecionará automaticamente os pacotes somente a partir da base e grupo central. Estes pacotes são suficientes para assegurar que o sistema é operacional ao final do processo de instalação, pronto para instalar atualizações e novos pacotes. Para mudar a seleção de pacote, conclua a instalação, e use o aplicativo Adicionar/Remover Software para realizar as mudanças desejadas.
Seleção do Grupo de Pacotes

Figura 16.47. Seleção do Grupo de Pacotes

Por padrão, o processo de instalação do Red Hat Enterprise Linux carrega uma seleção de software que é adequada para um sistema implementado como servidor básico. Observe que esta instalação não inclui um ambiente gráfico. Para incluir a seleção de software adequados para outras tarefas, clique no botão de seleção que corresponde àquele das seguintes opções:
Servidor Básico
Esta opção fornece instalação básica do Red Hat Enterprise Linux para usar em um servidor.
Servidor de Banco de Dados
Esta opção fornece os bancos de dados MySQL ePostgreSQL.
servidor da Web
Esta opção fornece o servidor da Web Apache .
Base de Servidor de Identidade de Empresa (Enterprise Identity Server Base)
Esta opção fornece os bancos de dados OpenLDAP e o System Security Services Daemon (SSSD) para criar uma identidade e um servidor de autenticação.
Host Virtual
Esta opção fornece as ferramentas KVM e Virtual Machine Manager para criar um host para as máquinas virtuais.
Desktop
Esta opção fornece o OpenOffice.org productivity suite, o aplicativo de gerenciamento do projeto Planner, ferramentas gráficas como o GIMP e aplicativos de multimídia.
Estação de Trabalho de Desenvolvimento de Software
Esta opção fornece as ferramentas necessárias para compilar o software em seu sistema Red Hat Enterprise Linux.
Mínimo
Esta opção fornece somente pacotes essenciais para rodar o Red Hat Enterprise Linux. Uma instalação mínima fornece a base para um servidor de único propósito ou equipamento de desktop e maximiza o desempenho e segurança em tal instalação.
Se você escolher aceitar a lista de pacotes atuais, avance para a Seção 16.20, “Instalando Pacotes”.
Para selecionar um componente, clique na caixa de verificação ao lado do mesmo (consulte a Figura 16.47, “Seleção do Grupo de Pacotes”).
Para personalizar seu conjunto de pacotes ainda mais, selecione a opção Personalizar agora na tela. Clicar em Próximo leva você à tela Seleção de Grupos de Pacotes.

16.19.1. Instalando a partir de Repositórios Adicionais

Você pode definir os repositories adicionais para aumentar o software disponível em seu sistema durante a instalação. Uma repositório é um local de rede que armazena os pacotes de software junto com o metadata que os descreve. Muitos dos pacotes usados no Red Hat Enterprise Linux requerem outros softwares a serem instalados. O instalador usa o metadados para assegurar que estes requerimentos são atendidos em cada parte do software que você seleciona para a instalação.
O repositório Red Hat Enterprise Linux é automaticamente selecionado para você. Ele contém a coleção completa de software que foi lançada como o Red Hat Enterprise Linux 6, com diversas partes do software em suas versões que eram atuais quando lançadas.
Adicionando um repositório do software

Figura 16.48. Adicionando um repositório do software

Para incluir o software de repositórios, selecione Adicionar repositórios de software e fornecer o local do repositório.
Para editar um local de repositório de software existente, selecione o repositório na lista e depois selecione Modificar repositório.
Se você mudar as informações de repositório durante uma instalação de não rede, tal como de um DVD do Red Hat Enterprise Linux, o instalador irá lhe solicitar informações de configuração de rede.
Selecionar interface de Rede

Figura 16.49. Selecionar interface de Rede

  1. Selecione uma interface no menu suspenso.
  2. Clique em OK.
O Anaconda ativa a interface que você selecionou e depois inicia o NetworkManager para permitir que você configure a interface.
Conexões de Rede

Figura 16.50. Conexões de Rede

Para mais detalhes sobre como usar o NetworkManager, refer to Seção 16.9, “Configurando o Hostname”
Se você selecionar o Adicionar os repositórios de software, o diálogo Editar repositório aparecerá. Forneça um nome de repositório e o URL do repositório para seu local.
Depois que você localizar o espelho, para determinar qual URL utilizar, encontre o diretório no espelho que contenha um diretório chamado repodata.
Depois que você fornecer informações para um repositório adicional, o instalador lê o metadado do pacote sob a rede. O Software que é especialmente marcado é então incluído no sistema de seleção do grupo de pacote.

Atenção

Se você escolher o botão Voltar na tela de seleção do pacote, qualquer dado de repositório extra que você tenha inserido será perdido. Isto permite que você cancele repositório extras de forma efetiva. Atualmente não há nenhuma forma de cancelar somente um único repositório depois de inserido.

16.19.2. Padronizando a Seleção do Software

Nota

Seu sistema Red Hat Enterprise Linux suporta automaticamente o idioma que você selecionou durante o início do processo de instalação. Para incluir suporte para idiomas adicionais, selecione o grupo de pacote para estes idiomas a partir da categoria Languages.

Nota

Usuários que desejam suporte a aplicações de desenvolvimento ou aplicações de 64 bits são aconselhados a selecionar os pacotes Suporte à Arquitetura de Compatibilidade e Suporte ao Desenvolvimento da Arquitetura de Compatibilidade para instalar suporte específico à arquitetura de seus sistemas.
Selecione Padronizar agora para especificar os pacotes do software para seu sistema final em mais detalhes. Esta opção faz o processo de instalação exibir uma tela de padronização adicional quando você seleciona Next.
Detalhes do Grupo de Pacotes

Figura 16.51. Detalhes do Grupo de Pacotes

Red Hat Enterprise Linux divide o software incluso no package groups. Para facilitar o uso, a tela de seleção do pacote exibe estes grupos como categorias.
Você pode selecionar grupos de pacotes, que agrupam componentes de acordo com sua função (por exemplo, Sistema X Window e Editores), pacotes individuais, ou uma combinação dos dois.
Para visualizar os grupos de pacote para uma categoria, selecione a categoraia da lista à esquerda. A lista na direita exibe os grupos de pacotes para a categoria selecionada atualmente.
Para especificar um grupo de pacote para a instalação, selecione a caixa de seleção próxima ao grupo. A caixa no final da tela exibe em detalhes do grupo de pacote que está enfatizado atualmente. Nenhum destes pacotes de um grupo serão instalados a não ser que a caixa de seleção para este grupo esteja selecionada.
Se você selecionar um grupo de pacote, a Red Hat Enterprise Linux instala automaticamente a base e pacotes obrigatórios para aquele grupo. Para mudar quais pacotes opcionais dentro de um grupo selecionado será instalado, selecione o botão Optional Packages sob a descrição do grupo. Depois use o nome da caixa de seleção próxima ao pacote individual para mudar sua seleção.
Na lista de seleção de pacote à sua direita, você pode usar o menu de contexto como um atalho para selecionar ou desselecionar pacotes obrigatórios e básicos ou todos os pacotes opcionais.
Menu de Contexto de Lista de Seleção de Pacote

Figura 16.52. Menu de Contexto de Lista de Seleção de Pacote

Depois que você escolher os pacotes desejados, selecione Next para proceder. O instalador verifica sua seleção, e automaticamente adiciona qualquer pacote extra requerido para usar o software que você selecionar. Quando houver terminado de selecionar pacotes, clique em Fechar para salvar suas seleções e retornar à tela de seleção de pacotes principal.
Os pacotes que você seleciona não são permanentes. Depois que você iniciar seu sistema, use a ferramenta Adicionar/Remover Programas para instalar novos programas ou remover pacotes instalados. Para executar esta ferramenta a partir do menu principal, seleicone SistemaAdministraçãoAdicionar/Remover Programas. O sistema de gerenciamento de programas do Red Hat Enterprise Linux baixa os últimos pacotes de servidores de rede, ao invés de usar aqueles no disco de instalação.

16.19.2.1. Serviços de Rede Central

Todas as instalações do Red Hat Enterprise Linux incluem os seguintes serviços de rede:
  • registro centralizado através do syslog
  • email através de SMTP (Simple Mail Transfer Protocol)
  • compartilhamento de arquivos em rede através de NFS (Network File System)
  • acesso remoto através de SSH (Secure Shell)
  • recursos através do mDNS (multicast DNS)
A instalação padrão também fornece:
  • transferencia de arquivos através de HTTP (HyperText Transfer Protocol)
  • imprimindo através de CUPS (Common UNIX Printing System)
  • acesso ao desktop remoto através do VNC (Virtual Network Computing)
Alguns processos automatizados em seu sistema Red Hat Enterprise Linux usam o serviço de email para enviar relatórios e mensagens ao administrador de sistemas. Por padrão, o email, loggin e serviços de impressão não aceitam conexões a partir de outros sistemas. O Red Hat Enterprise Linux instala o compartilhamento de NFS, HTTP e componentes do VNC sem habilitar estes serviços.
Você pode configurar seu Red Hat Enterprise Linux após instalar para oferecer email, compartilhamento de arquivos, loggin, impressão e serviços de acesso remoto de desktop. O serviço SSH é ativado por padrão. Você pode usar o NFS para acessar arquivos em outros sistemas sem ativar o serviço de compartilhamento do NFS.

16.20. Instalando Pacotes

Neste ponto, não há nada que você possa fazer até que todos os pacotes tenham sido instalados. A velocidade deste processo depende do número de pacotes que você selecionou e da velocidade do seu computador.
Dependendo dos recursos disponíveis, você deve ver a barra de progresso a seguir enquanto o instalador resume dependências dos pacotes que você selecionou para a instalação:
Iniciando a instalação

Figura 16.53. Iniciando a instalação

Durante a instalação dos pacotes selecionados e suas dependências, você vê a seguinte barra de progresso:
Pacotes concluídos

Figura 16.54. Pacotes concluídos

16.21. Instalação Concluída

Parabéns! Sua instalação do Red Hat Enterprise Linux foi concluída!
O programa de instalação pede que você prepare o seu sistema para uma reinicialização. Lembre-se de remover qualquer mídia de instalação que não seja ejetada automaticamente durante a reinicialização.
Faça o que for apropriado para inicializar o Red Hat Enterprise Linux. Você deverá visualizar uma ou mais telas de mensagens rolando. Eventualmente, aparecerá um prompt de login: ou uma tela gráfica de autenticação (caso você tenha instalado o Sistema X Window e escolhido iniciar o Sistema Windows X e escolha iniciá-lo automaticamente).
A primeira vez que você iniciar o seu sistema Red Hat Enterprise Linux no nível de execução 5, você poderá usar a ferramenta FirstBoot que irá guiá-lo através da configuração do Red Hat Enterprise Linux. Ao usar esta ferramenta , você poderá ajustar o horário do seu sistema, instalar programas, e registrar a sua máquina junto ao Red Hat Network. O FirstBoot auxilia na configuração do seu ambiente para que você possa começar a usar o seu sistema Red Hat Enterprise Linux o mais rápido possível.
Capítulo 34, Firstboot irá guiá-lo no processo de configuração.


