1.10.4. VIRTUAL SERVERS

O painel de SERVIDORES VIRTUAIS exibe informação para cada servidor virtual definido atualmente. Cada tabela de entrada apresenta o status do servidor virtual, o nome do servidor, o determinado IP virtual ao servidor, o netmask do IP virtual, o número do portal do qual o serviço comunica-se, o protocolo usado e a interface do dispositivo virtual.
The VIRTUAL SERVERS Panel

Figura 1.33. The VIRTUAL SERVERS Panel

Cada servidor exibido no painel SERVIDORES VIRTUAIS pode ser configurado nas telas subseqüentes ou subseções.
Para adicionar um serviço, clique no botão ADICIONAR. Para remover um serviço, faça a seleção clicando no botão rádio, perto do servidor virtual, e clique no botão DELETAR.
Para ativar ou desativar um servidor virtual na tabela, clique no botão rádio e clique no botão (DES)ATIVAR.
Após adicionar um servidor virtual, você pode configurar isto clicando no botão rádio para o lado esquerdo e clicando no botão EDITAR para exibir a subseção SERVIDOR VIRTUAL .

1.10.4.1. A Subseção do SERVIDOR VIRTUAL

The VIRTUAL SERVER subsection panel shown in Figura 1.34, “The VIRTUAL SERVERS Subsection” allows you to configure an individual virtual server. Links to subsections related specifically to this virtual server are located along the top of the page. But before configuring any of the subsections related to this virtual server, complete this page and click on the ACCEPT button.
The VIRTUAL SERVERS Subsection

Figura 1.34. The VIRTUAL SERVERS Subsection

Name
O nome descritivo para identificar o servidor virtual. Este nome não é o nome do anfitrião para a máquina, sendo então descritivo e facilmente identificável. Você pode também referenciar o protocolo usado pelo servidor virtual, como por exemplo o HTTP.
Application port
O número do portal através do qual o aplicativo do serviço irá escutá-lo.
Protocol
Fornece uma escolha de UDP ou TCP, num menu suspenso.
Virtual IP Address
The virtual server's floating IP address.
Virtual IP Network Mask
A netmask para este servidor virtual, num menu suspenso.
Firewall Mark
A entrada do valor integral da marca do firewall, quando construindo os protocolos de portais múltiplos ou criando os servidores virtuais de portal múltiplo de separação, no entanto os protocolos relatados.
Device
O nome do dispositivo de rede, do qual você queira o endereço IP flutuante definido no campo do Endereço IP Virtual, para a vinculação.
Você pode alias o endereço IP flutuante a uma interface Ethernet conectada à rede pública.
Re-entry Time
Um valor integral que define o número de segundos antes do roteador LVS ativo tentar usar o servidor real, após a falha do servidor real.
Service Timeout
Um valor integral que define o número de segundos antes de um servidor real ser considerado inativo e não disponível.
Quiesce server
Quando o botão de rádio do servidor Quiesce for selecionado, um novo nó do servidor real aparecerá on-line a qualquer instante. A tabela mínima de conexão é regulada para zero, assim o roteador LVS ativo encaminha as solicitações como se todos os servidores reais fossem adicionados recentemente ao cluster. Esta opção evita um novo servidor começar a atolar-se com o alto número de conexões pela entrada do cluster.
Load monitoring tool
O roteador LVS pode monitorar a carga em vários servidores reais usando tanto o rup ou ruptime. Se você selecionar o rup do menu suspenso, cada servidor real deverá executar o serviço rstatd. Se você selecionar o ruptime, cada servidor real deverá executar o serviço rwhod.
Scheduling
O algoritmo de agendamento preferido do menu suspenso. O padrão é de Weighted least-connection.
Persistência
Utilizado caso você precise de conexões persistentes para o servidor virtual durante as transações dos clientes. Especifica o número de segundos da inatividade permitida para o lapso, antes do tempo limite neste campo do texto.
Persistence Network Mask
Para limitar a persistência de um subnet particular, selecione a máscara da rede apropriada para o menu suspenso.