[6] Uma senha root é a senha administrativa para o seu sistema Red Hat Enterprise Linux. Você deve se autenticar como root apenas quando for necessário executar a manutenção do sistema. A conta root não opera sob as restrições impostas nas contas de usuários comuns, e portanto mudanças feitas como root podem repercutir no sistema todo.
[7] O aplicativo fsck é usado para verificar o sistema de arquivo para consistência de metadados e reparar opcionalmente um ou mais sistemas de arquivo do Linux,

Capítulo 17. Resolvendo Problemas de Instalação em um Sistema IBM POWER

Esse apêndice aborda alguns problemas comuns na instalação e suas soluções.
Para propósitos de depuração, o anaconda registra ações de instalação em arquivos no diretório /tmp. Entre eles se encontram:
/tmp/anaconda.log
mensagens gerais do anaconda
/tmp/program.log
todos os programas externos executados pelo anaconda
/tmp/storage.log
informações de módulo de armazenamento extensivo
/tmp/yum.log
mensagens de instalação do pacote yum
/tmp/syslog
mensagens de sistema relacionados ao hardware
Se a instalação falhar, as mensagens destes arquivos serão consolidadas no/tmp/anaconda-tb-identifier, onde identifier é uma faixa aleatória.
Pode ser que você ache o IBM Online Alert Section para o System p and System i útil. Pode ser encontrado em:
http://www14.software.ibm.com/webapp/set2/sas/f/lopdiags/info/LinuxAlerts.html
Todos os arquivos acima residem no ramdisk do instalador e são portanto voláteis. Para fazer uma cópia permanente, copie estes arquivo para outro sistema na rede usando o scp na imagem de instalação (não ao contrário)

17.1. Você Não Consegue Inicializar o Red Hat Enterprise Linux

17.1.1. Seu Sistema Está Exibindo Erros 'Signal 11'?

Um erro signal 11, normalmente chamado de falha de segmentação, significa que o programa acessou uma localidade da memória que não tenha sido atribuída. Um erro signal 11 pode ocorrer devido a um erro em um dos programas instalados, ou devido a hardware defeituoso.
Se você receber um erro fatal signal 11 durante a instalação, é provavelmente devido um erro de hardware no barramento de seu sistema. Como outros sistemas operacionais, o Red Hat Enterprise Linux impõe seus próprios requisitos ao hardware de seu sistema. Parte do hardware talvez não consiga atender a estes requisitos, mesmo que funcione corretamente sob outro SO.
Certifique-se que você tem as últimas atualizações e imagens de instalação da Red Hat. Revise as erratas online para verificar se há versões mais novas disponíveis. Se as imagens mais recentes ainda falharem, pode ser um problema com seu hardware. Geralmente, estes erros estão na sua memória ou no cache da CPU. Uma possível solução para este erro é desligar o cache da CPU no BIOS, se o seu sistema permitir isto. Você também pode tentar trocar sua memória nos slots da placa-mãe para verificar se o problema está relacionado ao slot ou à memória.
Uma outra opção é efetuar uma verificação de mídia em seu DVD de instalação. O Anaconda, o programa de instalação possui a habilidade de testar a integridade da mídia de instalação. Funciona para os métodos de instalação através de DVD, ISO de disco rígido e ISO de NFS. A Red Hat recomenda que você teste todas as mídias de instalação antes de começar o processo de instalação e antes de relatar quaisquer erros relacionados à instalação (muitos dos erros relatados ocorrem devido a DVDs mal gravados). Para usar esse teste, digite o seguinte comando no prompt boot: ou yaboot::
	linux mediacheck
Para mais informações sobre erros signal 11, consulte:
	http://www.bitwizard.nl/sig11/

17.2. Problemas no Início da Instalação

17.2.1. Problemas ao Inicializar a Instalação Gráfica

Há algumas placas de vídeo que apresentam problemas ao iniciar o programa de instalação gráfico. Se o programa de instalação não roda usando sua configuração padrão, tenta rodar num modo de resolução mais baixo. Se isso também falhar, o programa de instalação tenta rodar no modo texto.
Uma possível solução é tentar usar a opção de inicialização resolution=. Consulte o Capítulo 28, Opções de Inicialização para mais informações.

Nota

Para desabilitar o suporte ao frame buffer e permitir que o programa de instalação rode no modo texto, tente usar a opção boot nofb. Este comando pode ser necessário para a acessibilidade com certos dispositivos para a leitura de telas.

17.3. Problemas durante a Instalação

17.3.1. Mensagem de Erro Nenhum dispositivo encontrado para instalar o Red Hat Enterprise Linux

Se você receber uma mensagem de erro dizendo Nenhum dispositivo encontrado para instalar o Red Hat Enterprise Linux, provavelmente há um controlador SCSI que não está sendo reconhecido pelo programa de instalação.
Verifique no site do fabricante do seu hardware se há uma imagem do disquete de driver que conserte o problema. Para mais informações gerais sobre disquetes de driver, consulte o Capítulo 13, Atualizando drivers durante a instalação em sistemas IBM POWER.
Você também pode consultar a Lista de Compatibilidade de Hardware da Red Hat, disponível online em:

17.3.2. Salvando mensagens traceback

Se o anaconda encontrar um erro durante o processo de instalação gráfico, ele apresentará uma caixa de diálogos reportando o travamento:
A Caixa de Diálogos de Relatório de Travamentos

Figura 17.1. A Caixa de Diálogos de Relatório de Travamentos

Detalhes
exibe os detalhes de erro:
Detalhes do travamento

Figura 17.2. Detalhes do travamento

Salvar
Salva detalhes de erro localmente ou remotamente
Sair
sair do processo de instalação
Se você selecionar o Save a partir do diálog principal, você pode escolher a partir das seguintes opções:
Selecionar relatório

Figura 17.3. Selecionar relatório

Autenticador
salva detalhes de erro como um arquivo de log no disco rígido local, em um diretório que você selecionar.
Red Hat Customer Support
submete o relatório de travamento para o Suporte ao Consumidor para assistência
Carregador de relatório
carrega uma versão comprimida de relatórios de travamento para o Bugzilla ou uma URL de sua escolha.
An tes de submeter o relatório clique em Preferences para especificar um destino ou prover detalhes de autenticação. Selecione o método de relatórios que você precisa para configurar e clique em Configure Event.
Configurar as preferências do relator

Figura 17.4. Configurar as preferências do relator

Autenticador
Especifique um caminho e um filename para o arquivo do log. Verifique o Append se você está adicionando em um arquivo de log já existente.
Especifique um caminho local para o arquivo do log.

Figura 17.5. Especifique um caminho local para o arquivo do log.

Red Hat Customer Support
Ensira seu username e senha do Red Hat Network para que seu relatório alcançe o Suporte ao Consumidor e seja conectado à sua conta. O URL é preenchido previamente e o Verify SSL é selecionado por padrão.
Ensira seus detalhes de autenticação do Red Hat Network.

Figura 17.6. Ensira seus detalhes de autenticação do Red Hat Network.

Carregador de Relatório
Especifique uma URL para carregar uma versão comprimida do relatório de travamento.
Ensira a URL para carregar o relatório de travamento.

Figura 17.7. Ensira a URL para carregar o relatório de travamento.

Bugzilla
Ensira seu username e senha do Bugzilla para submeter um erro com o sistema de rastreamento de erro da Red Hat usando o relatório de travamento. A URL é preenchida previamente e o Verify SSL é selecionado por padrão.
Ensira os detalhes de autenticação do Bugzilla

Figura 17.8. Ensira os detalhes de autenticação do Bugzilla

Depois de enserir suas preferências, clique em OK para retornar para o diáloto de seleção do relatório. Selecione como você gostaria de relatar o problema e depois clique em Forward
Confirmar dados de relatório

Figura 17.9. Confirmar dados de relatório

Você pode agora padronizar o relatório selecionando e cancelando a seleção de problemas que serão incluídos. Quando terminar, clique em Apply.
Relatório em progresso

Figura 17.10. Relatório em progresso

Esta tela exibe o resultado do relatório, incluindo qualquer erro em enviar ou salvar o log. Clique em Forward para proceder.
Relatório Concluído

Figura 17.11. Relatório Concluído

A reportagem está agora concluída. Clique em Forward para retornar ao diálogo de seleção do relatório. Você pode agora fazer outro relatório, ou clicar em Fechar para sair do utilitário de relatórios e depois clicar em Exit para fechar o processo de instalação.

Importante

Esta informação não é aplicável a usuários de sistemas IBM System p sem monitor.

17.3.3. Problemas com Tabelas de Partição

Se você receber um erro após a fase Configuração do Particionamento de Disco (Seção 16.15, “Configuração do Particionamento de Disco”) da instalação dizendo algo similar a
A tabela de partição no dispositivo hda está ilegível. Para criar novas partições, ele deve ser inicializado, causando perda de TODOS OS DADOS neste drive.
talvez você não tenha uma tabela de partição naquele drive ou a tabela de partição no drive talvez seja irreconhecível pelo software de particionamento usado no programa de instalação.
Independentemente do tipo de instalação sendo executada, você deve sempre fazer back up dos dados existentes.

17.3.4. Outros Problemas de Particionamento para Usuários de Sistemas IBM™ POWER

Se você criar partiçõesm manualmente, mas não consegue prosseguir para a próxima tela, provavelmente não criou todas as partições necessárias para concluir a instalação.
Você deve ter, no mínimo, as seguintes partições:
  • Uma partição / (root)
  • Uma partição <swap> do tipo swap
  • Uma partição de Inicialização PReP.
  • Uma partição /boot/.

Nota

Ao definir o tipo de uma partição como swap, não determine um ponto de montagem para ela. O Anaconda fará isso automaticamente para você.

17.4. Problemas após a Instalação

17.4.1. Não foi possível executar o IPL a partir do *NWSSTG

Se você estiver encontrando dificuldades ao tentar executar o IPL a partir de um *NWSSTG, talvez você não tenha criado uma partição PReP ativa.

17.4.2. Iniciando em Ambiente Gráfico

Se você instalou o Sistema X Window, mas não está visualizando uma área de trabalho gráfica ao autenticar no sistema Red Hat Enterprise Linux, é possível iniciar a interface gráfica do Sistema X Window usando o comando startx.
Após digitar este comando e pressionar Enter, um ambiente gráfico da área de trabalho será exibido.
Note, no entanto, que esta correção pode ser feita apenas uma vez, e não altera o processo para autenticações futuras.
Para configurar seu sistema a fim de poder autenticar na tela gráfica, você precisa editar um arquivo, o /etc/inittab, alterando somente um número na seção runlevel. Quando terminar, reinicialize seu computador. Da próxima vez que se autenticar, você terá uma janela gráfica de autenticação.
Abra uma janela de comandos. Se você estiver na sua conta de usuário, mude para root, digitando o comando su.
Agora digite o seguinte para editar o arquivo com gedit.
	gedit /etc/inittab
O arquivo /etc/inittab é aberto. Dentro da primeira tela, uma seção de arquivo que se parece com o seguinte:
# nível de execução (runlevel) padrão. Os níveis de execução usados são: 
#   0 - halt (interromper) (Não definir initdefault para este) 
#   1 - Modo de usuário Single (único) 
#   2 - Multiuser, sem NFS ( O mesmo que o 3, caso você não possua rede) 
#   3 - Modo completo de multiuser 
#   4 - sem uso 
#   5 - X11 
#   6 - reboot (reinicializar) (Não defina este initdefault para este) 
#
id:3:initdefault:
Para mudar de um console para uma autenticação gráfica, você deve alterar o número na linha id:3:initdefault: de 3 para 5.

Atenção

Altere somente o número padrão do nível de execução (runlevel) de 3 para 5.
Sua linha alterada deve se parecer com a seguinte:
	 id:5:initdefault: 
Quando você estiver satisfeito com a alteração, salve e saia do arquivo usando as teclas Ctrl+Q. Aparece uma janela perguntando se você deseja salvar as alterações. Clique em Salvar.
Na próxima vez que você se autenticar após reinicializar o sistema, terá uma tela gráfica de autenticação.

17.4.3. Problemas com o Sistema X Window (GUI)

Se você está encontrando problemas ao tentar iniciar o X (Sistema X Window), talvez você não o tenha instalado durante o processo de instalação.
Se você quiser o Sistema X Window, você pode instalar os pacotes a partir da mídia de instalação do Red Hat Enterprise Linux ou executar uma atualização.
Se você optar pela atualização, selecione os pacotes do Sistema X Window e escolha GNOME, KDE ou ambos, durante o processo de seleção de atualização dos pacotes.
Consulte a Seção 35.3, “Mudando para um Login Gráfico” para mais informações sobre como instalar um ambiente de desktop.

17.4.4. Problemas com Quedas do Servidor X e Usuários Não-Root

Se você tem problemas com quedas do servidor X quando qualquer um pode acessar, você pode estar com o sistema de arquivo cheio (ou falta de espaço no disco rígido).
Para confirmar se este é o problema ocorrendo, submeta o seguinte comando:
df -h
O comando df pode ajudar a diagnosticar qual partição está cheia. Para informações adicionais sobre o df e suas opções (como a opção -h usada neste exemplo), consulte a página man do df digitando man df numa janela de comandos.
Um indicador relevante é 100% cheio ou uma porcentagem acima de 90% ou 95% numa partição. As partições /home/ e /tmp/ podem, às vezes, encher rapidamente com arquivos de usuários. Você pode criar algum espaço nessa partição apagando arquivos antigos. Após esvaziar algum espaço, tente rodar o X como o usuário que anteriormente não funcionou.

17.4.5. Problemas ao Tentar Autenticar

Se você não criou uma conta de usuário na tela firstboot, mude para o console pressionando Ctrl+Alt+F2, registre-se como root e use a senha que você atribuiu para o root.
Se você não lembra da sua senha root, inicialize seu sistema como linux single.
Após iniciar no modo de usuário simples e ter acesso à linha de comandos #, você deve digitar passwd root, o que lhe permite definir uma nova senha para o root. Neste ponto você pode digitar shutdown -r now para reinicializar o sistema com a nova senha root.
Se você não lembra a senha da sua conta de usuário, deverá tornar-se root. Para tornar-se root, digite su - e insira sua senha root quando solicitado. Então, digite passwd <username>. Isto lhe permite inserir uma nova senha para a conta de usuário especificada.
Se você não vê a tela gráfica de autenticação, verifique seu harware para questões de compatibilidade. A Lista de Compatibilidade de Hardware pode ser encontrada em:
	http://hardware.redhat.com/hcl/

17.4.6. Sua Impressora não Funciona

Se você não sabe ao certo como configurar sua impressora ou está tendo problemas em fazê-la funcionar corretamente, tente usar a Ferramenta de Configuração da Impressora.
Digite o comando system-config-printer numa janela de comandos para executar a Ferramenta de Configuração da Impressora. Se você não está como root, a ferramenta solicitará a senha do root para continuar.

17.4.7. O servidor Apache HTTP ou Sendmail pára de responder durante a inicialização.

Se o Apache HTTP Server (httpd) ou Sendmail pára de responder durante a inicialização, certifique-se de que a linha a seguir está no arquivo /etc/hosts:
127.0.0.1  localhost.localdomain  localhost

Parte III. IBM System z Architecture - Instalação e Inicialização

Esta parte discute sobre a instalação e inicialização (ou carga inicial de programa , IPL) do Red Hat Enterprise Linux no IBM System z.

Capítulo 18. Planejamento para a Instalação em System z

18.1. Pré-Instalação

Red Hat Enterprise Linux 6 roda em System z9 ou sistemas posteriores IBM mainframe.
O processo de instalação entende que você já conhece o IBM System z e pode configurar o logical partitions (LPARs) e máquinas virtuais convidadas z/VM. Para informações adicionais sobre o System z, consulte o http://www.ibm.com/systems/z.
Antes de instalar seu Red Hat Enterprise Linux, você deve decidir seguintes passos:
  • Decida se deseja executar o sistema operacional numa LPAR ou como um sistema operacional convidado z/VM.
  • Determine se você precisa de espaço virtual (swap) e, se precisar, de quanto. Apesar de ser possível (e recomendado) atribuir memória suficiente para a z/VM e deixar que esta crie o espaço virtual necessário, há alguns casos nos quais a quantidade de RAM necessária não é previsível. Estas situações devem ser examindas caso-a-caso. Consulte o Seção 23.15.5, “Esquema de Particionamento Recomendado”.
  • Decida sobre a configuração de rede. O Red Hat Enterprise Linux 6 para o IBM System z suporta os seguintes dispositivos de rede:
    • Real e virtual Open Systems Adapter (OSA)
    • Real e virtual HiperSockets
    • LAN channel station (LCS) para OSA real
Você precisa dos seguintes hardwares:
  • Espaço de Disco. Calcular quanto de espaço de disco você precisa e Alocar Espaço de Disco suficiente em DASDs [8] or SCSI[9]. Você precisa de ao menos 2 GB para as instalações de servidor, enquanto 5  GB para instalar todos os pacotes. Você também precisará de um espaço de disco para qualquer dado de aplicativo. Após a instalação, mais partições de disco do DASD ou SCSI podem ser adicionadas ou removidas como necessário.
    O espaço de disco utilizado pelo Red Hat Enterprise Linux recentemente instalado (a instância do LInux), deve ser diferente do espaço de disco utilizado por quaisquer outros SOs que estejam instalados em seu sistema.
    Para mais informações sobre a configuração de discos e partições, consulte a Seção 23.15.5, “Esquema de Particionamento Recomendado”.
  • RAM. Adquira 1 GB (recomendado) para a instância do Linux. Com algum ajuste, uma instância pode rodar em um mínimo de 512 MB RAM.

18.2. Visão Geral do Procedimento de Instalação do System z

Você pode instalar o Red Hat Enterprise Linux on System z de forma interativa ou em modo desatendido. A instalação no System z difere das instalaçãoes em outras arquiteturas, ou seja é geralmente realizado sob uma rede e não de um DVD. A instalação pode ser resumida da seguinte forma:
  1. Inicializando (IPL) o instalador

    Conecte-se com a mainframe, depois realize um initial program load (IPL), ou inicialização, do meio contendo o programa de instalação.
  2. Instalação Fase 1

    Configure um dispositivo de rede inicial. O dispositivo de rede é então usado para conectar ao sistema de instalação via SSH ou VNC. Isto lhe fornecerá um terminal de modo de tela cheia ou uma exibição gráfica para continuar a instalação como em outras arquiteturas.
  3. Instalação Fase 2

    Especifique o idioma a usar, e como e onde o programa de instalação e os pacotes de software a serem instalados do repositório em um meio de instalação da Red Hat podem ser encontrados.
  4. Instalação Fase 3

    Use o anaconda (a parte principal do programa de instalação do Red Hat) para realizar o resto da instalação.
O Processo de Instalação

Figura 18.1. O Processo de Instalação

18.2.1. Inicializando (IPL) o Instalador

Após estabelecer uma conexão com o mainframe, você precisará realizar um carregamento de programa inicial (IPL), ou inicialização, de um meio que contenha o programa de instalação. Este documento descreve os métodos mais comuns de instalação do Red Hat Enterprise Linux 6 no System z. Em geral, você pode usar qualquer método para inicializar o sistema de instalação do Linux, o qual consiste em um kernel (kernel.img) e um ramdisk inicial (initrd.img) com ao menos os parâmetros em generic.prm. O sistema de instalação do Linux também é chamado de installer neste livro.
O ponto de controle de onde você pode iniciar o processo de IPL depende do ambiente onde seu Linux é executado. Se seu Linux for executado como um sistema operacional convidado z/VM, os pontos de controle são control program (CP) do hosting z/VM. Se seu Linux for executado em modo LPAR, o ponto de controle é um Support Element (SE) do mainframe ou um IBM System z anexado Hardware Management Console (HMC).
Você pode usar a seguinte mídia de inicialização, somente se o Linux for executado como um sistema operacional convidado sob o z/VM:
Você pode usar a seguinte mídia de inicialização somente se o Linux for executado no modo LPAR:
Você pode usar a seguinte mídia de inicialização para ambos z/VM e LPAR:
Se você usar o DASD e dispositivos FCP anexados (exceto o SCSI DVDs) como mídia de inicialização, você deve ter um carregador de inicialização zipl configurado. Para mais informações, veja o Capítulo em zipl em Linux nos Drivers de Dispositivo do System z, Recursos e Comandos no Red Hat Enterprise Linux 6.

18.2.2. Instalação Fase 1

Após a inicialização do kernel, você irá configurar um dispositivo de rede. Este dispositivo de rede é necessário para concluir a instalação.
A interface que você irá usar na fase 1 da instalação é a interface linuxrc, que é o modo de linha e em texto. (consulte o Capítulo 21, Fase de Instalação 1: Configurando um Dispositivo de Rede.)

18.2.3. Instalação Fase 2

Na instalação fase 2, você precisará especificar qual idioma usar e onde a fase 3 do programa de instalação e os pacotes de software a ser instalado do repositório no meio de instalação da Red Hat, pode ser encontrado. No System z, as fontes de instalação são geralmente transferidas do DVD para o servidor de rede. A fase 3 do programa de instalação e o repositório podem ser acessados em uma das seguintes formas:
  • Sob a rede usando um dos FTP, HTTP, HTTPS ou protocolos de NFS. Um servidor de rede separado (FTP, HTTP, HTTPS or NFS), que contém todas fontes de instalação necessárias, devem ser configuradas previamente. Para detalhes sobre como configurar um servidor de rede, consulte o Seção 19.1, “Preparando para uma instalação de Rede.”.
  • O Hard disk (DASD ou dispositivo do SCSI anexado através de um canal de FCP). Você precisa configurar um disco que contenha as fontes de instalação necessárias previamente. Para detalhes, Consulte o Seção 19.2, “Preparando para uma instalação de Hard Drive”.
  • Através de um DVD de SCSI de FCP anexado. Este é manipulado automaticamente se inicializado de um DVD de SCSI de FCP anexado.
A interface que você irá usar na fase de instalação 2 é o carregador, o qual fornece uma interface baseada em texto de tela cheia com um pano de fundo azul por padrão. Para instalação desatentidas em modo cmdline, o carregador oferece o resultado modo linha, em texto. (Consulte o Capítulo 22, Fase de Instalação 2: Configurando Idioma e Fonte de Instalação.)

18.2.4. Instalação Fase 3

Na fase de instalação 3 você usará o anaconda em modo gráfico, em texto ou cmdline:
  • Modo Gráfico

    Este pode ser usado através do cliente VNC (recomendado) ou através de um servidor X11. Você pode usar seu mouse e teclado para navegar pelas telas, clicar nos botões e inserir texto nos campos.

  • Modo em Texto

    Esta interface não oferece todos os elementos de interface do GUI e não suporta todas as configurações. Use este para instalações interativas se você não puder usar um cliente VNC ou um servido X11.

  • Modo cmdline

    Este é designado para as instalações automatizadas no System z. (Consulte o Seção 26.6, “Parâmetros para as instalações do kickstart”)

Se você possuir uma conexão de rede lenta ou preferir uma instalação com base em texto, não use o X11 ao se registrar na rede e não configure o display= no arquivo de parâmetro (consulte o Seção 26.4, “Parâmetros VNC e X11” para detalhes). No Red Hat Enterprise Linux 6 a instalação com base em texto foi reduzida para minimizar a interação do usuário. Os recursos como a instalação em dispositivos de SCSI de FCP anexado, mudança de layout de partição, ou a seleção de pacote, estão disponíveis com a instalação de interface de usuário gráfica. Use a instalação gráfica sempre que possível. (Consulte o Refer to Capítulo 23, Fase 3 de Instalação: Instalando com o anaconda.)

18.3. Interface de Usuário Gráfica com o X11 ou VNC

Para executar um anaconda com a interface de usuário gráfica, use uma estação de trabalho que tenha tanto um servidor X Window System (X11) ou um cliente VNC instalado.
Você pode usar um X11 avançado com um cliente SSH ou X11 diretamente. Se o instalador em sua estação de trabalho falhar porque o servidor X11 não suporta as extensões X11, você pode ter que para atualizar o servidor do X11 ou usar o VNC.
Para usar o VNC, desabilite o X11 avançado em seu cliente SSH antes de se conectar com o sistema de instalação Linux no mainframe ou especifique o parâmetro do vnc em seu arquivo de parâmetro. O uso do VNC é recomendado para conexões de rede de longa distância ou lenta. Consulte o Seção 28.2, “Habilitando Acesso Remoto ao Sistema de Instalação”.
Tabela 18.1, “Parâmetros e tipos de login do SSH” mostra como os parâmetros e o tipo de login do SSH controla qual interface de usuário do anaconda é usado.

Tabela 18.1. Parâmetros e tipos de login do SSH

Parameter SSH login Interface de Usuário
nenhum SSH sem o X11 avançado VNC ou texto
vnc SSH com ou sem o X11 avançado VNC
nenhum SSH com o X11 avançado X11
display=IP/hostname:display SSH sem o X11 avançado X11

18.3.1. Instalação usando o X11 avançado

Você pode conectar uma estação de trabalho no sistema de instalação do Linux em uma mainframe e exibir o programa de instalação gráfica usando o SSH com o X11 avançado.
Você precisa de um cliente SSH que permite um X11 avançado. Para abrir a conexão, primeiro inicie o servidor X em uma estação de trabalho. Depois conecte no sistema de instalação do Linux. Você pode habilitar o X11 avançado em seu cliente SSH quando você se conectar.
Por exemplo, como OPenSSH insira o seguinte na janela do terminal em sua estação de trabalho:
ssh -X install@linuxvm.example.com
Substitua linuxvm.example.com pelo hostname ou endereço de IP do sistema que você está instalando. A opção -X (a letra maíuscula do X) habilita o X11 forwarding.

18.3.2. Instalação usando o X11

A conexão direta do cliente X11 para um servidor X11 em sua estação de trabalho local requer uma conexão IP de seu System z para sua estação de trabalho. Se a rede e firewalls evitam tais conexões, use o X11 avançado ou VNC.
O programa de instalação gráfica requer o DNS e hostname corretamente configurados, e o sistema de instalação Linux deve ser permitir abrir aplicativos em sua tela de exibição. Você pode certificar-se configurando o parâmetro display=workstationname:0.0 no arquivo de parâmetro, onde o workstationname é o hostname da estação de trabalho do cliente conectando à imagem do Linux. Como forma alternativa você pode ajustar o ambiente do display e executar o carregador manualmente após ter se registrado com o SSH como usuário root. Por default, você se registra como usuário install. Isto inicia o carregador automaticamente e não permite substituição da variante do ambiente display.
Para permitir que clientes X11 abram aplicativos no servidor X11 em sua estação de trabalho, use o comando xauth. Para gerenciar a autorização de cookies do X11 com o xauth, você precisa se registrar no sistema de instalação do Linux usando o SSH como usuário root. Para mais detalhes sobre o xauth e sobre como gerenciar autorização de cookies, consulte a manpage xauth.
Em contraste com a configuração das autorizações do X11 com o xauth, você pode usar o xhost para permitir que o sistema de instalação do Linux se conecte ao servidor X11:
xhost +linuxvm
Substitua o linuxvm pelo hostname ou endereço IP do sistema de instalação do Linux. Isto permite que o linuxvm faça conexões ao servidor X11.
Se a instalação gráfica não iniciar automaticamente, verifique a configuração da variante display= no arquivo de parâmetro. Se estiver realizando uma instalação sob o z/VM, execute novamente a instalação para carregar o novo arquivo de parâmetro no leitor.

18.3.3. Instalação usando o VNC

O uso do VNC é recomendado para conexões lentas ou de longa distância. Para usar o VNC, desabilite o X11 avançado em seu cliente SSH antes de se conectar ao sistema de instalação temporário do Linux. O carregador fornecerá uma escolha entre o modo texto e o VNC; escolha o VNC. Como forma alternativa, forneça a variante vnc e opcionalmente a variante vncpassword em seu arquivo de parâmetros (consulte o Seção 26.4, “Parâmetros VNC e X11” para obter mais detalhes).
Uma mensagem no terminal SSH da estação de trabalho lhe pedirá que inicie um visualizador de cliente VNC e fornece detalhes sobre as especificações de exibição do VNC. Insira as especificações do terminal SSH no visualizador do cliente VNC e conecte-se com o sistema de instalação Linux temporário para iniciar a instalação. Consulte o Capítulo 31, Instalação através de VNC. para obter mais detalhes.

18.3.4. Instalação usando o ouvidor do VNC

Para conectar-se de seu sistema de instalação temporário do Linux em um cliente VNC em execução em sua estação de trabalho em modo de escuta, use a opção vncconnect em seu arquivo de parâmetros, além das opções vnc e opcionalmente vncpassword. A rede e firewalls devem permitir uma conexão de IP de sua instalação temporária do Linux em sua estação de trabalho.
Para ter um sistema de instalação temporário do Linux conectado automaticamente ao cliente VNC, primeiro inicie o cliente em modo de escuta. Nos sistemas do Red Hat Enterprise Linux, use a opção -listen para executar o vncviewer como um ouvinte. Em uma janela de terminal, insira o comando:
vncviewer -listen
Consulte o Capítulo 31, Instalação através de VNC. para mais detalhes.

18.3.5. Automatizando a Instalação com o Kickstart

Você pode permitir que uma instalação execute sem assistência usando o Kickstart. Um arquivo Kickstart especifica configurações para uma instalação. Depois que o sistema de instalação inicializa, ele poderá ler um arquivo Kickstart e continuar o processo de instalação sem qualquer entrada futura do usuário.
No System z, também é necessário um arquivo de parâmetro (opcionalmente um arquivo de configuração sob o z/VM) Este arquivo de parâmetro deve conter as opções de rede necessárias descritas em Seção 26.3, “Parâmetros de rede de Instalação” e especificar um arquivo do kickstart usando a opção ks=. O arquivo do kickstart geralmente reside na rede. O arquivo do parâmetro geralmente também contém as opções cmdline e RUNKS=1 para executar o carregador sem precisar se registrar na rede como o SSH (Consulte o Seção 26.6, “Parâmetros para as instalações do kickstart”).
Para mais informações e detalhes sobre como configurar um arquivo kickstart, consulte o Seção 32.3, “Criando o Arquivo de Kickstart”.

18.3.5.1. Toda Instalação Produz um Arquivo Kickstart

O Processo de instalação do Red Hat Enterprise Linux grava automaticamente um arquivo Kickstart que contém as configurações para o sistema instalado. Este arquivo é sempre salvo como /root/anaconda-ks.cfg. Você pode usar este arquivo para repetir a instalação com configurações idênticas, ou modificar cópias para especificar configurações para outros sistemas.


[8] Direct Access Storage Devices (ou DASDs) são discos rígidos que permitem um máximo de três (3) partições por DASD. Por exemplo, as partições dasda possui dasda1, dasda2, and dasda3.
[9] Usando o driver de dispositivo SCSI-over Fibre Channel (driver zFCP) e um interruptor dedicado, SCSI LUNs podem ser apresentados ao Linux em System z como se fossem anexados localmente aos drives SCSI.

Capítulo 19. Preparando para a Instalação

19.1. Preparando para uma instalação de Rede.

Nota

Certifique-se de que o DVD de instalação (ou qualquer outro tipo de DVD ou CD) não esteja no drive contendo as partições da instalação se você executar uma instalação de rede. Um DVD ou CD no drive pode causar erros inesperados.
Certifique-se de que você possui a mídia de inicialização disponível como descrito em Capítulo 20, Inicializando (IPL) o Instalador.
A mídia de instalação do Red Hat Enterprise Linux deve estar disponível para uma instalação de rede (via NFS, FTP, HTTPS ou HTTP) ou para uma instalação via armazenamento local. Use os passos seguintes se for executar uma instalação através do NFS, FTP,HTTP ou HTTPS.
O servidor NFS, FTP, HTTPS ou HTTP a ser usado para a instalação através da rede deve ser uma máquina separada com servidor de rede acessível. O servidor separado pode ser uma máquina virtual, LPAR, ou qualquer outro sistema (tal como um Linux em POWER ou sistema x86) Ele deve fornecer o conteúdo completo do DVD-ROM de instalação.

Nota

O diretório público usado para acessar os arquivos de instalação sob o FTP, HTTPSNFS ou HTTP é mapeado para um armazenamento local no servidor de rede. Por exemplo, o diretório local, /var/www/inst/rhel6 no servidor de rede pode ser acessado como http://network.server.com/inst/rhel6.
Nos exemplos a seguir, o diretório no servidor atuando como base da instalação que irá conter os arquivos de instalação serão especificados como /location/of/disk/space. O diretório que estará disponível publicamente através do FTP, NFS, HTTPS ou HTTP será chamado de /publicly_available_directory. Por exemplo, /location/of/disk/space pode ser um diretório chamado /var/isos. E o /publicly_available_directory pode ser o /var/www/html/rhel6, para uma instalação HTTP.
No seguinte, você precisará de um ISO image. Uma imagem ISO é um arquivo que contém uma cópia exata do conteúdo de um DVD. Para criar uma imagem ISO do DVD use o seguinte comando:
dd if=/dev/dvd of=/path_to_image/name_of_image.iso
onde dvd é o seu dispositivo de drive DVD, name_of_image é o nome que você dá ao arquivo de imagem ISO resultante, epath_to_image é o caminho do local de seu sistema onde a imagem ISO resultante foi armazenada.
Para copiar os arquivos do DVD para uma instância do Linux, o qual age como um servidor de plataforma de instalação, continue com Seção 19.1.1, “Preparando para uma instalação de FTP, HTTP e HTTPS.” or Seção 19.1.2, “Preparando para uma instalação de NFS”.

19.1.1. Preparando para uma instalação de FTP, HTTP e HTTPS.

Extraia os arquivos de imagem ISO do DVD de instalação e coloque-os em um diretório que seja compartilhado em FTP, HTTPS e HTTP.
Depois, certifique-se que o diretório é compartilhado via FTP, HTTPS ou HTTP, e verifique o acesso ao cliente. Teste para ver se o diretório está acessível a partir do servidor, e depois de outra máquina na mesma subrede na qual você estará instalando.

19.1.2. Preparando para uma instalação de NFS

Para a instalação dem NFS não é necessário extrair todos os arquivos da imagem ISO. É suficiente disponibilizar uma imagem ISO, o arquivo install.img e opcionalmente o arquivo product.img no servidor de red evia NFS.
  1. Transfira a imagem ISO para o diretório exportado da NFS. Em um sistema Linux, execute:
    mv /path_to_image/name_of_image.iso /publicly_available_directory/
    onde path_to_image é o caminho para o arquivo de imagem ISO, o name_of_image é o nome do arquivo de imagem ISO, e o publicly_available_directory é o diretório que está disponível sob o NFS ou que você pretenda disponibilizar sob a NFS.
  2. Use um programa checksum SHA256 para verificar se a imagem ISO que você copiou está intacta. Muitos programas checksum SHA256 estão disponíveis para diversos sistemas operacionais. Em um sistema Linux, execute:
    $ sha256sum name_of_image.iso
    onde name_of_image é o nome do arquivo de imagem ISO. O programa SHA256 checksum exibe uma faixa de 64 caracteres chamada hash. Compare este hash com o hash exibido para esta imagem específica na página Download Softwareno Red Hat Network (consulte o Capítulo 1, Adquirindo o Red Hat Enterprise Linux). Os dois devem ser idênticos.
  3. Copie o diretório images/ dentro de dentro da imagem ISO para o mesmo diretório no qual você armazenou o arquivo de imagem. Insira os seguintes comandos:
    mount -t iso9660 /path_to_image/name_of_image.iso /mount_point -o loop,ro
    cp -pr /mount_point/images /publicly_available_directory/
    umount /mount_point
    onde path_to_image é o caminho para o arquivo de imagem ISO, name_of_image é o nome do arquivo de imagem ISO e mount_point é um ponto de montagem para montar a imagem enquanto os arquivos de são copiados para a imagem. Por exemplo:
    mount -t iso9660 /var/isos/RHEL6.iso /mnt/tmp -o loop,ro
    cp -pr /mnt/tmp/images /var/isos/
    umount /mnt/tmp
    O arquivo de imagem ISO, e um diretório images/ estão lado a lado no mesmo diretório.
  4. Verifique se o diretório images/ contém ao menos o arquivo install.img, sem o qual a instalação não pode proceder. Como forma alternativa, o diretório images/ deve conter o arquivo product.img sem o qual somente os pacotes para uma instalação Minimal estará disponível durante o estágio da seleção de grupo de pacotes ( consulte o Seção 23.17, “Seleção do Grupo de Pacotes”).
  5. Certifique-se de que existe uma entrada para o diretório disponível publicamente no arquivo /etc/exports no servidor de rede para que o diretório esteja disponível via NFS.
    Para exportar um diretório de somente leitura para um sistema específico, use:
    /publicly_available_directory client.ip.address (ro)
    Para exportar um diretório de somente leitura para todos os sistemas, use:
    /publicly_available_directory * (ro)
  6. No servidor de rede, inicie um daemon NFS (em um sistema Red Hat Enteprise Linux, use o /sbin/service nfs start). Se o NFS já estiver sendo executado, recarregue o arquivo de configuração (em um sistema Red Hat Enterprise Linux use o /sbin/service nfs reload).
  7. Tenha a certeza de testar a opção NFS seguindo as direções no Red Hat Enterprise Linux Deployment Guide. Consulte sua documentação NFS para detalhes sobre como iniciar e parar um servidor NFS.

Nota

Oanaconda tem a habilidade de testar a integridade da mídia de instalação. Funciona para os métodos de instalação através de DVD, ISO de disco rígido e ISO de NFS. A Red Hat recomenda que você teste todas as mídias de instalação antes de começar o processo de instalação e antes de relatar quaisquer erros relacionados à instalação (muitos dos erros relatados ocorrem devido a CDs mal gravados). Para usar esse teste, digite o seguinte comando no prompt boot::
linux mediacheck

19.2. Preparando para uma instalação de Hard Drive

Use esta opção para instalar o Red Hat Enterprise Linux nos sistemas de hardware sem um drive de DVD e se você não quiser acessar a fase 3 de instalação e o repositório de pacotes via rede.

19.2.1. Acessando a Instalação Fase 3 e o Repositório de Pacote em um Disco Rígido

Nota

Instalações a partir do disco rígido usando armazenamento de fonte DASD ou SCSI funciona apenas a partir de partições nativas ext2,ext3 ou ext4. Se você tiver um sistema de arquivos baseado em dispositivos que não sejam ext2, ext3 ou ext4 nativos (especialmente, um sistema de arquivo baseado em partições RAID ou LVM) você não poderá usá-lo como fonte para executar uma instalação a partir do disco rígido.
As instalações de hard drive usam um ISO image do DVD de instalação (um arquivo que contém uma cópia exata do conteúdo do DVD), e um arquivo install.img extraído da imagem ISO. Com estes arquivos presentes em um hard drive, você pode escolher o Hard drive como a fonte de instalação quando você inicializa o programa de instalação.
As instalações de hard drive usam os seguintes arquivos:
  • uma ISO image de um DVD de instalação. Uma ISO image é um arquivo que contém uma cópia exata do conteúdo de um DVD.
  • um arquivo install.img extraído de um ISO image.
  • opcionalmente, um arquivo product.img extraído de um ISO image.
Com estes arquivos presentes em um disco rígido, você pode escolher Hard drive como fonte de instalação quando você inicializar o programa de instalação (consulte o Seção 22.4, “Método de Instalação”).
Certifique-se de que você possui a mídia de inicialização disponível como descrito em Capítulo 20, Inicializando (IPL) o Instalador.
Para preparar um DASD ou dispositivo de FCP anexado como uma fonte de instalação, siga estes passos:
  1. Obtenha uma imagem ISO do DVD de instalação do Red Hat Enterprise Linux (consulte o Capítulo 1, Adquirindo o Red Hat Enterprise Linux). Como forma alternativa, se você tiver o DVD na mídia física, você poderá criar uma imagem dela com o seguinte comando em um sistema Linux.
    dd if=/dev/dvd of=/path_to_image/name_of_image.iso
    onde dvd é o seu dispositivo de drive DVD, name_of_image é o nome que você dá ao arquivo de imagem ISO resultante, epath_to_image é o caminho do local de seu sistema onde a imagem ISO resultante foi armazenada.
  2. Transfira as imagens ISO ao dispositivo DASD ou SCSI.
    Os aquivos ISO devem ser localizados em um disco rígido que esteja ativado na fase 1 de instalação (consulte o Capítulo 21, Fase de Instalação 1: Configurando um Dispositivo de Rede) ou na fase 2 de instalação (consulte o Capítulo 22, Fase de Instalação 2: Configurando Idioma e Fonte de Instalação). Isto é automaticamente possível com o DASDs.
    Para um FCP LUN, você deve inicializar (IPL) do mesmo FCP LUN ou suar o terminal de recuperação fornecido pelo menu da fase 1 de instalação para ativar manualmente o FCP LUN que detém os ISOs como descrito em Seção 25.2.1, “Ativando um FCP LUN de forma dinâmica”.
  3. Use um programa checksum SHA256 para verificar se a imagem ISO que você copiou está intacta. Muitos programas checksum SHA256 estão disponíveis para diversos sistemas operacionais. Em um sistema Linux, execute:
    $ sha256sum name_of_image.iso
    onde name_of_image é o nome do arquivo de imagem ISO. O programa SHA256 checksum exibe uma faixa de 64 caracteres chamada hash. Compare este hash com o hash exibido para esta imagem específica na página Download Softwareno Red Hat Network (consulte o Capítulo 1, Adquirindo o Red Hat Enterprise Linux). Os dois devem ser idênticos.
  4. Copie o diretório images/ dentro de dentro da imagem ISO para o mesmo diretório no qual você armazenou o arquivo de imagem. Insira os seguintes comandos:
    mount -t iso9660 /path_to_image/name_of_image.iso /mount_point -o loop,ro
    cp -pr /mount_point/images /publicly_available_directory/
    umount /mount_point
    onde path_to_image é o caminho para o arquivo de imagem ISO, name_of_image é o nome do arquivo de imagem ISO e mount_point é um ponto de montagem para montar a imagem enquanto os arquivos de são copiados para a imagem. Por exemplo:
    mount -t iso9660 /var/isos/RHEL6.iso /mnt/tmp -o loop,ro
    cp -pr /mnt/tmp/images /var/isos/
    umount /mnt/tmp
    O arquivo de imagem ISO, e um diretório images/ estão lado a lado no mesmo diretório.
  5. Verifique se o diretório images/ contém ao menos o arquivo install.img, sem o qual a instalação não pode proceder. Como forma alternativa, o diretório images/ deve conter o arquivo product.img sem o qual somente os pacotes para uma instalação Minimal estará disponível durante o estágio da seleção de grupo de pacotes ( consulte o Seção 23.17, “Seleção do Grupo de Pacotes”).

    Importante

    install.img e product.img devem ser somente arquivos no diretório images/.
  6. Faça um DASD ou SCSI LUN acessível à nova máquina virtual convidada z/VM ou LPAR, e depois proceda com a instalação. (Consulte o Capítulo 20, Inicializando (IPL) o Instalador) ou como forma alternativa com Seção 19.2.1.1, “Preparando para Instalar a partir de um Disco Rígido”.

Nota

O programa de instalação do Red Hat Enterprise Linux tem a habilidade de testar a integridade da mídia de instalação. Funciona para os métodos de instalação através de DVD, ISO de disco rígido e ISO de NFS. A Red Hat recomenda que você teste todas as mídias de instalação antes de começar o processo de instalação e antes de relatar quaisquer erros relacionados à instalação. Para usar esse teste, adicione o parâmetro mediacheck ao seu arquivo de parâmetro (consulte o Seção 26.7, “Parâmetros variados”).

19.2.1.1. Preparando para Instalar a partir de um Disco Rígido

Se você quiser inicializar (IPL) o instalador a partir de um hard drive, além de acessar a fase 3 de instalação e o repositório do pacote, você pode instalar o zipl boot loader como forma opcional, no mesmo (ou em um diferente) disco. Esteja ciente de que o zipl suporta somente uma gravação por disco. Se você possuir partições múltiplas em um disco, elas todas 'compartilham' da gravação de inicialização do disco.
Espera-se que a seguir, o hard drive esteja preparado como descrito em Seção 19.2.1, “Acessando a Instalação Fase 3 e o Repositório de Pacote em um Disco Rígido”, montado sob o /mnt, e que você não precise preservar uma gravação existente.
Para preparar um hard drive para inicializar o instalador, instale o zipl boot loader no hard drive inserindo o seguinte comando:
zipl -V -t /mnt/ -i /mnt/images/kernel.img -r /mnt/images/initrd.img -p /mnt/images/generic.prm
Para maiores informações sobre o zipl, consulte o capítulo do zipl em Linux on System z Device Drivers, Features, and Commands on Red Hat Enterprise Linux 6.

Atenção

Se você tiver um sistema operacional instalado em um disco, e você ainda planejar acessá-lo mais tarde, consulte o capítulo do zipl em Linux on System z Device Drivers, Features, and Commands on Red Hat Enterprise Linux 6 para saber como adicionar uma nova entrada no zipl boot loader (ou seja em zipl.conf).

Capítulo 20. Inicializando (IPL) o Instalador

Os passos para realizar uma inicialização (IPL) do instalador depende do ambiente (z/VM ou LPAR) no qual o Red Hat Enterprise Linux irá executar. Para mais informações sobre a inicialização, veja o capítulo Booting Linux em Linux on System z Device Drivers, Features, and Commands on Red Hat Enterprise Linux 6.

20.1. Instalando sob a z/VM (máquina virtual)

Ao instalar sob o z/VM, você pode inicializar a partir de:
  • z/VM leitor virtual
  • um DASD ou um dispositivo SCSI de FCP anexado preparado com o carregador de inicialização zipl
  • um drive de DVD SCSI de FCP anexado
Faça o login em z/VM como a conta convidada Linux. Você poderá usar o x3270 ou c3270 (a partir do pacote texto x3270 no Red Hat Enterprise Linux) para se registrar no z/VM a partir de outros sistemas Linux. Como forma alternativa, use o emulador do terminal 3270 no console de gerenciamento do IBM System  z. Se você estiver trabalhando em uma máquina com um WIndows, Jolly Giant ( http://www.jollygiant.com/) oferece um emulador 3270 com SSL ativado. Existe também uma porta livre nativa do c3270 chamada wc3270.

Nota

Se sua conexão 3270 for interrompida e você não conseguir se autenticar novamente por causa da sessão anterior ainda estar ativa, você pode substituir a sessão antiga por uma nova inserindo o seguinte comando na tela de logon do z/VM.
logon user here
Substitua o user pelo nome da máquina virtual convidada z/VM. Dependendo se o gerenciador de segurança externa, por exemplo o RACF, estiver em uso, o comando do logon pode variar.
Se você já não estiver executando o CMS (sistema operacional de usuário único distribuído com o z/VM) em seu convidado, inicialize-o agora inserindo o comando:
#cp ipl cms
Tenha a certeza de usar os discos do CMS tal como um disco A (geralmente tendo o número do dispositivo 0191) como alvos de instalação. Para descobrir quais discos estão em uso pelo CMS use a seguinte pesquisa:
query disk
Você pode usar os seguintes comandos de pesquisa CP (Programa de Controle do z/VM, o qual é o hipervisor do z/VM) para descobrir sobre a configuração de sua máquina virtual convidado z/VM:
  • Pesquise a memória principal disponível, a qual é chamada de storage na terminologia do System z. Seu convidado deve possuir ao menos 512 megabytes de memória principal.
    cp query virtual storage
  • Pesquisar dispositivos de rede disponíveis do tipo:
    osa
    OSA (CHPID type OSD, real or virtual (VSWITCH or GuestLAN type QDIO), both in QDIO mode)
    hsi
    HiperSockets (CHPID type IQD, real or virtual (GuestLAN type Hipers))
    lcs
    LCS (CHPID type OSE)
    Por exemplo, para pesquisar todos os tipos de dispositivos de rede mencionados acima:
    cp query virtual osa
  • Pesquise DASDs disponíveis. Somente aqueles que estão sinalizados para modo de leitura-gravação, podem ser usasdos para alvos de instalação:
    cp query virtual dasd
  • Pesquisar canais de FCP disponíveis:
    cp query virtual fcp

20.1.1. Usando oLeitor z/VM

Realizar os seguintes passos para inicializar a partir do leitor z/VM:
  1. Se for necessário, adicione o dispositivo contendo as ferramentas TCP/IP da z/VM à lista de discos do seu CMS. Por exemplo:
    cp link tcpmaint 592 592
    acc 592 fm
    Substitua fm por qualquer letra FILEMODE.
  2. Executar o comando:
    ftp host
    Onde o host é o nome do host ou endereço IP do servidor FTP que recebe imagens de inicialização (kernel.img e initrd.img).
  3. Autentique-se e execute os seguintes comandos (use a opção repl se você estiver sobrescrevendo os arquivos kernel.img e initrd.img existentes):
    cd /location/of/install-tree/images/ 
    ascii  
    get generic.prm (repl  
    get redhat.exec (repl  
    locsite fix 80  
    binary  
    get kernel.img (repl  
    get initrd.img (repl  
    quit
  4. Como forma opcional verifique se os arquivos foram transferidos corretamente usando o comando CMS filelist para mostrar os arquivos recebidos e seus formatos. É importante que o kernel.img e initrd.img possuam um formato de comprimento de gravação denotado pelo F na coluna Formato e um comprimento de gravação de 80 na coluna Lrecl. Por exemplo:
    VMUSER FILELIST A0 V 169 Trunc=169 Size=6 Line=1 Col=1 Alt=0 
    Cmd Filename Filetype Fm Format Lrecl Records Blocks Date Time 
     REDHAT EXEC B1 V 22 1 1 4/15/10 9:30:40 
     GENERIC PRM B1 V 44 1 1 4/15/10 9:30:32 
     INITRD IMG B1 F 80 118545 2316 4/15/10 9:30:25 
     KERNEL IMG B1 F 80 74541 912 4/15/10 9:30:17
    Pressione a tecla PF3 para sair do filelist. e retorne à solicitação do CMS.
  5. Finalmente, execute o script do REXX redhat.exec para inicializar o (IPL) o instalador:
    redhat

20.1.2. Usando um DASD preparado

Inicialize a partir do DASD preparado e selecione o menu de inicialização zipl, se referindo ao instalador do Red Hat Enterprise Linux. Use um comando da seguinte forma:
cp ipl DASD device number loadparm boot_entry_number
Substitua o número de dispositivo do DASD pelo número de dispositivo do dispositivo de inicialização, e boot_entry_number pelo menu de configuração do zipl para este dispositivo. Por exemplo:
cp ipl eb1c loadparm 0

20.1.3. Usando um Disco SCSI de FCP anexado preparado.

Realizar os seguintes passos para inicializar de um disco SCSI de FCP anexado preparado:
  1. Configure o carregardor de inicialização SCSI do z/VM para acessar o disco SCSI preparado na rede da área de armazenamento FCP. Selecione o menu de inicialização zipl preparado, referindo-se ao instalador do Red Hat Enterprise Linux. Use o comando da seguinte forma:
    cp set loaddev portname WWPN lun LUN bootprog boot_entry_number
    Substitua o WWPN pelo WWPN do sistema de armazenamento e LUN pelo LUN do disco. Os números hexadecimais de 16 digitos devem ser divididos em dois pares de oito digitos cada um. Por exemplo:
    cp set loaddev portname 50050763 050b073d lun 40204011 00000000 bootprog 0
  2. Opcionalmente, confirme suas configurações com o comando:
    query loaddev
  3. Realize um IPL no dispositivo FCP conectado com o sistema de armazenamento contendo o disco com o comando:
    cp ipl FCP_device 
    Por exemplo:
    cp ipl fc00

20.1.4. Usando o FCP-attached SCSI DVD Drive

Isto requer um drive de DVD SCSI anexado à uma ponte FCP para SCSI o qual está por sua vez conectado à um adaptador FCP em seu System z. O adaptador do FCP deve se configurado e disponível sob o z/VM.
  1. Insira seu Red Hat Enterprise Linux para System z DVD no drive de DVD.
  2. Configure o carregador de inicialização do SCSI do z/VM para acessar o drive do DVD na área de armazenamento do FCP e especifique 1 para a entrada de inicialização no Red Hat Enterprise Linux para System z DVD. Use um comando da seguinte forma:
    cp set loaddev portname WWPN lun FCP_LUN bootprog 1
    Substitua o WWPN pelo WWPN da ponte do FCP-para-SCSI e o FCP_LUN pelo LUN do drive de DVD. Os números hexadecimais de 16 digitos devem ser divididos em dois pares de oito caracteres cada um. Por exemplo:
    cp set loaddev portname 20010060 eb1c0103 lun 00010000 00000000 bootprog 1
  3. Opcionalmente, confirme suas configurações com o comando:
    cp query loaddev
  4. Realize um IPL no dispositivo FCP conectado à ponte FCP-to-SCSI.
    cp ipl FCP_device
    Por exemplo:
    cp ipl fc00

20.2. Instalando em uma LPAR

Ao instalar em um logical partition (LPAR), você pode inicializar de:
  • Servidor FTP
  • um drive de DVD do HMC ou SE
  • um DASD ou um drive de SCSI de FCP anexado preparado com o carregador de inicialização do zipl
  • um drive de DVD SCSI de FCP anexado
Realize estes passos comuns primeiro:
  1. Autentique-se no IBM System z Hardware Management Console (HMC) ou Support Element como um usuário com privilégios suficientes para instalar um novo SO em uma LPAR. Recomendamos o usuário SYSPROG.
  2. Selecione Imagens, e então selecione a LPAR na qual você deseja instalar. Use as setas no lado direito da janela para navegar ao menu Recuperação do CPC.
  3. Clique duplamente em Operating System Messages para mostrar o console de texto no qual as mensagens de inicialização do Linux irão aparecer e será requerido uma inserção de usuário potencial. Consulte o capítulo sobre inicializando o Linux em Linux on System z Device Drivers, Features, and Commands on Red Hat Enterprise Linux 6 e o Hardware Management Console Operations Guide, número de ordem [SC28-6857], para mais detalhes.
Continuar com o procedimento para a fonte de instalação.

20.2.1. Usando um Servidor FTP

  1. Clique duas vezes em Carregar do CD-ROM, DVD ou Servidor.
  2. Na caixa de diálogos que se segue, selecione FTP Source, e insira as seguintes informações: Host Computer: Hostname ou endereço IP do servidor FTP de onde você deseja instalar ( por exemplo, ftp.redhat.com), ID de usuário: Seu nome de usuário no servidor FTP (ou anônimo), Senha: Sua senha (use seu endereço de email se você estiver se autenticando como anônimo), Conta (opcional): Deixe este campo em branco, Local de Arquivo (opcional): Diretório no servidor FTP contendo o Red Hat Enterprise Linux for System z (por exemplo, /rhel/s390x/)
  3. Click Continue.
  4. Na caixa de diálogo a seguir, mantenha a seleção padrão de generic.ins e então clique em Continuar.

20.2.2. Usando o HMC ou o SE DVD Drive

  1. Clique duas vezes em Carregar do CD-ROM, DVD ou Servidor.
  2. Na caixa de diálogo seguinte, selecione CD-ROM/DVD Local e então clique em Continuar.
  3. Na caixa de diálogo a seguir, mantenha a seleção padrão de generic.ins e então clique em Continuar.

20.2.3. Usando um DASD preparado

  1. Clique duas vezes em Carregar.
  2. Na caixa de diálogo seguinte, selecione Normal como o Load type.
  3. Como o Carregar Endereço, preencha o número do dispositivo do DASD.
  4. Como Carregar Parâmetro preencha o número correspondente da entrada do menu de inicialização do zipl que você preparou para inicializar o instalador do Red Hat Enterprise Linux.
  5. Clique no botão OK.

20.2.4. Usando um Disco SCSI de FCP anexado preparado.

  1. Clique duas vezes em Carregar.
  2. Na caixa de diálogo seguinte, selecione SCSI como o Load type.
  3. Como o Carregar endereço preencha o número de dispositivo do canal FCP conectado com o disco SCSI.
  4. Como o Nome da porta mundial preencha o WWPN do sistema de armazenamento contendo o disco como número hexadecimal de 16 digitos.
  5. Como o Número de unidade lógica preencha o LUN do disco como um número hexadecimal de 16 digitos.
  6. Como o Inicializar o seletor de programa preencha o número correspondente à entrada de menu de inicialização do zipl que você preparou para inicializar o instalador do Red Hat Enterprise Linux.
  7. Deixe o Inicialize o endereço de bloco lógico de gravação de inicialização como 0 e o Parâmetros de carregamento específicos do sistema Operacional vazio.
  8. Clique no botão OK.

20.2.5. Usando o FCP-attached SCSI DVD Drive

Este precisa ter um drive de SCSI DVD anexado *a uma ponte FCP-to-SCSI que por sua vez, está conectado à um adaptador FCP em sua máquina do System z. Seu adaptador do FCP precisa ser configurada e disponível em seu LPAR.
  1. Insira seu Red Hat Enterprise Linux para System z DVD no drive de DVD.
  2. Clique duas vezes em Carregar.
  3. Na caixa de diálogo seguinte, selecione SCSI como o Load type.
  4. Como Carregar endereço preencha o número do dispositivo do canal FCP conectado à ponte FCP-to-SCSI.
  5. Como nome de porta mundial preencha o WWPN da ponte FCP-to-SCSI como um número hexadecimal de 16 digitos.
  6. Como Número de unidade lógica preencha o LUN do drive de DVD como um número hexadecimal de 16 digitos.
  7. Como o Seletor de programa de inicialização preencha o número 1 para selecionar a entrada de inicialização no Red Hat Enterprise Linux para o DVD do System z.
  8. Deixe o Inicialize o endereço de bloco lógico de gravação de inicialização como 0 e o Parâmetros de carregamento específicos do sistema Operacional vazio.
  9. Clique no botão OK.

Capítulo 21. Fase de Instalação 1: Configurando um Dispositivo de Rede

Depois que o kernel inicializar, você irá configurar um dispositivo de rede usando o programa linuxrc. Este dispositivo de rede é necessário para concluir a instalação. Se você estiver instalando de forma interativa (com o arquivo do parâmetro padrão generic.prm), lhe será perguntado sobre sua rede. É uma boa idéia deixar seus dados prontos na forma de um datasheet ou semelhante. Se você quiser automatizar este passo, forneça a informação para cada opção em seu arquivo de parâmetro ou arquivo de configuração CMS.
Como um exemplo, vamos ver como configurar um adaptador de rede OSA em z/VM. Quando o linuxrc inicia, você vê a seguinte mensagem:
Starting the zSeries initrd to configure networking. Version is 1.2 
Starting udev...
Os dispositivos de rede são sensoriados e listados. A lista de dispositivos depende do parâmetro do kernel cio_ignore usado. Se nenhum dispositivo for encontrado por causa do cio_ignore, como no exemplo abaixo, você pode limpar a lista de dispositivos ignorados. Observe que isto pode levar algum tempo e resultará em uma lista longa quando houver muitos dispositivos, tal como no LPAR.
Scanning for available network devices... 
Autodetection found 0 devices. 
Note: There is a device blacklist active! (Clearing might take long) 
c) clear blacklist, m) manual config, r) rescan, s) shell: 
c 
Clearing device blacklist... 
Scanning for available network devices... 
Autodetection found 14 devices. 
  
NUM CARD CU CHPID TYPE DRIVER IF DEVICES 
 1 OSA (QDIO) 1731/01 00 OSD qeth eth 0.0.f500,0.0.f501,0.0.f502 
 2 OSA (QDIO) 1731/01 01 OSD qeth eth 0.0.f503,0.0.f504,0.0.f505 
 3 OSA (QDIO) 1731/01 02 OSD qeth eth 0.0.1010,0.0.1011,0.0.1012 
 4 HiperSockets 1731/05 03 IQD qeth hsi 0.0.1013,0.0.1014,0.0.1015 
 5 OSA (QDIO) 1731/01 04 OSD qeth eth 0.0.1017,0.0.1018,0.0.1019 
 6 CTC adapter 3088/08 12 ? ctcm ctc 0.0.1000,0.0.1001 
 7 escon channel 3088/1f 12 ? ctcm ctc 0.0.1002,0.0.1003 
 8 ficon channel 3088/1e 12 ? ctcm ctc 0.0.1004,0.0.1005 
 9 OSA (QDIO) 1731/01 76 OSD qeth eth 0.0.f5f0,0.0.f5f1,0.0.f5f2 
 10 LCS OSA 3088/60 8a OSE lcs eth 0.0.1240,0.0.1241 
 11 HiperSockets 1731/05 fb IQD qeth hsi 0.0.8024,0.0.8025,0.0.8026 
 12 HiperSockets 1731/05 fc IQD qeth hsi 0.0.8124,0.0.8125,0.0.8126 
 13 HiperSockets 1731/05 fd IQD qeth hsi 0.0.8224,0.0.8225,0.0.8226 
 14 HiperSockets 1731/05 fe IQD qeth hsi 0.0.8324,0.0.8325,0.0.8326 
  
<num>) use config, m) manual config, r) rescan, s) shell:
Insira o número da configuração que você deseja usar, por exemplo 9. A seleção a partir da tabela fornece informações ao instaldor para o tipo de dispositivo de rede e os endereços de dispositivo apra seu subcanal. Como forma alternativa, você pode tanto inserir m e proceder inserindo o tipo de rede (qeth), a leitura, gravação, canais de dados, e a porta OSA. Aceitar padrões pressionando o Enter; sob o z/VM você pode precisar pressionar Enter duas vezes.
m 
  
* NOTE: To enter default or empty values press enter twice. * 
  
  
Network type (qeth, lcs, ctc, ? for help). Default is qeth: 
qeth 
  
Read,write,data channel (e.g. 0.0.0300,0.0.0301,0.0.0302 or ? for help). 
0.0.f5f0,0.0.f5f1,0.0.f5f2 
  
Portname (1..8 characters, or ? for help). Default is no portname: 
  
  
Relative port number for OSA (0, 1, or ? for help). Default is 0: 
  
  
  
Activating network device... 
Detected: OSA card in OSD mode, Gigabit Ethernet
Depois, Serão exibidas perguntas pertinentes à instância do seu Linux:
 Hostname of your new Linux guest (FQDN e.g. s390.redhat.com or ? for help): 
host.subdomain.domain 
 
IPv4 address / IPv6 addr. (e.g. 10.0.0.2 / 2001:0DB8:: or ? for help) 
10.0.0.42 
  
IPv4 netmask or CIDR prefix (e.g. 255.255.255.0 or 1..32 or ? for help). Default is 255.0.0.0: 
24 
  
IPv4 address of your default gateway or ? for help: 
10.0.0.1 
Trying to reach gateway 10.0.0.1... 
  
IPv4 addresses of DNS servers (separated by colons ':' or ? for help): 
10.1.2.3:10.3.2.1 
Trying to reach DNS servers... 
  
DNS search domains (separated by colons ':' or ? for help): 
subdomain.domain:domain 
  
DASD range (e.g. 200-203,205 or ? for help). Default is autoprobing: 
eb1c 
Activated DASDs: 
0.0.eb1c(ECKD) dasda : active, blocksize: 4096, 1803060 blocks, 7043 MB

Importante

O instalador requer a definição de um DASD. Para uma instalação somente de SCSI, insira none. Isto satisfaz os requerimentos para um parâmetro do DASD definido, enquanto resulta em um ambiente de somente SCSI.
Se você fizer um erro, o diálogo irá notar o erro e lhe pedir que reinsira o parâmetro, ou você pode voltar mais tarde para reiniciar o diálogo:
 Incorrect ... (<OPTION-NAME>): 
0) redo this parameter, 1) continue, 2) restart dialog, 3) halt, 4) shell
Quando você reiniciar o diálogo, ele lembrará o que você inseriu antes:
 Network type 
0) default is previous "qeth", 1) new value, ?) help
No final da configuração, você verá a mensagem Configuração inicial concluída:
 Initial configuration completed. 
  
c) continue, p) parm file/configuration, n) network state, r) restart, s) shell
Você pode verificar agora sua configuração de rede, inserindo o n:
 n 
eth0 Link encap:Ethernet HWaddr 02:00:00:AB:C9:81 
 inet addr:10.0.0.42 Bcast:10.0.0.255 Mask:255.255.255.0 
 UP BROADCAST RUNNING MULTICAST MTU:1492 Metric:1 
 RX packets:64 errors:0 dropped:0 overruns:0 frame:0 
 TX packets:4 errors:0 dropped:0 overruns:0 carrier:0 
 collisions:0 txqueuelen:1000 
 RX bytes:3334 (3.2 KiB) TX bytes:336 (336.0 b) 
  
lo Link encap:Local Loopback 
 inet addr:127.0.0.1 Mask:255.0.0.0 
 UP LOOPBACK RUNNING MTU:16436 Metric:1 
 RX packets:0 errors:0 dropped:0 overruns:0 frame:0 
 TX packets:0 errors:0 dropped:0 overruns:0 carrier:0 
 collisions:0 txqueuelen:0 
 RX bytes:0 (0.0 b) TX bytes:0 (0.0 b) 
  
Kernel IP routing table 
Destination Gateway Genmask Flags Metric Ref Use Iface 
127.0.0.1 0.0.0.0 255.255.255.255 UH 0 0 0 lo 
10.0.0.0 0.0.0.0 255.255.255.0 U 0 0 0 eth0 
0.0.0.0 10.0.0.1 0.0.0.0 UG 0 0 0 eth0 
  
c) continue, p) parm file/configuration, n) network state, r) restart, s) shell
Se você quiser mudar algo, insira o r para reiniciar o diálogo. Para mostrar os parâmetros como especificado em um arquivo de parâmetro ou de configuração ou de forma interativa, insira o p. Vocè pode então copiar seu terminal e colar em um editor para salvá-lo no disco em sua estação de trabalho local. Você pode usar a cópia como um modelo para o parâmetro ou arquivo de configuração para instalações futuras:
 p 
  
NETTYPE=qeth 
IPADDR=10.0.0.42 
NETMASK=255.255.255.0 
GATEWAY=10.0.0.1 
HOSTNAME=host.subdomain.domain 
SUBCHANNELS=0.0.f5f0,0.0.f5f1,0.0.f5f2 
LAYER2=1 
MACADDR=02:00:00:AB:C9:81 
PORTNAME=OSAPORT 
DNS=10.1.2.3:10.3.2.1 
SEARCHDNS=subdomain.domain:domain 
DASD=eb1c
 
c) continue, p) parm file/configuration, n) network state, r) restart, s) shell
Novamente, para mudar algo, reinicie o diálogo como o r. Finalmente, se tudo estiver em ordem, insira oc para continuar:
 c 
  
Starting sshd to allow login over the network. 
  
Connect now to 10.0.0.42 and log in as user 'install' to start the 
installation. 
E.g. using: ssh -x install@10.0.0.42 
For VNC or text mode, disable X11 forwarding (recommended) with 'ssh -x'. 
For X11, enable X11 forwarding with 'ssh -X'. 
  
You may log in as the root user to start an interactive shell.
A configuração de rede preliminar está concluída e o instalador inicia um daemon SSH. VocÊ pode logar na instância do Linux sob o SSH. Se você estiver usando um RUNKS=1 com o kickstart e modo de cmdline, o linuxrc inicia automaticamente o carregador.

21.1. Uma Nota nos Terminais

Durante a instalação, o programa de instalação exibe mensagens em um terminal de linha modo. Isto é um aplicativo HMC Operating System Messages se você instalar sob o LPAR, ou um terminal 3270 se você instalar sob o z/VM.
O Linuxrc fornece uma shell de recuperação no terminal de linha modo. Pressione a chave Enter (duas vezes sob o z/VM) para iniciar a shell. Você não pode usar aplicativos de tela cheia como o editor vi em um terminal da linha modo. Mude para a linha modo baseada em editores como o ed, ex, ou sed para editar os arquivos de texto se necessário.
Esteja ciente que os comandos de longa execução podem não ser interruptíveis com a sequência de escape Ctrl+C. Chame os comandos com opções que os faz retornar em tempo de forma voluntária. A shell no terminal 3270 está disponível em todo o processo de instalação até o ponto onde o sistema precisa reinicializar.
Depois que a shell tiver sido fornecida, você pode sair com um nível de erro de zero para obter uma nova instância de shell, substituindo a antiga, ou você pode sair com um nível de erro diferente de zero para forçar um fechamento do sistema de instalação.
Conecte ao sistema instalado usando o usuário root para obter um shell root sem iniciar automaticamente o instalador. Para determinações de problemas, conecte às diversas sessões do ssh.

Capítulo 22. Fase de Instalação 2: Configurando Idioma e Fonte de Instalação

Antes do programa de instalação gráfica iniciar, você precisa configurar o idioma e fonte de instalação.
Por default, se você estiver instalando de forma interativa (com o arquivo de parâmetro default generic.prm) o carregador programa para selecionar o idioma e a fonte de instalação inicia em modo texto. Em sua sessão nova ssh, será exibida a seguinte frase:
Welcome to the anaconda install environment 1.2 for zSeries

22.1. Instalação de Linha Modo Não Interativa

Se a opção cmdline foi especificada como a opção de inicialização em seu arquivo de parâmetro (Seção 26.6, “Parâmetros para as instalações do kickstart”) ou em seu arquivo de kickstart (consulte o Seção 32.3, “Criando o Arquivo de Kickstart”, o carregador começa com a entrada de texto orientada de linha modo. Neste modo, todas as informações necessárias devem ser fornecidas no arquivo do kickstart. O instalador não permite a interação de usuário e para se houver uma informação de instalação não especificada.

22.2. A Interface de Usuário de Programa de Instalação em Modo Texto

Ambos carregador e anaconda mais recente usam uma interface baseada em telas que inclui a maioria dos widgets de tela normalmente encontrados em interfaces gráficas de usuário. A Figura 22.1, “Os Widgets de Programa de Instalação como vistos em URL Setup, e a Figura 22.2, “Aplicativos de Programa de Instalação como visto em Escolher um Idioma, ilustram as telas que aparecem durante o processo de instalação.
Os Widgets de Programa de Instalação como vistos em URL Setup

Figura 22.1. Os Widgets de Programa de Instalação como vistos em URL Setup

Aplicativos de Programa de Instalação como visto em Escolher um Idioma

Figura 22.2. Aplicativos de Programa de Instalação como visto em Escolher um Idioma

  • Janela — Janelas (geralmente chamadas de diálogos neste manual) aparecerão em sua tela ao longo do processo de instalação. Às vezes, uma janela pode se sobrepor à outra; nestes casos você só pode interagir com a janela que estiver em cima. Quando terminar o(s) diálogo(s) nesta janela, ela desaparecerá, permitindo que você continue trabalhando na janela que estava por baixo.
  • Caixa de verificação — Caixas de verificação permitem que você selecione ou desselecione a funcionalidade correspondente. A caixa exibe um asterisco (selecionada) ou um espaço (desselecionada). Quando o cursor estiver em uma caixa de verificação, pressione Espaço para selecionar ou desselecionar uma funcionalidade.
  • Entrada de Texto — Linhas de Entrada de Texto são regiões nas quais você pode inserir informação requisitada pelo programa de instalação. Quando o cursor estiver parado em uma linha de entrada de texto, você pode inserir e/ou editar a informação nesta linha.
  • Janela de Texto — Janelas de Texto são regiões da tela para a disposição de texto. Às vezes, janelas de texto podem também conter botões, como caixas de verificação. Se uma janela de texto contém mais informação do que o espaço reservado para ela, aparecerá uma barra de rolagem. Se você posicionar o cursor dentro da janela de texto, poderá usar as teclas de seta para cima e para baixo para rolar através de toda informação disponível. Sua posição atual é mostrada na barra de rolagem por um caractere #, que se move para cima e para baixo da barra de rolagem enquanto você movimenta a janela.
  • Barra de Rolagem — Barras de Rolagem aparecem na lateral ou na parte inferior de uma janela para controlar qual parte de uma lista ou documento é exibida na moldura de uma janela. A barra de rolagem facilita a movimentação para qualquer parte de um arquivo.
  • Botão — Botões são o método primário de interação com o programa de instalação. Você progride através das janelas do programa de instalação navegando por estes botões, usando as teclas Tab e Enter. Os botões podem ser selecionados quando estiverem destacados.
  • Cursor — Apesar de não ser um widget, o cursor é usado para selecionar (e interagir com) um widget específico. À medida que o cursor é movido de um cursor para outro, pode fazer com que o widget mude de cor, ou com que o cursor em si apareça apenas posicionado sobre ou ao lado do widget. Na Figura 22.1, “Os Widgets de Programa de Instalação como vistos em URL Setup, o cursor está posicionado no botão OK. A Figura 22.2, “Aplicativos de Programa de Instalação como visto em Escolher um Idioma, mostra o cursor no botão Editar.

22.2.1. Usando o Teclado para Navegar

A navegação pelos diálogos de instalação é executada através do uso de um simples conjunto de teclas. Para mover o cursor, use as teclas de seta Esquerda, Direita, Para cima e Para baixo. Use Tab e Shift-Tab para movimentar o cursor para frente e para trás através de cada elemento da tela. A maioria das telas apresenta, em sua parte inferior, uma breve explicação sobre as teclas disponíveis para posicionamento do cursor.
Para "pressionar" um botão, posicione o cursor sobre o botão (usando Tab, por exemplo) e pressione Espaço ou Enter. Para selecionar um item de uma lista, mova o cursor para o item desejado e pressione Enter. Para selecionar um item com caixa de verificação, mova o cursor para a respectiva caixa e pressione Espaço. Para desselecioná-lo, pressione Espaço pela segunda vez.
Pressionando F12 faz com que os valores atuais sejam aceitos e prossegue para o próximo diálogo. Isto equivale a pressionar o botão OK.

Atenção

A menos que uma caixa de diálogo esteja aguardando sua ação, não pressione nenhuma tecla durante o processo de instalação (isto pode resultar em um comportamento inesperado do programa).

22.3. Seleção do Idioma

Use as teclas de setas de seu teclado para selecionar um idioma para usar durante o processo de instalação (consulte o Figura 22.3, “Seleção do Idioma”). Com seu idioma selecionado, pressione a tecla Tab para mover para o botão OK e pressione a tecla Enter para confirmar sua escolha. Você pode automatizar esta escolha no arquivo do parâmetro com o parâmetro lang= (consulte o Seção 26.5, “Parâmetros de carregador”) ou com o comando kickstart lang (consulte o Seção 28.4, “Automatizando a Instalação com o Kickstart”).
O idioma que você selecionar aqui será o idioma padrão do sistema uma vez que estiver instalado. Selecionar o idioma apropriado também ajudará na configuração de seu fuso horário numa etapa posterior da instalação. O programa de instalação tenta definir o fuso horário correto baseado no que você especificar nesta tela.
Para adicionar suporte para idiomas adicionais, padronize a instalação no estágio de seleção do pacote. Para mais informações, consulte o Seção 23.17.2, “Padronizando a Seleção do Software”.
Seleção do Idioma

Figura 22.3. Seleção do Idioma

Após selecionar o idioma apropriado, clique em Próximo para continuar.

22.4. Método de Instalação

Use as teclas de seta de seu teclado para selecionar um método de instalação (consulte o Figura 22.4, “Método de Instalação”). Com seu método selecionado, pressione a tecla Tab para mover para o botão OK e pressione a tecla Enter para confirmar sua escolha.
Método de Instalação

Figura 22.4. Método de Instalação

22.4.1. Instalando a partir do DVD

Para instalar o Red Hat Enterprise Linux de um DVD, coloque o DVD em seu drive e inicialize seu sistema utilizando-o como descrito em Seção 20.1.4, “Usando o FCP-attached SCSI DVD Drive” para z/VM ou Seção 20.2.5, “Usando o FCP-attached SCSI DVD Drive” para LPAR.
O programa de instalação então analiza seu sistema e tenta identificar seu drive de DVDD-ROM. Ele começa procurando por umdrive de SCSI DV.ROM.-

Nota

Para abortar o processo de instalação neste momento, reinicialize sua máquina e depois ejecte a mídia de inicialização. Você pode cancelar com segurança a instalação em qualquer momento antes da tela Gravar mudanças no disco. Consulte o Seção 23.16, “Gravar mudanças no disco” para mais informações.
Se o drive de DVD for encontrado e o driver for carregado, o instalador lhe apresentará a opção de realizar uma verificação de mídia no DVD. Isto pode levar algum tempo, e você pode optar por pular esta fase. No etanto, se você encontrar problemas mais tarde com o instalador, você precisará reinicializar e realizar uma verificação de mídia antes de chamar o suporte. Vá ao diálogo de verificação de mídia, prossiga para o próximo estágio do processo de instalação (consulte o Seção 23.5, “Bem vindo ao Red Hat Enterprise Linux”).

22.4.2. Instalando a partir de um Disco Rígido

A tela Selecionar Partição se aplica somente se você estiver instalando por uma partição de disco (ou seja, se você selecionou Disco Rígido na caixa de diálogos do Método de Instalação). Este diálogo permite que você nomeie a partição de disco e o diretório a partir dos quais você está instalando o Red Hat Enterprise Linux. Se você usou a opção de inicialização repo=hd, você já especificou uma partição.
Selecionando Diálogo de Partição para Instalação pelo Disco Rígido

Figura 22.5. Selecionando Diálogo de Partição para Instalação pelo Disco Rígido

Selecione a partição contendo os arquivos ISO a partir da lista de partições disponíveis. Nomes de DASD começam com /dev/dasd.. Cada drive individual possui sua própria letra, por exemplo /dev/dasda ou /dev/sda. Cada partição em um drive é numerada, por exemplo /dev/dasda1ou /dev/sda1. .
Para um FCP LUN, você teria que inicializar (IPL) a partir do mesmo FCP LUN ou usar uma janela de recuperação pelos menus do linuxrc para ativar manualmente o FCP LUN que mantém os ISOs como descrito em Seção 25.2.1, “Ativando um FCP LUN de forma dinâmica”.
Especifique também os Diretórios contendo imagens. Ensira o caminho do diretório todo a partir do drive que contém os arquivos de imagem ISO. A seguinte tabela mostra alguns exemplos de como enserir esta informação:

Tabela 22.1. Localização de imagens ISO para diferentes tipos de partições

Sistema de Arquivos Ponto de Montagem Caminho original para arquivos Diretório a usar
ext2, ext3, ext4 /home /home/user1/RHEL6 /user1/RHEL6
Se as imagens ISO estão no diretório root (nível mais alto) de uma partição, indique /. Se as imagens ISO estão localizadas num sub-diretório de uma partição montada, indique o nome do diretório contendo as imagens ISO nessa partição. Por exemplo: se a partição na qual as imagens ISO estão for normalmente montada como /home/, e as imagens estão em /home/new/, você deve indicar new/.

Importante

Uma entrada sem uma barra pode fazer com que a instalação falhe.
Selecione OK para continuar. Proceda com Capítulo 23, Fase 3 de Instalação: Instalando com o anaconda.

22.4.3. Executando uma Instalação em Rede

O programa de instalação possui detector de rede e pode usar as configurações de rede para diversas funções. Em um System z, as fases de Instalação 2 e 3 tomam os valores de configuração de rede especificados anteriormente interativamente ou por meio de um parâmetro ou arquivo de configuração na fase 1 de instalação. Você também pode instruir o programa de instalação para consultar repositórios de software adicionais durante o processo.

22.4.4. Instalando através do NFS

O diálogo NFS se aplica somente se você inicializou com a opção askmethod selecionou Imagem NFS no diálogo Método de Instalação. Se você usou a opção repo=nfs, você já especificou um servidor e caminho.
Diálogo de Configuração do NFS

Figura 22.6. Diálogo de Configuração do NFS

  1. Indique o nome de domínio ou endereço IP do seu servidor NFS no campo NFS server name. Por exemplo, se você estiver instalando a partir de um host chamada eastcoast no domínio exemplo.com, insira eastcoast.exemplo.com
  2. Ensira o nome do diretório exportado no campo Red Hat Enterprise Linux 6 directory:
    • Se o servidor NFS estiver exportando um espelho da árvore de instalação do Red Hat Enterprise Linux, forneça o diretório contendo a raiz da árvore de instalação. Se tudo foi especificado corretamente, aparece uma mensagem indicando que o programa de instalação do Red Hat Enterprise Linux está rodando.
    • Se o servidor NFS estiver exportando as imagens ISO dos CD-ROMs do Red Hat Enterprise Linux, indique o diretório que contém as imagens ISO.
    Se você seguiu a configuração descrita na Seção 19.1.2, “Preparando para uma instalação de NFS”, o diretório exportado é aquele que você especificou como diretório_disponível_publicamente.
  3. Especifique qualquer opção de montagem do NFS que você precise no campo NFS mount options. Consulte as páginas man para o mount e nfs para uma lista compreensiva de opções. Se você precisar qualquer opção de montagem, deixe o campo vazio.

22.4.5. Instalando através de FTP, HTTP ou HTTPS

Importante

Quando você fornecer uma URL à uma fonte de instalação, você precisa especificar explicitamente o http:// ou https:// ou ftp:// como protocolo.
O diálogo da URL se aplica somente se você estiver instalando a partir de um servidor HTTP, HTTPS ou FTP (se você selecionou URL no diálogo Método de Instalação). O diálogo pedirá informações sobre o servidor FTP, HTTPS ou HTTP a partir do qual você está instalando o Red Hat Enterprise Linux. Se você usou as opções repo=ftp ou repo=http, você já especificou um servidor e caminho.
Insira o nome ou endereço IP do local FTP, HTTPS ou HTTP que você estiver instalando, e o nome do diretório que contiver o diretório /images para sua arquitetura. Por exemplo:
/mirrors/redhat/rhel-6/Server/s390x/
Para instalar via conexão de HTTPS segura, especifique o https:// como um protocolo.
Especifique o endereço de um servidor proxy e se necessário, forneça um número de porta, username, e senha. Se tudo foi especificado adequadamente, uma caixa de mensagens aparecerá indicando que arquivos estão sendo recuperados do servidor.
Se seu servidor FTP, HTTPS ou HTTP precisar de autenticação de usuário, especifique o usuário e senha com oparte da URL como se segue:
{ftp|http|https}://<user>:<password>@<hostname>[:<port>]/<directory>/
Por exemplo:
http://install:rhel6pw@name.example.com/mirrors/redhat/rhel-6/Server/s390x/
Diálogo de configuração de URL

Figura 22.7. Diálogo de configuração de URL

22.5. Verificando Mídia

O DVD oferece uma opção para verificar a integridade da mídia. A gravação de erros as vezes ocorre ao produzir um DVD. Um erro de dados para o pacote escolhido no programa de instalação pode fazer com que a instalação aborte. Para minimizar as chances de erros de dados que afetam a instalação, verifique a mídia antes de instalá-la.
Se a verificação for bem sucedida, o processo de instalação procede normalmente. Se o processo falhar, crie um novo DVD usando a imagem de ISO que você baixou anteriormente.

22.6. Recuperando a Fase 3 do Programa de Instalação

O carregador recupera a fase 3 do programa de instalação da rede para o disco RAM. Isto pode levar algum tempo.
Recuperando a fase 3 do programa de instalação.

Figura 22.8. Recuperando a fase 3 do programa de instalação.

Capítulo 23. Fase 3 de Instalação: Instalando com o anaconda

Este capítulo descreve uma instalação usando uma interface de usuário gráfica do anaconda.

23.1. O resultado de Programa de Instalação Modo Texto de Linha Não Interativa

Se a opção cmdline foi especificada como opção de inicialização em seu arquivo de parâmetro (Consulte Seção 26.6, “Parâmetros para as instalações do kickstart”) ou em seu arquivo do kickstart (consulte o Capítulo 32, Instalações pelo Kickstart), anaconda inicia com um resultado de linha modo texto. Neste modo, todas as informações necessárias devem ser fornecidas no arquivo do kickstart. O instalador não permitirá que interação do usuário e para se houver informação de instalação não especificada.

23.2. A Interface de Usuário de Programa de Instalação em Modo Texto

Enquanto as instalações de modo texto não são documentadas explicitamente, aquelas que utilizam o programa de instalação em modo texto podem seguir facilmente as instruções de instalação do GUI. No entanto, como o modo texto apresenta um processo de instalação mais simples e básico, certas opções que estão disponíveis no modo gráfico não estão disponíveis no modo texto. Estas diferenças são anotadas na descrição do processo de instalação deste guia, e incluem:
  • Ativando interativamente o FCP LUNs
  • configurando métodos de armazenamento avançados tais como LVM, RAID, FCoE, zFCP, e iSCSI.
  • padronizando o layout da partição
  • padronizando o layout do carregador de inicialização
  • selecionando os pacotes durante a instalação
  • configurando o sistema instalado com o Firstboot

23.3. A Interface Gráfica de Usuário do Programa de Instalação

Se você já usou uma interface gráfica de usuário (GUI) antes, está familiarizado com este processo. Use seu mouse para navegar pelas telas, clicar em botões ou inserir texto nos campos apresentados.
Você também pode navegar pela instalação usando o teclado. A tecla Tab permite navegar pela tela, as setas para cima e para baixo rolam as listas, as teclas + e - expandem e contraem as listas, enquanto Espaço e Enter selecionam ou removem a seleção de um item em destaque. Você também pode usar a combinação de teclas Alt+X como uma outra maneira de clicar em botões ou efetuar outras seleções na tela, onde X é substituído por qualquer letra sublinhada que apareça na tela.

23.4. Configurando o Terminal de Instalação

Se você logou com o ssh e X11, o anaconda inicia imediatamente com sua interface de usuário gráfica.
Se você não configurou a variante do display= e não usa o X11 depois, o anaconda lhe oferece a opção de iniciar o VNC ou modo texto.
Escolhendo o VNC ou modo texto

Figura 23.1. Escolhendo o VNC ou modo texto

Se você escolher o VNC, lhe será solicitado uma senha ou você pode escolher usar o VNC sem a senha. Se você usar uma senha, faça uma nota da senha para referências futuras. O servidor do VNC então inicia.
O servidor VNX inicia

Figura 23.2. O servidor VNX inicia

Agora abra uma conexão no endereço IP de sua máquina virtual convidada z/VM usando um cliente VNC. Autentique o servidor VNC com a senha inserida previamente.

23.5. Bem vindo ao Red Hat Enterprise Linux

A tela Bem-vindo não solicita que você ensira nenhuma entrada.
Clique no botão Próximo para continuar.

23.6. Dispositivos de Armazenamento

Você pode instalar o Red Hat Enterprise Linux em diversos dispositivos de armazenamento. Para System z, selecione Specialized Storage Devices.
Dispositivos de Armazenamento

Figura 23.3. Dispositivos de Armazenamento

Dispositivos de Armazenamento Básico
Esta opção se aplica aos usuários de sistema System z.
Dispositivos de Armazenamento Especializado
Selecione Specialized Storage Devices para instalar Red Hat Enterprise Linux nos seguintes dispositivo